Lançamentos para venda

SÉRIES INDICADAS AO PRÊMIO EMMY E MAIS NOVIDADES NA 2001

WESTWORLD – 1ª TEMPORADA

Premiada em quatro categorias do Emmy, a série é inspirada no enredo do clássico “Westworld – Onde Ninguém Tem Alma” (1973) e combina o universo do western com a tecnologia da inteligência artificial. Criada por J. J. Abrams (“Lost”) e Jonathan Nolan (“Batman – O Cavaleiro das Trevas”), a superprodução é ambientada em um parque temático futurista que reproduz o Velho Oeste, povoado por androides – chamados de anfitriões –, programados pelo Dr.Robert Ford (Anthony Hopkins) para conviver com os turistas como se fossem pessoas reais.

THE CROWN – 1ª TEMPORADA

Vencedoras de dois Globos de Ouro no início deste ano – melhor série dramática, atriz (Claire Foy) em drama e ator coadjuvante (John Lithgow), a atração foi escrita pelo roteirista Peter Morgan (“O Último Rei da Escócia”) e conta com episódios dirigidos por Stephen Daldry (“As Horas”). Dramatização da juventude da Rainha Elizabeth II, mostra a personagem, interpretada por Foy, dando seus primeiros passos em direção ao trono inglês, após a morte de seu pai, o rei George VI (Jared Harris), em 1952.

GRACE AND FRANKIE – 1ª TEMPORADA

Jane Fonda e Lily Tomlin concorreram ao Emmy por suas atuações como, respectivamente, Grace e Frankie, duas antigas rivais que precisam enfrentar juntas a revelação que seus maridos (Martin Sheen e Sam Waterston) estão apaixonados um pelo outro – e planejam se casar. Uma comédia dramática diferente, sobre diversidade sexual e novas descobertas na terceira idade.

A CABANA

Adaptação do best-seller homônimo de William P. Young, o filme narra a jornada espiritual de Mack (Sam Worthington, de “Avatar”), que entra em profunda depressão após o assassinato de sua filha. Certo dia, ele recebe um bilhete para ir a uma cabana no meio da floresta e tem um encontro com Deus (representado por Octavia Spencer). Sucesso nos cinemas, com mais de 5 milhões de espectadores no Brasil.

O LIVRO DE HENRY

Novo filme do diretor Colin Trevorrow, responsável por “Jurassic World”, o drama traz Naomi Harris no papel de uma mãe solteira que trabalha como garçonete a fim de criar os filhos Peter (8 anos) e Henry (12), que tem uma criatividade sem limites. Um dia, ela descobre que a família vizinha tem um perigoso segredo, e Henry – o gênio da família – cria um plano para ajudar.

A TERRA VERMELHA (2015)

Coprodução entre Argentina, Bélgica e Brasil, o filme parte de histórias reais para abordar um tema cada vez mais em pauta na América do Sul: a destruição de nossas reservas naturais. Nesta variação da luta de David e Golias, o perigo surge a partir do conflito entre uma multinacional de extração de madeira e a população de um vilarejo na fronteira entre Brasil e Argentina.

TRANSFORMERS – O ÚLTIMO CAVALEIRO

No quinto filme da franquia dirigida por Michael Bay, os humanos continuam em guerra com os Transformers. A salvação de nosso mundo recai sobre os ombros de uma aliança entre Cade Yeager (Mark Wahlberg), Sir Edmund Burton (Anthony Hopkins) e uma professora da Universidade de Oxford, Vivian (Laura Haddock). Em DVD, Blu-ray, BD 3D e também no formato Steelbook.

CINEMA INFANTIL

Em CARROS 3, uma nova geração de corredores incrivelmente rápidos surpreende Relâmpago McQueen (voz original de Owen Wilson), que se afasta das corridas. Confira nos extras da versão em Blu-ray cenas inéditas, por trás das câmeras, e muito mais. E não perca as aventuras de DETETIVES DO PRÉDIO AZUL – O FILME e DESCENDENTES 2, que traz de volta os filhos dos vilões da Disney.

E VEJA TAMBÉM:
Coleção Carros – 3 Discos

O ÍDOLO

Dirigido por Hany Abu-Assad logo após o sucesso de “Omar”, o longa narra a história real de Mohammad, um jovem rapaz de Gaza que sonha em cantar no Cairo Opera House e ser conhecido pela sua voz no mundo inteiro. Vencedor do concurso ‘Arab Idol 2013’, o rapaz se tornou, aos 23 anos, símbolo da esperança do povo palestino.

