Datas Comemorativas

DIA INTERNACIONAL DA MULHER: EM DESTAQUE, MULHERES NA DIREÇÃO

EM HOMENAGEM ÀS OPERÁRIAS QUE MORRERAM NUMA FÁBRICA DA COTTON, INCENDIADA EM 8 DE MARÇO DE 1857, EM NOVA YORK, A DATA FICOU MARCADA COMO O DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

Por meio de uma greve geral, elas reivindicavam melhores condições de trabalho, como a redução da jornadade trabalho de 16 para 10 horas, e salários mais justos. As operárias morreram de forma bárbara, carbonizadas dentro da fábrica que fora incendiada por seus patrões e por policias.

Criada em 1910 durante conferência internacional realizada na Dinamarca, a data comemorativa foi oficializada pela ONU por meio de decreto somente em 1975.

O cinema já retratou a luta de mulheres por igualdade de direitos em filmes que vão desde clássicos estrelados por Bette Davis e Katharine Hepburn nos anos 1940 e 1950, passando por produções politizadas como “Norma Rae” (1979) e “Silkwood – O Retrato de uma Coragem” (1983), até “Terra Fria” (2005), “Revolução em Dagenham” (2010), “Potiche – Esposa Troféu” (2011) e “As Sufragistas” (2015).

Sally Field ganhou o Oscar de melhor atriz por seu papel de uma operária lutando por melhores condições de trabalho em “Norma Rae” (1979)

Na história do cinema, dá para contar nos dedos as mulheres que conseguiram projeção na direção. Contudo, nos anos 2000 a cadeira de diretor tem sido ocupada com mais frequência pelo olhar feminino, embora o predomínio dos homens na função continue. Em 2015, por exemplo, Ava DuVernay foi indicada ao Globo de Ouro de melhor direção pelo aclamado drama histórico “Selma – Uma Luta pela Igualdade”, mas acabou preterida na mesma categoria pelo Sindicato dos Diretores (DGA) e pelos eleitores do Oscar.

Neste ano, pelo menos, um aceno a mudanças: Greta Gerwig foi indicada ao Oscar de melhor direção e também a melhor roteiro original. Ela se tornou a quinta cineasta na história a disputar a categoria. E, na última edição do Festival de Cannes, Sofia Coppola (“O Estranho que Nós Amamos“) foi contemplada com o prêmio de melhor direção, honraria conquistada por uma mulher apenas uma vez antes, há mais de 50 anos.

Patty Jenkins no set de MULHER-MARAVILHA, primeiro sucesso baseado em personagem de HQ dirigido por uma mulher em Hollywood, o que pode abrir portas para outras cineastas no comando de super-produções ou filmes de apelo mais comercial.

Mas, apesar das dificuldades e predomínio masculino, nomes como Jane Campion, Claire Denis, Coppola, Julie TaymorKathryn Bigelow (vencedora do Oscar por “Guerra ao Terror”) e muitas outras têm conseguido se estabelecer bravamente, com trabalhos fortes e autorais. No ano passado, Patty Jenkins entrou para a história com “Mulher-Maravilha“, um incrível sucesso que se tornou a maior bilheteria de um filme de live-action dirigido por uma mulher em todos os tempos.

No Brasil, Suzana Amaral e Tizuka Yamasaki abriram caminho para novas gerações de diretoras, com nomes como Tata Amaral, Eliane Caffé, Lina Chamie, Laís Bodanzky, Anna Muylaert, Sandra Kogut, Carolina Jabor, entre outras. Mais recentemente, Bodanzky escreveu (ao lado de Luiz Bolognesi) e dirigiu “Como Nossos Pais“, um dos melhores retratos dos anseios e desafios da mulher moderna já mostrados no cinema brasileiro. Um filme cada vez mais atual – e obrigatório para se refletir sobre o empoderamento feminino e a construção de uma sociedade melhor.

Maria Riberiro no aclamado COMO NOSSOS PAIS, grande vencedor do Festival de Gramado do ano passado

Em homenagem ao Dia da Mulher, destacamos o trabalho de algumas cineastas que, com sua sensibilidade, deixaram sua marca como artistas e, sobretudo, mulheres.

A luta continua… Viva as mulheres!

MULHERES POR TRÁS DAS CÂMERAS
(Uma pequena seleção com títulos disponíveis no acervo da 2001)

IDA LUPINO (1918–1995)

Cinzas que Queimam (1952)

AGNÈS VARDA

La Pointe-Courte (1955)
Cléo das 5 às 7 (1962)
Os Renegados (Sem Teto, Nem Lei) (1985)
O Mundo de Jacques Demy (1995)

LINA WERTMÜLLER

Amor e Anarquia (1973)      Por um Destino Insólito (1974)
Pasqualino Sete Belezas (1975)
Primeira indicação de uma mulher ao Oscar de melhor direção

LILIANA CAVANI

O Porteiro da Noite (1974)
O Retorno do Talentoso Ripley (2002)

AGNIESZKA HOLLAND
Filhos da Guerra (1991)
O Terceiro Milagre (1999)

MIRA NAIR

Salaam Bombay! (1988)
Nova York, Eu Te Amo (2009)
O Relutante Fundamentalista (2012)

MARY HARRON

Eu Atirei em Andy Warhol (1996)

NORA EPHRON (1941–2012)

Mensagem para Você (1998)
Julie & Julia (2009)

CATHERINE HARDWICKE
Crepúsculo (2008)

KATHRYN BIGELOW
O Peso da Água (2000)
Detroit em Rebelião (2017)

SOFIA COPPOLA

O Estranho Que Nós Amamos (2017)

PATTY JENKINS

Mulher-Maravilha (2017)

SUSANNE BIER

Serena (2014)

LIV ULLMANN

Miss Julie (2014)

JULIE TAYMOR
Across the Universe (2007)

REBECCA MILLER
O Tempo de cada um (2002)

NICOLE HOLOFCENER

Sentimento de Culpa (2010)

NICOLE GARCIA

Place Vendôme (1998)
Um Instante de Amor (2016)

ISABELLE MERGAULT

Enfim Viúva (2007)

CÉCILE TELERMAN

Algo Que Você Precisa Saber (2009)

JULIE LOPES-CURVAL

Diário Perdido (2009)

VALÉRIE DONZELLI

A Guerra Está Declarada (2011)

CÉLINE SCIAMMA

Garotas (2014)

RONIT ELKABETZ  (1964–2016)

O Julgamento de Viviane Amsalem (2014)

ASIA ARGENTO

Incompreendida (2014)

JUSTINE TRIET

Na Cama Com Victória (2016)

FRANCESCA COMENCINI

Histórias de Amor Que Não Pertencem a Este Mundo (2017)

HALLIE MEYERS-SHYER

De Volta para Casa (2017)

MARIA AUGUSTA RAMOS

Juízo (2008)

MARÍLIA ROCHA

A Falta Que Me Faz (2009)

LÚCIA MURAT
Em Três Atos (2011)
A Memória que me Contam (2012)

TATA AMARAL
Antonia – O Filme (2006)

SANDRA KOGUT

Campo Grande (2015)

MIRIAM CHNAIDERMAN

De Gravata e Unha Vermelha (2015)

UMA PROVA DA BAIXA REPRESENTATIVIDADE NUMÉRICA E RECONHECIMENTO DAS CINEASTAS É QUE APENAS CINCO MULHERES CONCORRERAM AO OSCAR DE MELHOR DIREÇÃO EM 90 ANOS DO PRÊMIO:

* Lina Wertmüller, por “Pasqualino Sete Belezas” em 1977

* Jane Campion, por “O Piano em 1994

* Sofia Coppola, por “Encontros e Desencontros” em 2004

Kathryn Bigelow, que conquistou o prêmio por “Guerra ao Terror” em 2009, sagrando-se a primeira (e até agora única) mulher a vencer o Oscar de melhor direção.

* E Greta Gerwig, por “”Lady Bird – A Hora de Voar” neste ano, tornando-se a quinta mulher a concorrer na categoria.

DIA MUNDIAL DO ROCK

Em 13 de julho de 1985 foi realizado, simultaneamente, em Londres e na Filadélfia, o Festival Live Aid. Desde então, a data ficou marcada como o dia oficial do rock, gênero musical que começou a mudar a cultura norte-americana a partir dos anos 1950 (Chuck Berry, Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Roy Orbison), conquistando o mundo nos 60 com a “invasão inglesa” (Beatles, Rolling Stones, The Who, Jimi Hendrix, Cream).

