2001 Vídeo

SAIU A LISTA DOS INDICADOS AO GLOBO DE OURO

E FOI DADA A LARGADA PARA OS FAVORITOS AO OSCAR 2018: A ASSOCIAÇÃO DE IMPRENSA ESTRANGEIRA DE HOLLYWOOD DIVULGOU HOJE A LISTA COM OS INDICADOS A MELHORES DO ANO NO CINEMA E NA TV.

A fantasia “A Forma da Água” lidera a disputa nas categorias de cinema, com sete indicações – incluindo melhor filme (drama), diretor (Guillermo del Toro, de “O Labirinto do Fauno”) e atriz dramática (a inglesa Sally Hawkins). “The Post: A Guerra Secreta” e “Três Anúncios para um Crime” vêm em seguida, com seis indicações cada.

O aclamado épico de guerra “Dunkirk” continua um dos favoritos da temporada, com chances como melhor filme (drama), direção (Christopher Nolan) e trilha sonora (de Hans Zimmer).

Grande vencedora do Emmy neste ano, “Big Little Lies” recebeu seis indicações: melhor minissérie ou telefilme, atriz (Reese Witherspoon, Nicole Kidman), atriz coadjuvante (Laura Dern, Shailene Woodley) e ator coadjuvante (Alexander Skarsgård) no mesmo formato.

Considerado uma espécie de prévia para a lista dos principais indicados ao Oscar, o Globo de Ouro será entregue no dia 7 de janeiro de 2018 em Los Angeles, com Seth Meyers como mestre de cerimônias.

Confira abaixo a lista completa dos indicados da 75ª edição do Globo de Ouro.

CINEMA

MELHOR FILME (DRAMA)
“Me chame pelo seu nome”
“The Post: A guerra secreta”
Dunkirk” (em pré-venda na 2001)
“A forma da água”
“Três anúncios para um crime”

MELHOR FILME (COMÉDIA OU MUSICAL)
“Artista do Desastre”
Corra!” (disponível na 2001)
“I, Tonya”
“Lady Bird: É Hora de Voar”
“O Rei do Show”

MELHOR DIRETOR
Christopher Nolan – “Dunkirk
Guillermo del Toro – “A Forma da Água”
Martin McDonagh – “Três Anúncios Para um Crime”
Ridley Scott – “All the Money in the World”
Steven Spielberg – “The Post: A Guerra Secreta”

MELHOR ATOR (DRAMA)
Daniel Day-Lewis – “Trama Fantasma”
Denzel Washington – “Roman J. Israel, Esq.”
Gary Oldman – “O Destino de uma Nação”
Timothée Chalamet – “Me Chame pelo Seu Nome”
Tom Hanks – “The Post: A Guerra Secreta”

Gary Oldman está irreconhecível como Winston Churchill em “O Destino de uma Nação” e já é considerado favorito ao Globo de Ouro e ao Oscar de melhor ator

MELHOR ATRIZ (DRAMA)
Frances McDormand – “Três Anúncios Para um Crime”
Jessica Chastain – “A Grande Jogada”
Meryl Streep – “The Post: A Guerra Secreta”
Michelle Williams – “All the Money in the World”
Sally Hawkins – “A Forma da Água”

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Ansel Elgort – “Em Ritmo de Fuga” (disponível na 2001)
Daniel Kaluuya – “Corra!
Hugh Jackman – “O Rei do Show”
James Franco – “Artista do Desastre”
Steve Carell – “A Guerra dos Sexos”

Com sua mistura de gêneros (terror, thriller, crítica social), “Corra” foi curiosamente lembrado na categoria de melhor comédia ou musical. O filme pode ser adquirido em DVD a preço promocional na 2001

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Emma Stone – “A Guerra dos Sexos”
Helen Mirren – “The Leisure Seeker”
Judi Dench – “Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha”
Margot Robbie – “I, Tonya”
Saoirse Ronan – “Lady Bird: É Hora de Voar”

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Armie Hammer – “Me Chame pelo Seu Nome”
Christopher Plummer – “All the Money in the World”
Richard Jenkins – “A Forma da Água”
Sam Rockwell – “Três Anúncios para um Crime”
Willem Dafoe – “Projeto Flórida”

Indicado ao Oscar pela primeira vez em 1987, por “Platoon”, o veterano Willem Dafoe é um forte candidato por “Projeto Flórida

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Allison Janney – “I, Tonya”
Hong Chau – “Pequena Grande Vida”
Laurie Metcalf – “Lady Bird: É Hora de Voar”
Mary J. Blige – “Mudbound”
Octavia Spencer – A Forma da Água”

MELHOR ROTEIRO
“A Forma da Água” – Guillermo del Toro
“A Grande Jogada” – Aaron Sorkin
“Lady Bird: É Hora de Voar”- Greta Gerwig
“The Post: A Guerra Secreta” – Liz Hannah, Josh Singer
“Três Anúncios Para um Crime” – Martin McDonagh

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Com Amor, Van Gogh” (em pré-venda na 2001)
“O Poderoso Chefinho”
“O Touro Ferdinando”
“The Breadwinner”
“Viva: A Vida é uma Festa”


Primeiro longa animado realizado somente com pinturas a óleo, “Com Amor, Van Gogh” tem previsão de lançamento em DVD para o final de Janeiro

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
“Em Pedaços”
“First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers”
“Nelyubov”
“The Square”
“Uma Mulher Fantástica”

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
“A Forma da Água” – Alexandre Desplat
Dunkirk” – Hans Zimmer
“The Post: A Guerra Secreta” – Vários
“Trama Fantasma” – Jonny Greenwood
“Três Anúncios Para um Crime” – Carter Burwell

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Remember Me”, de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez (“Viva – A Vida é uma Festa”)
“Mighty River”, de Raphael Saadiq, Taura Stinson e Mary J. Blige (“Mudbound”)
“This Is Me”, de Justin Paul e Benj Pasek (“O Rei do Show”)
“Home”, de Nick Jonas, Justin Tranter e Nick Monson (“O Touro Ferdinando”)
“The Star”, de Mariah Carey e Marc Shaiman (“A Estrela de Belém”)

TV

MELHOR SÉRIE (DRAMA)
Game of Thrones” (disponível na 2001)
“The Handmaid’s Tale”
“Stranger Things”
The Crown” (disponível na 2001)
This Is Us” (disponível na 2001)

A sétima temporada de “Game of Thrones” recebeu apenas 1 indicação, na categoria principal

MELHOR SÉRIE (COMÉDIA OU MUSICAL)
“Black-ish”
“Master of None”
“SMILF”
“The Marvelous Mrs. Maisel”
“Will & Grace”

MELHOR ATOR (DRAMA)
Bob Odenkirk – “Better Call Saul” (disponível na 2001)
Freddie Highmore – “The Good Doctor”
Jason Bateman – “Ozark”
Liev Schreiber – “Ray Donovan”
Sterling K. Brown – “This Is Us

MELHOR ATRIZ (DRAMA)
Caitriona Balfe – “Outlander”
Claire Foy – “The Crown
Elisabeth Moss – “The Handmaid’s Tale”
Katherine Langford – “13 Reasons Why”
Maggie Gyllenhaal – “The Deuce”

Claire Foy como a rainha Elizabeth II na série “The Crown

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Anthony Anderson – “Black-ish”
Aziz Ansari – “Master of None”
Eric McCormack – “Will & Grace”
Kevin Bacon – “I Love Dick”
William H. Macy – “Shameless”

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Alison Brie – “GLOW”
Frankie Shaw – “SMILF”
Issa Rae – “Insecure”
Pamela Adlon – “Better Things”
Rachel Brosnahan – “The Marvelous Mrs. Maisel”

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
“Big Little Lies”
“Fargo”
“Feud”
“The Sinner”
“Top of the Lake”

MELHOR ATRIZ (MINISSÉRIE OU TELEFILME)
Jessica Biel – “The Sinner”
Jessica Lange – “Feud”
Nicole Kidman – “Big Little Lies”
Reese Witherspoon – “Big Little Lies”
Susan Sarandon – “Feud”

Na minissérie “Feud”, Jessica Lange e Susan Sarandon revivem a lendária rixa entre Joan Crawford e Bette Davis, que atuaram juntas em “O Que Aconteceu com Baby Jane?

MELHOR ATOR (MINISSÉRIE OU TELEFILME)
Robert De Niro – “O mago das mentiras”
Ewan McGregor – “Fargo”
Geoffrey Rush – “Genius”
Jude Law – “The Young Pope”
Kyle MacLachlan – “Twin Peaks”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE (SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME)
Ann Dowd – “O Conto da Aia”
Chrissy Metz – “This Is Us
Laura Dern – “Big Little Lies”
Michelle Pfeiffer – “O Mago das Mentiras”
Shailene Woodley – “Big Little Lies”

MELHOR ATOR COADJUVANTE (SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME)
Alexander Skarsgård – “Big Little Lies”
Alfred Molina – “Feud”
Christian Slater – “Mr. Robot: Sociedade Hacker” (disponível na 2001)
David Harbour – “Stranger Things”
David Thewlis – “Fargo”

NATAL CINÉFILO, COM A ARTE DE MESTRES DO CINEMA

CINCO COLEÇÕES IMPERDÍVEIS, TODAS COM 2 DISCOS E INÚMEROS EXTRAS, TRAZENDO CLÁSSICOS E CULTS – MUITOS DELES INÉDITOS EM DVD – EM VERSÕES RESTAURADAS.

