Warning: Declaration of Walker_post_notification::start_lvl(&$output, $depth, $args) should be compatible with Walker::start_lvl(&$output, $depth = 0, $args = Array) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299

Warning: Declaration of Walker_post_notification::end_lvl(&$output, $depth, $args) should be compatible with Walker::end_lvl(&$output, $depth = 0, $args = Array) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299

Warning: Declaration of Walker_post_notification::start_el(&$output, $category, $depth, $args) should be compatible with Walker::start_el(&$output, $object, $depth = 0, $args = Array, $current_object_id = 0) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299
Clássicos do Cinema | 2001 Indica

Clássicos do Cinema

CINEMA POLICIAL É NA 2001, COM 4 COLEÇÕES DA VERSÁTIL

OS BOXES CINEMA POLICIAL VOL.1 E 2 REÚNEM, EM 2 DISCOS CADA, CLÁSSICOS DO GÊNERO COMO “CAÇADOR DE MORTE” E OS CULTS BRITÂNICOS “CARTER, O VINGADOR” E “CAÇADA NA NOITE”. E NÃO PERCA TAMBÉM OS 2 VOLUMES DE BLAXPLOITATION, SEMINAL MOVIMENTO PROTAGONIZADO POR ARTISTAS AFRO-AMERICANOS NOS ANOS 1970.

CINEMA POLICIAL

O DVD duplo reúne 4 clássicos dirigidos por nomes como Michael Mann, Walter Hill, Peter Yates e Don Siegel e estrelados por astros como Robert Mitchum, James Caan e Walter Matthau, além de uma hora de vídeos extras.

DISCO 1:

PROFISSÃO: LADRÃO (Thief, 1981, 125 min.)
De Michael Mann. Com James Caan, Tuesday Weld, Willie Nelson, James Belushi.

Decidido a mudar de vida, um ladrão especialista em roubar joias resolve participar de um último crime, aceitando a proposta de uma quadrilha. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, este policial neo-noir foi aclamado pela crítica e pôs no mapa de Hollywood o nome de Michael Mann.

CAÇADOR DE MORTE (Driver, 1978, 91 min.)
De Walter Hill. Com Ryan O’Neal, Bruce Dern, Isabelle Adjani.

Em clima de filme noir, detetive obcecado persegue especialista em dirigir carros para quadrilhas durante assaltos. Com ótimo roteiro e eletrizantes perseguições de carro, este policial do especialista Walter Hill (“48 Horas”) foi uma das inspirações do cult “Drive” (2011) com Ryan Gosling.

DISCO 2:

O HOMEM QUE BURLOU A MÁFIA (Charley Varrick, 1973, 110 min.)
De Don Siegel. Com Walter Matthau, Joe Don Baker, Felicia Farr.

Charley Varrick e seus amigos roubam um banco de uma cidadezinha e ficam surpresos com a quantidade de dinheiro. Mal imaginam que o dinheiro é da Máfia. Atmosférico e tenso policial do mestre Don Siegel (“Perseguidor Implacável”).

OS AMIGOS DE EDDIE COYLE (The Friends of Eddie Coyle, 1973, 102 min.)
De Peter Yates. Com Robert Mitchum, Peter Boyle, Richard Jordan.

Para diminuir o tempo de sua pena, um criminoso de Boston decide entregar seus comparsas. Peter Yates, o diretor de “Bullitt”, realiza um drama policial revisionista com grande atuação de Robert Mitchum (“Fuga do Passado”).

EXTRAS:
* Especiais sobre os filmes (56 min.)
* Trailers (4 min.)

CINEMA POLICIAL VOL. 2 – ED. LIMITADA COM 4 CARDs

No formato digistack, o box traz 4 filmes policiais inéditos estrelados por astros como Michael Caine, Walter Matthau, Bob Hoskins e Roy Scheider, além de quase uma hora de vídeos extras. Destaque para dois policiais ingleses: “Carter, o Vingador” e “Caçada na Noite”, que figuram em inúmeras listas de melhores filmes britânicos de todos os tempos.

DISCO 1:

CARTER, O VINGADOR (Get Carter, 1971, 112 min.)
De Mike Hodges. Com Michael Caine, Ian Hendry, Britt Ekland.

Quando seu irmão morre em circunstâncias misteriosas num acidente de carro, Jack Carter, um gângster de Londres, viaja a Newcastle para investigar. Marco do cinema inglês, o filme virou cult e imortalizou Michael Caine no papel-título.

O SEQUESTRO DO METRÔ (The Taking of Pelham 1 2 3, 1974, 104 min.)
De Joseph Sargent. Com Walter Matthau, Robert Shaw, Martin Balsam.

Em Nova York, homens armados sequestram um vagão do metrô e exigem um resgate para libertar os passageiros. Um dos pontos altos do cinema policial dos anos 1970, o filme foi refilmado com Denzel Washington em 2009, sob o título “O Sequestro do Metrô 123”.

DISCO 2:

ESQUADRÃO IMPLACÁVEL (The Seven-Ups, 1973, 103 min.)
De Philip D’Antoni. Com Roy Scheider, Tony Lo Bianco, Victor Arnold.

Ao sair no encalço de quem matou seu parceiro, detetive de um esquadrão de elite da polícia de Nova York descobre uma conspiração. Dirigido pelo produtor de Operação França, o filme merece ser conhecido, sobretudo pelas sensacionais perseguições de carro.

CAÇADA NA NOITE (The Long Good Friday, 1980, 114 min.)
De John Mackenzie. Com Bob Hoskins, Helen Mirren, Paul Freeman.

Um poderoso gângster londrino tem seu império ameaçado pelo surgimento de um rival desconhecido e poderoso. Brutal e com ecos shakespearianos, essa obra-prima do cinema inglês conta com grandes atuações de Bob Hoskins e Helen Mirren.

EXTRAS:
* Especiais sobre os filmes (38 min.)
* Trailers (11 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 4 CARDs:

BLAXPLOITATION

DVD duplo com clássicos do pulsante cinema negro norte-americano dos anos 1970 em inéditas versões restauradas, além de uma hora de vídeos extras, incluindo documentário sobre o gênero e uma entrevista com a icônica Pam Grier.

Espécie de subgênero, cinema “blaxploitation” surgiu sintonizado com as transformações sociais e políticas captadas pela Nova Hollywood, tendo como publico alvo, principalmente, os negros norte-americanos. A palavra é uma junção de black (“negro”) e explotaition (“exploração”).

DISCO 1:

A MÁFIA NUNCA PERDOA (Across 110th Street, 1972, 101 min.)
De Barry Shear. Com Anthony Quinn, Yaphet Kotto, Anthony Franciosa.

Uma dupla policial de Nova York persegue dois bandidos amadores que tentam roubar a máfia e com isso gerar uma guerra entre gangues. O sensacional tema musical de Bobby Womack para o filme foi utilizado por Quentin Tarantino em “Jackie Brown”.

TRUCK TURNER (Idem, 1974, 91 min.)
De Jonathan Kaplan. Com Isaac Hayes, Yaphet Kotto, Alan Weeks.

Após uma perseguição que termina na morte de um criminoso, o caçador de recompensas Truck passa a ser perseguido pela viúva da vítima. O cantor Isaac Hayes estrela esse clássico blaxploitation super estiloso.

DISCO 2:

COFFY: EM BUSCA DA VINGANÇA (Coffy, 1973, 91 min.)
De Jack Hill. Com Pam Grier, Booker Bradshaw, Robert DoQui.

Coffy é uma enfermeira que, após presenciar a morte de sua irmã mais nova por causa das drogas, sai pelas ruas em busca de vingança, caçando traficantes, policiais corruptos e cafetões. Um dos mais icônicos filmes do movimento blaxploitation.

O CHEFÃO DO GUETO (Black Caesar, 1973, 87 min.)
De Larry Cohen. Com Fred Williamson, Gloria Hendry, Art Lund.

A trajetória de Tommy Gibbs, um jovem negro que se torna um dos mais temidos chefes do crime em Manhattan, enfrentando a máfia italiana. Um dos melhores trabalhos do talentoso Larry Cohen (“Nasce um Monstro”).

EXTRAS:
* Documentário sobre Blaxploitation (29 min.)
* Especiais e trailers (39 min.)

BLAXPLOITATION VOL.2 – ED. LIMITADA COM 4 CARDs

Os filmes blaxploitation eram protagonizados e realizados por atores e diretores negros, ao som dos melhores artistas da soul music do período (Curtis Mayfield, Isaac Hayes, Marvin Gaye). Quatro deles estão reunidos na coleção com 2 discos e 4 cards.

DISCO 1:

RIFIFI NO HARLEM (Cotton Comes to Harlem, 1970, 97 min.)
De Ossie Davies. Com Godfrey Cambridge, Raymond St. Jacques, Calvin Lockhart.

Dois detetives investigam um reverendo envolvido em lavagem de dinheiro e outros crimes. Baseada em obra do escritor negro Chester Himes, essa mistura de humor e ação deu origem à onda blaxploitation.

O TERRÍVEL MISTER T (Trouble Man, 1972, 99 min.)
De Ivan Dixon. Com Robert Hooks, Paul Winfield, Ralph Waite.

Mister T é um homem durão que trabalha “resolvendo os problemas” no seu bairro, fazendo o trabalho que a polícia e os advogados não conseguem realizar. Clássico com trilha sonora icônica do genial Marvin Gaye.

DISCO 2:

FOXY BROWN (Idem, 1974, 92 min.)
De Jack Hill. Com Pam Grier, Antonio Fargas, Peter Brown.

A sensual Foxy Brown começa a trabalhar como prostituta de luxo para se vingar dos mafiosos que mataram seu namorado. A estrela Pam Grier – resgatada por Quentin Tarantino em “Jackie Brown” (1997) – reúne-se novamente com o diretor Jack Hill nessa“continuação” de “Coffy” (1973).