ANOS 30
BLUES / BLUEGRAS

ANOS 1940
RYTHM’N’ BLUES / COUNTRY & WESTERN

ANOS 1950
ROCK FOLK / ROCKABILLY / ROCK AND ROLL

ANOS 1960
SOUL / COUNTRY ROCK / PSICODÉLICO

ANOS 1970
SKA/ REGGAE / FUNK / GLITTER GLAM / HEAVY METAL / PROGRESSIVO

ANOS 1980
PUNK / NEW WAVE / TECNO-POP / ELETRÔNICO

Símbolo de rebeldia, o rock sempre foi um elemento de oposição à ordem vigente, confrontando e, muitas vezes, incorporando, padrões e estilos musicais. Logo identificado pelas novas gerações, que também buscavam romper com as tradições e costumes dos pais, o rock deu vazão às angústias, raiva e inconformismo dos jovens idealistas que sonhavam com um mundo melhor e menos conservador, principalmente no auge dos movimentos de protesto nos anos 1960.

Confira nossa pequena seleção com cinebiografias, apresentações e documentários que celebram (ou relembram) o espírito do bom e velho rock’n’roll…

HAIR

JOHNNY & JUNE

Reese Witherspoon recebeu o Oscar de melhor atriz por sua atuação como a cantora June Carter, mulher de Johnny Cash, no filme

NICK & NORAH – UMA NOITE DE AMOR E MÚSICA

ACONTECEU EM WOODSTOCK

BILL HALEY

Ao Balanço das Horas

ELVIS PRESLEY

Elvis on tour

JERRY LEE LEWIS

A Fera do Rock

THE BEATLES

Help!

Os Reis do IÊ, IÊ, IÊ

The Beatles – Yellow Submarine

Let it be – The Beatles

Across the Universe

Diretora aclamada na Broadway por musicais como “Cats” e “O Rei Leão”, Julie Taymor mostra todo o seu apuro visual em “Across the Universe”

JOHN LENNON

Como eu Ganhei a Guerra

THE ROLLING STONES

Gimme Shelter

THE WHO

Quadrophenia

Tommy

Amazing Journey: The Story Of The Who

PINK FLOYD

Pink Floyd – The Wall

THE DOORS

The Doors – Ed Comemorativa de 30 Anos

VELVET UNDERGROUND / LOU REED

Velvet Underground e Vinyl

DAVID BOWIE

O Homem que Caiu na Terra

Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída

Fome de Viver

THE SEX PISTOLS

Lixo e Fúria

SEXTA-FEIRA 13 COM TERROR E SUSPENSE NA 2001

PENNY DREADFUL – 2ª TEMPORADA

Em 2016, Eva Green (“O Lar das Crianças Peculiares“) recebeu uma merecida indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz (drama) por sua atuação na segunda temporada da série criada por John Logan. Mais do passado de sua personagem, Vanessa Ives, vem à tona em incríveis flashbacks, enquanto seus amigos – o explorador africano Sir Malcolm Murray (Timothy Dalton), o americano Ethan Chandler (Josh Hartnett) e o Dr. Victor Frankenstein (Harry Treadaway) – enfrentam novos perigos.

O HOMEM NAS TREVAS

Reverenciado pelo fãs de terror graças à refilmagem de “A Morte do Demônio“, o uruguaio Fede Alvarez assina a direção desta violenta produção de baixo orçamento que se tornou um dos sucessos-surpresa de 2016. Na trama, um trio de jovens contraventores encontra a oportunidade perfeita de fazer um assalto. Após descobrirem que uma mansão é habitada por um senhor cego (Stephen Lang, de “Avatar”), eles elaboram um plano para tentar invadir o local, mas o jogo muda. Encarcerados no local, eles precisam lutar por suas vidas contra um oponente inesperado.

EXTRAS: Comentários em áudio * Não tem como escapar * O Homem nas Trevas * Conheça o elenco * Criando a casa assustadora * Os sons do horror * Cenas excluídas * Trailers

QUANDO AS LUZES SE APAGAM

Inspirado em curta-metragem homônimo do diretor sueco David F. Sandberg, o filme parte da seguinte premissa: uma entidade maligna que surge em qualquer lugar que não tenha luz. É o que descobrem dois irmãos que lidam com uma criatura ligada ao passado de sua mãe. Agora, a vida de toda sua família e amigos corre perigo todas as vezes que as luzes se apagam… Nos extras do DVD, cenas deletadas.

INVOCAÇÃO DO MAL 2

7

Um dos maiores nomes do cinema de horror (“Jogos Mortais”, “Sobrenatural”) na atualidade, James Wan dirige e produz esta continuação do terror de 2013. Com 3,6 milhões de espectadores nos cinemas brasileiros, o filme traz de volta o carismático casal de investigadores paranormais em um novo caso, conhecido como o “Amityville britânico”, em 1977. A dupla desembarca em Enfield, na Inglaterra, chamada pela igreja para investigar incidentes paranormais supostamente ocorridos na residência de Peggy Hodgson (Frances O’Connor), que cria sozinha seus quatros filhos.

A MALDIÇÃO DA FLORESTA

Em uma remota floresta na Irlanda, Adam Hitchens tenta recomeçar a vida ao lado da esposa e do filho recém-nascido. No entanto, ao chegarem na casa nova, são alertados por um morador local para tomar cuidado com as terras sagradas. Premiado em festivais de cinema fantástico (Fangoria, Screamfest etc), o filme marca a estreia do videoartista Colin Hardy na direção de longa e mistura elementos de terror e suspense com folclore irlandês.

A COLINA ESCARLATE

7

Aclamado por “O Labirinto do Fauno”, o diretor e produtor Guillermo del Toro cria mais uma vez um universo exuberante, nesta produção gótica estrelada por Tom Hiddleston, Jessica Chastain e Mia Wasikowska. Na trama, uma escritora, apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe, muda-se para a sombria mansão dele no alto de uma colina. A propriedade tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo.

DARK COLLECTION – VOL.1

Dois cults de horror britânicos: “A Casa que Pingava Sangue” (1971), antologia com quatro episódios escritos por Robert Bloch (autor de “Psicose”), e “A Casa da Noite Eterna” (1973), influente “filme de casa assombrada” escrito por Richard Matheson (“Além da Imaginação”) e estrelado por Roddy McDowall e Pamela Franklin. No elenco do primeiro, destaque para a presença de dois ícones do gênero: Christopher Lee e Peter Cushing. Edição especial com dois discos e cards.

DARK COLLECTION – VOL.2

Duas bizarras interpretações de clássicos de horror por Paul Morrissey, ex-pupilo de Andy Warhol na célebre Factory. Em “Carne para Frankenstein” (1973), o Barão Frankenstein (Udo Kier) vive uma relação incestuosa com a própria irmã e inicia um experimento a partir de restos mortais. Já em “Sangue para Drácula” (1974), o conde precisa descobrir uma jovem virgem para beber de seu sangue. Ator-fetiche de Warhol, Joe Dallesandro estrela ambos os filmes. Edição especial com dois discos e cards.

HAMMER – A CASA DO TERROR

untitled-1

Com 4 discos, o box reúne a temporada completa, com 13 episódios, da série produzida pela Hammer em 1980. A tradicional produtora inglesa de filmes de horror empregou sua experiência no gênero em histórias macabras (e repletas de humor negro) com atores do porte de Peter Cushing, Denholm Eliot, Brian Cox, Pierce Brosnan e Jon Finch.

OS VAMPIROS DE SALEM – O RETORNO

6

A fim de sossego, um antropólogo leva o filho adolescente para sua cidade natal, Jerusalem’s Lot. Lá, descobre que a cidade está infestada de vampiros e tenta acabar com a ameaça, antes que eles se tornem os residentes definitivos de Salem. Dirigido pelo especialista em produções “B” Larry Cohen (“Nasce um Monstro“, “A Coisa”), o filme é uma continuação da minissérie “A Mansão Marsten” (1979), baseada em obra de Stephen King.