A ARTE DE CLAUDE CHABROL

DVD duplo com 4 inéditos filmes em versões restauradas do grande diretor francês, um dos “jovens turcos” da Nouvelle Vague, além de dois raros curtas do cineasta nos extras.

A coleção traz um de seus filmes mais famosos e cultuados: “Ciúme, o Inferno do Amor Possessivo”, até então inédito em DVD.

DISCO 1:

A COR DA MENTIRA (Au Couer du Mensonge, 1998, 113 min.)
Com Sandrine Bonnaire, Jacques Gamblin, Antoine de Caunes.

Num vilarejo da Bretanha, uma menina de 10 anos é encontrada morta. René, seu professor de Artes, é apontado como principal suspeito, o que ameaça destruir sua vida e seu casamento.

CÍUME – O INFERNO DO AMOR POSSESSIVO (L’Enfer, 1994, 102 min.)
Com Emmanuelle Béart, François Cluzet, Nathalie Cardone.

O gerente de hotel Paul se casa com a linda Nelly. A vida do jovem casal parece um sonho até que ele passa a ser consumido por um ciúme doentio da esposa. Remake de “O Inferno” (1964), cult inacabado de Henri Georges-Clouzot, com François Cluzet (de “Intocáveis”) e a bela Emmanuelle Béart (“A Bela Intrigante”).

DISCO 2:

OPHÉLIA (Idem, 1963, 104 min.)
Com Alida Valli, Claude Cerval, André Jocelyn.

Jovem fica furioso quando sua mãe se casa com seu tio rico, após a morte de seu pai. Chabrol realiza uma brilhante releitura moderna de “Hamlet”, de William Shakespeare, nesse filme injustamente esquecido.

BETTY – UMA MULHER SEM PASSADO (Betty, 1992, 104 min.)
Com Marie Trintignant, Stéphane Audran, Jean-François Garreaud.

Certa noite, Betty, uma jovem alcóolica sem rumo na vida, conhece Laure, uma burguesa de Lyon. A nova amiga a leva para seu hotel, onde Betty contará sua triste história. Baseado emromance de Georges Simenon.

EXTRAS:
* Curtas “O Avarento” (1962, 19 min.) e “O Homem que Vendeu a Torre Eiffel” (1964, 22 min.)

A ARTE DE ALFRED HITCHCOCK

Com 2 discos, o box reúne 4 clássicos da fase inglesa do genial Alfred Hitchcock, em inéditas versões restauradas. E ainda quase uma hora de extras, incluindo um documentário sobre a carreira do cineasta em sua terra natal.

DISCO 1:

O MARIDO ERA O CULPADO (Sabotage, 1936, 76 min.)
Com Sylvia Sidney, Oskar Homolka e Desmond Tester.

Um agente infiltrado da Scotland Yard está atrás de um sabotador que faz parte de um complô para explodir uma bomba em Londres. Também conhecida como “Sabotagem”, esta é uma eletrizante adaptação de “O Agente Secreto”, romance de Joseph Conrad (“Coração das Trevas”).

JOVEM E INOCENTE (Young and Innocent, 1937, 83 min.)
Com Nova Pilbeam, Derrick De Marney e Percy Marmont.

Um homem é acusado de assassinato. Ele foge e recebe, por acaso, ajuda de uma moça. Ela se sente atraída por ele e dá continuidade à fuga, mesmo sem saber se ele é mesmo o culpado. Uma dos melhores trabalhos da fase inglesa do mestre do suspense.

DISCO 2:

O INQUILINO (The Lodger: A Story of the London Fog, 1927, 91 min.)
Com June, Ivor Novello, Marie Ault.

Baseado em livro homônimo inspirado no mais famoso assassino de todos os tempos – Jack, O Estripador –, o filme gira em torno de um serial killer de mulheres loiras. Primeiro suspense do mestre.

A ESTALAGEM MALDITA (Jamaica Inn, 1939, 108 min.)
Com Maureen O’Hara, Robert Newton e Charles Laughton.

Inglaterra, 1819. Na tempestuosa costa da Cornualha, uma jovem órfã se torna alvo de uma quadrilha de ladrões de navios. Primeira adaptação de Hitchcock para uma obra de Daphne du Maurier (“Rebecca”, “Os Pássaros”).

EXTRAS:
* Documentário sobre a fase inglesa de Hitchcock (24 min.)
* Especiais (32 min.)

E NÃO PERCA TAMBÉM:
O Cinema de Hitchcock

A ARTE DE FRANÇOIS TRUFFAUT

DVD duplo com três obras-primas em inéditas versões restauradas do crítico de cinema e diretor François Truffaut (1932-1984), um dos idealizadores da Nouvelle Vague, além de mais de duas horas de extras, incluindo documentários e depoimentos do cineasta francês.

Destaque para a nova versão restaurada de um dos maiores sucessos de Truffaut: “A Noite Americana”, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro – e indicado ainda a melhor diretor, roteiro original e atriz coadjuvante (Valentina Cortese).

DISCO 1:

A NOITE AMERICANA (“La Nuit Américaine”, 1973, 115 min.)
Com Jacqueline Bisset, Jean-Pierre Léaud e Valentina Cortese.

Nesta apaixonante declaração de amor de Truffaut ao cinema, acompanhamos os conflitos e as paixões que ocorrem nos bastidores de uma filmagem, envolvendo os atores, os técnicos e o diretor. Com bela trilha sonora de Georges Delerue, essa produção aclamada vem acompanhada de uma hora e meia de extras – com entrevistas do elenco, Truffaut e sua equipe, análises e documentários.

DISCO 2:

DE REPENTE, NUM DOMINGO (“Vivement Dimanche!”, 1983, 111 min.)
Com Fanny Ardant e Jean-Louis Trintignant.

Julien Vercel, agente imobiliário, é acusado de matar o amante de sua mulher que, por sua vez, também foi assassinada. Como ele é obrigado a se esconder, sua secretária, Barbara, conduz a investigação. Último filme de Truffaut.

ATIREM NO PIANISTA (“Tirez sur le Pianiste”, 1960, 82 min.)
Com Charles Aznavour, Marie Dubois e Nicole Berger.

Após perder a esposa, o célebre pianista Edouard Saroyan abandona a carreira e passa a tocar com outro nome em um bar, onde acaba reencontrando um de seus irmãos, que está envolvido com a máfia.

EXTRAS:
* Uma conversa com Jacqueline Bisset (9 min.)
* “A Noite Americana”, uma apreciação (17 min.)
* Nathalie Baye (12 min.)
* Bernard Menez (4 min.)* Dani (04 min.)
* Yann Dedet (4 min.)
* Truffaut nos EUA (9 min.)
* Truffaut: um ponto de vista (06 min.)
* Entrevista de Pierre-William Glenn (18 min.)* Apresentação do filme (6 min.)
* “A Noite Americana” no Festival de Cannes (02 min.)
* Entrevista de Truffaut em 1973 (02 min.)
* Trailer de cinema (02 min.)* Apresentação de “De Repente, num Domingo” (5 min.)
* Trailer de “De Repente” (4 min.)* Depoimentos de François Truffaut sobre “Atirem” (22 min.)* Apresentação de “Atirem” (4 min.)
* Trailer de “Atirem” (2 min.) * Teste de cena de MarieDubois (3 min.)

A ARTE DE CARL T. DREYER

O DVD duplo reúne quatro obras-primas em inéditas versões restauradas e ainda quase uma hora de extras, incluindo documentário sobre o diretor dinamarquês.

DISCO 1:

A PALAVRA (Ordet, 1955, 126 min.)
Com Henrik Malberg, Emil Hass Christensen, Cay Kristiansen.

A rotina de uma família de fazendeiros é modificada quando um dos filhos, aparentemente enlouquecido, declara ser Jesus. Um dos maiores filmes de todos os tempos, vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza.

O VAMPIRO (Vampyr, 1932, 73 min.)
Com Julian West, Maurice Schutz, Rena Mandel.

Um viajante obcecado pelo sobrenatural se hospeda numa pousada na qual encontra evidências da existência de vampiros. Incursão de Dreyer no cinema fantástico, com roteiro baseado em “Carmilla, a Vampira de Karnstein”, de Sheridan Le Fanu.

DISCO 2:

DIAS DE IRA (Vredens dag, 1943, 98 min.)
Com Thorkild Roose, Lisbeth Movin, Sigrid Neiiendam.

A jovem esposa de um pastor se apaixona pelo filho deste em meio à violenta caça às bruxas na Dinamarca do século XVII. Uma obra-prima sombria sobre religião e fanatismo dirigida magistralmente por Dreyer.

