Daily Archives: 14 de Março de 2018

CINEMA FAROESTE É NA 2001

UM DOS GÊNEROS MAIS QUERIDOS PELO PÚBLICO DA 2001, O WESTERN MARCA PRESENÇA EM 4 LANÇAMENTOS, QUE RESGATAM DESDE CLÁSSICOS COMO “AUDAZES E MALDITOS” (DO MESTRE JOHN FORD) A 2 FAROESTES ESTRELADOS POR JACK NICHOLSON, EM INÍCIO DE CARREIRA (“DISPARO PARA MATAR”, “A VINGANÇA DE UM PISTOLEIRO”), SOB A DIREÇÃO DE MONTE HELLMAN.

Ambientado entre meados do século XIX e início do XX, o western, faroeste ou “bangue-bangue” é considerado um gênero americano por excelência, graças a nomes como John Ford, Howard Hawks, John Wayne e Clint Eastwood, que ajudaram a eternizar inúmeras jornadas do herói em regiões sem lei.

Os títulos a seguir apresentam diferentes vertentes do faroeste, incluindo os western spaghetti, produções italianas de baixo orçamento que ajudaram a reinventar o gênero.

CINEMA FAROESTE VOL.6

Box com embalagem digistack com 3 DVDs que reúnem seis faroestes revisionistas, incluindo as inéditas versões restauradas de “Disparo para Matar” e “A Vingança de um Pistoleiro”, dois cult-movies do diretor independente Monte Hellman com Jack Nicholson no elenco, e uma hora e meia de extras, entre documentários e depoimentos.

Edição Limitada com 6 cards.

DISCO 1:

DISPARO PARA MATAR (The Shooting, 1966, 81 min.)
De Monte Hellman. Com Millie Perkins, Jack Nicholson, Will Hutchins.

Moça misteriosa contrata dois mineiros para ajudá-la a seguir alguém, mas eles percebem que há algo errado quando um pistoleiro junta-se ao grupo. O primeiro dos ousados e fascinantes faroestes B produzidos por Hellman e Nicholson.

A VINGANÇA DE UM PISTOLEIRO (Ride in the Whirlwind, 1966, 82 min.)
De Monte Hellman. Com Jack Nicholson, Cameron Mitchell, Millie Perkins, Warren Oates.

Três vaqueiros, confundidos com membros de uma gangue fora-da-lei, são perseguidos implacavelmente por um grupo de vigilantes. Produzido, escrito e protagonizado por Nicholson, esse é um dos faroestes seminais dos anos 1960.

DISCO 2:

A VINGANÇA DE ULZANA (Ulzana’s Raid, 1972, 103 min.)
De Robert Aldrich. Com Burt Lancaster, Bruce Davison, Jorge Luke.

Quando índios apaches desertores liderados pelo terrível Ulzana massacram camponeses, um tenente da cavalaria é enviado para enfrentá-los. Faroeste revisionista brutal e surpreendente do mestre Aldrich (diretor de “A Morte num Beijo”).

OS 3 DISCÍPULOS DA MORTE (The Spikes Gang, 1974, 97 min.)
De Richard Fleischer. Com Lee Marvin, Gary Grimes, Ron Howard.

Três jovens fazendeiros ajudam um assaltante de banco ferido, que os ensina os caminhos do crime.
Subestimado faroeste que traz uma visão realista do Velho Oeste, com uma grande atuação do astro Lee Marvin.

DISCO 3:

HANNIE CAULDER – DESEJO DE VINGANÇA (Hannie Caulder, 1971, 85 min.)
De Burt Kennedy. Com Raquel Welch, Robert Culp, Ernest Borgnine.

Mulher contrata caçador de recompensas para ensiná-la a atirar para que possa se vingar dos três bandidos que a estupraram e mataram seu marido. Polêmico faroeste de vingança que serviu de inspiração para “Kill Bill”, de Quentin Tarantino.

ASSIM NASCE UM HOMEM (The Culpepper Cattle Co., 1970, 92 min.)
De Dick Richards. Com Gary Grimes, Billy Green Bush, Luke Askew.

Ben, um adolescente que sonha em ser vaqueiro, pede a Frank Culpepper para se juntar a seus homens para conduzir gado. Ele aprenderá o quão violenta e difícil é a vida de um vaqueiro. Curioso faroeste revisionista de formação.