KIKI – OS SEGREDOS DO DESEJO

Adaptação livre do filme australiano “A Pequena Morte” (2014), esta comédia espanhola surpreende ao mostrar a dinâmica de cinco casais às voltas com seus fetiches sexuais, em uma Madri multi-cultural. Sem condenar os personagens, o longa dirigido e estrelado por Paco León extrai seu humor de situações insólitas.

É TUDO VERDADE!

BUENA VISTA SOCIAL CLUB – ADIÓS reflete sobre a contribuição dos músicos de Havana a partir de depoimentos de integrantes ainda vivos da banda. Já FERRARI – RUMO À IMORTALIDADE percorre a trajetória da icônica marca automobilística, com ênfase nos triunfos e tragédias da Scuderia Ferrari.

2 X BRUCE WILLIS

O ator vive um detetive que enfrenta a gangue de Jason Momoa em LOUCOS E PERIGOSOS, aventura satírica coestrelada por John Goodman e Famke Janssen. E, em OPERAÇÃO RESGATE, Kellan Lutz junta forças com Gina Carano à procura de seu pai, um agente da CIA (papel de Willis).

UM DOS LANÇAMENTOS DO ANO, A COLEÇÃO TRAZ 4 FILMES DO DIRETOR, INCLUINDO O CULT “ERASERHEAD”

Um dos diretores mais cultuados pelos cinéfilos, David Lynch transcende a sétima arte. É um inquieto artista multimídia também com trabalhos nas artes plásticas, fotografia, escultura, desenho, música e até nos quadrinhos (“O Cão Mais Raivoso do Mundo”). Produtor de música eletrônica, lançou em 2001 o álbum “Crazy Clown Time”, em que continua suas experimentações sonoras no cinema.

Considerado um dos diretores mais originais e influentes do cinema, Lynch é um dos poucos a desafiar (ou mesmo subverter) as convenções da indústria, mantendo-se sempre fiel a seu estilo e experiências. Para ele, ao representar a vida, os filmes devem ser complicados, e, em alguns casos, inexplicáveis. Por isso, dificilmente o cineasta explica o enredo de suas produções; cabe ao próprio espectador estabelecer sentido e significação para aquilo que vê.

O CINEMA DE DAVID LYNCH

A coleção reúne quatro de seus filmes – três deles fora de catálogo. Anteriormente lançado pela Lume, “Eraserhead” (1977) – estreia de Lynch na direção de longa – virou item de colecionador. Indicado a 8 Oscar, “O Homem Elefante” (1980), “Coração Selvagem” (1990) – vencedor da Palma de Ouro em Cannes -, e o surreal quebra-cabeça “Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer” (1992) completam o box.

ERASERHEAD

Primeiro longa-metragem do cineasta, o filme começou a ser rodado em 1971 e foi lançado apenas em 1977. Seu penoso processo de produção resultou inclusive no primeiro divórcio do diretor.

Bizarro, original, surrealista. “Eraserhead” é um pesadelo em forma de drama familiar, acompanhando Henry Spencer (Jack Nance), que luta internamente para lidar com sua raivosa namorada e os gritos de seu filho, um bebê mutante. Entre os admiradores deste cult incontornável do cinema, estão Stanley Kubrick e Mel Brooks que, impressionado, produziria o filme seguinte do diretor, “O Homem Elefante”.

O HOMEM ELEFANTE

Usado como uma atração de circo, John Merrick (John Hurt) é constantemente humilhado pela sociedade a sua volta. Frederick Treeves (Anthony Hopkins), um famoso cirurgião, o leva para o hospital em que trabalha e descobre que, a despeito de sua aparência incomum, Merrick é um ser humano sensível, inteligente e gentil.

Drama vitoriano filmado na Inglaterra, com bela fotografia em preto e branco influenciada pelo expressionismo alemão, o filme foi reconhecido pela Academia de Hollywood com oito indicações ao Oscar, incluindo a primeira das três nomeações de Lynch a melhor direção.

CORAÇÃO SELVAGEM

Lynch homenageia à sua maneira o clássico “O Mágico de Oz” por meio da bizarra jornada de Sailor (Nicolas Cage) e Marilyn (Laura Dern), que deixam sua cidade para fugir das garras da diabólica mãe dela (papel de Diane Ladd, indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante).

Premiado com uma polêmica Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1990, o longa é um road movie erótico, perturbador e violento, repleto de humor negro. O elenco ainda conta com Willem Dafoe, Isabella Rossellini e Harry Dean Stanton – falecido em 15 de setembro deste ano, aos 91 anos.