SERIAL KILLERS

0000000000

Coleção com 3 DVDs + 5 Cards e quase 3 horas de extras. São cinco filmes inéditos, a maioria cults e produções B para os fãs de terror e suspenses, todos sobre assassinos seriais. Quatro deles baseados em eventos verídicos. Há títulos perturbadores como “Confissões de um Necrófilo”, o aclamado “Henry – Retrato de um Assassino”, indicado ao Independent Spirit Awards, e o cult “Lua de Mel de Assassinos”, proibido em vários países. Nos extras, destaque para o inédito documentário “O Serial Killer – Henry Lee Lucas”.

BOA NOITE, MAMÃE

1111111111

Dirigido por Severin Fiala e Veronika Franz, o aclamado suspense austríaco estabelece desde o início a grande dúvida dos protagonistas. Numa propriedade isolada, os gêmeos Lukas e Elias (Lukas e Elias Schwartz) estranham a aparência da mãe (Susanne Wuest), que surge irreconhecível com o rosto coberto de ataduras, após uma cirurgia plástica. Repleta de elipses, a trama mantém o mistério em torno do que ocorreu com a mulher com o rosto coberto, paralelamente em que desenvolve um sádico jogo de poder entre ela e as crianças.

GAROTA SOMBRIA CAMINHA PELA MORTE

14

Um filme de vampiros diferente: uma coprodução entre EUA e Irã, com fotografia em preto e branco e diálogos em persa. Em Bad City, uma cidade iraniana abandonada, vivem diversos traficantes e prostitutas. Um reduto de depravação e falta de esperança, onde uma vampira mata seres solitários a fim de saciar sua sede de sangue. Indicado ao Independent Spirit Awards de melhor filme de estreia, fotografia e ao “Someone to Watch Award”.

RUA CLOVERFIELD, 10

00000

Dirigido pelo estreante Dan Trachtenberg, o filme é uma espécie de sequência temática de “Cloverfield – O Monstro”, também produzido por J.J. Abrams, diretor de “Star Wars – O Despertar da Força“. Os quatro primeiros minutos da trama estabelecem o clima intrigante que ronda Michelle (Mary Elizabeth Winstead), que sofre um terrível acidente de carro. Ao acordar, começa o pesadelo, com ela acorrentada sobre a cama em um abrigo subterrâneo.

AMERICAN HORROR STORY – HOTEL

001

A série criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk continua, com mais uma história diferente e Lady Gaga como “A Condessa”, papel que lhe rendeu um Globo de Ouro no início deste ano. As pistas de uma série de assassinatos levam até à sensual personagem da cantora, uma vil moradora do Hotel Cortez na região central de Los Angeles. Kathy Bates, Angela Bassett, Matt Bomer, Denis O’Hare e Sarah Paulson completam o elenco.

“1932: HISTÓRIAS DE UMA GUERRA” E MAIS DOCUMENTÁRIOS PARA O FERIADO DE 9 DE JULHO

DESDE 1997, O DIA 9 DE JULHO PASSOU A SER FERIADO CIVIL NO ESTADO DE SÃO PAULO. TRATA-SE DA CELEBRAÇÃO DA DATA MAGNA DO ESTADO, EM MEMÓRIA AO DIA EM QUE OS PAULISTAS PEGARAM EM ARMAS PARA LUTAR PELO REGIME DEMOCRÁTICO NO PAÍS, DEFLAGRANDO A REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932.

Sancionado pelo então governador Mário Covas, em 1997, o feriado de 9 de Julho no estado foi criado para lembrar os mais de 35 mil paulistas que lutaram, com pelo menos 890 mortos, nos combates que marcaram a Revolução de 1932. Motivados pela data comemorativa, selecionamos “1932: Histórias de uma Guerra” e outros documentários com pano de fundo político.

1932: HISTÓRIAS DE UMA GUERRA

3

Dirigido e produzido por Thiago Montelli, com pesquisa e apresentação dos historiadores André Cezaretto e Thiago Castro, o filme procura desconstruir as versões oficiais em torno da Revolução de 32, por meio de entrevistas com especialistas e veteranos de guerra. Os depoimentos ajudam a entender o porque de suas atitudes, revelando não só os acontecimentos, mas a memória do conflito ao longo dos últimos 80 anos. Edição repleta de extras.

O DIA QUE DUROU 21 ANOS

2

O documentário reconstitui, por meio de minuciosa pesquisa histórica, a influência do governo dos Estados Unidos no golpe de Estado que eclodiu no Brasil em 1964. Com documentos secretos e gravações originais da época – incluindo áudios inéditos da Casa Branca, o filme mostra como os presidentes John F. Kennedy e Lyndon Johnson organizaram-se para tirar o presidente João Goulart do poder.

Um dos documentários mais vendidos da história da 2001.

CINEMATECA SYLVIO BACK – VOL.2

6

Com 3 DVDs, a coleção traz seis filmes de Sylvio Back, um dos maiores diretores do cinema brasileiro contemporâneo. Uma seleção especial que inclui longas de ficção e os documentários “República Guarani” (1978), “Revolução de 30” (1980) – filme-colagem sobre o movimento tenentista -, “O Contestado – Restos Mortais” (2010) e “O Universo Graciliano” (2014).

HÉRCULES 56

30

Em 1969, em plena ditadura no Brasil, duas organizações revolucionárias raptaram o embaixador americano Charles Elbrick e exigiram a libertação de quinze presos políticos, levados ao México no avião Hércules, prefixo 56. Neste documentário, os nove remanescentes do grupo e cinco membros da organização responsáveis pelo sequestro discutem as causas e consequências da luta armada contra o regime militar. Exibido no festival É Tudo Verdade em 2007.

CONTERRÂNEOS VELHOS DE GUERRA

32

Com a estreia do longa de ficção “O Outro Lado do Paraíso” (de André Ristum) nos cinemas, vale a pena conhecer este premiado documentário de Vladimir Carvalho. “Conterrâneos…” acompanha as histórias de luta de diversos trabalhadores que migraram para Brasília em 1959, a fim de trabalhar na construção da futura capital brasileira. Premiado pela APCA e vencedor do prêmio especial do júri do Festival de Gramado.

UM SONHO INTENSO

4

Dirigido por José Mariani, o documentário analisa o processo histórico, social e econômico do Brasil dos anos 1930 anos até os dias de hoje. Um painel inteligente e surpreendente do processo de desenvolvimento do país visto pelo olhar crítico de economistas, sociólogos e historiadores. Depoimentos de nomes como Celso Amorim, Francisco de Oliveira, José Murilo de Carvalho, entre outros.

SARTRE NO CINEMA

9

Além da minissérie “Sartre: A Era das Paixões”, este DVD duplo apresenta “Sartre por ele mesmo” (1976), documentário com mais de três horas em que o escritor e filósofo fala de sua obra e de suas ideias. Um depoimento autobiográfico em que Sartre fala sobre suas experiências pessoais, refletindo também sobre o universo político que o cerca.

CORAÇÕES E MENTES

7

Dirigido por Peter Davis, o filme é considerado um dos melhores documentários de todos os tempos. A partir de extenso material de arquivo, Davis mostra com olhar crítico o confronto dos Estados Unidos no Vietnã, e os efeitos desastrosos de uma guerra. Vencedor do Oscar de melhor documentário em 1975, “Corações e Mentes” pode ser conferido em versão remasterizada com mais de duas horas de extras, além de livreto especial de 48 páginas.

O FASCISMO DE TODOS OS DIAS

10

Intercalando imagens de 1965 e material capturado do arquivo do Ministério de Propaganda do III Reich – da coleção pessoal de Hitler e de fotografias apreendidas de soldados alemães da SS -, o cineasta russo Mikhail Romm desenvolve uma reflexão sobre a natureza do fascismo, enquanto reconstrói a trajetória de sua ascensão e queda.

ADEUS, CAMARADAS! 

22

Minissérie do canal francês ARTE sobre o apogeu e a queda da União Soviética e do bloco comunista, entre os anos de 1975 e 1991. Versão integral em DVD duplo com mais de cinco horas de duração, alternando entrevistas, músicas e imagens raras de arquivo. E a direção é do renomado documentarista russo Andrei Nekrasov, que foi assistente do mestre Andrei Tarkovski em “O Sacrifício“.

CONTAGEM REGRESSIVA PARA ROMANCE NA 2001

6

CONFIRA A SEGUIR 20 SUGESTÕES PARA O DIA DOS NAMORADOS:

A FORÇA DO DESTINO

Um dos clássicos românticos do imaginário pop dos anos 1980, o filme consolidou Richard Gere como astro, marcando época também com a canção vencedora do Oscar “Up Where We Belong”, dueto de Joe Cocker e Jennifer Warnes. Gere recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro de melhor ator, pelo papel do solitário Zack, que ingressa na Escola de Aspirantes da Marinha americana para sofrer o pão que o diabo amassou. E se apaixonar por Paula (Debra Winger), uma jovem operária. Em DVD e Blu-ray na 2001.