EXTRAS: Especiais, depoimentos e documentários sobre os filmes (92 min).

COMPLETE A SUA COLEÇÃO:
Mais Volumes de Cinema Faroeste na 2001

FAROESTE SPAGHETTI VOL.2

DVD duplo com 4 clássicos deste subgênero que é a variação europeia do western americano. A partir dos anos 1960, diretores como Sergio Sollima e Tonino Valerii dirigiram nomes como Lee Van Cleef, Tomas Milian e Giuliano Gemma, entre outros, em histórias repletas de anti-heróis, humor negro e muita violência estilizada.

Os filmes são apresentados em versões integrais e inéditas, restauradas com áudio original em italiano, além de vários extras.

Edição Limitada com 4 cards.

DISCO 1:

A MORTE ANDA A CAVALO (Da Uomo a Uomo / Death Rides a Horse, 1967, 114 min.)
De Giulio Petroni. Com Lee Van Cleef, John Philip Law, Mario Brega.

Um jovem deseja se vingar dos bandidos que mataram sua família quando era menino e, para isso, se alia a um veterano fora-da-lei. Impressionante faroeste de vingança com trilha memorável de Ennio Morricone. Opção de áudio em inglês e italiano.

QUANDO OS BRUTOS SE DEFRONTAM (Faccia a Faccia, 1967, 112 min.)
De Sergio Sollima. Com Gian Maria Volontè, Tomas Milian, William Berger.

Um professor de História convalescente conhece um pistoleiro foragido, que o fascina e o inspira a fazer parte de seu bando de foras-da-lei. Raridade de Sergio Sollima (“O Dia da Desforra”) em inédita versão completa (112 minutos).

DISCO 2:

RÉQUIEM PARA MATAR (Requiescant, 1967, 107 min.)
De Carlo Lizzani. Com Lou Castel, Mark Damon, Pier Paolo Pasolini.

O filho de um rebelde mexicano é adotado por pastor. Anos depois, já adulto, ele chega a um vilarejo que está sob o controle cruel de um ex-oficial confederado. Faroeste spaghetti original com participação do cineasta Pier Paolo Pasolini.

CHUCK MULL – O HOMEM DA VINGANÇA (Ciakmull – L’uomo della Vendetta, 1970, 95 min.)
De Enzo Barboni. Com Leonard Mann, Woody Strode, Pietro Martellanza.

Amnésico foge da prisão com outros três companheiros e chega à sua cidade natal para descobrir a verdade sobre seu passado. Lá se envolve numa violenta briga pelo poder. Pérola do faroeste spaghetti com sensacional trilha de Riz Ortolani.

EXTRAS: Depoimentos (29 min.) e trailers (6 min).

COMPLETE A SUA COLEÇÃO:
Faroeste Spaghetti vol. 2

AUDAZES E MALDITOS

Um western menos badalado, mas não menos importante, do grande John Ford (“Paixão dos Fortes“). Baseado em romance de James Warner Bellah, o filme transcende o gênero western, com sua trama de tribunal e crítica social, ao denunciar um caso de racismo. Num forte militar no Arizona, em 1881, um oficial é assassinado e sua bela filha é estuprada e estrangulada. Um sargento negro, Braxton Rutledge (Woody Strode), é injustamente acusado do crime.

PISTOLEIRO RELÂMPAGO

Astro do gênero, Audie Murphy dá vida a Clint Cooper, pistoleiro que retorna à sua cidade natal para assumir os bens de seu pai. Ao chegar, percebe que os moradores o evitam em razão de seu passado, por ter matado em duelo dois filhos de um rancheiro local. A redenção não lhe será fácil, assim como retomar o rancho da família.

NOVAS COLEÇÕES DO SELO OBRAS-PRIMAS DO CINEMA: D.W. GRIFFITH E ESTÚDIO HAMMER

COM 2 DISCOS, “D.W.GRIFFITH” REVISITA OS PRIMÓRDIOS DO CINEMA, COM “O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO” E “INTOLERÂNCIA”, E A “COLEÇÃO ESTÚDIO HAMMER“, COM 3 DVDs, REÚNE 6 CLÁSSICOS DE TERROR BRITÂNICO DOS ANOS 50 E 60.

Edições limitadas com cards e inúmeros extras com bastidores de produção.