WILLIE DYNAMITE (Idem, 1974, 102 min.)
De Gilbert Moses. Com Roscoe Orman, Diana Sands, Thalmus Rasulala.

Um cafetão enfrenta a polícia e rivais nas violentas ruas de Manhattan. Mas uma velha amiga, agora assistente social, tenta fazê-lo mudar de vida. Com forte comentário social, esse é um dos clássicos esquecidos da blaxploitation.

EXTRAS:
* Especiais sobre Blaxploitation (49 min.)
* Trailers (8 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 4 CARDs:

FESTIVAL DE CLÁSSICOS E CULTS NA 2001 – PARTE 2

O DESAFIO DAS ÁGUIAS

Escrito por Alistair MacLean, autor do livro que deu origem a “Os Canhões de Navarone”, o filme é um dos maiores sucessos de Richard Burton e Clint Eastwood nos anos 1960. Os dois são agentes da resistência enviados numa missão suicida nos Alpes, a fim de resgatar um general americano capturado pelos nazistas.

ESCALADO PARA MORRER

Quarto longa da carreira de Clint Eastwood como diretor, este thriller de ação lançado em 1975 conta com belas cenas de alpinismo e performance dos dublês. Na trama de espionagem, Clint é um professor obrigado a fazer um último trabalho para obscuro órgão do governo. Sua missão: eliminar um alpinista que tentará escalar o Monte Eiger, na Suiça.

SELVAGENS CÃES DE GUERRA

Aventura de guerra dirigida por Andrew V. McLaglen (de “O Preço de um Covarde“), com grande elenco de atores britânicos: Richard Burton, Roger Moore, Richard Harris e Stewart Granger. Sucesso nos cinemas, o filme segue um grupo de mercenários contratado para resgatar um presidente deposto da África oriental.

TERRÍVEL COMO O INFERNO

Ator e soldado mais condecorado durante a II Guerra Mundial, Audie Murphy revive suas próprias experiências no conflito neste clássico de guerra baseado em sua autobiografia. O filme acompanha desde sua juventude no Texas até os difíceis anos no front durante a Segunda Guerra Mundial.

NEVADA SMITH

Neste faroeste de Henry Hathaway (do “Bravura Indômita” original), Steve McQueen encarna o papel-título. Filho de uma índia nativa e de um pai branco, Nevada Smith busca vingança contra os assassinos de seus pais, no final do século XIX. Sedento por justiça, ele precisa descobrir o paradeiro dos criminosos.

PAPILLON

Condenado à prisão perpétua por um crime que não cometeu, “Papillon” (Steve McQueen) é enviado à Ilha do Diabo, presídio na Guiana Francesa. Cumprindo pena sob condições desumanas, ele decide fugir, ao lado de Louis Dega (Dustin Hoffman). Baseado no livro autobiográfico de Henri Charrière, o filme foi escrito por Dalton Trumbo.

JOVEM DEMAIS PARA MORRER

Sequência de “Os Jovens Pistoleiros” (1988), com Emilio Estevez de volta ao papel de Billy the Kid. Ele e seu bando partem em direção à fronteira do México e são perseguidos por homens-da-lei. Com Kiefer Sutherland, Lou Diamond Phillips e Christian Slater no elenco, este faroeste ficou marcado pela canção “Blaze of Glory”, de Jon Bon Jovi.

REMO – DESARMADO E PERIGOSO

Introduzido na série de livros pulp “The Destroyer”, Remo Williams, um super-agente especialista em artes marciais, ganha vida na pele de Fred Ward no filme dirigido por Guy Hamilton (“007 Contra Goldfinger”). “Remo” apresenta o herói desde suas origens, como policial em Nova York, passando por seu incrível treinamento e transformação física.

A MISSÃO

Vencedor da Palma de Ouro em Cannes, além do Oscar de melhor fotografia, esse drama histórico traz no elenco Robert De Niro, Jeremy Irons e Liam Neeson. No final do século XVIII, um ex-mercador de escravos (De Niro) junta-se aos jesuítas em Sete Povos das Missões, na América do Sul, onde fará de tudo para defender os índios do genocídio.

NIKITA – CRIADA PARA MATAR

Refilmado como “A Assassina” na década de 1990, o filme é considerado um dos melhores trabalhos de Luc Besson (“O Profissional”). Na trama, Nikita (Anne Parillaud, premiada com o César) é uma jovem viciada em drogas que acaba presa e recrutada pelo agente Bob (Tchéky Karyo) para trabalhar como assassina para o serviço de inteligência francês.

DANÇA COMIGO?

Escrito e dirigido por Masayuki Suo, o longa trata com simplicidade e sensibilidade a jornada de autoconhecimento de Shohei Sugiyama (Kôji Yakusho), um sério homem de negócios que, fascinado por uma bela mulher que vê por acaso, matricula-se na mesma escola de dança da moça. O filme ganhou uma versão americana com Richard Gere em 2004.

ASSASSINATO EM GOSFORD PARK

Espécie de “A Regra do Jogo” ao estilo do diretor Robert Altman, o filme apresenta um rico mosaico de personagens, divididos entre nobres e criados numa mansão inglesa, em 1932. Quando o anfitrião da propriedade aparece morto, todos passam a ser suspeitos. Um elenco de grande atores ingleses dá vida ao mordaz roteiro de Julian Fellowes (criador de “Downton Abbey“) premiado com o Oscar.

CIDADE DOS VENTOS

Premiada produção do estúdio russo Mosfilm dirigida por Karen Shakhnazarov (“Tigre Branco”). O contexto político da ex-União-Soviética permeia a história, ambientada na década de 1970. Um jovem universitário que se proclama “dissidente” disputa com o amigo comunista o amor da doce Lyuda, enquanto o entusiasmo socialista na URSS vai declinando.

FESTIVAL DE CLÁSSICOS E CULTS NA 2001 – PARTE 1

MODESTY BLAISE

Um dos maiores exemplos da pop art no cinema, o filme – uma adaptação dos cultuados quadrinhos de Peter O’Donnell – reúne Monica Vitti, Terence Stamp e Dirk Bogarde em plena Swinging London na satírica trama de espionagem dirigida por Joseph Losey (de “O Criado”). Este clássico sessentista concorreu à Palma de Ouro em Cannes.

KES

Clássico do cinema inglês que tornou conhecido Ken Loach, diretor do aclamado “Eu, Daniel Blake“, “Kes” é mais um exemplo de suas preocupações sociais, mostrando a dura rotina do jovem Billy, morador de um bairro pobre na Inglaterra. Ridicularizado na escola, ele consegue escapar da falta de humanidade à sua volta treinando um falcão.

VALERIE E A SEMANA DAS MARAVILHAS

Raridade do cinema tcheco repleta de imagens surrealistas e simbolismos para representar o despertar sexual de Valerie, uma adolescente de 14 anos que experimenta sua primeira menstruação, novos amores e até o vampirismo. Dirigido e escrito por Jaromil Jires (1935-2001), a partir do romance de Vítezslav Nezval.

O CASTELO DE VIDRO (1950)

Adaptação do romance de Vicky Baum dirigida por René Clément (“O Sol por Testemunha“). Michèle Morgan interpreta Evelyne, mulher casada que se apaixona por Rémy (Jean Marais), um libertino parisiense de caráter mundano. Também conhecido como “Rendezvous em Paris”, o filme é uma obra pouco conhecida do grande cineasta francês.

PACTO SINISTRO

Escrito por Raymond Chandler, este clássico de Alfred Hitchcock é baseado no romance de Patricia Highsmith, autora de “O Talentoso Ripley”. Indicado ao Oscar de melhor fotografia (em p&b), o filme marcou época com a famosa “troca de favores” (leia-se assassinatos) proposta pelo psicótico Bruno a um tenista famoso.

O CÃO DOS BASKERVILLES

Produção da inglesa Hammer Films dirigida por Terence Fisher (“Drácula – O Príncipe das Trevas“), um de seus melhores diretores, e estrelada por Peter Cushing (no papel de Sherlock Holmes) e Christopher Lee (como Sir Henry Baskerville). Adaptado da obra de Sir Arthur Conan Doyle.

ARABESQUE

Diretor do clássico “Cantando na Chuva” (1952), Stanley Donen retorna ao thriller de espionagem, depois do sucesso de “Charada” (1963). Em “Arabesque“, Gregory Peck vive um professor americano infiltrado numa intrincada trama internacional entre Inglaterra e Oriente Médio. Sophia Loren e Alan Badel completam o elenco.

RAPSÓDIA

A bela Louise Durant (Elizabeth Taylor) entrega-se de corpo e alma ao violinista Paul Bronte (Vittorio Gassman). O casal muda-se para Zurique, onde ele passa a dedicar-se mais à música do que a ela. Sentindo-se ignorada, Louise conhece James Guest (John Ericson). Clássico romântico do mesmo diretor de “Gilda” (1946), Charles Vidor.

CREPÚSCULO DE UMA RAÇA

Um dos trabalhos mais subestimados de John Ford, o western conta com grande elenco: Richard Widmark, Carroll Baker, Karl Malden, Arthur Kennedy e James Stewart. Indicado ao Oscar de melhor fotografia (em cores), o longa acompanha a jornada de um grupo de índios Cheyenne de volta ao seu assentamento de origem, no Wyoming.

WEST SIDE WESTERN COLLECTION – VOL.3

Em ADIOS GRINGO (1965), Giuliano Gemma é um fazendeiro que é enganado por um amigo mau caráter que lhe vendeu gado roubado. E, escrito por Dario Argento e Tonino Cervi, MATO HOJE MORRO AMANHÃ (1968) traz Bud Spencer como um dos homens contratados para vingar a esposa assassinada do protagonista, Bill. DVD com dois Spaghetti Western.

COLEÇÕES O CINEMA DE HITCHCOCK, KUROSAWA E OZU

O CINEMA DE HITCHCOCK

Caixa com 3 DVDs que reúne 6 clássicos do mestre do suspense. Todos os filmes em inéditas versões restauradas, além de quase duas horas de vídeos extras, incluindo documentários e um depoimento do diretor Guillermo Del Toro.