TWIN PEAKS – OS ÚLTIMOS DIAS DELAURA PALMER

Cercado de expectativa, por conta do sucesso da série criada por Lynch e o roteirista Mark Frost, o filme estreou no Festival de Cannes de 1992. Duramente vaiado na Croisette e incompreendido na época de seu lançamento, é mais um surreal conto de horror lynchiano sobre a perda da inocência.

Na trama (ou anti-trama), o agente do FBI Chet Desmond (Chris Isaak) e seu parceiro Sam Stanley (Kiefer Sutherland) investigam o assassinato da garçonete Teresa, em uma pequena cidade do estado de Washington. Após descobrir uma pista, Chet desaparece a alguns quilômetros da cidade de Twin Peaks. Um ano depois, outra morte parece ter ligação com o crime: o assassinato de Laura Palmer (Sheryl Lee). Seus últimos dias de vida podem ajudar a solucionar o mistério.

Reavaliado com o passar do tempo, o filme adquiriu status de cult e ganha mais relevância agora com o retorno – 25 anos depois – da série, com a qual estabelece conexões importantes.

AGORA EM DVD, O ELOGIADO “EM RITMO DE FUGA” E “O ESTRANHO QUE NÓS AMAMOS”, PREMIADO EM CANNES

COM GRANDES ATUAÇÕES, UM ROTEIRO ORIGINAL E TRILHA SONORA MATADORA, O CULT “EM RITMO DE FUGA” É CONSIDERADO UM DOS MELHORES FILMES DO ANO. E, POR DAR UM NOVO PONTO DE VISTA PARA UM CLÁSSICO DA LITERATURA AMERICANA, SOFIA COPPOLA RECEBEU O PRÊMIO DE MELHOR DIREÇÃO EM CANNES POR “O ESTRANHO QUE NÓS AMAMOS“.

EM RITMO DE FUGA

Uma das produções mais elogiadas do ano, dirigida e escrita pelo britânico Edgar Wright (“Todo Mundo Quase Morto”, “Scott Pilgrim Contra o Mundo”).

Recém-lançado em DVD e Blu-ray, “Em Ritmo de Fuga” é o primeiro longa do diretor realizado nos EUA, com ótimo elenco e sequências de perseguição de carro eletrizantes, ao som de uma trilha matadora, com canções de blues, rock e soul que ditam o ritmo da ação.

A trama acompanha o protagonista Baby (Ansel Elgort, de “A Culpa é das Estrelas”), jovem que tem uma mania curiosa: ouvir músicas o tempo todo para silenciar o zumbido que perturba seus ouvidos desde um acidente na infância. Excelente motorista, ele é o piloto de fuga oficial dos assaltos organizados por Doc (Kevin Spacey), mas não vê a hora de deixar a vida criminosa, especialmente depois de se apaixonar pela garçonete Debora (Lily James, de “Downton Abbey” e “Cinderela”).

Diretor-roteirista de sensibilidade pop, Wright sincroniza cada sequência de assalto com uma música ouvida por Baby em seu iPod, como na incrível sequência de abertura, ao som de ‘Bellbottoms’, do grupo indie rock The Jon Spencer Blues Explosion. Por isso, “Baby Driver” (título original do filme) é quase um filme de ação musical, com cenas de ação coreografadas ao ritmo do som.

Além do impressionante trabalho dos dublês nas perseguições de carro, que confere mais autenticidade e realismo às cenas, o filme vai ganhando tensão com a entrada de dois comparsas de assalto, Buddy (Jon Hamm, da série “Mad Men”) e Bats (Jamie Foxx), cada um com suas idiossincrasias e segredos.

CURIOSIDADES:

* Edgar Wright teve a ideia do filme ao ouvir a canção “Bellbottoms” do trio Jon Spencer Blues Explosion. Ele começou a trabalhar no roteiro em 1995.

* “Easy” é outra música-chave da trama e surge na versão original, gravada pelo grupo Commodores, e numa versão cover da cantora Sky Ferreira, que interpreta a mãe de Baby.

* Produções dos anos 1960 e 1970, como “Bullit”, “Operação França” e “Caçada de Morte”, estão entre as referências usadas por Wright no projeto.

* O cineasta e o jovem Elgort estiveram no Brasil em julho deste ano para divulgar o filme.

* Logan Lerman (“As Vantagens de Ser Invisível”) foi cogitado para o papel principal.