GERTRUD (Idem, 1964, 117 min.)
Com Nina Pens Rode, Bendt Rothe, Ebbe Rode, Baard Owe.

Entediada com a vida conjugal, uma aristocrata mantém relações com outros homens. Vencedor do Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Veneza, este drama foi o derradeiro filme do grande mestre.

EXTRAS:
* Documentário sobre Dreyer (30 min.)
* Especial sobre “Dias de Ira” (20 min.)

A ARTE DE ANDREI TARKÓVSKI

Depois de resgatar a filmografia de John Cassavetes, Mario Bava e Robert Altman, chegou a vez da Versátil homenagear um dos maiores cineastas de todos os tempos.

O DVD duplo traz três obras-primas em inéditas versões restauradas do russo Andrei Tarkóvski (1932-1986), um dos maiores estetas da história do cinema, e um ótimo documentário sobre “Nostalgia”.

DISCO 1:

NOSTALGIA (“Nostalghia”, 1983)
Com Oleg Yankovskiy, Erland Josephson e Domiziana Giordano.

Poeta russo vai à Itália pesquisar sobre músico russo que se suicidou no exílio. Durante sua pesquisa, ele vive uma jornada espiritual. Melhor Direção, Prêmio da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Cannes.

A INFÂNCIA DE IVAN (“Ivanovo detstvo”, 1962)
Com Nikolai Burlyaev, Valentin Zubkov e E. Zharikov.

Durante a Segunda Guerra, Ivan, um menino russo de 12 anos, trabalha como espião no front soviético, cruzando as linhas inimigas, para coletar informações dos nazistas. Vencedor do Leão de Ouro em Veneza, este foi o longa-metragem de estreia do diretor.

DISCO 2:

O ESPELHO (“Zerkalo”, 1975)
Com Margarita Terekhova, Oleg Yankóvski e Alla Demidova.

Cena de “O Espelho”, uma das obras-primas do diretor – e presença constante em listas de melhores filmes de todos os tempos. À beira da morte, um homem relembra passagens de sua vida: a infância, a experiência da guerra… Um dos trabalhos mais radicais e herméticos de Tarkóvski, “O Espelho” é um dos filmes definitivos sobre a memória.

TEMPO DE VIAGEM (“Tempo di Viaggio”, 1983)
Com Andrei Tarkóvski e Tonino Guerra.

Documentário sobre a procura de locações para “Nostalgia”. Recém-chegado à Itália, Tarkóvski trabalha, conversa com Tonino Guerra e fala de cinema e literatura. Inclui pequenos ensaios filmados pelo diretor.

EXTRAS:
* Análise de “A Infância de Ivan” (31 min.)
* Análise de “O Espelho” (11 min)

CHARLES CHAPLIN E BUSTER KEATON, DOIS GÊNIOS DA COMÉDIA NA 2001

DUAS COLEÇÕES RESGATAM A FILMOGRAFIA DE DUAS LENDAS DO CINEMA: “CHAPLIN – A OBRA COMPLETA“, COM 20 DVDs MAIS ENCARTE ESPECIAL DE 16 PÁGINAS, E “BUSTER KEATON – ED. ESPECIAL“, COM 8 DISCOS REUNINDO 12 FILMES DO COMEDIANTE – ENTRE ELES, O FUNDAMENTAL “A GENERAL” (1926).

Nascido em East Lane Walworth, subúrbio de Londres, em 16 de abril de 1889, Charles Spencer Chaplin tinha o sangue artístico dos pais Charles e Hannah Chaplin, artistas de variedades. Aos cinco anos, já atuava no Music Hall, e em 1910 foi pela primeira vez aos EUA, com a companhia teatral de Fred Karno.

Trocou o teatro pelo cinema , trabalhando para a Keystone Company em Los Angeles. Com “Corrida de Automóveis para Meninos” (1914), iniciou a criação de seu gentil vagabundo, com seu traje característico, mas ainda sem a bengala – que usaria em “Dia Chuvoso”, no mesmo ano.

Nos próximos anos, consolidou sua reputação internacional ao refinar o personagem do vagabundo, adicionando drama e humor singelo às suas conhecidas habilidades acrobáticas. Depois de cofundar a United Artists em 1919, Chaplin começou a produção de seus melhores trabalhos: “O Garoto” (1921), “Casamento ou Luxo” (1923), “Em Busca do Ouro” (1925), “O Circo” (1928), “Luzes da Cidade” (1931), “Tempos Modernos” (1936) e “O Grande Ditador” (1940), seu primeiro longa-metragem falado, em que abandona Carlitos e cria uma inesquecível paródia de Adolf Hitler.

Lançado no calor da ascensão do nazismo na Europa, “O Grande Ditador” é uma das obras-primas de Chaplin

Seus últimos filmes, com exceção de “Luzes da Ribalta” (1952), não atingiram a mesma popularidade; o aparente cinismo de “Monsieur Verdoux” (1947) e “Um Rei em Nova York” (1957), e o romance maduro de “A Condessa de Hong Kong” (1967), com Marlon Brando e Sopphia Loren, fracassaram.

Amado e idolatrado no mundo inteiro, Chaplin teve uma vida pessoal atribulada: casou quatro vezes, sofreu um processo de paternidade em 1944 e foi acusado de atividades antiamericanas em 1952 durante a famosa “caça às bruxas” promovida pelo senador Joseph McCarthy a supostos comunistas em atividade em Hollywood. Por isso, exilou-se com a família na Suíça até sua morte, em 25 de dezembro de 1977, aos 86 anos. Quebrou a reclusão apenas em 1972, quando retornou aos EUA para receber o Oscar honorário pela carreira.

Lembrado em inúmeras livros e pela cinebiografia “Chaplin” (1992), com Robert Downey Jr. no papel principal, o legado de Charles Chaplin é inegável – assim como Carlitos, o palhaço mais famoso do cinema.

Box no formato digistack, com 20 DVDs – mais encarte especial de 16 páginas – reunindo  as versões restauradas de todos os filmes do maior gênio da comédia (13 longas-metragens e 65 curtas – quase 50 horas de conteúdo!), além de muitos extras especiais, como documentários em que Bertolucci, Chabrol e outros cineastas renomados falam de Chaplin.

Disco 1 – CORRIDAS DE AUTOMÓVEIS PARA MENINOS e outros 13 curtas
Produzidos pela Keystone, esses 14 anos curtas-metragens trazem as primeiras aparições do personagem Carlitos no cinema.

Disco 2 – NA FARRA e outros 12 curtas
13 pequenas comédias de 1914, quando Chaplin ainda era um jovem ator no estúdio Keystone.

Disco 3 – O CASAMENTO DE CARLITOS e outros 6 curtas
“O Casamento de Carlitos” (1914) foi o primeiro longa-metragem da Keystone. O longa, somado a outros 6 curtas encerram o ano de estreia de Chaplin em Hollywood.

“O Casamento de Carlitos” (1914)

Disco 4 – CAMPEÃO DE BOXE e outros 6 curtas
As primeiras produções dirigidas por Chaplin para os estúdios Essanay. Em um dos sete curtas deste disco, Carlitos decide tentar a sorte em uma luta de boxe.

Disco 5 – OS AMORES DE CARMEN e outros 6 curtas
“Os Amores de Carmen” é uma paródia da ópera “Carmen”, de Bizet. Além desta comédia, outros 6 curtas, todos produzidos pela Essanay.

Disco 6 – O VAGABUNDO e outros 6 curtas
Os últimos filmes para a Essanay e os primeiros de Chaplin para a Mutual, que incluem “O Vagabundo”, em que Carlitos vive um violinista que toca pelas ruas.

Disco 7 – O IMIGRANTE e outros 6 curtas
Sete curtas produzidos entre 1916 e 1917, completando a fase de Chaplin para a Mutual. Em “A Rua da Paz”, Carlitos aceita o cargo de policial para vigiar uma rua sem lei.

“O Imigrante” (1917)

Disco 8 – DIA DE PAGAMENTO e outros 4 curtas
Em 1917, Chaplin assinou contrato com a First National, para produzir filmes com total controle criativo. Entre esses títulos, estão os 5 curtas reunidos neste volume.

Disco 9 – O GAROTO
Primeiro longa-metragem de Chaplin. A história de um bebê abandonado pela mãe, mas criado pelo vagabundo Carlitos. Com o tempo, eles se tornam companheiros inseparáveis.

Disco 10 – CASAMENTO OU LUXO
Único filme que Charles Chaplin dirigiu, mas que não aparece. É também seu primeiro drama. Realizado em 1923, o filme fala sobre um homem que se apaixona por uma cortesã.

Disco 11 – EM BUSCA DO OURO
Carlitos decide tentar a sorte no Alasca, durante a época da “Febre do Ouro” e encarna um garimpeiro à procura das minas de ouro. Umas das obras-primas de Chaplin.

“Em Busca do Ouro” (1925)

Disco 12 – O CIRCO
O Vagabundo é confundido pela polícia com um ladrão de carteiras, em sua fuga, acaba parando num espetáculo de circo e fazendo muito sucesso.