DISCO 1:

REBECCA, A MULHER INESQUECÍVEL (Rebecca, 1940, 131 min.)
Com Joan Fontaine, Laurence Olivier e George Sanders.

Jovem humilde se casa com um homem rico. Quando ela se muda para a mansão do novo marido, vive sob a sombra de sua ex-mulher, que todos amavam e morreu de forma trágica. Vencedor do Oscar de Melhor Filme e Fotografia.

O HOMEM QUE SABIA DEMAIS (The man who knew too much, 1934, 75 min.)
Com Peter Lorre, Leslie Banks e Edna Best.

Casal de ingleses tem sua filha sequestrada após um agente secreto lhes contar, instantes antes de morrer, sobre plano contra um importante governante estrangeiro. Hitchcock faria uma refilmagem em 1956, com James Stewart e Doris Day.

DISCO 2:

CORRESPONDENTE ESTRANGEIRO (Foreign correspondent, 1940, 121 min.)
Com Joel McCrea, Laraine Day e George Sanders.

No início da Segunda Guerra, John Jones é repórter de um jornal de Nova York. Um importante tratado está para ser assinado e ele recebe a missão de trazer as notícias sobre a guerra na Europa. Clássico de espionagem indicado a 6 Oscar.

OS 39 DEGRAUS (39 Steps, 1936, 86 min.)
Com Robert Donat, Madeleine Carroll e Lucie Manheim.

De férias em Londres, Richard conhece uma mulher misteriosa que lhe diz algo sobre um homem envolvimento em uma trama de espionagem. A moça morre e ele decide resolver o mistério. Um dos melhores trabalhos de Hitchcock em sua fase inglesa.

DISCO 3:

QUANDO FALA O CORAÇÃO (Spellbound, 1945, 118 min.)
Com Ingrid Bergman e Gregory Peck.

O renomado psiquiatra Edwardes começa a trabalhar como diretor de uma clínica para doentes mentais, onde se envolve com uma bela psiquiatra. Vencedor do Oscar de Melhor Trilha Sonora, o filme apresenta uma influente sequência de sonho com cenários criados por Salvador Dalí.

INTERLÚDIO (Notorious, 1946, 102 min.)
Com Gary Grant, Ingrid Bergman e Claude Rains.

Uma mulher é utilizada pelos Estados Unidos para espiar um grupo de nazistas na América do Sul. Durante sua missão, se envolve com um agente americano. Seleção Oficial do Festival de Cannes e indicado a 2 Oscar (Filme e Roteiro Original).

EXTRAS:
* Making of de “Rebecca” (28 min.)
* Making of de “Interlúdio” (28 min.)
* Depoimento de Guillmermo Del Toro sobre “O Homem que Sabia Demais” (18 min.)
* Hollywood e a Segunda Guerra (26 min.)
* Hitchcock e o Surrealismo (20 min.)
* Trailers (10 min.)

E VEJA TAMBÉM:
A Arte de Alfred Hitchcock (DVD Duplo)

O CINEMA DE KUROSAWA

Coleção com 3 DVDs trazendo 5 clássicos em inéditas versões restauradas do mestre Akira Kurosawa (1910-1998), o mais consagrado cineasta do Japão, além de um documentário inédito sobre sua obra.

DISCO 1:

VIVER (“Ikiru”, 1952, 143 min.)
Com Takashi Shimura, Nobuo Kaneko, Shinichi Himori.

Um burocrata idoso pensa apenas em ganhar dinheiro, mas tudo muda quando descobre que está com câncer. Premiado em Berlim, o filme é uma das obras definitivas de Kurosawa sobre a velhice.

UMA MENSAGEM DE KUROSAWA
(“Kurosawa Akira Kara no Messeji”, 2000, 82 min.)
Com Akira Kurosawa, Kazuo Kurosawa.

Por meio de várias entrevistas de arquivo realizadas ao longo da carreira de Kurosawa, temos um retrato fascinante sobre seu processo de criação, a relevância de sua obra no cinema japonês e seu incrível legado.

DISCO 2:

RALÉ (“Donzoko”, 1957, 125 min.)
Com Toshiro Mifune, Isuzu Yamada, Kyoko Kagawa.

Baseado na obra do russo Máximo Górki, o filme é uma tragicomédia sobre o cotidiano de hóspedes de numa miserável pensão. O DVD conta com comentários em áudio do renomado crítico Donald Richie.

JUVENTUDE SEM ARREPENDIMENTO (“Waga seishun ni kuinashi”, 1946, 108 min.)
Com Setsuko Hara, Susumu Fujita, Denjiro Okochi.

Jovem estudante tem sua vida transformada quando seu pai, um professor universitário, é encarcerado pelo exército em razão de seu passado de militância política. O encontro de Kurosawa com a luminosa Setsuko Hara, atriz de “Era uma Vez em Tóquio” (1953).

DISCO 3:

UM DOMINGO MARAVILHOSO (“Subarashiki Nichiyobi”, 1947, 108 min.)
Com Isao Numasaki, Chieko Nakahita, Atsuhi Watanabe.

Um dia na vida do casal Yuzo e Masako, que mesmo com pouco dinheiro tentam fazer de seu domingo juntos um dia inesquecível. Fascinante filme sobre a vida no Japão do pós-guerra.

ANATOMIA DO MEDO (“Ikimono no Kiroku”, 1955, 103 min.)
Com Toshiro Mifune, Takashi Shimura, Minoru Chiaki.

Convencido de que sua família, como todo o Japão, corre o risco de um holocausto nuclear, homem se esforça para convencê-los a fugir ao Brasil. Uma das grandes atuações da carreira de Toshiro Mifune.

EXTRAS:
* Comentário em áudio de “Ralé” (125 min.)
* Especiais (48 min.)
* Trailers (7 min.)

O CINEMA DE OZU – VOL. 1

O box reúne, em 3 DVDs, o melhor da obra daquele que é considerado “o mais japonês dos cineastas japoneses”. São 5 clássicos do mestre Yasujirô Ozu (1903–1963), incluindo “Era uma Vez em Tóquio” (1953) – considerado um dos maiores filmes de todos os tempos, agora em versão restaurada. Além do documentário “Conversando com Ozu” (40 minutos), no qual diretores como Wim Wenders e Aki Kaurismaki falam do legado do extraordinário cineasta do cotidiano.

“A obra que não transmite humanismo não tem valor. Trata-se do objetivo de toda arte…”
Yasujiro Ozu (1903-1963)

Ozu especializou-se em dramas familiares cujos personagens são confrontados por questões como a passagem do tempo, a solidão e o conflito de gerações, retratando as mudanças comportamentais no Japão.

DISCO 1:

ERA UMA VEZ EM TÓQUIO (Tokyo Monogatari, 1953)

Um casal de idosos viaja de Onomichi a Tóquio, para visitar os filhos casados, após uma ausência de 20 anos. Drama sublime que representa o ápice da estética de Ozu.

CONVERSANDO COM OZU (Talking with Ozu, 1993)

Um tributo ao mestre com depoimentos dos cineastas Wim Wenders, Aki Kaurismaki, Stanley Kwan, Claire Denis, Lindsay Anderson, Paul Schrader e Hou Hsiao-hsien.

DISCO 2:

TAMBÉM FOMOS FELIZES (Bakushu, 1951)

A família Mamiya procura um marido para a filha mais nova, que trabalha como secretária em Tóquio. No entanto, a moça não quer aceitar um casamento arranjado.

ERA UMA VEZ UM PAI (Chihi Ariki, 1942)

Professor viúvo matricula o filho em um colégio interno, partindo para ganhar a vida em Tóquio. O amor entre pai e filho precisará resistir a esta separação.

DISCO 3:

CREPÚSCULO EM TÓQUIO (Tokyo Boshoku, 1957)

No auge do inverno, Takako volta à casa do pai, fugindo do marido agressivo. Por sua vez, sua irmã Akiko vive uma gravidez indesejada e procura, em vão, pelo namorado.

FILHO ÚNICO (Hitori Musuko, 1936)

Uma mãe solteira sofre para conseguir criar e educar seu único filho. Com muito esforço, consegue que o rapaz vá estudar em Tóquio. Primeiro filme sonoro de Ozu.

EXTRAS:
* Documentário “Conversando com Ozu” (40 min.)
* Trailers de “Era uma vez em Tóquio” (04 min.) e “Também fomos felizes” (04 min.)

O CINEMA DE OZU – VOL.2

Digistack com 3 DVDs que reúne 6 clássicos, incluindo versões restauradas de “Pai e Filha” (1949) e “Ervas Flutuantes” (1959) – um dos filmes favoritos do renomado crítico norte-americano Roger Ebert.

DISCO 1:

PAI E FILHA (Banshun, 1949)

Noriko é uma jovem que cuida do pai, o viúvo Somiya, e não pensa em se casar. Porém, pressionada pela família, aceita conhecer um pretendente. Um dos melhores dramas de Ozu.

FLOR DO EQUINÓCIO (Higanbana, 1958)

O choque entre a tradição do casamento arranjado e o moderno relacionamento por amor, preferido pela nova geração, é o tema deste melodrama sobre duas famílias.

DISCO 2:

ERVAS FLUTUANTES (Ukigusa, 1959)

Uma companhia teatral chega a uma pequena cidade japonesa. O mestre Komajuro, fundador da companhia, esconde um segredo do passado que lhe causará transtornos.

FIM DE VERÃO (Kohayagama-ke no aki, 1961)

Os dramas dos membros da família Kohayagawa, proprietária de uma pequena fábrica de saquê, durante o difícil período do pós-guerra no Japão.

DISCO 3:

COMEÇO DE PRIMAVERA (Soshun, 1956)

O jovem assalariado Shojicomeça um romance com uma colega de trabalho, o que acaba provocando sua separação.