SIMPLESMENTE AMOR

k

Comédia romântica obrigatória para os apaixonados, o filme escrito e dirigido por Richard Curtis (do recente “Questão de Tempo”) reúne 19 personagens em histórias interligadas com muita emoção, paixão e bom humor. Entre idas e vindas, um incrível elenco formado por, entre outros, Liam Neeson, Emma Thompson, Bill Nighy, Colin Firth e Keira Knightley. Outro destaque é a encantadora trilha sonora de Craig Armstrong. Edição Especial de 10 Anos da produção.

ENSINA-ME O AMOR

111111111111

Inédito nos cinemas brasileiros, o filme traz Pierce Brosnan no papel de Richard Haig, professor de poesia em Cambridge que encontra sua alma gêmea (Salma Hayek), mas acaba se envolvendo com a irmã dela, a universitária Kate (Jessica Alba). Comédia romântica do mesmo diretor de “Jogo de Amor em Las Vegas”, com a participação de Malcolm McDowell (o eterno Alex de “Laranja Mecânica”).

SERÁ QUE?

0000

O eterno Harry Potter Daniel Radcliffe dá vida a um jovem inglês que abandonou a faculdade e ainda sofre com o rompimento de seu namoro quando conhece Chantry (Zoe Kazan, de “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita”) numa festa e se apaixona. Contudo, ela já tem namorado e logo os dois se tornam “melhores amigos”. No elenco, destaque para Adam Driver, da série “Girls” e “Star Wars – O Despertar da Força ”.

ADEUS, PRIMEIRO AMOR

10

Fortemente autobiográfico, o terceiro filme da jovem cineasta Mia Hansen-Løve (de “O Pai dos Meus Filhos”, ainda inédito em DVD, e “Eden”) acompanha o rito de passagem de uma adolescente (Lola Créton) em busca de um sentido para a vida sem o namorado, que a deixa rumo à América do Sul. Em seguida à dor, vem o processo de autoconhecimento da personagem, que começa a se dedicar mais aos estudos e a conhecer pessoas diferentes.

AMOR À PRIMEIRA BRIGA

22

Primeira produção a conquistar os três principais prêmios da Quinzena dos Realizadores — Prix Europa Label Cinema, Art Cinema Award e Prix SACD — do Festival de Cannes. Um drama sobre os anseios e a revolta da geração de vinte e poucos anos a partir do romance inesperado entre a agressiva Madeleine (Adèle) e o tranquilo Arnaud (Azaïs). Vencedor do César (o Oscar francês) nas categorias de melhor filme, atriz (Adèle Haenel) e revelação masculina (Kevin Azaïs).

LOUCAMENTE APAIXONADOS

251

Uma estudante inglesa (Felicity Jones, indicada ao Oscar por “A Teoria de Tudo”) se apaixona perdidamente por um colega de classe (Anton Yelchin, de “Star Trek”) nos EUA e permanece no país após seu visto expirar. Tudo parecia perfeito nessa delicada história de amor até surgir a burocracia dos vistos de imigração, separando o casal de apaixonados, pois Ana só deixa os EUA depois do término de seu visto de estudante, o que a impede de retornar ao país. Amar nunca foi tão difícil quanto entrar na terra do Tio Sam ilegalmente.

ENCONTRO MARCADO

5to7

Elogiado pela crítica americana, o filme é uma típica produção “indie”, em torno de um caso extraconjugal em Nova York. Na trama, um escritor aspirante (Anton Yelchin, de novo ele) conhece a bela esposa de um diplomata francês (Lambert Wilson), dando início a um romance às escondidas, encontrando-se sempre das “5 às 7” (título original do longa). Glenn Close e Frank Langella interpretam os pais do protagonista.

CINQUENTA TONS DE CINZA

111

Dirigido pela inglesa Sam Taylor-Johnson (de “O Garoto de Liverpool”), o filme é uma das produções mais comentadas (e polêmicas) dos últimos anos, incorporando obsessão sexual e sadomasoquismo ao tradicional romance hollywoodiano. Esse apimentado romance levou mais de 6 milhões de espectadores aos cinemas brasileiros e está disponível em DVD e Blu-ray, com cenas inéditas cortadas da edição final.

ANTES DA MEIA-NOITE

13

Criado por Richard Linklater a partir de uma experiência pessoal, “Antes do Amanhecer” (1995) conquistou o público com o encontro entre um americano (Ethan Hawke) e uma francesa (Julie Delpy) na Europa. Nove anos depois, os dois se reencontraram em Paris na sequência “Antes do Pôr-do-Sol” e, em “Antes da Meia-Noite” (indicado ao Oscar em 2014), Jesse e Celine agora vivem juntos, com filhos a tiracolo – e mais conscientes de suas escolhas.

SOB O SOL DA TOSCANA

00000000000000

Diane Lane concorreu ao Globo de Ouro de melhor atriz cômica em 2004 pelo papel de Frances Mayes, escritora que leva uma vida feliz em San Francisco até se divorciar do marido. Triste e deprimida, ela decide dar uma virada na vida comprando uma chácara na Toscana. Uma diversão irresistível – e um dos longas românticos mais vendidos da história da 2001. Nos extras do DVD, cenas inéditas e comentários da diretora Audrey Wells.

PARA SEMPRE

22

Em alta junto ao público feminino graças a suas participações em “Querido John” e “Magic Mike” (em que relembra seu passado como stripper), Channing Tatum interpreta um homem que precisa reacender o romance com Paige, sua esposa desmemoriada (Rachel McAdams), em “Para Sempre”. Em coma após grave acidente de carro, ela desperta e não se lembra, por exemplo, de seu marido, que fará de tudo para reconquistar seu grande amor. Imagine ter de conquistar (de novo) seu grande amor?

NAMORO OU LIBERDADE

20

Veículo para Zac Efron, a comédia romântica traz o astro no papel de Jason, solteirão incorrigível que faz um pacto com seus amigos Daniel (Miles Teller, do sucesso “Whiplash”) e Mikey (Michael B. Jordan, de “Fruitvale Station”): pegar o maior número de mulheres e jamais ter um relacionamento sério. Mas Jason cai de amores pela bela Ellie (Imogen Poots), enquanto Daniel começa a sentir algo mais pela melhor amiga.

O MELHOR DE MIM

3

Mais uma adaptação da obra de Nicholas Sparks (“Querido John“, “Um Homem de Sorte“), o longa, ambientado em dois tempos, mostra o reencontro de Amanda (Michelle Monaghan, de “O Melhor Amigo da Noiva”) e Dawson (James Marsden, da franquia “X-Men“), 20 anos depois de uma tragédia os separarem. E o fazem depois da morte de um amigo em comum, que deixou em testamento razões para a reunião.

ELSA & FRED

5

Versão hollywoodiana da produção hispano-argentina, com Shirley MacLaine e Christopher Plummer nos papéis principais e direção do britânico Michael Radford, de “O Carteiro e o Poeta” e “O Mercador de Veneza”. A história é a mesma, só que ambientada em New Orleans: Elsa há anos sonha em reviver a célebre cena de Anita Ekberg na Fontana di Trevi e começa um romance com o desanimado Fred.

RUTH & ALEX

7

Dirigido por Richard Loncraine, o filme é uma “dramédia” sobre a busca por melhores oportunidades na “melhor idade”, assim como um retrato sensível da relação de um casal de idosos – no presente e em flashbacks. Em Nova York, Ruth (Diane Keaton) e Alex (Morgan Freeman), juntos há décadas, decidem vender o apartamento onde sempre viveram no Brooklyn e ir para outro lugar, a fim de expandir seus horizontes.

STANLEY & IRIS

10

Empregado de uma padaria, Stanley Cox (Robert De Niro) faz de tudo para esconder que é analfabeto, até conhecer Iris King (Jane Fonda), uma viúva que luta para cuidar dos dois filhos. Juntos, os dois encontram coragem para enfrentar suas dificuldades e até se apaixonar. Último filme da carreira do diretor Martin Ritt (1914–1990) e um drama romântico maduro que merece ser descoberto pelo fãs da dupla de atores.