Disco 13 – LUZES DA CIDADE
Produzido em 1931, o filme conta a história de uma florista cega que confunde Carlitos com um homem rico, e ele, tocado pelas dificuldades da garota, faz de tudo para ajudá-la .

Disco 14 – TEMPOS MODERNOS
O Vagabundo tenta sobreviver ao mundo moderno da Revolução Industrial, satirizando o capitalismo em cenas de muito humor.

“Tempos Modernos” (1936)

Disco 15 – O GRANDE DITADOR
Primeiro filme falado de Chaplin. A trama se passa em uma nação imaginária, dominada pelo ditador Hynkel, que é uma clara sátira a Adolf Hitler.

Disco 16 – MONSIEUR VERDOUX
Chaplin deixa de lado o personagem do vagabundo para viver um golpista e assassino de esposas, nessa comédia de humor negro que faz críticas ao capitalismo e militarismo.

Disco 17 – LUZES DA RIBALTA
A história de um comediante decadente, que já não faz o público rir. Um dos últimos filmes de Chaplin, com o qual ganhou um Oscar de melhor trilha sonora em 1973.

Luzes da Ribalta (1952)

Disco 18 – UM REI EM NOVA YORK
Filmado fora dos EUA, em 1957, o filme satiriza o modo de vida americano, através da saga do Rei Schadov, que escapa de uma revolução em seu país, indo parar em Nova York.

Disco 19 – FESTIVAL CARLITOS
Longa editado e narrado por Chaplin, que reúne “Vida de Cachorro”, filme em que Carlitos salva a vida de um cachorro, “Ombro, Armas!” e “Pastor de Almas”.

Disco 20 – A CONDESSA DE HONG KONG
Comédia produzida e dirigida por Chaplin e protagonizada por Sophia Loren e Marlon Brando. Uma prostituta, que vive em Hong Kong, deseja fugir com a ajuda de um empresário americano durante uma viagem de navio.

E VEJA TAMBÉM:
O Chaplin que Ninguém Viu (1983)

E, EM PRÉ-VENDA NA 2001:

BUSTER KEATON – EDIÇÃO ESPECIAL (8 DVDs)

Box no formato digipak – com 8 discos e 6 cards colecionáveis – trazendo versões remasterizadas dos melhores filmes do comediante, famoso por sua persona impassível, que lhe rendeu o apelido de “O homem que nunca ri”.

Edição especial com 12 filmes (incluindo longas e médias-metragens), 32 curtas-metragens e mais de 3 horas de extras, com depoimentos de Orson Welles, Gloria Swanson, pequenos documentários e muito mais!

DISCO 1 – Os primeiros trabalhos de Buster Keaton realizados entre 1917 e 1918:
O MENINO AÇOUGUEIRO (1917) + THE ROUGH HOUSE (1917) + HIS WEDDING NIGHT (1917) + OH DOCTOR! (1917) + CONEY ISLAND (1917) + OUT WEST (1918) + THE BELL BOY (1918) + MOONSHINE (1918) + GOOD NIGHT, NURSE! (1918) + THE COOK (1918).

DISCO 2 – O filme “O Pesado de 1920” e mais 7 curtas, realizados entre 1919 a 1920:
BACK STAGE (1919) + THE HAYSEED (1919) + THE GARAGE (1920) + UMA SEMANA (1920) + O PESADO (1920) + CONVICT 13 (1920) + O ESPANTALHO (1920) + VIZINHOS VIGILANTES (1920).

DISCO 3 – Curtas-metragens realizados entre 1921 a 1922:
A CASA MALUCA (1921) + MÁ SORTE (1921) + THE ‘HIGH SIGN’ (1921) + A CABRA (1921) + THE PLAY HOUSE (1921) + O BARCO (1921) + THE PALEFACE (1922) + O ENRASCADO (1922) + A PARENTELA DA ESPOSA (1922).

• DISCO 4 – O filme “A Antiga e a Moderna de 1923” e mais 6 curtas realizados entre 1922 a 1923:
FERRADURAS MODERNAS (1922) + NO PAÍS DOS GELADOS (1922) + A CASA ELÉTRICA (1922) + SONHO E REALIDADE (1922) + O AERONAUTA (1923) + THE LOVE NEST (1923) + A ANTIGA E A MODERNA (1923).

“Ferraduras Modernas” (1922)

DISCO 5 – Dois longas-metragens e uma média-metragem:
NOSSA HOSPITALIDADE (1923) + BANCANDO O ÁGUIA (1924) + MARINHEIRO POR DESCUIDO (1924).

DISCO 6 – Dois longas-metragens e um média-metragem:
SETE OPORTUNIDADES (1924) + VAQUEIRO AVACALHADO (1925) + BOXE POR AMOR (1926).

DISCO 7 – Dois longas-metragens:
A GENERAL (1926) + AMORES DE UM ESTUDANTE (1927).

DISCO 8 – Dois longas-metragens:
MARINHEIRO DE ENCOMENDA (1928) + O HOMEM DAS NOVIDADES (1928)

 

 

 

 

 

“PLANETA DOS MACACOS – A GUERRA” E MAIS LANÇAMENTOS PRA FECHAR O MÊS

PLANETA DOS MACACOS – A GUERRA

Terceiro capítulo da franquia iniciada em 2011 com “Planeta dos Macacos: A Origem”, o filme novamente conta com Matt Reeves (“Planeta dos Macacos: O Confronto) na direção e Andy Serkis – em mais um espetacular trabalho de captura de performance – no papel de César. Na trama, César e seus grupo de macacos são forçados a um conflito mortal contra um exército de seres humanos liderado pelo cruel coronel interpretado por Woody Harrelson. Considerado um dos melhores filmes do ano, é um forte concorrente ao Oscar 2018 de melhores efeitos visuais. Em DVD, Blu-ray e BD 3D na 2001.

VIKINGS – 4ª TEMPORADA – VOL.2

Escrita por Michael Hirst (“The Tudors”, “Camelot”), a produção épica é a série de maior sucesso da história do History Channel. Após a tentativa de invasão da cidade de Paris, Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel) é atingido por uma doença que coloca sua vida em risco. É o começo da decadência do protagonista, que dá o tom da temporada, marcada ainda pela trajetória de seus descendentes, como Ivar (Alex Hogh Andersen) e Bjorn (Alexander Ludwig). Confira nos extras do box: comentários, cenas deletadas e featurettes. Em DVD e Blu-ray na 2001.

THE WALKING DEAD – 7ª TEMPORADA

Baseada na história em quadrinhos criada por Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard, a produção seriada foi desenvolvida para a televisão por Frank Darabont (roteirista e diretor de “Um Sonho de Liberdade“) e chega à sétima temporada com Rick (Andrew Lincoln) ainda mais devastado psicologicamente. Agora, ele é obrigado a trabalhar para o vilão Negan (Jeffrey Dean Morgan, de “Watchmen – O Filme”) em troca de sua vida e a de cada um de seu grupo. Nos extras, making of dos episódios. Em DVD e Blu-ray na 2001.

UMA NOITE COM VINCENT PRICE

Coleção com 6 discos reunindo clássicos estrelados pelo astro entre os anos 1950 e 70. O box inclui A CASA DOS MAUS ESPÍRITOS (1958), de William Castle; A MANSÃO DO MORCEGO (1959); NOS DOMÍNIOS DO TERROR (1963), antologia com três histórias macabras; O CORVO (1963), baseado no poema de Edgar Allan Poe, com um antológico duelo com Boris Karloff; O CASTELO ASSOMBRADO (1963), mais uma adaptação da obra de Poe dirigida por Roger Corman; e TEATRO DA MORTE (1973), terror satírico lançado no Brasil como “As 7 Máscaras da Morte”.

O MUNDO BIZARRO DE MARIO BAVA

DVD duplo com dois clássicos de influência gótica dirigidos pelo mestre do horror italiano nos anos 1960. Em BLACK SUNDAY – A MÁSCARA DE SATÃ, longa baseado em curta de Nicolai Gogol, a diabólica Princesa Asa (Barbara Steele) é condenada à morte por bruxaria e vampirismo, na Moldávia do século 17, e ressuscita 200 anos depois. Já BLACK SABBATH – AS TRÊS MÁSCARAS DO TERROR é uma antologia de três histórias de terror baseada em contos de Aleksei Tolstói, Ivan Chekhov e F. G. Snyder, com o lendário Boris Karloff em “O Wurdalak”.

RAZORBACK – AS GARRAS DO TERROR

Exibido nos cinemas brasileiros com o título “O Corte da Navalha”, este thriller de 1984 é considerado um dos melhores filmes australianos da década de 1980 e revelou Russell Mulcahy, que depois dirigiria o sucesso “Highlander: O Guerreiro Imortal” (1986). Em “Razorback”, uma jornalista americana viaja ao interior da Austrália para documentar a caça ilegal de animais selvagens e descobre a existência de uma criatura descomunal e assassina. Após o desaparecimento da mulher, seu marido viaja ao país em busca do paradeiro dela.