UMA GALINHA NO VENTO (Kaze no naka no mendori, 1948)

Passando por dificuldades e com o filho doente, Tokiko se prostitui por uma noite para poder pagar as despesas enquanto Shuichi, seu marido, luta no front.

CLÁSSICOS DA COMÉDIA, COM O MELHOR DE JERRY LEWIS E BUSTER KEATON

FALECIDO EM AGOSTO DESTE ANO, LEWIS TEM MAIS LANÇAMENTOS DE SUA FILMOGRAFIA EM DVD: A COLEÇÃO “JERRY LEWIS – O GÊNIO DA COMÉDIA” – COM 4 FILMES DIRIGIDOS POR ELE, ALÉM DE INÚMEROS EXTRAS -, “RABO DE FOGUETE” E “BOEING BOEING“, TODOS DOS ANOS 60. E O BOX “BUSTER KEATON – ED. ESPECIAL” REÚNE, EM 8 DISCOS, 12 FILMES DO COMEDIANTE, INCLUINDO O CELEBRADO “A GENERAL” (1926).

JERRY LEWIS – O GÊNIO DA COMÉDIA

Com a morte do ator – considerado um dos maiores comediantes da história do cinema -, em 20 de agosto de 2017, sai agora em DVD a coleção com quatro clássicos dirigidos e estrelados por Lewis nos anos 1960. Os títulos incluídos no box estão entre seus melhores trabalhos e estavam há anos fora de catálogo no mercado de home vídeo brasileiro.

Os filmes vem acompanhados de extras – como comentários de Lewis e cenas excluídas -, e somente um, “O Terror das Mulheres”, apresenta a dublagem clássica em português da Sessão da Tarde.

O MENSAGEIRO TRAPALHÃO (1960)

Tudo pode dar errado – e dá – quando Lewis interpreta Stanley, um mensageiro mudo e trapalhado, no sofisticado Hotel Fontainebleau, em Miami Beach (Flórida). Em preto e branco, é a aclamada estreia do ator na direção, quase filme mudo com brilhantes cenas de humor visual.

EXTRAS: Cenas selecionadas com comentários em áudio (legendados em português) de Jerry Lewis e Steve Lawrence, cenas inéditas, trailer de cinema.

MOCINHO ENCRENQUEIRO (1961)

Contratado para ser “os olhos e os ouvidos” de um chefão de Hollywood na Paramutual Pictures, Morty S. Tashman (papel de Lewis) deve percorrer o local e depois contar ao chefe toda e qualquer atividade desonesta ou questionável.

EXTRAS: Erros de gravação.

O TERROR DAS MULHERES (1961)

Lewis interpreta Herbert, um rapaz tímido que, depois de ser chutado por sua garota, desenvolve fobia em relação ao sexo oposto. A confusão acontece quando Herbert consegue emprego numa enorme pensão de mulheres.

Obs. Opção de áudio com a dublagem em português das antigas exibições da TV brasileira.

EXTRAS: Cenas selecionadas com comentários em áudio (legendados em português) de Jerry Lewis e Steve Lawrence, trailer de cinema, trailer teaser.

O OTÁRIO (1964)

Quando um popular animador tem uma morte prematura, seus associados correm para encontrar um substituto, que acaba sendo Stanley Belt, um pacífico empregado de hotel.

EXTRAS: Cenas selecionadas com comentários em áudio (legendados em português) de Jerry Lewis e Steve Lawrence, trailer de cinema.

E VEJA TAMBÉM:

BOEING BOEING (1964)

Comédia baseada em peça de teatro homônima de Marc Camoletti, adaptada para o cinema por Edward Anhalt (“Becket”). Em seu último trabalho para a Paramount, Lewis divide a cena com Tony Curtis, que interpreta Bernard Lawrence, mulherengo jornalista americano que vive em Paris. O bon vivant mantém simultaneamente três aeromoças como noivas, até que elas se cruzam na “Cidade Luz”, para desespero de Lawrence. Lewis vive um jornalista rival que vem aumentar a confusão. Edição remasterizada com a dublagem clássica da TV mais card.

EXTRAS: Entrevista com Jerry Lewis.

RABO DE FOGUETE (1960)

Indicado ao Oscar de melhor direção de arte (em preto e branco), o filme é uma versão da bem-sucedida peça da Broadway “Visita a um Pequeno Planeta”, de Gore Vidal. Nesta adaptação dirigida por Norman Taurog (de “O Rei do Laço”), Lewis encarna Kreton, um alienígena trapalhão fascinado pelos seres humanos. Ele vem à Terra durante suas férias para estudar os terráqueos, mas sem habilidade para compreendê-los, provoca muitas confusões.

BUSTER KEATON – EDIÇÃO ESPECIAL (8 DVDs)

Box no formato digipak – com 8 discos e 6 cards colecionáveis – trazendo versões remasterizadas dos melhores filmes do comediante, famoso por sua persona impassível, que lhe rendeu o apelido de “O homem que nunca ri”.

Edição especial com 12 filmes (incluindo longas e médias-metragens), 32 curtas-metragens e mais de 3 horas de extras, com depoimentos de Orson Welles, Gloria Swanson, pequenos documentários e muito mais!

Joseph Francis Keaton Jr. nasceu em 4 de outubro de 1895, em Piqua (Kansas, EUA). Seus pais eram comediantes reconhecidos, em especial pelo mágico Harry Houdini, que segundo boatos é o responsável pelo nome Buster, incorporado pelo jovem logo cedo. Aos 4 anos de idade, Keaton já encenava esquetes de vaudeville com os pais e outros comediantes famosos. A carreira no cinema começou aos 21 anos, quando iniciou parceria em Nova York com Roscoe Arbuckle. O primeiro longa-metragem escrito e estrelado por Keaton veio em 1923 (“The Three Ages”) e foi um grande sucesso. Quatro anos depois, o comediante realizaria o maior marco de sua carreira, “A General”.

Buster Keaton atuou na televisão e participou em mais de 100 produções cinematográficas.

DISCO 1 – Os primeiros trabalhos de Buster Keaton realizados entre 1917 e 1918:
O MENINO AÇOUGUEIRO (1917) + THE ROUGH HOUSE (1917) + HIS WEDDING NIGHT (1917) + OH DOCTOR! (1917) + CONEY ISLAND (1917) + OUT WEST (1918) + THE BELL BOY (1918) + MOONSHINE (1918) + GOOD NIGHT, NURSE! (1918) + THE COOK (1918).

DISCO 2 – O filme “O Pesado de 1920” e mais 7 curtas, realizados entre 1919 a 1920:
BACK STAGE (1919) + THE HAYSEED (1919) + THE GARAGE (1920) + UMA SEMANA (1920) + O PESADO (1920) + CONVICT 13 (1920) + O ESPANTALHO (1920) + VIZINHOS VIGILANTES (1920).

DISCO 3 – Curtas-metragens realizados entre 1921 a 1922:
A CASA MALUCA (1921) + MÁ SORTE (1921) + THE ‘HIGH SIGN’ (1921) + A CABRA (1921) + THE PLAY HOUSE (1921) + O BARCO (1921) + THE PALEFACE (1922) + O ENRASCADO (1922) + A PARENTELA DA ESPOSA (1922).

• DISCO 4 – O filme “A Antiga e a Moderna de 1923” e mais 6 curtas realizados entre 1922 a 1923:
FERRADURAS MODERNAS (1922) + NO PAÍS DOS GELADOS (1922) + A CASA ELÉTRICA (1922) + SONHO E REALIDADE (1922) + O AERONAUTA (1923) + THE LOVE NEST (1923) + A ANTIGA E A MODERNA (1923).

“Ferraduras Modernas” (1922)

DISCO 5 – Dois longas-metragens e uma média-metragem:
NOSSA HOSPITALIDADE (1923) + BANCANDO O ÁGUIA (1924) + MARINHEIRO POR DESCUIDO (1924).

DISCO 6 – Dois longas-metragens e um média-metragem:
SETE OPORTUNIDADES (1924) + VAQUEIRO AVACALHADO (1925) + BOXE POR AMOR (1926).

DISCO 7 – Dois longas-metragens:
A GENERAL (1926) + AMORES DE UM ESTUDANTE (1927).

DISCO 8 – Dois longas-metragens:
MARINHEIRO DE ENCOMENDA (1928) + O HOMEM DAS NOVIDADES (1928)

NATAL CINÉFILO, COM A ARTE DE MESTRES DO CINEMA

CINCO COLEÇÕES IMPERDÍVEIS, TODAS COM 2 DISCOS E INÚMEROS EXTRAS, TRAZENDO CLÁSSICOS E CULTS – MUITOS DELES INÉDITOS EM DVD – EM VERSÕES RESTAURADAS.

A ARTE DE CLAUDE CHABROL

DVD duplo com 4 inéditos filmes em versões restauradas do grande diretor francês, um dos “jovens turcos” da Nouvelle Vague, além de dois raros curtas do cineasta nos extras.

A coleção traz um de seus filmes mais famosos e cultuados: “Ciúme, o Inferno do Amor Possessivo”, até então inédito em DVD.

DISCO 1:

A COR DA MENTIRA (Au Couer du Mensonge, 1998, 113 min.)
Com Sandrine Bonnaire, Jacques Gamblin, Antoine de Caunes.

Num vilarejo da Bretanha, uma menina de 10 anos é encontrada morta. René, seu professor de Artes, é apontado como principal suspeito, o que ameaça destruir sua vida e seu casamento.

CÍUME – O INFERNO DO AMOR POSSESSIVO (L’Enfer, 1994, 102 min.)
Com Emmanuelle Béart, François Cluzet, Nathalie Cardone.

O gerente de hotel Paul se casa com a linda Nelly. A vida do jovem casal parece um sonho até que ele passa a ser consumido por um ciúme doentio da esposa. Remake de “O Inferno” (1964), cult inacabado de Henri Georges-Clouzot, com François Cluzet (de “Intocáveis”) e a bela Emmanuelle Béart (“A Bela Intrigante”).