O ESTRANHO QUE NÓS AMAMOS (2017)

Por esta adaptação do livro de Thomas P. Cullinan – levado às telas antes, com o mesmo título brasileiro, em 1971 – Sofia Coppola tornou-se a segunda mulher a ganhar o prêmio de melhor direção no Festival de Cannes.

Com seu estilo contemplativo e minimalista, a cineasta adiciona camadas de subtexto e, sobretudo, um olhar feminino, à história de McBurney (Colin Farrell, no papel que foi de Clint Eastwood na versão de Don Siegel), um cabo da União que, gravemente ferido, é resgatado por um grupo de mulheres sulistas lideradas por Martha Farnsworth (Nicole Kidman).

O intruso, e ainda por cima inimigo de guerra, desperta sentimentos conflitantes e a sexualidade das duas professoras (vividas por Kidman e Kirsten Dunst) e de algumas das alunas adolescentes que vivem ali, isoladas em um casarão na Virginia. Um perigoso jogo de sedução entre elas e o homem ferido – e ao mesmo tempo algoz – toma forma, com trágicas consequências.

CURIOSIDADES:

* Antes de Sofia, a única mulher a levar o prêmio de Melhor Direção em Cannes foi a russa Yuliya Solntseva, por “A Epopéia dos Anos de Fogo”, em 1961.

* Antes de se encontrarem no set de “O Estranho que Nós Amamos“, Nicole Kidman e Colin Farrell contracenaram juntos em “The Killing of a Sacred Deer”, novo trabalho do aclamado diretor grego Yorgos Lanthimos (de “O Lagosta”).

* Segundo Sofia, o filme não é uma refilmagem do clássico homônimo de 1971, mas uma adaptação do romance de Cullinan.

Clint Eastwood no clássico de 1971, dirigido por Don Siegel

* Intérprete de uma das jovens do internato sulista, Elle Fanning já trabalhou com a cineasta em “Um Lugar Qualquer” (2010)

* Algumas das cenas foram filmadas dentro da casa da atriz Jennifer Coolidge, em New Orleans.

NOS LANÇAMENTOS DE NOVEMBRO, FILME NOIR E MAIS CLÁSSICOS DO CINEMA

FILME NOIR VOL. 9 – ED. LIMITADA COM 6 CARDS

No formato digistack, o box com 3 DVDs reúne 7 clássicos inéditos do gênero dirigidos por mestres como Joseph L. Mankiewicz e Michael Curtiz estrelados por astros como James Cagney e Edward G. Robinson. Inclui “Rincão de Tormentas”, que é o primeiro noir britânico lançado na série colecionável da Versátil, e mais um sétimo filme nos extras: “Trágico Álibi” (My Name is Julia Ross, 1945), do genial Joseph H. Lewis (“Gun Crazy”).

DISCO 1:

RINCÃO DE TORMENTAS (Brighton Rock, 1947, 93 min.)
De John Boulting. Com Richard Attenborough, Hermione Baddeley, William Hartnell.

Baseada em um romance do escritor Graham Greene (“Fim de Caso”), essa obra-prima do filme noir britânico mostra a trajetória de Pinkie Brown, o psicótico líder de uma gangue que atua na cidade litorânea de Brighton. Também conhecido como “O Pior dos Pecados”, ganhou uma refilmagem em 2010 com Sam Riley e Helen Mirren.

O AMANHÃ QUE NÃO VIRÁ (Kiss Tomorrow Goodbye, 1950, 103 min.)
De Gordon Douglas. Com James Cagney, Barbara Payton, Helena Carter.

Logo após o fabuloso “Fúria Sanguinária”, James Cagney voltou a viver um gângster violento nesse ótimo filme noir em que o cruel Ralph Cotter foge da prisão e corrompe todos em seu caminho.

DISCO 2:

SANGUE DO MEU SANGUE (House of Strangers, 1949, 101 min.)
De Joseph L. Mankiewicz. Com Edward G. Robinson, Susan Hayward, Richard Conte.

Após sair da prisão, homem deseja se vingar dos irmãos por terem traído seu pai. Melodrama noir que antecipa “O Poderoso Chefão”. Por sua interpretação, Edward G. Robinson ganhou o Prêmio de melhor ator no Festival de Cannes.

SEM SOMBRA DE SUSPEITA (The Unsuspected, 1947, 103 min.)
De Michael Curtiz. Com Claude Rains, Joan Caulfield, Audrey Totter.