A MOSCA 2

Coescrito por Frank Darabont, um dos responsáveis pela série “The Walking Dead”, o longa dá prosseguimento ao enredo do hit “A Mosca” (1986), agora com Eric Stoltz (“Pulp Fiction”) no papel de Martin, fruto da relação entre Seth Brundle (Jeff Goldblum) e Veronica (Geena Davis) no primeiro filme. Aos cinco anos, Martin apresenta físico de um adulto e mente avançada, vivendo cercado de cuidados em um laboratório médico. Dirigido por Chris Walas, vencedor do Oscar pela maquiagem de “A Mosca”, esta sequência capricha nos efeitos especiais e sequências de gore.

ATÉ NUNCA MAIS

O renomado diretor francês Benoît Jacquot (“Adeus, Minha Rainha”) dirige Mathieu Amalric nesta densa versão do livro “A Artista do Corpo”, de Don DeLillo (autor de “Cosmópolis”). Uma espécie de romance metafísico, com Laura (Julia Roy, também corroteirista do filme), uma atriz performática vivendo uma relação obsessiva com Jacques (Amalric, de “O Escafandro e a Borboleta”), um cineasta. Paixão e criação artística se confundem neste drama autoral, exibido no Festival de Veneza, que merece ser conhecido.

BYE BYE ALEMANHA

Mais recente trabalho de Sam Garbarski, diretor de “O Tango de Rashevski” (2003) e “Irina Palm” (2007), o filme trata com humor peculiar um tema sério: o recomeço dos alemães logo após o final da Segunda Guerra. Em Frankfurt, 1946, o judeu David Berman (Moritz Bleibtreu, de “Corra, Lola, Corra“) e seus seis amigos têm apenas um propósito em mente: conseguir finalmente deixar o país. Mas, em tempos de crise, eles precisam de muito dinheiro para realizar seu sonho de partir para os EUA, e partem para um negócio inusitado.

DIAS E NOITES

Ator de séries como “Dexter” e “Penny Dreadful”, Christian Camargo dirige esta transposição da peça “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, para a Zona rural da Nova Inglaterra (EUA), em 1984. Inspirados na obra do dramaturgo russo, William Hurt, Allison Janney, Jean Reno, Mark Rylance, Katie Holmes e Ben Whishaw, entre outros, dão vida aos personagens, reunidos para o feriado do Memorial Day durante um final de semana repleto de disputas em família.

BRAÇO DE DIAMANTE

Um dos maiores sucessos da história do cinema russo, o filme é uma comédia de erros iniciada por Semyon Gorbunkov (papel de Yuriy Nikulin), cidadão soviético que retorna a seu país após um cruzeiro marítimo. Sem saber que traz consigo jóias escondidas por engano no gesso colocado em torno de seu braço esquerdo, depois de uma queda em Istambul. Enquanto os contrabandistas tentam recuperar as pedras preciosas, um capitão da polícia russa usa Gorbunkov como isca para pegar os criminosos.

BAGUNCEIRO ARRUMADINHO

Jerry Lewis interpreta mais um de seus adoráveis atrapalhados, Jerome Littlefield, que trabalha como atendente em uma clínica. Ele sonha em se tornar médico, mas é muito sensível aos problemas dos pacientes, o que o faz se meter em inúmeras confusões, para desespero da administradora do hospital. Entre as cenas que entraram para a antologia de gags nonsense de Lewis, destaque para uma incrível sequência de perseguição envolvendo uma ambulância desgovernada e um homem sobre uma maca hospitalar desgovernada.

E NÃO PERCA, COM O ATOR, EM PRÉ-VENDA NA 2001:
Jerry Lewis – O Gênio da Comédia (Coleção com 4 filmes)
Rabo de Foguete
Uma Família Fuleira

EM EDIÇÕES ESPECIAIS, CLÁSSICOS DO HORROR E UM CULT ESCRITO POR QUENTIN TARANTINO

“SUSPIRIA”, A OBRA-PRIMA DE DARIO ARGENTO; “TOBE HOOPER”, COLEÇÃO COM 4 FILMES DO CINEASTA – INCLUINDO O SEMINAL “O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA”; E “AMOR À QUEIMA-ROUPA“, AVENTURA POLICIAL COM GRANDE ELENCO E DIREÇÃO DE TONY SCOTT (“FOME DE VIVER”).

SUSPIRIA – EDIÇÃO ESPECIAL

Considerado um dos melhores filmes de horror de todos os tempos, este cult de 1977 é um dos trabalhos visualmente mais elaborados do diretor italiano Dario Argento, que criou uma atmosfera aterrorizante e ao mesmo tempo onírica, com imagens de inspiração expressionista ao som da banda de rock progressivo Goblin (com quem já trabalhara em “Prelúdio para Matar“).

Em uma noite chuvosa, Suzan Banyon (Jessica Harper, de “O Fantasma do Paraíso”), uma jovem bailarina norte-americana, chega a uma prestigiada academia de dança na Europa. Comandada pela misteriosa Madame Blanc (Joan Bennett) e a Srta. Tanner (Alida Valli), a escola é palco de uma série de incidentes e crimes sem explicação, para horror de Suzan, que começa a investigar uma horripilante força sobrenatural no local.

Com sua explosão de cores e sons, “Suspiria” é um dos longas mais sensoriais do cinema de horror – e o mais perto que Argento já chegou da materialização de um pesadelo, com imagens extremamente estilizadas e as mortes brutais que se tornaram marca do diretor.

Curiosidade: O filme deu início à Trilogia das Três Marias, produzida e dirigida por Argento, completada por “A Mansão do Inferno” (1980) e “O Retorno da Maldição – A Mãe das Lágrimas” (2007).

DISCO 1: Filme * Sinopse * Trailer internacional * Trailer americano * TV spot * Radio spots * Galeria de fotos e pôsteres * Biografias de Dario Argento e Jessica Harper.

DISCO 2: Documentário “O Terror de Dario Argento” (57 minutos), com depoimentos de nomes como Alice Cooper, John Carpenter, George Romero e Tom Savini.

COLEÇÃO TOBE HOOPER

Com a morte de Tobe Hooper, o diretor de “O Massacre da Serra Elétrica”, em 26 de agosto último, aos 74 anos, o selo Obras-Primas resgata o desconcertanteclássico de 1974, sua continuação de 1986 e mais dois de seus trabalhos menos conhecidos. Todos em versões restauradas.

DISCO 1:

O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA (The Texas Chain Saw Massacre, 1974, 83 min.)
Com Marilyn Burns, Edwin Neal, Allen Danziger, William Vail, Gunnar Hansen.

Um grupo de cinco jovens faz uma visita à antiga casa, agora abandonada, onde Sally e Franklin viveram a infância, numa pequena cidade do interior do Texas. A bordo de uma van, eles percorrem uma estrada e acabam dando carona a um homem misterioso e perigoso. Os jovens são surpreendidos e atacados por uma família de canibais que inclui Leatherface (Gunnar Hansen), um gigante deficiente mental que usa uma máscara formada por pedaços de pele humana retirados de suas vítimas.

Livremente inspirado no famoso serial killer Ed Gein, o filme foi banido em vários países por sua extrema violência gráfica e se tornou uma das produções independentes mais rentáveis dos anos 1970 – e um dos precursores do cinema slasher.

O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA – PARTE 2 (The Texas Chain Saw Massacre 2, 1986, 101 min.)
Com Dennis Hopper, Caroline Williams, Jim Siedow, Bill Moseley, Bill Johnson.

Treze anos após os eventos do primeiro filme, um xerife aposentado continua tentando capturar Leatherface e sua família, enquanto protege uma radialista que ouviu assassinatos pelo telefone e passa a ser atacada.

DISCO 2:

EATEN ALIVE (Eaten Alive, 1976, 91 min.)
Com Neville Brand, Mel Ferrer, Carolyn Jones, Marilyn Burns, William Finley.

Dono de um velho hotel à beira do pântano, no leste do Texas rural, um psicopata caipira aprisiona e mata os poucos hóspedes que se arriscam a parar no local, alimentando seu enormecrocodilo de estimação com os restos mortais de suas vítimas.

INVASORES DE MARTE (Invaders from Mars, 1986, 101 min.)
Com Karen Black, Hunter Carson, Timothy Bottoms, Laraine Newman, James Karen.

Um garotinho testemunha o pouso de um OVNI no campo vizinho à sua residência. Seu pai vai verificar o ocorrido e só volta na manhã seguinte, apresentando comportamento diferente. Pouco a pouco, outros moradores da cidade caem na armadilha dos “invasores de Marte”, sendo controlados como zumbis através de um dispositivo implantado em seus pescoços.

DISCO 3:

Mais de 3 HORAS DE EXTRAS, contendo o documentário inédito de 60 minutos “O Massacre da Serra Elétrica – A Verdade Chocante”, erros de gravações, várias entrevistas com curiosidades sobre os filmes e muito mais!

AMOR À QUEIMA ROUPA

Dirigido por Tony Scott (“Fome de Viver“, “Top Gun – Ases Indomáveis”), o filme tem um dos primeiros roteiros escritos por Quentin Tarantino, com base em uma história de Roger Avary (“Pulp Fiction”).