DISCO 2:

OPHÉLIA (Idem, 1963, 104 min.)
Com Alida Valli, Claude Cerval, André Jocelyn.

Jovem fica furioso quando sua mãe se casa com seu tio rico, após a morte de seu pai. Chabrol realiza uma brilhante releitura moderna de “Hamlet”, de William Shakespeare, nesse filme injustamente esquecido.

BETTY – UMA MULHER SEM PASSADO (Betty, 1992, 104 min.)
Com Marie Trintignant, Stéphane Audran, Jean-François Garreaud.

Certa noite, Betty, uma jovem alcóolica sem rumo na vida, conhece Laure, uma burguesa de Lyon. A nova amiga a leva para seu hotel, onde Betty contará sua triste história. Baseado emromance de Georges Simenon.

EXTRAS:
* Curtas “O Avarento” (1962, 19 min.) e “O Homem que Vendeu a Torre Eiffel” (1964, 22 min.)

A ARTE DE ALFRED HITCHCOCK

Com 2 discos, o box reúne 4 clássicos da fase inglesa do genial Alfred Hitchcock, em inéditas versões restauradas. E ainda quase uma hora de extras, incluindo um documentário sobre a carreira do cineasta em sua terra natal.

DISCO 1:

O MARIDO ERA O CULPADO (Sabotage, 1936, 76 min.)
Com Sylvia Sidney, Oskar Homolka e Desmond Tester.

Um agente infiltrado da Scotland Yard está atrás de um sabotador que faz parte de um complô para explodir uma bomba em Londres. Também conhecida como “Sabotagem”, esta é uma eletrizante adaptação de “O Agente Secreto”, romance de Joseph Conrad (“Coração das Trevas”).

JOVEM E INOCENTE (Young and Innocent, 1937, 83 min.)
Com Nova Pilbeam, Derrick De Marney e Percy Marmont.

Um homem é acusado de assassinato. Ele foge e recebe, por acaso, ajuda de uma moça. Ela se sente atraída por ele e dá continuidade à fuga, mesmo sem saber se ele é mesmo o culpado. Uma dos melhores trabalhos da fase inglesa do mestre do suspense.

DISCO 2:

O INQUILINO (The Lodger: A Story of the London Fog, 1927, 91 min.)
Com June, Ivor Novello, Marie Ault.

Baseado em livro homônimo inspirado no mais famoso assassino de todos os tempos – Jack, O Estripador –, o filme gira em torno de um serial killer de mulheres loiras. Primeiro suspense do mestre.

A ESTALAGEM MALDITA (Jamaica Inn, 1939, 108 min.)
Com Maureen O’Hara, Robert Newton e Charles Laughton.

Inglaterra, 1819. Na tempestuosa costa da Cornualha, uma jovem órfã se torna alvo de uma quadrilha de ladrões de navios. Primeira adaptação de Hitchcock para uma obra de Daphne du Maurier (“Rebecca”, “Os Pássaros”).

EXTRAS:
* Documentário sobre a fase inglesa de Hitchcock (24 min.)
* Especiais (32 min.)

E NÃO PERCA TAMBÉM:
O Cinema de Hitchcock

A ARTE DE FRANÇOIS TRUFFAUT

DVD duplo com três obras-primas em inéditas versões restauradas do crítico de cinema e diretor François Truffaut (1932-1984), um dos idealizadores da Nouvelle Vague, além de mais de duas horas de extras, incluindo documentários e depoimentos do cineasta francês.

Destaque para a nova versão restaurada de um dos maiores sucessos de Truffaut: “A Noite Americana”, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro – e indicado ainda a melhor diretor, roteiro original e atriz coadjuvante (Valentina Cortese).

DISCO 1:

A NOITE AMERICANA (“La Nuit Américaine”, 1973, 115 min.)
Com Jacqueline Bisset, Jean-Pierre Léaud e Valentina Cortese.

Nesta apaixonante declaração de amor de Truffaut ao cinema, acompanhamos os conflitos e as paixões que ocorrem nos bastidores de uma filmagem, envolvendo os atores, os técnicos e o diretor. Com bela trilha sonora de Georges Delerue, essa produção aclamada vem acompanhada de uma hora e meia de extras – com entrevistas do elenco, Truffaut e sua equipe, análises e documentários.

DISCO 2:

DE REPENTE, NUM DOMINGO (“Vivement Dimanche!”, 1983, 111 min.)
Com Fanny Ardant e Jean-Louis Trintignant.

Julien Vercel, agente imobiliário, é acusado de matar o amante de sua mulher que, por sua vez, também foi assassinada. Como ele é obrigado a se esconder, sua secretária, Barbara, conduz a investigação. Último filme de Truffaut.

ATIREM NO PIANISTA (“Tirez sur le Pianiste”, 1960, 82 min.)
Com Charles Aznavour, Marie Dubois e Nicole Berger.

Após perder a esposa, o célebre pianista Edouard Saroyan abandona a carreira e passa a tocar com outro nome em um bar, onde acaba reencontrando um de seus irmãos, que está envolvido com a máfia.

EXTRAS:
* Uma conversa com Jacqueline Bisset (9 min.)
* “A Noite Americana”, uma apreciação (17 min.)
* Nathalie Baye (12 min.)
* Bernard Menez (4 min.)* Dani (04 min.)
* Yann Dedet (4 min.)
* Truffaut nos EUA (9 min.)
* Truffaut: um ponto de vista (06 min.)
* Entrevista de Pierre-William Glenn (18 min.)* Apresentação do filme (6 min.)
* “A Noite Americana” no Festival de Cannes (02 min.)
* Entrevista de Truffaut em 1973 (02 min.)
* Trailer de cinema (02 min.)* Apresentação de “De Repente, num Domingo” (5 min.)
* Trailer de “De Repente” (4 min.)* Depoimentos de François Truffaut sobre “Atirem” (22 min.)* Apresentação de “Atirem” (4 min.)
* Trailer de “Atirem” (2 min.) * Teste de cena de MarieDubois (3 min.)

A ARTE DE CARL T. DREYER

O DVD duplo reúne quatro obras-primas em inéditas versões restauradas e ainda quase uma hora de extras, incluindo documentário sobre o diretor dinamarquês.

DISCO 1:

A PALAVRA (Ordet, 1955, 126 min.)
Com Henrik Malberg, Emil Hass Christensen, Cay Kristiansen.

A rotina de uma família de fazendeiros é modificada quando um dos filhos, aparentemente enlouquecido, declara ser Jesus. Um dos maiores filmes de todos os tempos, vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza.

O VAMPIRO (Vampyr, 1932, 73 min.)
Com Julian West, Maurice Schutz, Rena Mandel.

Um viajante obcecado pelo sobrenatural se hospeda numa pousada na qual encontra evidências da existência de vampiros. Incursão de Dreyer no cinema fantástico, com roteiro baseado em “Carmilla, a Vampira de Karnstein”, de Sheridan Le Fanu.

DISCO 2:

DIAS DE IRA (Vredens dag, 1943, 98 min.)
Com Thorkild Roose, Lisbeth Movin, Sigrid Neiiendam.

A jovem esposa de um pastor se apaixona pelo filho deste em meio à violenta caça às bruxas na Dinamarca do século XVII. Uma obra-prima sombria sobre religião e fanatismo dirigida magistralmente por Dreyer.

GERTRUD (Idem, 1964, 117 min.)
Com Nina Pens Rode, Bendt Rothe, Ebbe Rode, Baard Owe.

Entediada com a vida conjugal, uma aristocrata mantém relações com outros homens. Vencedor do Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Veneza, este drama foi o derradeiro filme do grande mestre.

EXTRAS:
* Documentário sobre Dreyer (30 min.)
* Especial sobre “Dias de Ira” (20 min.)

A ARTE DE ANDREI TARKÓVSKI

Depois de resgatar a filmografia de John Cassavetes, Mario Bava e Robert Altman, chegou a vez da Versátil homenagear um dos maiores cineastas de todos os tempos.

O DVD duplo traz três obras-primas em inéditas versões restauradas do russo Andrei Tarkóvski (1932-1986), um dos maiores estetas da história do cinema, e um ótimo documentário sobre “Nostalgia”.

DISCO 1:

NOSTALGIA (“Nostalghia”, 1983)
Com Oleg Yankovskiy, Erland Josephson e Domiziana Giordano.

Poeta russo vai à Itália pesquisar sobre músico russo que se suicidou no exílio. Durante sua pesquisa, ele vive uma jornada espiritual. Melhor Direção, Prêmio da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Cannes.

A INFÂNCIA DE IVAN (“Ivanovo detstvo”, 1962)
Com Nikolai Burlyaev, Valentin Zubkov e E. Zharikov.

Durante a Segunda Guerra, Ivan, um menino russo de 12 anos, trabalha como espião no front soviético, cruzando as linhas inimigas, para coletar informações dos nazistas. Vencedor do Leão de Ouro em Veneza, este foi o longa-metragem de estreia do diretor.

DISCO 2:

O ESPELHO (“Zerkalo”, 1975)
Com Margarita Terekhova, Oleg Yankóvski e Alla Demidova.

Cena de “O Espelho”, uma das obras-primas do diretor – e presença constante em listas de melhores filmes de todos os tempos. À beira da morte, um homem relembra passagens de sua vida: a infância, a experiência da guerra… Um dos trabalhos mais radicais e herméticos de Tarkóvski, “O Espelho” é um dos filmes definitivos sobre a memória.

TEMPO DE VIAGEM (“Tempo di Viaggio”, 1983)
Com Andrei Tarkóvski e Tonino Guerra.

Documentário sobre a procura de locações para “Nostalgia”. Recém-chegado à Itália, Tarkóvski trabalha, conversa com Tonino Guerra e fala de cinema e literatura. Inclui pequenos ensaios filmados pelo diretor.