D.W. GRIFFITH

UM PIONEIRO DO CINEMA

David Llewelyn Wark Griffith nasceu em região rural do estado de Kentucky (EUA), em 22 de janeiro de 1875. Filho de um herói da guerra civil americana que influenciou o filho com suas histórias, começou a carreira artística como ator amador e ingressou no cinema quando aceitou trabalhar para um filme da Companhia Edison, realizado por Edwin S. Porter.

A partir de 1908, Griffith dirigiu centenas de curtas para a Biograph, que lhe permitiram testar novas técnicas, até realizar O “Nascimento de uma Nação” (1915). O sucesso desse épico pioneiro, realizado em 12 rolos, deu novo rumo ao cinema. Griffith, ao lado do fotógrafo G.W. Bitzer, revolucionou a linguagem cinematográfica, criando procedimentos técnicos como o close, o travelling e o flashback.

Retirou-se de cena no início dos anos 1930, após sucessivos fracassos. Griffith morreu solitário num hotel de Los Angeles (Califórnia), em 1948. Apesar de ter reconhecida sua importância para o desenvolvimento da linguagem do cinema, com o tempo o diretor passou a ser criticado por idealizar membros da Ku Klux Klan como heróis em “O Nascimento de uma Nação”.

DISCO 1:

O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (The Birth of a Nation, 1915, 193 min.)
Com Lillian Gish, Mae Marsh, Henry B. Walthall.

Dois irmãos da família Stoneman visitam os Cameron em Piedmont, Carolina do Sul. Esta amizade é afetada com a Guerra Civil, pois os Cameron se alistam no exército Confederado enquanto os Stoneman unem-se às forças da União.

São retratadas as consequências da guerra na vida destas duas famílias e as conexões com os principiais acontecimentos históricos, como o crescimento da Guerra da Secessão, o assassinato de Lincoln e o nascimento da Ku Klux Klan.

DISCO 2:

INTOLERÂNCIA (Intolerance: Love’s Struggle Throughout the Ages, 1916, 167 min.)
Com Lillian Gish, Robert Harron, Mae Marsh.

A intolerância vista e analisada em quatro diferentes estágios da História: Na Babilônia, uma garota convive com a rivalidade religiosa que leva uma cidade às ruínas. Na Judeia, os hipócritas condenam Jesus Cristo. Na Paris do século XVI, sem saber saber do Massacre da Noite de São Bartolomeu, dois huguenotes se preparam para um casamento. E na América moderna reformistas sociais destroem a vida de um jovem casal.

EXTRAS:

* Making of de “O Nascimento de uma Nação”: Com duração de 24 minutos, contém informações sobre a produção e inclui raros testes de figurinos e mais bastidores.
* “Three Hours That Shook the World”: Com duração de 19 minutos, esta entrevista com Kevin Brownlow traz histórias fascinantes sobre o filme “Intolerância”.

COLEÇÃO ESTÚDIO HAMMER

Fundada em 1934, com nome homenageando a região de seu fundador, William Hinds (comediante de Hammersmith), a Hammer começou suas atividades com a produção de comédias e aventuras de baixo orçamento.

Em 1955, o sucesso de “Terror que Mata” (The Quatermass Xperiment) impulsionou a Hammer a produzir mais filmes de sci-fi e terror, revitalizando nas telas monstros clássicos da Universal, em títulos como “A Maldição de Frankenstein” (The Curse of Frankenstein, 1957) e “O Vampiro da Noite” (Dracula, 1958).

Com mais de cem longas realizados até a década de 1970, a Hammer se tornou referência mundial em terror, adicionando erotismo e violência gráfica às suas produções fincadas na literatura gótica. Atores recorrentes nos maiores sucessos da Hammer, Peter Cushing e Christopher Lee viraram astros universais do cinema de horror.

DISCO 1:

A MÚMIA (The Mummy, 1959, 1.66:1, 88 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Peter Cushing, Christopher Lee, Yvonne Furneaux.

No ano de 1895, a tumba da princesa egípcia Ananka é encontrada por um grupo de arqueólogos. Contudo, o sumo-sacerdote Kharis (Christopher Lee), que amava a princesa, volta à vida, espalhando terror entre os escavadores.