Com muita violência e citações à cultura pop, a história de amor marginal do jovem Clarence Worley (Christian Slater) e da prostituta Alabama (Patrícia Arquette) passa por inúmeros percalços e a galeria de personagens típicos da escrita tarantinesca. Os dois decidem começar uma vida nova juntos, mas Clarence precisa enfrentar o cafetão Drexl (o eterno camaleão Gary Oldman), um traficante “barra-pesada” de quem roubam, por engano, uma mala com meio milhão de dólares em cocaína pura.

Em meio a um elenco de atores então em ascensão, Christopher Walken e Dennis Hopper brilham em um longo diálogo, como um mafioso siciliano e o pai do protagonista, respectivamente. E Brad Pitt, em início de carreira, vive um colega de quarto que passa o tempo todo fumando maconha em frenet à televisão.

Curiosidade: Tarantino vendeu o roteiro de “Amor à Queima-Roupa” por apenas 30 mil dólares, a fim de usar o valor na produção de “Cães de Aluguel”, seu filme de estreia como diretor.

EXTRAS:
* Cenas Deletadas (29 min).
* Final Alternativo (6 min).
* Comentário de Brad Pitt (6 min).
* Comentário de Dennis Hopper (11 min).
* Comentário de Val Kilmer (4 min).
* Depoimentos (5 min).

NOVOS TÍTULOS DE “OBRAS-PRIMAS DO CINEMA” EM PROMOÇÃO

UMA INCRÍVEL PROMOÇÃO COM CLÁSSICOS E CULTS DO SELO “OBRAS-PRIMAS DO CINEMA“.

NÃO PERCA A SELEÇÃO, QUE INCLUI VÁRIAS EDIÇÕES  COM CARDS E EXTRAS.

CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA!

E A SEGUIR, NOVOS TÍTULOS INCLUÍDOS NA PROMOÇÃO (POR TEMPO LIMITADO):

ESTOQUES LIMITADOS

A MULHER E O ATIRADOR DE FACAS

Também conhecida como “A Garota da Ponte“, esta produção francesa é um dos cults dos anos 1990. Dirigido por Patrice Leconte (“O Marido da Cabeleireira”), o filme é um delicioso romance em ritmo de fábula, em preto e branco. Desiludida no amor, a bela Adèle (Vanessa Paradis, de “Como Arrasar um Coração” – também em promoção na Black Friday 2001) decide se jogar de uma ponte sobre o Rio Sena, em Paris. Prestes a pular, ela é salva por um estranho, Gabor (Daniel Auteuil), um atirador de facas profissional – cronicamente depressivo. Indicado ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, o longa valeu a Daniel Auteuil o César de melhor ator em 2000.

O FIO DA NAVALHA (1984)

Segunda adaptação cinematográfica do romance homônimo escrito pelo britânico W. Somerset Maugham, filmado anteriormente por Edmund Goulding em 1946. Uma das histórias de busca espiritual mais famosas da literatura mundial, sobre a jornada de Larry Darrell (Bill Murray, no papel que foi de Tyrone Power), ex-combatente americano que começa a reavaliar sua vida após lutar na Primeira Guerra. Ele decide viajar para outro país e cultura, abandonando a noiva e a superficialidade de seus amigos de Chicago. Nos extras, entrevista com Murray.

PROFISSÃO, LADRÃO

Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, este policial neonoir foi aclamado pela crítica e pôs no mapa de Hollywood o nome de Michael Mann, que depois ganharia notoriedade como produtor executivo da série “Miami Vice” e, depois, diretor de longas indicados ao Oscar (“O Informante”, “Colateral”). Na trama, um ladrão (James Caan, o Sonny Corleone de “O Poderoso Chefão”) decide mudar de vida. Especialista em roubar joias, resolve participar de um último golpe , só que seus planos vão por água abaixo quando ele se vê envolvido numa rede de intrigas que põe em perigo sua vida. Nos extras, entrevistas com o diretor e James Caan.

MEU JANTAR COM ANDRÉ

Depois do escândalo de “Pretty Baby” (1978) e das indicações ao Oscar por “Atlantic City” (1980), Louis Malle (1932–1995) continuou trabalhando nos EUA, onde filmou esta produção independente escrita, em estilo teatral, por Wallace Shawn e Andre Gregory. No filme, o ator e dramaturgo Shawn encontra com Gregory, famoso diretor de teatro nova-iorquino, para jantar em um restaurante do Upper East Side. Os dois não viam-se há muito tempo e travam uma longa conversa em tom confessional sobre amor, filosofia, morte, superstições, teatro, entre outros temas. Nos extras, entrevistas e “My Dinner with Louis”, episódio do programa Arena BBC.

A LOUCURA ENTRE NÓS

Exibido em festivais no Brasil e no exterior, o documentário mergulha no delicado universo dos pacientes psiquiátricos. De 2011 a 2014, Fernanda Fontes Vareille, cineasta brasileira radicada na França, fez uma imersão no cotidiano de internos do Hospital Juliano Moreira, em Salvador. Para a realização deste trabalho, ela e sua equipe tiveram como ponto de partida a Criamundo, ONG de reinserção no mercado de trabalho de pacientes psiquiátricos, sediada no Hospital, e o livro homônimo do médico psiquiatra Marcelo Veras. Nos extras, entrevistas com a diretora e com o Dr. Marcelo Veras, mais o curta “Deixe-me Viver – 2009”, da mesma diretora.

SER OU NÃO SER

Dirigido por um mestre da farsa sofisticada, Ernst Lubitsch, este clássico da comédia americana foi lançado em março de 1942, logo após a morte da protagonista Carole Lombard em um acidente aéreo. O título é inspirado no famoso solilóquio de Shakespeare e é ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, na Polônia ocupada pelos nazistas, quando um grupo de atores de teatro precisa evitar que um espião, que possui informação sobre a resistência polonesa, a entregue para os alemães. Nos extras, o curta inédito “Palácio Pinkus” (44 minutos), de Ernst Lubitsch, e documentário sobre a carreira do diretor (53 minutos).

ROSETTA

Nascidos em Liége (bélgica), os irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne (“A Garota Desconhecida“) ganharam sua primeira Palma de Ouro em Cannes por este drama social marcado pelo minimalismo narrativo sem concessões da dupla. A jovem Rosetta (Émilie Dequenne, melhor atriz em Cannes) vive num trailer com sua mãe alcóolatra e agressiva (Anne Yernaux) e sai diariamente à procura de trabalho, desesperada em sua guerra pessoal por uma oportunidade. Para Rosetta, vale qualquer coisa a fim de sair da pobreza. Nos extras,  entrevista especiais com os irmãos Dardenne e com os atores Emilie Dequenne e Olivier Gourmet.

PONETTE – À ESPERA DE UM ANJO

Escrito e dirigido pelo francês Jacques Doillon (do controverso “Raja”), este é um dos filmes mais sensíveis da década de 1990 por revelar, com extrema delicadeza, os reflexos da morte na vida de uma criança. É o caso de Ponette (a revelação Victoire Thivisol), uma menina de 4 anos confrontada com a perda da mãe, morta em um acidente de carro. Incapaz de entender a situação segundo os padrões do pensamento adulto, ela acredita que sua mãe irá voltar. Thivisol tinha apenas 5 anos de idade quando venceu a Copa Volpi de melhor atriz no Festival de Veneza por sua atuação, e o filme levou o prêmio da crítica na Mostra Internacional de Cinema de SP, em 1996.

CIDADÃO X

Premiado com o Emmy e o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante em minissérie ou telefime para Donald Sutherland, o filme é um tenso thriller de serial killer baseado no livro de Robert Cullen. A trama acompanha a jornada de horror de Andrei Romanovich Chikatilo — o “Monstro de Rostov” –, o primeiro assassino em série descoberto na ex-União Soviética. Entre 1978 e 1990, ele matou mais de 50 pessoas, a maioria crianças e jovens mulheres. Em seu encalço, o tenente Viktor Burakov (papel de Stephen Rea, de “Traídos pelo Desejo”) busca pistas e ainda precisa lidar com a burocracia russa. Nos extras, documentário sobre o serial Andrei Chikatilo (50 minutos).

UM SONHO SEM LIMITES

Esta comédia dramática dirigida por Gus Van Sant (“Drugstore Cowboy“, “Milk”) é baseada na história real de Suzanne Stone Maretto, autora do livro “To Die For”, que deu origem ao filme. Premiada com o Globo de Ouro de melhor atriz em comédia ou musical, Nicole Kidman interpreta Suzanne, uma mulher amoral e calculista que vive numa pequena cidade de New Hampshire com o sonho de trabalhar na estação de TV local. Desiludida com seu casamento com Larry (Matt Dillon), dono de uma pizzaria, ela se dedica em tempo integral à carreira e fará de tudo para se tornar uma personalidade importante. Nos extras, entrevista com Van Sant.