EXTRAS:
* Análise de “A Infância de Ivan” (31 min.)
* Análise de “O Espelho” (11 min)

“CHAPLIN – A OBRA COMPLETA” EM DVD NA 2001

A COLEÇÃO RESGATA TODA A FILMOGRAFIA DE CHARLES CHAPLIN, COM 20 DVDs – REUNINDO LONGAS E CURTAS-METRAGENS, ALÉM DE DOCUMENTÁRIOS – MAIS ENCARTE ESPECIAL DE 16 PÁGINAS.

Nascido em East Lane Walworth, subúrbio de Londres, em 16 de abril de 1889, Charles Spencer Chaplin tinha o sangue artístico dos pais Charles e Hannah Chaplin, artistas de variedades. Aos cinco anos, já atuava no Music Hall, e em 1910 foi pela primeira vez aos EUA, com a companhia teatral de Fred Karno.

Trocou o teatro pelo cinema , trabalhando para a Keystone Company em Los Angeles. Com “Corrida de Automóveis para Meninos” (1914), iniciou a criação de seu gentil vagabundo, com seu traje característico, mas ainda sem a bengala – que usaria em “Dia Chuvoso”, no mesmo ano.

Nos próximos anos, consolidou sua reputação internacional ao refinar o personagem do vagabundo, adicionando drama e humor singelo às suas conhecidas habilidades acrobáticas. Depois de cofundar a United Artists em 1919, Chaplin começou a produção de seus melhores trabalhos: “O Garoto” (1921), “Casamento ou Luxo” (1923), “Em Busca do Ouro” (1925), “O Circo” (1928), “Luzes da Cidade” (1931), “Tempos Modernos” (1936) e “O Grande Ditador” (1940), seu primeiro longa-metragem falado, em que abandona Carlitos e cria uma inesquecível paródia de Adolf Hitler.

Lançado no calor da ascensão do nazismo na Europa, “O Grande Ditador” é uma das obras-primas de Chaplin

Seus últimos filmes, com exceção de “Luzes da Ribalta” (1952), não atingiram a mesma popularidade; o aparente cinismo de “Monsieur Verdoux” (1947) e “Um Rei em Nova York” (1957), e o romance maduro de “A Condessa de Hong Kong” (1967), com Marlon Brando e Sopphia Loren, fracassaram.

Amado e idolatrado no mundo inteiro, Chaplin teve uma vida pessoal atribulada: casou quatro vezes, sofreu um processo de paternidade em 1944 e foi acusado de atividades antiamericanas em 1952 durante a famosa “caça às bruxas” promovida pelo senador Joseph McCarthy a supostos comunistas em atividade em Hollywood. Por isso, exilou-se com a família na Suíça até sua morte, em 25 de dezembro de 1977, aos 86 anos. Quebrou a reclusão apenas em 1972, quando retornou aos EUA para receber o Oscar honorário pela carreira.

Lembrado em inúmeras livros e pela cinebiografia “Chaplin” (1992), com Robert Downey Jr. no papel principal, o legado de Charles Chaplin é inegável – assim como Carlitos, o palhaço mais famoso do cinema.

Box no formato digistack, com 20 DVDs – mais encarte especial de 16 páginas – reunindo  as versões restauradas de todos os filmes do maior gênio da comédia (13 longas-metragens e 65 curtas – quase 50 horas de conteúdo!), além de muitos extras especiais, como documentários em que Bertolucci, Chabrol e outros cineastas renomados falam de Chaplin.

Disco 1 – CORRIDAS DE AUTOMÓVEIS PARA MENINOS e outros 13 curtas
Produzidos pela Keystone, esses 14 anos curtas-metragens trazem as primeiras aparições do personagem Carlitos no cinema.

Disco 2 – NA FARRA e outros 12 curtas
13 pequenas comédias de 1914, quando Chaplin ainda era um jovem ator no estúdio Keystone.

Disco 3 – O CASAMENTO DE CARLITOS e outros 6 curtas
“O Casamento de Carlitos” (1914) foi o primeiro longa-metragem da Keystone. O longa, somado a outros 6 curtas encerram o ano de estreia de Chaplin em Hollywood.

“O Casamento de Carlitos” (1914)

Disco 4 – CAMPEÃO DE BOXE e outros 6 curtas
As primeiras produções dirigidas por Chaplin para os estúdios Essanay. Em um dos sete curtas deste disco, Carlitos decide tentar a sorte em uma luta de boxe.

Disco 5 – OS AMORES DE CARMEN e outros 6 curtas
“Os Amores de Carmen” é uma paródia da ópera “Carmen”, de Bizet. Além desta comédia, outros 6 curtas, todos produzidos pela Essanay.

Disco 6 – O VAGABUNDO e outros 6 curtas
Os últimos filmes para a Essanay e os primeiros de Chaplin para a Mutual, que incluem “O Vagabundo”, em que Carlitos vive um violinista que toca pelas ruas.

Disco 7 – O IMIGRANTE e outros 6 curtas
Sete curtas produzidos entre 1916 e 1917, completando a fase de Chaplin para a Mutual. Em “A Rua da Paz”, Carlitos aceita o cargo de policial para vigiar uma rua sem lei.

“O Imigrante” (1917)

Disco 8 – DIA DE PAGAMENTO e outros 4 curtas
Em 1917, Chaplin assinou contrato com a First National, para produzir filmes com total controle criativo. Entre esses títulos, estão os 5 curtas reunidos neste volume.

Disco 9 – O GAROTO
Primeiro longa-metragem de Chaplin. A história de um bebê abandonado pela mãe, mas criado pelo vagabundo Carlitos. Com o tempo, eles se tornam companheiros inseparáveis.

Disco 10 – CASAMENTO OU LUXO
Único filme que Charles Chaplin dirigiu, mas que não aparece. É também seu primeiro drama. Realizado em 1923, o filme fala sobre um homem que se apaixona por uma cortesã.

Disco 11 – EM BUSCA DO OURO
Carlitos decide tentar a sorte no Alasca, durante a época da “Febre do Ouro” e encarna um garimpeiro à procura das minas de ouro. Umas das obras-primas de Chaplin.

“Em Busca do Ouro” (1925)

Disco 12 – O CIRCO
O Vagabundo é confundido pela polícia com um ladrão de carteiras, em sua fuga, acaba parando num espetáculo de circo e fazendo muito sucesso.

Disco 13 – LUZES DA CIDADE
Produzido em 1931, o filme conta a história de uma florista cega que confunde Carlitos com um homem rico, e ele, tocado pelas dificuldades da garota, faz de tudo para ajudá-la .

Disco 14 – TEMPOS MODERNOS
O Vagabundo tenta sobreviver ao mundo moderno da Revolução Industrial, satirizando o capitalismo em cenas de muito humor.

“Tempos Modernos” (1936)

Disco 15 – O GRANDE DITADOR
Primeiro filme falado de Chaplin. A trama se passa em uma nação imaginária, dominada pelo ditador Hynkel, que é uma clara sátira a Adolf Hitler.

Disco 16 – MONSIEUR VERDOUX
Chaplin deixa de lado o personagem do vagabundo para viver um golpista e assassino de esposas, nessa comédia de humor negro que faz críticas ao capitalismo e militarismo.

Disco 17 – LUZES DA RIBALTA
A história de um comediante decadente, que já não faz o público rir. Um dos últimos filmes de Chaplin, com o qual ganhou um Oscar de melhor trilha sonora em 1973.

Luzes da Ribalta (1952)

Disco 18 – UM REI EM NOVA YORK
Filmado fora dos EUA, em 1957, o filme satiriza o modo de vida americano, através da saga do Rei Schadov, que escapa de uma revolução em seu país, indo parar em Nova York.

Disco 19 – FESTIVAL CARLITOS
Longa editado e narrado por Chaplin, que reúne “Vida de Cachorro”, filme em que Carlitos salva a vida de um cachorro, “Ombro, Armas!” e “Pastor de Almas”.

Disco 20 – A CONDESSA DE HONG KONG
Comédia produzida e dirigida por Chaplin e protagonizada por Sophia Loren e Marlon Brando. Uma prostituta, que vive em Hong Kong, deseja fugir com a ajuda de um empresário americano durante uma viagem de navio.

E VEJA TAMBÉM:
O Chaplin que Ninguém Viu (1983)

“PLANETA DOS MACACOS – A GUERRA” E MAIS LANÇAMENTOS PRA FECHAR O MÊS

PLANETA DOS MACACOS – A GUERRA

Terceiro capítulo da franquia iniciada em 2011 com “Planeta dos Macacos: A Origem”, o filme novamente conta com Matt Reeves (“Planeta dos Macacos: O Confronto) na direção e Andy Serkis – em mais um espetacular trabalho de captura de performance – no papel de César. Na trama, César e seus grupo de macacos são forçados a um conflito mortal contra um exército de seres humanos liderado pelo cruel coronel interpretado por Woody Harrelson. Considerado um dos melhores filmes do ano, é um forte concorrente ao Oscar 2018 de melhores efeitos visuais. Em DVD, Blu-ray e BD 3D na 2001.

VIKINGS – 4ª TEMPORADA – VOL.2

Escrita por Michael Hirst (“The Tudors”, “Camelot”), a produção épica é a série de maior sucesso da história do History Channel. Após a tentativa de invasão da cidade de Paris, Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel) é atingido por uma doença que coloca sua vida em risco. É o começo da decadência do protagonista, que dá o tom da temporada, marcada ainda pela trajetória de seus descendentes, como Ivar (Alex Hogh Andersen) e Bjorn (Alexander Ludwig). Confira nos extras do box: comentários, cenas deletadas e featurettes. Em DVD e Blu-ray na 2001.

THE WALKING DEAD – 7ª TEMPORADA

Baseada na história em quadrinhos criada por Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard, a produção seriada foi desenvolvida para a televisão por Frank Darabont (roteirista e diretor de “Um Sonho de Liberdade“) e chega à sétima temporada com Rick (Andrew Lincoln) ainda mais devastado psicologicamente. Agora, ele é obrigado a trabalhar para o vilão Negan (Jeffrey Dean Morgan, de “Watchmen – O Filme”) em troca de sua vida e a de cada um de seu grupo. Nos extras, making of dos episódios. Em DVD e Blu-ray na 2001.