MALDIÇÃO DE LOBISOMEM (The Curse of the Werewolf, 1961, 2.0:1, 92 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Clifford Evans, Oliver Reed, Yvonne Romain.

Na Espanha, Leon nasceu no dia de Natal, fruto de um estupro. Quando jovem, ele trabalha em uma adega e se apaixona pela filha do proprietário, Cristina. Só que, em uma noite de lua cheia, ele se transforma, assustando toda a cidade.

DISCO 2:

O BEIJO DO VAMPIRO (The Kiss of the Vampire, 1963, 1.85:1, 88 min.)
Direção: Don Sharp. Com Clifford Evans, Edward de Souza, Noel Willman.

Gerald e Marianne Harcourt viajam de carro quando seu veículo quebra e eles são obrigados a passar alguns dias numa pequena e remota comunidade. Logo, são convidados a visitar o castelo do Dr. Ravna, o líder de um culto vampírico.

MANIAC (Maniac, 1961, 2.35:1, 86 min.)
Direção: Michael Carreras. Com Kerwin Mathews, Nadia Gray, Donald Houston.

Um artista plástico norte-americano desembarca em uma ilha francesa e se envolve em um triangulo amoroso. Convencido por sua amante a ajudar o ex-marido a escapar de um hospital psiquiátrico, ele acaba libertando um homem altamente perigoso.

DISCO 3:

A GÓRGONA (The Gorgon, 1964, 1.66:1, 83 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Christopher Lee, Peter Cushing, Richard Pasco.

Em 1910, na pequena cidade alemã de Vandorf, uma série de assassinatos foram cometidos nos últimos cinco anos, com todas as vítimas transformadas em pedra. As autoridades locais temem que uma antiga lenda tenha se tornado realidade.

FANATISMO MACABRO (Die! Die! My Darling!, 1965, 1.85:1, 94 min.)
Direção: Silvio Narizzano. Com Tallulah Bankhead, Stefanie Powers, Peter Vaughan.

A Sra. Trefoile é uma demente religiosa que ficou obcecada pelo espírito do filho que faleceu há vários anos em um acidente. Ela prende sua ex-nora no sótão como refém para “limpar” sua alma para que ela possa se reunir com seu filho no céu.

EXTRAS:

* Especial sobre “A Múmia”
* Membros da equipe original relembram suas experiências em “Maniac”
* Por dentro de “A Górgona” e “Fanatismo Macabro”

MAIS HAMMER FILMES NA 2001:
Drácula – The Ultimate Hammer Collection – 5 discos
Hammer – A Casa do Terror

NOVAS COLEÇÕES DO SELO OBRAS-PRIMAS DO CINEMA: ANOS 80 E ANG LEE

ENTRE AS NOVIDADES DESTE MÊS ESTÃO O BOX “SESSÃO ANOS 80“, COM 4 CULTS DA SESSÃO DA TARDE, INCLUINDO “ALGUÉM MUITO ESPECIAL”, E “ANG LEE TRILOGIA“, COM OS PRIMEIROS LONGAS DE ANG LEE (“AS AVENTURAS DE PI”), REALIZADOS EM SUA TERRA NATAL, TAIWAN. 

Edições limitadas com cards e inúmeros extras com bastidores de produção.

SESSÃO ANOS 80

A coleção reúne quatro sucessos da década de 1980 em versões remasterizadas com idioma original, dublagem em português e mais de 1 hora de extras, além de 4 Cards.

DISCO 1:

DEU A LOUCA NOS MONSTROS (The Monster Squad, 1987, 82 min.)
Direção: Fred Dekker. Com Andre Gower, Robby Kiger, Stephen Macht.

Um grupo de crianças se prepara para curtir gibis e filmes de terror no Clube dos Monstros. Seus conhecimentos finalmente ganham utilidade quando sua cidade é invadida por monstros comandados pelo vampiresco Drácula. Aventura infanto-juvenil coescrita por Shane Black, de “Homem de Ferro 3”.

ADMIRADORA SECRETA (Secret Admirer, 1985, 97 min.)
Direção: David Greenwalt. Com C. Thomas Howell, Lori Loughlin, Kelly Preston.

Um rapaz (C. Thomas Howell, de “A Morte Pede Carona”) recebe uma carta de amor anônima e, imaginando conhecer quem a escreveu, responde para a pessoa errada. Só que a carta se extravia, dando início a uma série de mal-entendidos.