O SELVAGEM (1953)

Dirigido por Laslo Benedek e produzido por Stanley Kramer, o filme imortalizou Marlon Brando — e sua jaqueta de couro — no papel de Johnny Strabler, líder de uma gangue de motociclistas. A bordo de sua Triumph Thunderbird 6T de 1950, Johnny e seus colegas do Black Rebels Motorcycle Club invadem a pequena cidade de Wrightsville durante uma corrida de motocicletas. Depois de atrapalhar o evento, eles são expulsos pela polícia e partem para outra cidade, onde Johnny reencontra Chino (Lee Marvin), líder de uma gangue rival. Edição caprichada, com mais de 1 hora de extras: introdução de Karen Kramer, especial “Hollister, California: Bikers, Booze and The Big Picture”.

COLEÇÃO DOSE DUPLA – NORMA SHEARER

Dois clássicos inéditos de uma das grandes atrizes dos anos 1930 e 1940: A DIVORCIADA (1930), que lhe valeu o Oscar de melhor atriz, e UMA ALMA LIVRE (1931), com Lionel Barrymore premiado com o prêmio de melhor ator.  No filme que lhe valeu a estatueta dourada, Shearer vive uma mulher que decide “dar o troco” após a traição do marido, e termina envolvendo-se emocionalmente com o melhor amigo dele. Nos extras, dois curtas inéditos com Pete Smith: “ Wedding Bills” (9 minutos) e “How to Hold Your Husband – Back” (10 minutos).

CONFIRA MAIS LANÇAMENTOS BASEADOS EM OBRAS DO AUTOR

O REVIVAL DA OBRA DO ESCRITOR, COM ADAPTAÇÕES RECENTES NA TV E NO CINEMA (“A TORRE NEGRA”, “IT – A COISA”), CONTINUA COM O LANÇAMENTO DE MAIS FILMES E MINISSÉRIES EM DVD.

STEPHEN KING – CONTOS DE TERROR

Edição especial com 2 discos, 4 cards e luva, reunindo 4 produções baseadas na obra de King – em versões remasterizadas – mais 60 minutos de extras.

DISCO 1:

CREEPSHOW – SHOW DE HORRORES (Creepshow, 1982, 120 min.)
De George A. Romero. Com Hal Holbrook, Leslie Nielsen, Adrienne Barbeau.

Inspirado nos quadrinhos da E.C. Comics, de 1950, George A. Romero e Stephen King criaram cinco contos de terror. No primeiro, um homem enlouquecido volta do mundo dos mortos no Dia dos Pais para finalmente ganhar um pedaço de bolo que a filha assassina nunca lhe deu. O próprio King interpreta, na segunda história, fazendeiro que descobre um meteorito que caiu na Terra transformando tudo em plantas assassinas.

CREEPSHOW 2 – SHOW DE HORRORES (Creepshow 2, 1987, 90 min.)
De Michael Gornick. Com George Kennedy, Lois Chiles, Domenick John.

No primeiro conto, a estátua de madeira de um cacique ganha vida, para vingar a morte do dono de uma pequena mercearia e de sua mulher, assassinados por uma quadrilha. No segundo, quatro jovens vão nadar em um lago e buscam refúgio numa balsa, quando começam a ser caçados por uma “mancha de óleo”. Na última história, uma mulher casada trai o marido e logo depois atropela um homem. Ela decide fugir, mas o fantasma da vítima a persegue.

DISCO 2:

A CRIATURA DO CEMITÉRIO (Graveyard Shift, 1990, 89 min.)
De Ralph S. Singleton. Com David Andrews, Kelly Wolf, Stephen Macht.

Fábrica têxtil de uma pequena cidade americana, abandonada há anos, é reaberta. Mas os trabalhadores contratados para limpá-la começam a ser mortos e mutilados por ratos que infestam o local.

ÀS VEZES ELES VOLTAM (Sometimes They Come Back Again, 1991, 98 min.)
De Tom McLoughlin. Com Tim Matheson, Brooke Adams, Robert Rusler.

Um professor e sua família mudam-se para uma pequena cidade interiorana. Agora com uma vida mais simples, morando numa casa decadente, ele começa a lecionar em uma escola local, até ser atormentado por seu passado obscuro.

EXTRAS: Quase 60 minutos contendo um divertido featurette com George A.Romero, especial “Você nunca viu Creepshow”, entrevista com o mestre dos efeitos especiais Tom Savini, por trás das cenas de Creepshow 2, e muito mais!

A DANÇA DA MORTE

Premiada com 2 Emmys, esta é uma das melhores minisséries baseadas na obra de King e é ambientada em um mundo pós-apocalíptico devastado por vírus mortal; uma realidade paralela que aparece também na saga de “A Torre Negra”. Os poucos sobreviventes dividem-se em dois grandes grupos: o primeiro, guiado espiritualmente por Mãe Abagail, uma senhora com 108 anos de idade, e o segundo, sob a influência do diabólico Randall Flagg. No elenco, Gary Sinise, Molly Ringwald, Jamey Sheridan, Ruby Dee e Laura San Giacomo.

A CRIATURA DO CEMITÉRIO

Baseado no conto “Último Turno”, do livro “Sombras da Noite”, o terror toma forma num moinho têxtil onde um funcionário do turno da noite é morto de forma violenta e misteriosa. Um forasteiro, John Hall (David Andrews), é contratado em seu lugar pelo inescrupuloso dono do empreendimento, mas misteriosos assassinatos voltam a ocorrer: uma maléfica entidade habita os subterrâneos da fábrica. Dublador do boneco Chucky, Brad Dourif encarna um exterminador de ratos. Obs. Incluído na coleção Stephen King – Contos de Terror.

CHRISTINE – O CARRO ASSASSINO

Depois de dirgir o impactante “O Enigma de Outro Mundo” (1983), o mestre John Carpenter voltou-se para esta adaptação do livro de King sobre a paixão de um adolescente por seu automóvel. Na trama, Arnie Cunningham (Keith Gordon, de Vestida para Matar”) é um estudante nerd que adquire um Plymouth Fury 1958 vermelho. Obecado pelo carro, o jovem dedica-se febrilmente à sua restauração, e “Christine” retribui o carinho matando qualquer um que fizer mal a seu novo proprietário.

DESESPERO

Inicialmente planejado como minissérie, o telefilme foi escrito pelo próprio Stephen King a partir de seu livro homônimo. Desespero é o nome de uma pequena cidade de Nevada controlada pelo tirânico xerife local, Collie Entragian (Ron Perlman, de “Hellboy”). Ele tem o péssimo hábito de deter viajantes na estrada que corta a cidade deserta cuja população é, na verdade, formada a partir do seu arbítrio. Tom Skerritt, Steven Weber, Annabeth Gish, Charles Durning e Henry Thomas estão no elenco.

FENDA NO TEMPO

Minissérie em 3 episódios na qual King mistura ficção-científica e mistério, por meio de um tipo de fenda do universo. Em um voo rotineiro de Los Angeles para Boston algo sem explicação acontece: dez passageiros despertam e constatam que são as únicas pessoas no avião. Desconfianças e até uma teoria da conspiração pairam sobre os sobreviventes, e o piloto responsável, Brian Engle (David Morse, de “A Espera de um Milagre”), decide posar a aeronave no próximo aeroporto.

JOVEM OUTRA VEZ

Mais uma mnissérie dos anos 1990 baseada em material do autor, uma versão sci-fi do envelhecimento reverso. A história acompanha as transformações sofridas por um zelador idoso que é atingido por substâncias químicas após a explosão de um laboratório secreto do governo. A cada dia, ele vai se tornando mais jovem, o que coloca a CIA em seu encalço, a fim de transformá-lo em cobaia.

OS ESTRANHOS

Em uma pequena cidade na zona rural dos Estados Unidos, uma estranha radiação começa a emanar da floresta depois que uma romancista começa a desenterrar o que parece ser uma nave alienígena. Minissérie de ficção-científica estrelada por Jimmy Smits (“Nova Iorque Contra o Crime”), Marg Helgenberger (“CSI”) e Joanna Cassidy (uma das replicantes de “Blade Runner”).

E VEJA TAMBÉM:
Mais de Stephen King na 2001

SÉRIES INDICADAS AO PRÊMIO EMMY E MAIS NOVIDADES NA 2001

WESTWORLD – 1ª TEMPORADA

Premiada em quatro categorias do Emmy, a série é inspirada no enredo do clássico “Westworld – Onde Ninguém Tem Alma” (1973) e combina o universo do western com a tecnologia da inteligência artificial. Criada por J. J. Abrams (“Lost”) e Jonathan Nolan (“Batman – O Cavaleiro das Trevas”), a superprodução é ambientada em um parque temático futurista que reproduz o Velho Oeste, povoado por androides – chamados de anfitriões –, programados pelo Dr.Robert Ford (Anthony Hopkins) para conviver com os turistas como se fossem pessoas reais.