JOHN & MARY

001

À frente de seu tempo, este cult de Peter Yates, lançado originalmente em 1969, traz Dustin Hoffman e Mia Farrow – indicados ao Globo de Ouro – como dois estranhos à procura de um relacionamento significativo em Nova York. Eles se conhecem em um bar e passam a noite juntos, sem saber o nome um do outro. Na manhã seguinte, discutem e tentam se conhecer melhor, analisando suas próprias vidas.

A FILHA DE RYAN

0001

Incompreendido na época de seu lançamento, este drama romântico mantém a escala épica de David Lean: belíssima fotografia (premiada com, o Oscar), música de Maurice Jarre, trama com contexto histórico e grandes atuações (John Mills venceu a estatueta de coadjuvante), Escrito por Robert Bolt, o roteiro acompanha o triângulo amoroso formado por Rose, seu marido Charles e um soldado do exército inglês na Irlanda.

O PACIENTE INGLÊS

001

Adaptado do romance homônimo de Michael Ondaatje, este épico à moda antiga foi o grande vencedor do Oscar em 1997, levando nove estatuetas – incluindo melhor filme, direção (Anthony Minghella) e atriz coadjuvante (Juliette Binoche). Durante a Segunda Guerra, um homem misterioso (Ralph Fiennes) é resgatado de um terrível acidente de avião. Enquanto o mistério de sua identidade é lentamente revelado, tem início uma incrível história de paixão, intriga e aventura.

ESTOQUES LIMITADOS

PRESENTE PARA O DIA DAS MÃES – E COM BRINDE – É NA 2001

1.jpeg (1)
Para o DIA DAS MÃES, confira as sugestões de nossa equipe para presentear aquela que nos criou, tornando-se desde cedo a personagem principal da nossa história.

Bons filmes, com muito amor,
da Equipe 2001

WOODY ALLEN – UM DOCUMENTÁRIO

1111111111111111

O escritor, diretor, ator, comediante e músico nova-iorquino permitiu que sua vida e processo criativo fossem registrados neste DVD com mais de três horas de duração. Com acesso sem precedentes, Robert B. Weide, um dos diretores da série “Curb Your Enthusiasm”, seguiu seu biografado por mais de um ano e meio, revelando, em imagens e depoimentos surpreendentes, a intimidade do criador do neurótico mais famoso do cinema.

PEQUENO DICIONÁRIO AMOROSO 2

22222222222

Quase 20 anos depois da estreia de “Pequeno Dicionário Amoroso”, a diretora Sandra Werneck retoma os personagens de Gabriel (Daniel Dantas) e Luiza (Andréa Beltrão). Separados há quinze anos, os dois se reencontram: Luíza casou-se novamente e teve um filho, enquanto Gabriel teve várias namoradas e hoje vive com uma mulher mais jovem. Glória Pires, Fernanda Vasconcellos e Eduardo Moscovis completam o elenco.

ENSINA-ME O AMOR

111111111111

Inédito nos cinemas brasileiros, o filme traz Pierce Brosnan no papel de Richard Haig, professor de poesia em Cambridge que encontra sua alma gêmea (Salma Hayek), mas acaba se envolvendo com a irmã dela, a universitária Kate (Jessica Alba). Comédia romântica do mesmo diretor de “Jogo de Amor em Las Vegas”, com a participação de Malcolm McDowell (o eterno Alex de “Laranja Mecânica”).

SOB O SOL DA TOSCANA

00000000000000

Diane Lane concorreu ao Globo de Ouro de melhor atriz cômica em 2004 pelo papel de Frances Mayes, escritora que leva uma vida feliz em San Francisco até se divorciar do marido. Triste e deprimida, ela decide dar uma virada na vida comprando uma chácara na Toscana. Uma diversão irresistível – e um dos longas românticos mais vendidos da história da 2001. Nos extras do DVD, cenas inéditas e comentários da diretora Audrey Wells.

AMOR AO PRIMEIRO FILHO

00100

Divertida comédia francesa com Patrick Bruel (de “Paris-Manhattan”), que interpreta Ange Pagani, um arquiteto bem sucedido e mulherengo que recebe a visita inesperada de Gabrielle (Isabelle Carré, de “Românticos Anônimos”). Ela alega que o filho dele teria engravidado a sua filha. O problema é que Ange não tem um filho, e Gabrielle continua infernizando sua vida, até que os dois se apaixonam.

ELSA E FRED

5

Versão hollywoodiana da produção hispano-argentina, com Shirley MacLaine e Christopher Plummer nos papéis principais e direção do britânico Michael Radford, de “O Carteiro e o Poeta” e “O Mercador de Veneza”. A história é a mesma, só que ambientada em New Orleans: Elsa há anos sonha em reviver a célebre cena de Anita Ekberg na Fontana di Trevi e começa um romance com o desanimado Fred.

RUTH & ALEX

7

Dirigido por Richard Loncraine, o filme é uma “dramédia” sobre a busca por melhores oportunidades na “melhor idade”, assim como um retrato sensível da relação de um casal de idosos – no presente e em flashbacks. Em Nova York, Ruth (Diane Keaton) e Alex (Morgan Freeman), juntos há décadas, decidem vender o apartamento onde sempre viveram no Brooklyn e ir para outro lugar, a fim de expandir seus horizontes.

EM ALGUM LUGAR DO PASSADO

0003

Um dos filmes românticos mais queridos dos anos 80, sobre um homem que viaja no tempo por meio da auto-hipnose para encontrar a mulher de sua vida. Em 1972, na noite de estréia de sua primeira peça, um jovem escritor (Christopher Reeve) fica intrigado com uma misteriosa mulher e descobre que ela foi uma famosa atriz de teatro, Elise McKenna (Jane Seymour), no início do século XX. Indicado ao Oscar de melhor figurino.

UM CONTO DO DESTINO

4

Estreia na direção de longa do roteirista Akiva Goldsman, premiado com o Oscar por “Uma Mente Brilhante”, o filme traz no elenco Colin Farrell, Russell Crowe, William Hurt, Jennifer Connelly e Will Smith numa história de amor pontuada por milagres e destinos cruzados. E a bela direção de fotografia é assinada por Caleb Deschanel, um mestre da luz cinco vezes indicado ao Oscar. Em DVD e Blu-ray na 2001.

A FILHA DE RYAN

0001

Incompreendido na época de seu lançamento, este drama romântico mantém a escala épica de David Lean: belíssima fotografia (premiada com, o Oscar), música de Maurice Jarre, trama com contexto histórico e grandes atuações (John Mills venceu a estatueta de coadjuvante), Escrito por Robert Bolt, o roteiro acompanha o triângulo amoroso formado por Rose, seu marido Charles e um soldado do exército inglês na Irlanda.

O PACIENTE INGLÊS

001

Adaptado do romance homônimo de Michael Ondaatje, este épico à moda antiga foi o grande vencedor do Oscar em 1997, levando nove estatuetas – incluindo melhor filme, direção (Anthony Minghella) e atriz coadjuvante (Juliette Binoche). Durante a Segunda Guerra, um homem misterioso (Ralph Fiennes) é resgatado de um terrível acidente de avião. Enquanto o mistério de sua identidade é lentamente revelado, tem início uma incrível história de paixão, intriga e aventura.

PARA SEMPRE

22

Em alta junto ao público feminino graças a suas participações em “Querido John” e “Magic Mike” (em que relembra seu passado como stripper), Channing Tatum interpreta um homem que precisa reacender o romance com Paige, sua esposa desmemoriada (Rachel McAdams), em “Para Sempre”. Em coma após grave acidente de carro, ela desperta e não se lembra, por exemplo, de seu marido, que fará de tudo para reconquistar seu grande amor.

O MELHOR DE MIM

3

Mais uma adaptação da obra de Nicholas Sparks (“Querido John“, “Um Homem de Sorte“), o longa, ambientado em dois tempos, mostra o reencontro de Amanda (Michelle Monaghan, de “O Melhor Amigo da Noiva”) e Dawson (James Marsden, da franquia “X-Men“), 20 anos depois de uma tragédia os separarem. E o fazem depois da morte de um amigo em comum, que deixou em testamento razões para a reunião.