UMA NOITE COM VINCENT PRICE

Coleção com 6 discos reunindo clássicos estrelados pelo astro entre os anos 1950 e 70. O box inclui A CASA DOS MAUS ESPÍRITOS (1958), de William Castle; A MANSÃO DO MORCEGO (1959); NOS DOMÍNIOS DO TERROR (1963), antologia com três histórias macabras; O CORVO (1963), baseado no poema de Edgar Allan Poe, com um antológico duelo com Boris Karloff; O CASTELO ASSOMBRADO (1963), mais uma adaptação da obra de Poe dirigida por Roger Corman; e TEATRO DA MORTE (1973), terror satírico lançado no Brasil como “As 7 Máscaras da Morte”.

O MUNDO BIZARRO DE MARIO BAVA

DVD duplo com dois clássicos de influência gótica dirigidos pelo mestre do horror italiano nos anos 1960. Em BLACK SUNDAY – A MÁSCARA DE SATÃ, longa baseado em curta de Nicolai Gogol, a diabólica Princesa Asa (Barbara Steele) é condenada à morte por bruxaria e vampirismo, na Moldávia do século 17, e ressuscita 200 anos depois. Já BLACK SABBATH – AS TRÊS MÁSCARAS DO TERROR é uma antologia de três histórias de terror baseada em contos de Aleksei Tolstói, Ivan Chekhov e F. G. Snyder, com o lendário Boris Karloff em “O Wurdalak”.

RAZORBACK – AS GARRAS DO TERROR

Exibido nos cinemas brasileiros com o título “O Corte da Navalha”, este thriller de 1984 é considerado um dos melhores filmes australianos da década de 1980 e revelou Russell Mulcahy, que depois dirigiria o sucesso “Highlander: O Guerreiro Imortal” (1986). Em “Razorback”, uma jornalista americana viaja ao interior da Austrália para documentar a caça ilegal de animais selvagens e descobre a existência de uma criatura descomunal e assassina. Após o desaparecimento da mulher, seu marido viaja ao país em busca do paradeiro dela.

A MOSCA 2

Coescrito por Frank Darabont, um dos responsáveis pela série “The Walking Dead”, o longa dá prosseguimento ao enredo do hit “A Mosca” (1986), agora com Eric Stoltz (“Pulp Fiction”) no papel de Martin, fruto da relação entre Seth Brundle (Jeff Goldblum) e Veronica (Geena Davis) no primeiro filme. Aos cinco anos, Martin apresenta físico de um adulto e mente avançada, vivendo cercado de cuidados em um laboratório médico. Dirigido por Chris Walas, vencedor do Oscar pela maquiagem de “A Mosca”, esta sequência capricha nos efeitos especiais e sequências de gore.

ATÉ NUNCA MAIS

O renomado diretor francês Benoît Jacquot (“Adeus, Minha Rainha”) dirige Mathieu Amalric nesta densa versão do livro “A Artista do Corpo”, de Don DeLillo (autor de “Cosmópolis”). Uma espécie de romance metafísico, com Laura (Julia Roy, também corroteirista do filme), uma atriz performática vivendo uma relação obsessiva com Jacques (Amalric, de “O Escafandro e a Borboleta”), um cineasta. Paixão e criação artística se confundem neste drama autoral, exibido no Festival de Veneza, que merece ser conhecido.

BYE BYE ALEMANHA

Mais recente trabalho de Sam Garbarski, diretor de “O Tango de Rashevski” (2003) e “Irina Palm” (2007), o filme trata com humor peculiar um tema sério: o recomeço dos alemães logo após o final da Segunda Guerra. Em Frankfurt, 1946, o judeu David Berman (Moritz Bleibtreu, de “Corra, Lola, Corra“) e seus seis amigos têm apenas um propósito em mente: conseguir finalmente deixar o país. Mas, em tempos de crise, eles precisam de muito dinheiro para realizar seu sonho de partir para os EUA, e partem para um negócio inusitado.

DIAS E NOITES

Ator de séries como “Dexter” e “Penny Dreadful”, Christian Camargo dirige esta transposição da peça “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, para a Zona rural da Nova Inglaterra (EUA), em 1984. Inspirados na obra do dramaturgo russo, William Hurt, Allison Janney, Jean Reno, Mark Rylance, Katie Holmes e Ben Whishaw, entre outros, dão vida aos personagens, reunidos para o feriado do Memorial Day durante um final de semana repleto de disputas em família.

BRAÇO DE DIAMANTE

Um dos maiores sucessos da história do cinema russo, o filme é uma comédia de erros iniciada por Semyon Gorbunkov (papel de Yuriy Nikulin), cidadão soviético que retorna a seu país após um cruzeiro marítimo. Sem saber que traz consigo jóias escondidas por engano no gesso colocado em torno de seu braço esquerdo, depois de uma queda em Istambul. Enquanto os contrabandistas tentam recuperar as pedras preciosas, um capitão da polícia russa usa Gorbunkov como isca para pegar os criminosos.

BAGUNCEIRO ARRUMADINHO

Jerry Lewis interpreta mais um de seus adoráveis atrapalhados, Jerome Littlefield, que trabalha como atendente em uma clínica. Ele sonha em se tornar médico, mas é muito sensível aos problemas dos pacientes, o que o faz se meter em inúmeras confusões, para desespero da administradora do hospital. Entre as cenas que entraram para a antologia de gags nonsense de Lewis, destaque para uma incrível sequência de perseguição envolvendo uma ambulância desgovernada e um homem sobre uma maca hospitalar desgovernada.

E NÃO PERCA, COM O ATOR, EM PRÉ-VENDA NA 2001:
Jerry Lewis – O Gênio da Comédia (Coleção com 4 filmes)
Rabo de Foguete
Uma Família Fuleira

NOS LANÇAMENTOS DE NOVEMBRO, FILME NOIR E MAIS CLÁSSICOS DO CINEMA

FILME NOIR VOL. 9 – ED. LIMITADA COM 6 CARDS

No formato digistack, o box com 3 DVDs reúne 7 clássicos inéditos do gênero dirigidos por mestres como Joseph L. Mankiewicz e Michael Curtiz estrelados por astros como James Cagney e Edward G. Robinson. Inclui “Rincão de Tormentas”, que é o primeiro noir britânico lançado na série colecionável da Versátil, e mais um sétimo filme nos extras: “Trágico Álibi” (My Name is Julia Ross, 1945), do genial Joseph H. Lewis (“Gun Crazy”).

DISCO 1:

RINCÃO DE TORMENTAS (Brighton Rock, 1947, 93 min.)
De John Boulting. Com Richard Attenborough, Hermione Baddeley, William Hartnell.

Baseada em um romance do escritor Graham Greene (“Fim de Caso”), essa obra-prima do filme noir britânico mostra a trajetória de Pinkie Brown, o psicótico líder de uma gangue que atua na cidade litorânea de Brighton. Também conhecido como “O Pior dos Pecados”, ganhou uma refilmagem em 2010 com Sam Riley e Helen Mirren.

O AMANHÃ QUE NÃO VIRÁ (Kiss Tomorrow Goodbye, 1950, 103 min.)
De Gordon Douglas. Com James Cagney, Barbara Payton, Helena Carter.

Logo após o fabuloso “Fúria Sanguinária”, James Cagney voltou a viver um gângster violento nesse ótimo filme noir em que o cruel Ralph Cotter foge da prisão e corrompe todos em seu caminho.

DISCO 2:

SANGUE DO MEU SANGUE (House of Strangers, 1949, 101 min.)
De Joseph L. Mankiewicz. Com Edward G. Robinson, Susan Hayward, Richard Conte.

Após sair da prisão, homem deseja se vingar dos irmãos por terem traído seu pai. Melodrama noir que antecipa “O Poderoso Chefão”. Por sua interpretação, Edward G. Robinson ganhou o Prêmio de melhor ator no Festival de Cannes.

SEM SOMBRA DE SUSPEITA (The Unsuspected, 1947, 103 min.)
De Michael Curtiz. Com Claude Rains, Joan Caulfield, Audrey Totter.

Secretária é encontrada morta na casa do patrão, um radialista famoso por ler histórias de mistério e assassinato em seu programa. O que parece ser um suicídio se complica com a chegada de um homem misterioso.

DISCO 3:

CILADA MORTÍFERA (Murder by Contract, 1958, 81 min.)
De Irving Lerner. Com Vince Edwards, Philip Pine, Herschel Bernardi.

Admirado por Martin Scorsese, que fala do filme nos extras, essa pérola noir conta a história do implacável matador de aluguel Claude, cuja eficiência é abalada quando descobre que sua próxima vítima é uma mulher.

A MULHER DILLINGER (Decoy, 1946, 76 min.)
De Jack Bernhard. Com Jean Gillie, Edward Norris, Robert Armstrong.

Uma criminosa reconta como ela e sua quadrilha reviveram um bandido executado na câmara de gás para descobrir onde este enterrou o dinheiro de um assalto. A britânica Jean Gillie vive uma das femmes fatales mais cruéis do filme noir.

EXTRAS:
* “Trágico Álibi” (My Name is Julia Ross, 1945), de Joseph H. Lewis (64 min.)
* Especiais e trailers (35 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

MAIS CLÁSSICOS NA 2001:

DENTRO DA NOITE

Astros da Warner nos anos 1940, George Raft e Humphrey Bogart interpretam irmãos que lutam para sobreviver neste policial noir dirigido por Raoul Walsh (“Fúria Sanguinária”). Explorados pelo patrão, os dois trabalham como motoristas de caminhão e acabam demitidos, o que leva Joe (Raft) a se envolver numa trama de crime com a mal-intencionada Lana Carlsen (Ida Lupino), justamente a mulher de seu ex-patrão.

