Daily Archives: 3 de Abril de 2018

DOIS FILMES DE ÉPOCA: “RODA GIGANTE” E “ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE”

O MAIS RECENTE TRABALHO (FINALIZADO) DE WOODY ALLEN CONTA COM KATE WINSLET EM MAIS UMA GRANDE ATUAÇÃO. E KENNETH BRANAGH DIRIGE E ESTRELA A NOVA VERSÃO DO BEST SELLER DE AGATHA CHRISTIE.

RODA GIGANTE

Com aclamada atuação de Kate Winslet, o filme acabou sendo esquecido das premiações e não fez o mesmo sucesso de trabalhos anteriores de Woody Allen, que. aos 81 anos, vem enfrentando sérias acusações de abuso sexual por sua filha, Dylan Farrow.

Na trama, Winslet interpreta Ginny, uma aspirante a atriz que leva uma vida infeliz ao lado do marido Humpty (Jim Belushi, de “Inferno Vermelho”), trabalhando como garçonete para pagar as contas. Cheia de sonhos, ela ainda precisa lidar com o filho incendiário, e rapidamente começa um caso com o salva-vidas Mickey (Justin Timberlake), estudante universitário.

O frágil equilíbrio da vida de Ginny balança com a chegada de Carolina (Juno Temple), filha de Humpty que retorna para casa fugindo de seu-marido, um perigoso gângster que agora busca vingança. É o início de um triângulo amoroso que irá expor os piores sentimentos e contradições da protagonista, outra criação de Allen com ecos de Blanche DuBois, como já fizera em “Blue Jasmine”.

Destaque para a bela fotografia de Vittorio Storaro – em nova parceria com o diretor, depois de “Cafe Society” -, que recria de maneira nostálgica a praia de Coney Island, que serve de ponto de encontro dos amantes, na Nova York dos anos 1950.

ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE (2017)

Dirigida e estrelada por Kenneth Branagh, esta nova (e luxuosa) adaptação do clássico da escritora inglesa Agatha Christie (1890-1976) levou mais de 1 milhão de espectadores aos cinemas brasileiros.

Especialista na obra de Shakespeare, no início de sua carreira como diretor de cinema (“Henrique V”, “Hamlet“, “Muito Barulho por Nada”), Branagh passou a dirigir na última década produções de apelo mais comercial (“Thor”, “Operação Sombra – Jack Ryan”, “Cinderela”).

Com “Assassinato no Expresso do Oriente“, ele concilia sua formação teatral com o escopo de uma superprodução, tirando proveito da tecnologia atual para expandir a estrutura de “mistério dentro do trem” da versão de 1974, dirigida por Sidney Lumet. Agora, há mais ação do lado de fora, com belas locações, uma nevasca recriada digitalmente e muita movimentação de câmera.

Com um expressivo bigode, Branagh encarna o papel do meticuloso Hercule Poirot, um detetive belga cheio de manias que embarca no Expresso do Oriente e logo se vê à frente da investigação de um crime. Durante passagem do trem pelas montanhas da Croácia, em 1934, ele tenta descobrir quem matou o negociante Edward Ratchett (Johnny Depp).

Suspeitos não faltam, como o secretário pessoal do morto (Josh Gad) e seu mordomo (Derek Jacobi), passando por uma princesa russa (Judi Dench), uma divorciada americana (Michelle Pfeiffer), uma jovem governanta inglesa (Daisy Ridley, revelada em “Star Wars – O Despertar da Força”) e uma missionária misteriosa (Penélope Cruz), entre outros passageiros.

Vale a pena comparar o filme com a primeira versão. Em comum, tanto a adaptação atual quanto a de Lumet contam com elenco estelar e fazem uso de flashbacks para elucidar o mistério. O filme de Branagh se impõe com mais recursos cinematográficos, além de trazer uma resolução diferente no desfecho.

Curiosidade: com o sucesso mundial do filme, Kenneth Branagh já começou a pré-produção de “Morte no Nilo”, outra obra de Christie com Hercule Poirot.

CONFIRA TAMBÉM A VERSÃO ORIGINAL:
Assassinato no Expresso Oriente (1974)