TRÊS MÃES INSPIRADORAS DO CINEMA

Por Adriana de Castro

Algumas mães do cinema são especialmente inspiradoras para nós. Uma delas é a personagem de Sandra Bullock em “Um Sonho Possível”. Leigh Anne Tuohy é milionária e tem uma família, considerada perfeita para muitos: um marido bem-sucedido, uma carreira de sucesso e um casal de filhos. Quando você assiste ao filme, você entende porque ela tem essa vida “perfeita”. Em famílias bem estruturadas, há sempre uma líder por trás, atenta ao que é melhor para todos. Leigh Anne realmente se conecta com os filhos e é impressionante como está aberta a aumentar sua família da forma mais inesperada! A protagonista não vive no mundo ideal, e sim, no real, onde as coisas vão se modificando de acordo com as circunstâncias.

"Um Sonho Possível"

“Um Sonho Possível” valeu a Sandra Bullock o Oscar de melhor atriz em 2010

Acompanhando essa história verídica, a gente percebe como a chegada de um filho, mesmo adulto e adotado, como no caso, muda para melhor a vida das pessoas. Uma das minhas cenas preferidas é quando Leigh Anne pede ao marido para entrar num restaurante, enquanto ela vai dar “uma passadinha rápida” numa livraria, que fica em frente, para comprar umas revistas e todos os filhos vão atrás dela… tão “mãe” essa cena…

É um filme emocionante e as imagens finais com as fotos da família “real”, tocam ainda mais o coração.

E como não citar numa lista de mães bacanas da telona, aquela do desenho animado “Os Incríveis”!?! Qual mãe não se reconhece no papel de super-heroína, multitarefas da família? Helen cuida com a maior dedicação e carinho dos três filhos (uma adolescente, um menino e um bebê), dá atenção ao marido, à casa e ainda tem vilões para enfrentar. Mãe atual na mais pura essência da palavra.

2

“Os Incríveis” (2004), vencedor do Oscar de melhor animação e edição de som

Para terminar essa lista com três indicações de filmes para o mês de maio quero lembrar também da mãe da Wendy do filme “Peter Pan“. Quando vê os filhos fascinados pelas histórias de pirata, a carinhosa e presente Sra. Darling lembra que o pai deles é muito especial e ama a todos. Sim, porque mãe é assim, sempre valorizando a contribuição de cada um da família. Isso me lembra mais uma cena de “Um Sonho Possível”: o filho de uma viciada em drogas, negro e estigmatizado, que, ao receber o apoio e a atenção da nova mãe, acaba mudando a vida de todos. É esse o nosso desafio como mãe, estamos aqui para ouvi-los e perceber o que podemos fazer para ajudá-los a atingir os seus sonhos. Percorrer esse caminho com eles, é o melhor da nossa vida.

E NA VIDA REAL…

Pode ser que exista uma idade ideal para ser mãe. Mas na vida a gente acaba sendo mãe, não no momento ideal, mas na hora certa, na hora real. No meu caso engravidei depois dos 40 e só tenho a agradecer, porque sei que para mim foi a hora certa.

Esse é o verdadeiro sentido da maternidade: não importa como ela chega à nossa vida, com qual idade, condição financeira ou época. O que importa é a maneira como a gente aproveita esse momento mágico. Ter os nossos filhos por perto é um dos maiores privilégios da vida.

Adriana de Castro com com os filhos Antonio, 6 anos, e Davi, 4 anos. Crédito: Agência Vogue

Adriana de Castro com com os filhos Antonio, 6 anos, e Davi, 4. Crédito: Agência Vogue

Assim que me tornei mãe, o meu foco, tanto profissional quanto pessoal, mudou totalmente. Na verdade, na minha vida tudo foi acontecendo de forma natural e gradual. Desde sempre queria ser mãe e fui me preparando para isso, muitas vezes de forma inconsciente.

Depois que tive os meus filhos, hoje com quatro e seis anos, percebi que muitas mulheres se sentiam aliviadas quando eu contava a idade que tinha quando engravidei. Por isso, resolvi escrever o Blog “Ser Mãe Depois dos 40”.  Afinal, se aconteceu comigo, acredito que pode acontecer com outras mulheres também.

1111111111111

Crédito: Agência Vogue

 

 

Além de cinéfila, ADRIANA DE CASTRO é também jornalista. Cliente da 2001 há mais de 10 anos, já apresentou alguns dos principais telejornais do País, trabalhou na Record, SBT e Sportv. Hoje, mudou o foco da carreira, dedicando-se ao programa “A Inteligência Feminina na Web” e ao blog www.sermaedepoisdos40.com.br.

“SIMONE DE BEAUVOIR E O FEMINISMO”, PARA ENTENDER OS DESAFIOS DA MULHER, ONTEM E HOJE

1

“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher”.  Simone de Beauvoir (1908-1986)

QUASE 30 ANOS APÓS SUA MORTE, EM 14 DE ABRIL DE 1986, A FAMOSA ESCRITORA E FILÓSOFA EXISTENCIALISTA CONTINUA MAIS ATUAL DO QUE NUNCA. UM DOS NOMES MAIS INFLUENTES DO FEMINISMO MODERNO, SIMONE DE BEAUVOIR É RELEMBRADA EM TRÊS DOCUMENTÁRIOS REUNIDOS EM DVD.

Entender sua obra, que compreende leituras fundamentais como “O Segundo Sexo”, é refletir sobre a condição feminina; enfim, sobre o que é ser mulher. Segundo Beauvoir, a mulher “deve escolher entre a afirmação de sua transcendência e sua alienação como objeto”.

Simone de Beauvoir e o Feminismo 3D

SIMONE DE BEAUVOIR E O FEMINISMO 

Recém-lançado pela Versátil, O DVD traz três documentários inéditos com raras entrevistas com a filósofa, escritora e ativista política francesa.

UMA MULHER ATUAL (Une femme actuelle, 2007, 52 min.)
De Dominique Gros.

2

Fascinante panorama da vida e da obra dessa pensadora essencial de nosso tempo em suas mais diversas facetas: o existencialismo, a relação com Jean-Paul Sartre, o ativismo político, o feminismo, os romances e a análise sociológica.

PORQUE SOU FEMINISTA (Pourquoi je suis feministe, 1975, 50 min.)
De Jean-Louis Servan-Schreiber.

Jean-Louis Servan-Schreiber entrevista Simone de Beauvoir para o programa “Questionnaire”. A pensadora francesa discorre sobre as ideias contidas em sua obra “O Segundo Sexo” (1949), um marco teórico do feminismo no século XX.

4

SIMONE DE BEAUVOIR FALA (Émission Premier Plan, 1959, 40 min.)
De Wilfrid Lemoine.

Nessa rara entrevista filmada em Paris pela Radio-Canada, que censurou sua difusão por pressão do arcebispo de Montreal, Simone de Beauvoir fala sobre existencialismo, religião, casamento, amor livre, entre outros temas.

E VEJA TAMBÉM:

Sartre-no-Cinema-3D-718x1024

SARTRE NO CINEMA

Simone de Beauvoir é interpretada por Anne Alvaro na ótima minissérie “Sartre: a Era das Paixões” (2006), que reconstitui a vida e o engajamento político de Jean-Paul Sartre, assim como seu relacionamento com a filósofa, de 1958 a 1964. O DVD duplo ainda traz “Sartre por ele mesmo” (1976), documentário com mais de três horas em que o próprio Sartre fala de sua obra e de suas ideias.

DISCO 1:

SARTRE: A ERA DAS PAIXÕES (“Sartre: l’agê des passions”, 2006, 165 min.)
De Claude Goretta. Com Denis Podalydès e Anne Alvaro.

01

Com direção do renomado cineasta Claude Goretta, do sensível “Um Amor Tão Frágil” (1977), a minissérie reconstitui a atuação de Sartre entre os anos de 1958 e 1964. Acompanhamos seus debates filosóficos, teatrais, literários e políticos, incluindo seu apaixonado ativismo contra a Guerra da Argélia e sua atuação na célebre revista “Os Tempos Modernos”.

DISCO 2:

SARTRE POR ELE MESMO (“Sartre par lui-memê”, 1976, 187 min.)
De Alexandre Astruc. Com Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir e François Périer.

02

O próprio Sartre aceita abrir-se para as câmeras e falar sobre sua vida e filosofia. Um depoimento autobiográfico em que o filósofo fala sobre suas experiências pessoais, refletindo também sobre o universo político que o cerca. Direção do influente crítico de cinema Alexandre Astruc (“Sombras de um Adultério”, “Uma Vida”), um dos teóricos da Nouvelle Vague.