UM ANJO CAIU DO CÉU

Indicado a 5 Oscar em 1947, incluindo melhor filme e direção (Henry Koster), o clássico apresenta Cary Grant no papel de Dudley, um anjo enviado à Terra para ajudar o bispo Henry Brougham (David Niven) a construir uma nova catedral. Só que as mulheres mais importantes da vida de Henry ficam encantadas com o recém-chegado, causando muitas confusões e ciúmes. Loretta Young, Elsa Lanchester e Karolyn Grimes completam o elenco.

ARTISTAS E MODELOS

Com grande elenco – Dean Martin, Shirley MacLaine, Dorothy Malone e Anita Ekberg -, esta comédia de 1955 marca a primeira parceria entre Jerry Lewis e Frank Tashlin, diretor de inúmeros sucessos do astro. Martin vive escritor de quadrinhos que divide o apartamento com um pintor de paredes interpretado por Lewis. O pintor fala sozinho durante o sono e suas histórias servirão de inspiração para o amigo.

ERA UMA VEZ EM HOLLYWOOD

Fãs de musicais não podem perder este documentário de 1974, que traça um panorama do gênero no cinema desde a década de 1920 até os anos 1950, por meio de cenas e entrevistas com algumas das maiores estrelas da MGM. Nomes como Fred Astaire, Gene Kelly, Bing Crosby e Cyd Charisse apresentam seus momentos musicais favoritos em mais de 50 anos da história de Hollywood. Edição especial com 3 discos.

SUA ÚLTIMA FAÇANHA

Em grande atuação, Kirk Douglas (indicado ao Bafta), encarna Jack Burns, um caubói solitário que tenta ajudar seu amigo Paul Bondi, preso por transportar imigrantes ilegais. Burns deliberadamente deixa-se prender para estar mais próximo de Bondi e depois escapa da prisão, tornando-se um fugitivo. Com roteiro assinado por Dalton Trumbo (“Spartacus”), este western ainda conta com Gena Rowlands e Walter Matthau no elenco.

A MOÇA COM A VALISE

Terceiro longa-metragem de um dos grandes diretores do cinema italiano do pós-guerra, Valerio Zurlini. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1961, o filme segue o rito de passagem do adolescente Lorenzo (Jacques Perrin, intérpret do “Totó” adulto em “Cinema Paradiso”), que fará de tudo para conquistar uma bela cantora de cabaré Aida (Claudia Cardinale), que foi enganada por seu irmão, o playboy Marcello.

EDGAR ALLAN POE E H.P.LOVECRAFT, DOIS MESTRES DO HORROR NA 2001

DOIS GRANDES ESCRITORES, RESGATADOS EM TRÊS COLEÇÕES DA VERSÁTIL COM CLÁSSICOS E CULTS DE DIRETORES COMO FEDERICO FELLINI, GEORGE A.ROMERO, JOHN CARPENTER E ROGER CORMAN.

EDGAR ALLAN POE NO CINEMA

DVD duplo com quatro clássicos dirigidos por Roger Corman e inspirados na obra de Edgar Allan Poe (1809-1849), um mestre da literatura gótica. Esta Edição Especial traz os filmes em inéditas versões restauradas e mais de duas horas de extras.

DISCO 1:

MURALHAS DO PAVOR (“Tales of Terror”, 1962, 89 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price, Peter Lorre e Basil Rathbone.

Quatro contos de Poe em três episódios. Em “Morella”, um jovem descobre que seu pai conserva o cadáver da esposa. O segundo episódio condensa “O Gato Preto” e “O Barril de Amontillado” e o último traz “O Caso do Sr. Valdemar”.

OBSESSÃO MACABRA (“Premature Burial”, 1962, 81 min.)
De Roger Corman. Com Ray Milland, Hazel Court e Richard Ney.

No terceiro filme de Corman baseado em Poe, Ray Milland (“Farrapo Humano”) interpreta um homem que tem medo de ser enterrado vivo, como aconteceu com seu pai.

DISCO 2:

O POÇO E O PÊNDULO (“The Pit and the Pendulum”, 1961, 81 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price, Barbara Steele e John Kerr.

Ao saber da repentina morte de sua irmã, Francis Barnard vai ao castelo de seu cunhado, Nicholas Medina, o atormentado filho de um carrasco da Inquisição espanhola. Também conhecido como “A Mansão do Terror”.

O TÚMULO SINISTRO (“The Tomb of Ligeia”, 1964, 81 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price e Elizabeth Shepherd.

Anos após ter enterrado sua amada esposa Ligeia, Verden Fell aceita a se casar com outra mulher. Porém, seu novo casamento é assombrado pela lembrança da falecida. Último filme do ciclo de Corman dedicado à obra de Poe.

EXTRAS:
* Uma noite com Edgar Allan Poe (52 min.) * Depoimento de Roger Corman sobre “Obsessão Macabra” (10 min.)
* Depoimento de Joe Dante sobre “Obsessão Macabra” (10 min.)
* Trailers dos quatro filmes (11 min.)
* Poe no Cinema (28 min.)
* Making of de “O Poço e o Pêndulo” (43 min.)
* Cena excluída de “O Poço e o Pêndulo” (5 min.)

EDGAR ALLAN POE NO CINEMA – VOL. 2

Bela edição com quatro clássicos inspirados na obra de Poe, em inéditas versões restauradas acompanhadas de muitos extras.

O box traz o cult “Histórias Extraordinárias”, composto por três segmentos, dirigidos por Federico Fellini, Roger Vadim e Louis Malle. “Toby Dammit”, de Fellini, é considerado um dos melhores trabalhos do mestre iltaiano – e uma crítica bem humorada e atual ao culto às celebridades.

DISCO 1:

DOIS OLHOS SATÂNICOS (Due occhi diabolici/Two Evil Eyes, 1990, 120 min.)
De George A. Romero e Dario Argento.
Com Adrienne Barbeau, Harvey Keitel, Ramy Zada.

Dois dos maiores mestres do horror no cinema, George A. Romero e Dario Argento, dirigem duas horripilantes histórias baseadas em contos de Poe: “O Estranho Caso do Sr. Valdemar” e “O Gato Preto”.

HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS (Histories Extraordinaires, 1968, 120 min.)
De Federico Fellini, Roger Vadim, Louis Malle.
Com Jane Fonda, Brigitte Bardot, Alain Delon.

Os grandes diretores europeus Federico Fellini, Roger Vadim e Louis Malle dirigem três histórias: “Metzengerstein”, “William Wilson” e “Toby Dammit”.

DISCO 2:

O CORVO (The Raven, 1963, 86 min.)
De Roger Corman
Com Vincent Price, Boris Karloff, Peter Lorre.

Inspirado livremente no célebre poema de Poe, O Corvo é o mais divertido dos filmes do ciclo de Roger Corman dedicado ao escritor. Dois bruxos duelam pela supremacia da do mundo da magia.

GATO NEGRO (Gatto Nero, 1981, 92 min.)
De Lucio Fulci
Com Patrick Magee, Mimsy Farmer, David Warbeck.

Os moradores de um vilarejo inglês começam a morrer numa série de acidentes horríveis e um investigador da Scotland Yard passa a investigar o caso. O encontro de Poe com Lucio Fulci, o mestre do gore.

EXTRAS:
* Especial sobre “Dois Olhos Satânicos” (30 min.)
* Depoimentos (17 min.)
* Trailers (10 min)

LOVECRAFT NO CINEMA

Coleção com três clássicos inspirados na obra de H. P. Lovecraft (1890-1937), um dos grandes mestres da literatura de horror, em inéditas versões restauradas, além de um documentário sobre o escritor e quase duas horas de vídeos extras. Lovecraft é um dos escritores favoritos – e influência assumida – de cineastas como Dan O’Bannon (“A Volta dos Mortos Vivos”) e Guillermo del Toro (“O Labirinto do Fauno”).

DISCO 1:

RE-ANIMATOR: A HORA DOS MORTOS-VIVOS (“Re-Animator”, 1985, 86 min.)
De Stuart Gordon. Com Jeffrey Combs, Bruce Abbott, Barbara Crampton.

Baseando-se livremente no conto “Herbert West: Reanimador”, Stuart Gordon criou uma obra-prima do horror, com muito sangue e cenas escatológicas. Inédita versão restaurada com vários extras, incluindo making of e cenas excluídas. Um dos títulos seminais dos anos 1980.

DO ALÉM (“From Beyond”, 1986, 86 min.)
De Stuart Gordon. Com Jeffrey Combs, Barbara Crampton e Ted Sorel.

A partir do conto homônimo de poucas páginas, Stuart Gordon volta ao universo lovecraftiano para mostrar até onde a tecnologia pode transformar o ser humano. O resultado é uma visceral e alucinante mistura de ficção científica e horror, com cenas desconcertantes.

DISCO 2:

À BEIRA DA LOUCURA (“In the Mouth of Madness”, 1994, 95 min.)
De John Carpenter. Com Sam Neill, Julie Carmen e Jürgen Prochnow.

O investigador John Trent é contratado para achar Sutter Cane, um escritor de histórias de terror que, após terminar seu último livro, misteriosamente desapareceu. Brilhante homenagem de Carpenter ao universo literário de Lovecraft.

LOVECRAFT: MEDO DO DESCONHECIDO (Lovecraft: Fear of the Unknown, 2008, 89 min.)
De Frank H. Woodward. Com Neil Gaiman, Guillermo Del Toro e John Carpenter.

Lovecraft é considerado por muitos o pai do horror moderno. A mitologia aterradora criada por ele influencia milhares de criações do gênero até hoje. Este documentário faz uma crônica sobre a vida, a obra e as ideias do autor de “O chamado de Cthulhu”.

EXTRAS:
* Making of de “Re-Animator” (69 min.)
* Trailers (18 min.)
* Cenas excluídas de “Re-Animator” (26 min.)
* Depoimento de Stuart Gordon sobre “Do Além” (9 min.)