DISCO 2:

ALGUÉM MUITO ESPECIAL (Some Kind of Wonderful, 1987, 94 min.)
Direção: Howard Deutch. Com Eric Stoltz, Mary Stuart Masterson, Lea Thompson.

Contrariado pelos pais, o jovem Keith é obrigado a largar a arte para voltar a estudar. Na faculdade, se apaixona pela menina mais popular, sem perceber que sua melhor amiga está perdidamente apaixonada por ele. Sucesso romântico de 1987 escrito pelo Midas do período, John Hughes (“Clube dos Cinco”, “A Garota de Rosa-Shocking”).

A LENDA DE BILLIE JEAN Jean (The Legend of Billie Jean, 1985, 95 min.)
Direção: Matthew Robbins. Com Helen Slater, Christian Slater, Keith Gordon.

Injustamente acusada por um crime que não cometeu, Billie Jean Davy (Helen Slater), uma garota do interior do Texas, foge para não ser capturada pela corrupta polícia local. Com o passar do tempo, sua história se torna conhecida entre os jovens, que passam a idolatrá-la.

EXTRAS:

* Entrevista com John Hughes (11 minutos)
* Cenas deletadas de “Deu a Louca nos Monstros” (9 minutos)
* Making of de “Alguém MuitoEspecial” (8 minutos)
* Conhecendo o elenco de “Alguém Muito Especial” (13 minutos)
* Luz, Câmera, Monstros! (26 minutos)

ANG LEE TRILOGIA

Ang Lee nasceu em Taiwan em 23 de outubro de 1954 e descobriu cedo a paixão pelo cinema. Estudou em uma escola de dramaturgia em Taipei e logo depois foi para os Estados Unidos, mais especificamente para a New York University e lá foi assistente de Spike Lee.

Antes de dirigir com sucesso na Inglaterra “Razão e Sensibilidade” (1995) e dar início a uma bem-sucedida carreira em Hollywood, Lee já se destacara em sua terra-natal com três trabalhos  escritos por seu habitual parceiro, o roteirista e produtor James Schamus. Repleta de humanismo e sutileza, a trilogia a seguir mostra as origens de um dos diretores mais versáteis do cinema contemporâneo (“O Segredo de Brokeback Mountain”, “As Aventuras de Pi“).

DISCO 1:

A ARTE DE VIVER (Tui shou, Pushing Hands: 1992, 105 min.)
Com Sihung Lung, Lai Wang, Bozhao Wang.

Mestre na arte do Tai Chi, Chu é um senhor aposentado que vive na China onde criou sozinho o filho Alex que, depois de estudar nos EUA, casa-se com a americana Martha. Chu muda-se então para a América e tenta sem sucesso viver com a família de Alex.

BANQUETE DE CASAMENTO (Xi yan – The Wedding Banquet, 1993, 108 min.)
Com Winston Chao, May Chin, Ya-Lei Kuei.

Wai (Winston Chao) é um homem de negócios jovem e bem-sucedido de Taiwan que mora em um belo apartamento no Brooklyn com seu namorado americano Simon (Mitchell Lichtenstein). Como seus pais não sabem que ele é gay, ele finge se casar com a inquilina Wei Wei (May Chin). Em troca, ela se beneficiaria com o green card, já que Wai é naturalizado americano, só que a farsa se complica com a chegada dos pais do noivo. Comédia dramática indicada ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

DISCO 2:

COMER BEBER VIVER (Yin shi nan nu – Eat Drink Man Woman, 1994, 124 min.)
Com Sihung Lung, Chien-Lien Wu, Yu-Wen Wang.

O Sr. Chu, o maior cozinheiro de Taipé, anda com sérios problemas. Com a morte da esposa, ele fica responsável por suas três filhas rebeldes: Jia-Jen, uma professora totalmente devotada a ele; Jia-Khien, uma executiva ambiciosa que não suporta a presença do pai, e Jia-Ning, a mais jovem e mais romântica das três. Nova indicação ao Oscar de filme de língua estrangeira para Lee.

EXTRAS:

* Entrevista com Ang Lee e James Schamus (34 minutos)
* Valores Familiares (26 minutos)
* Comédia de Casamento (22 minutos)
* A Essência da Vida (23 minutos)