LANÇAMENTOS DE SUSPENSE E TERROR PARA O HALLOWEEN

00

NAS TELAS, O DIA DAS BRUXAS (31/10), MAIS CONHECIDO COMO HALLOWEEN, É SINÔNIMO DE FANTASMAS, MONSTROS, VAMPIROS E OUTRAS FONTES DE MEDO DO IDEÁRIO POPULAR. NESTA DATA ESPECIAL, SELECIONAMOS ALGUNS TÍTULOS LANÇADOS NO MERCADO DE HOME VÍDEO EM 2015, ENTRE FILMES E SÉRIES DE TV, COM UMA BOA DOSE DE SUSTOS PARA OS FÃS DE SUSPENSE E TERROR.

Bom Halloween!
Equipe 2001

A CASA DOS MORTOS

casadosmortos_3-750x380

Produzido por James Wan, a cabeça por trás das franquias “Jogos Mortais” e “Sobrenatural” (além de dirigir “Invocação do Mal”). Após massacre em que estudantes foram brutalmente assassinados, um detetive (Frank Grillo) e uma psicóloga (Maria Bello) interrogam o único sobrevivente aparente, que insiste que seus amigos foram mortos por uma força sobrenatural, intrigando as autoridades.

RENASCIDA DO INFERNO

021

Na trama, um grupo de estudantes de medicina mata uma colega (Olivia Wilde, da série “House”) acidentalmente. Os jovens conseguem trazê-la de volta à vida, mas acabam despertando uma força maligna. Ao mesmo tempo em que tenta se proteger do perigo, o grupo também precisa impedir que a mulher saia do hospital e mate inocentes. Dos mesmos produtores da franquia “Atividade Paranormal”.

THE STRAIN – 1ª TEMPORADA

02

Adaptação da série literária “Trilogia da Escuridão” escrita pelo romancista Chuck Hogan e por Guillermo del Toro (também diretor de 2 episódios da série), em torno de um vírus que transforma as pessoas em vampiros sanguinários. O Dr. Ephraim (Corey Stoll, de “House of Cards”), chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, é quem investiga o caso de uma epidemia viral.

POLTERGEIST – O FENÔMENO (2015)

023

Sucesso no Brasil, com cerca de 1 milhão de espectadores, o filme é uma refilmagem do terror homônimo lançado em 1982. No novo enredo, a família Bowen acaba de se mudar para outra casa. O pai (Sam Rockwell), a mãe (Rosemarie DeWitt) e os dois filhos parecem se adaptar bem ao novo lar, até perceberem estranhas manifestações no local. Do mesmo diretor da animação “A Casa Monstro”.

RIPPER STREET – 1ª TEMPORADA 

024

Criada por Richard Warlow, um dos roteiristas de “Waking Dead”, esta elogiada série britânica concorreu ao prêmio Bafta em 2013. Na trama, o Inspetor Edmund Reid (Matthew Macfadyen, de “Orgulho e Preconceito”) dirige o distrito policial mais difícil do East End londrino, onde paira o medo de mais crimes cometidos por Jack, o Estripador.

PENNY DREADFUL – 1ª TEMPORADA

07

Criada pelo dramaturgo e roteirista John Logan (“Gladiador”), a série incorpora personagens lendários da literatura gótica numa saga com forte carga erótica e enredo inquietante. Na Inglaterra vitoriana, Sir Malcolm Murray (Timothy Dalton), a médium Vanessa Ives (Eva Green) e um caubói americano (Josh Hartnett) juntam forças em uma perigosa missão.

UMA NOITE DE CRIME – ANARQUIA

025

Continuação do thriller ultraviolento “Uma Noite de Anarquia”, sucesso no Brasil, com novos personagens e atores. Agora, um jovem casal dirige a caminho de casa, quando seu carro quebra e os deixa a pé, em plena noite do Expurgo. Sem ter para onde ir e sem ninguém para ajudá-los, eles se tornam o alvo de uma gangue de motoqueiros e terão que lutar para sobreviver às próximas doze horas.

OUIJA – O JOGO DOS ESPÍRITOS

027

Com mais de meio milhão de espectadores nos cinemas brasileiros, “Ouija” é baseado na lenda de tabuleiro americano com poderes sobrenaturais. Aqui, a jovem Debbie resolve usar o tabuleiro sozinha e acaba assassinada por algo sobrenatural. Sua morte é considerada suicídio, mas sua amiga de infância Laine (Olivia Cooke, da série “Bates Motel”) suspeita da versão oficial e passa a investigar o caso.

VAMPIROS NO CINEMA

vampiros_no-cinema

O DVD duplo reúne quatro clássicos de vampiro, todos em versões restauradas: “Nosferatu”, obra-prima de F.W.Murnau, “Cronos”, cultuada estreia de Guillermo Del Toro na direção, “Quando Chega a Escuridão”, dirigido por Kathryn Bigelow (de “Guerra ao Terror”), e “A Noite dos Demônios”, adaptação do conto que deu origem ao episódio “O Wurdalak” (de “As Três Máscaras do Terror”, de Mario Bava), além de mais de duas horas de extras.

OS VAMPIROS DE SALÉM

028

Dirigida pelo especialista Tobe Hooper (de “O Massacre da Serra Elétrica”), a minissérie é baseada em “A Hora do Vampiro” (1975), o segundo romance de Stephen King. Quando menino, Ben Mears ficou traumatizado com os horrores escondidos na mansão Marsten, localizada em sua cidade natal, Salem’s Lot. Agora adulto e escritor, Ben resolve voltar à cidade para escrever um livro sobre a mansão, a fim de superar seus antigos medos.

OBRAS-PRIMAS DO TERROR 3

000000000

Box com seis clássicos inéditos em versões restauradas: “Banho de Sangue”, longa de Mario Bava precursor do cinema “slasher”; “A Inocente Face do Terror”, terror psicológico dirigido por Robert Mulligan; “Os Meninos”, aclamado horror espanhol de Narciso Ibañez Serrador; “Carnaval de Almas”, lendário filme B americano; “Magia Negra”, thriller psicológico estrelado por Anthony Hopkins; e “Farsa Trágica”, com Vincent Price, Peter Lorre e Boris Karloff.

GIALLO

tenebrae_1351656491_crop_550x297

Coleção com clássicos inéditos dirigidos por mestres do tradicional gênero italiano: “Seis Mulheres para o Assassino”, também de Mario Bava, “Tenebre”, um dos grandes trabalhos de Dario Argento (“Suspiria”), “O Estranho Vício da Sra. Wardh”, dirigido por Sergio Martino (“Torso”), e “O Segredo do Bosque dos Sonhos”, violento giallo de Lucio Fulci com a atriz brasileira Florinda Bolkan (de “Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita”).

PHENOMENA

0000

Inédito em DVD no Brasil, o filme de Dario Argento (“Suspiria”) conta com Jennifer Connelly (“Uma Mente Brilhante”) e Donald Pleasence (“Halloween”) no elenco. Na trama, uma adolescente americana vai estudar em colégio interno para garotas, na Alemanha. Enquanto ela explora sua capacidade especial de se comunicar com insetos, um assassino aterroriza o local.

HOJE – O DIA EM QUE MARTY McFLY CHEGA EM 2015 NO FILME “DE VOLTA PARA O FUTURO II”

016

ALÉM DO ANIVERSÁRIO DO PRIMEIRO FILME, LANÇADO NOS CINEMAS EM 1985 E COMEMORADO AGORA COM UMA SÉRIE DE LANÇAMENTOS EM DVD E BLU-RAY REPLETOS DE EXTRAS, CHEGOU O DIA: 21/10/2015, DATA DA VIAGEM PROGRAMADA POR MARTY McFLY EM “DE VOLTA PARA O FUTURO II”.

A cinessérie “De Volta para o Futuro” está de volta ao mercado de home vídeo brasileiro em novas edições em DVD e Blu-ray, com preço promocional e inúmeros extras sobre os bastidores.

Com sua divertida mistura de comédia e viagem no tempo, a cultuada franquia de ficção científica — coproduzida por Steven Spielberg e dirigida por Robert Zemeckis (do recente “A Travessia”, em cartaz nos cinemas) — arrecadou quase 1 bilhão de dólares de bilheteria mundial e virou umas das principais referências da cultura pop dos anos 80.