THE CROWN – 1ª TEMPORADA

Vencedoras de dois Globos de Ouro no início deste ano – melhor série dramática, atriz (Claire Foy) em drama e ator coadjuvante (John Lithgow), a atração foi escrita pelo roteirista Peter Morgan (“O Último Rei da Escócia”) e conta com episódios dirigidos por Stephen Daldry (“As Horas”). Dramatização da juventude da Rainha Elizabeth II, mostra a personagem, interpretada por Foy, dando seus primeiros passos em direção ao trono inglês, após a morte de seu pai, o rei George VI (Jared Harris), em 1952.

GRACE AND FRANKIE – 1ª TEMPORADA

Jane Fonda e Lily Tomlin concorreram ao Emmy por suas atuações como, respectivamente, Grace e Frankie, duas antigas rivais que precisam enfrentar juntas a revelação que seus maridos (Martin Sheen e Sam Waterston) estão apaixonados um pelo outro – e planejam se casar. Uma comédia dramática diferente, sobre diversidade sexual e novas descobertas na terceira idade.

A CABANA

Adaptação do best-seller homônimo de William P. Young, o filme narra a jornada espiritual de Mack (Sam Worthington, de “Avatar”), que entra em profunda depressão após o assassinato de sua filha. Certo dia, ele recebe um bilhete para ir a uma cabana no meio da floresta e tem um encontro com Deus (representado por Octavia Spencer). Sucesso nos cinemas, com mais de 5 milhões de espectadores no Brasil.

O LIVRO DE HENRY

Novo filme do diretor Colin Trevorrow, responsável por “Jurassic World”, o drama traz Naomi Watts no papel de uma mãe solteira que trabalha como garçonete a fim de criar os filhos Peter (8 anos) e Henry (12), que tem uma criatividade sem limites. Um dia, ela descobre que a família vizinha tem um perigoso segredo, e Henry – o gênio da família – cria um plano para ajudar.

A TERRA VERMELHA (2015)

Coprodução entre Argentina, Bélgica e Brasil, o filme parte de histórias reais para abordar um tema cada vez mais em pauta na América do Sul: a destruição de nossas reservas naturais. Nesta variação da luta de David e Golias, o perigo surge a partir do conflito entre uma multinacional de extração de madeira e a população de um vilarejo na fronteira entre Brasil e Argentina.

TRANSFORMERS – O ÚLTIMO CAVALEIRO

No quinto filme da franquia dirigida por Michael Bay, os humanos continuam em guerra com os Transformers. A salvação de nosso mundo recai sobre os ombros de uma aliança entre Cade Yeager (Mark Wahlberg), Sir Edmund Burton (Anthony Hopkins) e uma professora da Universidade de Oxford, Vivian (Laura Haddock). Em DVD, Blu-ray, BD 3D e também no formato Steelbook.

CINEMA INFANTIL

Em CARROS 3, uma nova geração de corredores incrivelmente rápidos surpreende Relâmpago McQueen (voz original de Owen Wilson), que se afasta das corridas. Confira nos extras da versão em Blu-ray cenas inéditas, por trás das câmeras, e muito mais. E não perca as aventuras de DETETIVES DO PRÉDIO AZUL – O FILME e DESCENDENTES 2, que traz de volta os filhos dos vilões da Disney.

E VEJA TAMBÉM:
Coleção Carros – 3 Discos

O ÍDOLO

Dirigido por Hany Abu-Assad logo após o sucesso de “Omar”, o longa narra a história real de Mohammad, um jovem rapaz de Gaza que sonha em cantar no Cairo Opera House e ser conhecido pela sua voz no mundo inteiro. Vencedor do concurso ‘Arab Idol 2013’, o rapaz se tornou, aos 23 anos, símbolo da esperança do povo palestino.

KIKI – OS SEGREDOS DO DESEJO

Adaptação livre do filme australiano “A Pequena Morte” (2014), esta comédia espanhola surpreende ao mostrar a dinâmica de cinco casais às voltas com seus fetiches sexuais, em uma Madri multi-cultural. Sem condenar os personagens, o longa dirigido e estrelado por Paco León extrai seu humor de situações insólitas.

É TUDO VERDADE!

BUENA VISTA SOCIAL CLUB – ADIÓS reflete sobre a contribuição dos músicos de Havana a partir de depoimentos de integrantes ainda vivos da banda. Já FERRARI – RUMO À IMORTALIDADE percorre a trajetória da icônica marca automobilística, com ênfase nos triunfos e tragédias da Scuderia Ferrari.

2 X BRUCE WILLIS

O ator vive um detetive que enfrenta a gangue de Jason Momoa em LOUCOS E PERIGOSOS, aventura satírica coestrelada por John Goodman e Famke Janssen. E, em OPERAÇÃO RESGATE, Kellan Lutz junta forças com Gina Carano à procura de seu pai, um agente da CIA (papel de Willis).

UM DOS LANÇAMENTOS DO ANO, A COLEÇÃO TRAZ 4 FILMES DO DIRETOR, INCLUINDO O CULT “ERASERHEAD”

Um dos diretores mais cultuados pelos cinéfilos, David Lynch transcende a sétima arte. É um inquieto artista multimídia também com trabalhos nas artes plásticas, fotografia, escultura, desenho, música e até nos quadrinhos (“O Cão Mais Raivoso do Mundo”). Produtor de música eletrônica, lançou em 2001 o álbum “Crazy Clown Time”, em que continua suas experimentações sonoras no cinema.

Considerado um dos diretores mais originais e influentes do cinema, Lynch é um dos poucos a desafiar (ou mesmo subverter) as convenções da indústria, mantendo-se sempre fiel a seu estilo e experiências. Para ele, ao representar a vida, os filmes devem ser complicados, e, em alguns casos, inexplicáveis. Por isso, dificilmente o cineasta explica o enredo de suas produções; cabe ao próprio espectador estabelecer sentido e significação para aquilo que vê.

O CINEMA DE DAVID LYNCH

A coleção reúne quatro de seus filmes – três deles fora de catálogo. Anteriormente lançado pela Lume, “Eraserhead” (1977) – estreia de Lynch na direção de longa – virou item de colecionador. Indicado a 8 Oscar, “O Homem Elefante” (1980), “Coração Selvagem” (1990) – vencedor da Palma de Ouro em Cannes -, e o surreal quebra-cabeça “Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer” (1992) completam o box.

ERASERHEAD

Primeiro longa-metragem do cineasta, o filme começou a ser rodado em 1971 e foi lançado apenas em 1977. Seu penoso processo de produção resultou inclusive no primeiro divórcio do diretor.

Bizarro, original, surrealista. “Eraserhead” é um pesadelo em forma de drama familiar, acompanhando Henry Spencer (Jack Nance), que luta internamente para lidar com sua raivosa namorada e os gritos de seu filho, um bebê mutante. Entre os admiradores deste cult incontornável do cinema, estão Stanley Kubrick e Mel Brooks que, impressionado, produziria o filme seguinte do diretor, “O Homem Elefante”.

O HOMEM ELEFANTE

Usado como uma atração de circo, John Merrick (John Hurt) é constantemente humilhado pela sociedade a sua volta. Frederick Treeves (Anthony Hopkins), um famoso cirurgião, o leva para o hospital em que trabalha e descobre que, a despeito de sua aparência incomum, Merrick é um ser humano sensível, inteligente e gentil.

Drama vitoriano filmado na Inglaterra, com bela fotografia em preto e branco influenciada pelo expressionismo alemão, o filme foi reconhecido pela Academia de Hollywood com oito indicações ao Oscar, incluindo a primeira das três nomeações de Lynch a melhor direção.

CORAÇÃO SELVAGEM

Lynch homenageia à sua maneira o clássico “O Mágico de Oz” por meio da bizarra jornada de Sailor (Nicolas Cage) e Marilyn (Laura Dern), que deixam sua cidade para fugir das garras da diabólica mãe dela (papel de Diane Ladd, indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante).

Premiado com uma polêmica Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1990, o longa é um road movie erótico, perturbador e violento, repleto de humor negro. O elenco ainda conta com Willem Dafoe, Isabella Rossellini e Harry Dean Stanton – falecido em 15 de setembro deste ano, aos 91 anos.

TWIN PEAKS – OS ÚLTIMOS DIAS DELAURA PALMER

Cercado de expectativa, por conta do sucesso da série criada por Lynch e o roteirista Mark Frost, o filme estreou no Festival de Cannes de 1992. Duramente vaiado na Croisette e incompreendido na época de seu lançamento, é mais um surreal conto de horror lynchiano sobre a perda da inocência.

Na trama (ou anti-trama), o agente do FBI Chet Desmond (Chris Isaak) e seu parceiro Sam Stanley (Kiefer Sutherland) investigam o assassinato da garçonete Teresa, em uma pequena cidade do estado de Washington. Após descobrir uma pista, Chet desaparece a alguns quilômetros da cidade de Twin Peaks. Um ano depois, outra morte parece ter ligação com o crime: o assassinato de Laura Palmer (Sheryl Lee). Seus últimos dias de vida podem ajudar a solucionar o mistério.

Reavaliado com o passar do tempo, o filme adquiriu status de cult e ganha mais relevância agora com o retorno – 25 anos depois – da série, com a qual estabelece conexões importantes.