Lançado originalmente em 1985, “De Volta para o Futuro” concorreu ao Oscar de melhor roteiro original (escrito por Zemeckis e Bob Gale), som e canção (o hit “The Power of Love”, cantado por Huey Lewis), levando a estatueta de efeitos sonoros.

Passados trinta anos desde seu lançamento nos cinemas, junte-se a Marty McFly (Michael J. Fox, indicado ao Globo de Ouro de melhor ator), Doc Brown (Christopher Lloyd) e a um DeLorean que viaja para o passado, o presente e o futuro, provocando reações em cadeia que rompem a continuidade do espaço e tempo.

Michael J. Fox (Marty McFly), Christopher  Lloyd (Dr. Emmett Brown) e Lea Thompson  (Lorraine Baines).

Christopher Lloyd (Dr. Emmett Brown), Michael J. Fox (Marty McFly) e Lea Thompson (Lorraine Baines) hoje

CURIOSIDADES:

* “De Volta Para o Futuro” custou apenas US$ 19 milhões de dólares para ser produzido, faturando US$ 210 milhões só nos EUA (e 380 milhões mundialmente).

* Eric Stoltz começou as filmagens no papel de Marty McFly, chegou a gravar durante um mês e acabou demitido. Suas cenas foram refeitas com Michael J. Fox, a escolha inicial dos produtores, contudo, indisponível na época por causa da série “Caras e Caretas”. John Cusack (“Alta Fidelidade”), C. Thomas Howell (“A Morte Pede Carona”) e até Ralph Macchio (“Karatê Kid”) chegaram a ser cotados para viver o protagonista.

* John Lithgow (“Dexter”, “O Amor é Estranho”) recusou o papel de Doc Brown, que acabou nas mãos de Christopher Lloyd.

021

* Michael J. Fox é apenas dez dias mais novo que Lea Thompson, que interpreta sua mãe no filme. E é três anos mais velho que o ator que faz seu pai, Crispin Glover.

* Indicada ao Oscar e ao Globo de Ouro, a canção-tema “The Power of Love” chegou a ficar em primeiro lugar na Hot 100 da Billboard americana.

* No primeiro filme, McFly retorna a 5 de novembro de 1955 – mesma data da viagem no tempo de “Um Século em 43 Minutos” (1979).

* Enquanto filmavam a continuação, que se passaria em 1885, os produtores acharam que tinham material para dois filmes. Assim, a primeira ideia de continuação virou a terceira parte da trilogia, e o segundo filme é ambientado no futuro: justamente em 2015!

017

* Quando estreou em 1989, as previsões de “De Volta para o Futuro II” pareciam tão distantes que era difícil acreditar que seriam possíveis. Mas algumas invenções já existem (os sistemas de pagamento com impressão digital, os óculos de realidade virtual) e outras encontram-se em desenvolvimento – como os tênis que se ajustam sozinhos ao tamanho do pé e o “hoverboard” (o skate flutuador).

* E, apesar do carro DeLorean ter se tornado um ícone do cinema, a ideia inicial dos roteiristas era colocar o capacitor de fluxo em uma geladeira.

014-1024x349

CONFIRA A SEGUIR AS NOVAS EDIÇÕES EM DVD E BLU-RAY DA TRILOGIA, TODAS COM ÁUDIO ORIGINAL, INÚMEROS EXTRAS E DUBLAGEM EM PORTUGUÊS:

DE VOLTA PARA O FUTURO (DVD)

003

DE VOLTA PARA O FUTURO (BLU-RAY)

002

O ano é 1985, mas não por muito tempo, porque o adolescente Marty McFly (Michael J. Fox) está prestes a ser lançado de volta a 1955, a bordo do DeLorean, um carro movido a plutônio,criado pelo excêntrico Doc Emmett Brown (Christopher Lloyd). Só que Marty provoca uma ruptura no tempo que pode desintegrar seu futuro, deixando-o aprisionado no passado.

McFly arrasa na guitarra tocando uma versão de Johnny B. Goode

No filme, Michael J. Fox arrasa na guitarra, tocando uma versão de Johnny B. Goode

EXTRAS:

* Cenas excluídas
* Histórias do Futuro: No Começo…/ Hora de Ir / Marcando Tempo
* Documentários: Os Bastidores / Fazendo a Trilogia – Parte 1 / A Noite de de “De volta para o Futuro”
* Entrevista com Michael J. Fox
* Sequência do teste nuclear
* Galerias de fotos
* Comentários do diretor Robert Zemeckis e do produtor Bob Gale
* Comentários dos produtores Bob Gale e Neil Canton
* Comparações entre storyboards e filme

DE VOLTA PARA O FUTURO II (DVD) 

005

DE VOLTA PARA O FUTURO II (BLU-RAY) 

004

Marty e Doc mal se recuperaram da primeira aventura, quando se lançam novamente numa viagem no tempo e no espaço. Desta vez, sua tentativa de afinar o futuro no ano de 2015 cria um estranho e alternativo Hill Valley de 1985, no qual Biff é rico, poderoso e… pai de Marty! Agora, a única chance de consertar o presente é voltando a 1955 mais uma vez.

chegada

McFly no futuro, ou seja, hoje – 2015 – em “De Volta para o Futuro II

EXTRAS:

* Documentário “De Volta para o Futuro II”
* A criação da trilogia – parte 2
* Erros de gravação
* Cenas cortadas
* Teste do Hoverboard Skate
* Comparações entre storyboards e filme
* Álbum de fotos
* Bastidores – fotografias
* Desenhos futurísticos
* Veículos do futuro

DE VOLTA PARA O FUTURO III (DVD)

007

DE VOLTA PARA O FUTURO III (BLU-RAY)

006

Realizando seu antigo sonho, Doc Brown decidiu viver no Velho Oeste, em 1880. Mas ele corre grande perigo, fazendo Marty voltar ao passado para salvá-lo. Só há um problema: Doc está tão apaixonado pela professora Clara Clayton (Mary Steenburgen). Agora, Marty tem que tirar Doc da encrenca, fazer o DeLorean funcionar e colocar o passado e o futuro nos eixos, para que todos possam voltar a seus devidos lugares e épocas.

022

Doc e McFly no Velho Oeste

EXTRAS:

* A criação da trilogia – parte 3
* Erros de gravação
* Cenas cortadas
* Videoclipe “Doubleback” com ZZ Top
* Comparações entre storyboards e filme
* Álbum de fotos
* Bastidores – fotografias
* Desenhos de produção

DE VOLTA PARA O FUTURO – TRILOGIA (3 DVDs)

009

DE VOLTA PARA O FUTURO – TRILOGIA (3 DISCOS EM BLU-RAY)

008

EXTRAS:

DE VOLTA PARA O FUTURO
* Cenas excluídas
* Histórias do Futuro: No Começo…/ Hora de Ir / Marcando Tempo
* Documentários: Os Bastidores / Fazendo a Trilogia – Parte 1 / A Noite de de “De volta para o Futuro”
* Entrevista com Michael J. Fox
* Sequência do teste nuclear
* Galerias de fotos
* Comentários do diretor Robert Zemeckis e do produtor Bob Gale
* Comentários dos produtores Bob Gale e Neil Canton
* Comparações entre storyboards e filme
* E mais!

DE VOLTA PARA O FUTURO II
* Cenas excluídas
* Histórias do Futuro: O Tempo Voa / A Física de “De Volta para o Futuro” com o Dr. Michio Kaku
* Documentários: Os Bastidores / Fazendo a trilogia – parte II
* Criando o DeLorean
* Evolução das Tomadas de efeitos visuais
* Galeria de fotos
* Comentários do diretor Robert Zemeckis e do produtor Bob Gale
* Comentários dos produtores Bob Gale e Neil Canton
* Comparações entre storyboards e filme
* E mais!

DE VOLTA PARA O FUTURO III
* Cena excluída
* Histórias do Futuro: A Terceira Fecha com Chave de Ouro / O Teste do Tempo
* Documentários: Os Bastidores / Fazendo a trilogia – parte III / Os Segredos da trilogia
* Criando a cidade de Hill Valey
* Videoclipe de “Doubleback” com ZZ Top
* Galeria de fotos
* Comentários do diretor Robert Zemeckis e do produtor Bob Gale
* Comentários dos produtores Bob Gale e Neil Canton
* Comparações entre storyboards e filme
* E mais!

000000000