Secretária é encontrada morta na casa do patrão, um radialista famoso por ler histórias de mistério e assassinato em seu programa. O que parece ser um suicídio se complica com a chegada de um homem misterioso.

DISCO 3:

CILADA MORTÍFERA (Murder by Contract, 1958, 81 min.)
De Irving Lerner. Com Vince Edwards, Philip Pine, Herschel Bernardi.

Admirado por Martin Scorsese, que fala do filme nos extras, essa pérola noir conta a história do implacável matador de aluguel Claude, cuja eficiência é abalada quando descobre que sua próxima vítima é uma mulher.

A MULHER DILLINGER (Decoy, 1946, 76 min.)
De Jack Bernhard. Com Jean Gillie, Edward Norris, Robert Armstrong.

Uma criminosa reconta como ela e sua quadrilha reviveram um bandido executado na câmara de gás para descobrir onde este enterrou o dinheiro de um assalto. A britânica Jean Gillie vive uma das femmes fatales mais cruéis do filme noir.

EXTRAS:
* “Trágico Álibi” (My Name is Julia Ross, 1945), de Joseph H. Lewis (64 min.)
* Especiais e trailers (35 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

MAIS CLÁSSICOS NA 2001:

DENTRO DA NOITE

Astros da Warner nos anos 1940, George Raft e Humphrey Bogart interpretam irmãos que lutam para sobreviver neste policial noir dirigido por Raoul Walsh (“Fúria Sanguinária”). Explorados pelo patrão, os dois trabalham como motoristas de caminhão e acabam demitidos, o que leva Joe (Raft) a se envolver numa trama de crime com a mal-intencionada Lana Carlsen (Ida Lupino), justamente a mulher de seu ex-patrão.

UM ANJO CAIU DO CÉU

Indicado a 5 Oscar em 1947, incluindo melhor filme e direção (Henry Koster), o clássico apresenta Cary Grant no papel de Dudley, um anjo enviado à Terra para ajudar o bispo Henry Brougham (David Niven) a construir uma nova catedral. Só que as mulheres mais importantes da vida de Henry ficam encantadas com o recém-chegado, causando muitas confusões e ciúmes. Loretta Young, Elsa Lanchester e Karolyn Grimes completam o elenco.

ARTISTAS E MODELOS

Com grande elenco – Dean Martin, Shirley MacLaine, Dorothy Malone e Anita Ekberg -, esta comédia de 1955 marca a primeira parceria entre Jerry Lewis e Frank Tashlin, diretor de inúmeros sucessos do astro. Martin vive escritor de quadrinhos que divide o apartamento com um pintor de paredes interpretado por Lewis. O pintor fala sozinho durante o sono e suas histórias servirão de inspiração para o amigo.

ERA UMA VEZ EM HOLLYWOOD

Fãs de musicais não podem perder este documentário de 1974, que traça um panorama do gênero no cinema desde a década de 1920 até os anos 1950, por meio de cenas e entrevistas com algumas das maiores estrelas da MGM. Nomes como Fred Astaire, Gene Kelly, Bing Crosby e Cyd Charisse apresentam seus momentos musicais favoritos em mais de 50 anos da história de Hollywood. Edição especial com 3 discos.

SUA ÚLTIMA FAÇANHA

Em grande atuação, Kirk Douglas (indicado ao Bafta), encarna Jack Burns, um caubói solitário que tenta ajudar seu amigo Paul Bondi, preso por transportar imigrantes ilegais. Burns deliberadamente deixa-se prender para estar mais próximo de Bondi e depois escapa da prisão, tornando-se um fugitivo. Com roteiro assinado por Dalton Trumbo (“Spartacus”), este western ainda conta com Gena Rowlands e Walter Matthau no elenco.

A MOÇA COM A VALISE

Terceiro longa-metragem de um dos grandes diretores do cinema italiano do pós-guerra, Valerio Zurlini. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1961, o filme segue o rito de passagem do adolescente Lorenzo (Jacques Perrin, intérpret do “Totó” adulto em “Cinema Paradiso”), que fará de tudo para conquistar uma bela cantora de cabaré Aida (Claudia Cardinale), que foi enganada por seu irmão, o playboy Marcello.

EDGAR ALLAN POE E H.P.LOVECRAFT, DOIS MESTRES DO HORROR NA 2001

DOIS GRANDES ESCRITORES, RESGATADOS EM TRÊS COLEÇÕES DA VERSÁTIL COM CLÁSSICOS E CULTS DE DIRETORES COMO FEDERICO FELLINI, GEORGE A.ROMERO, JOHN CARPENTER E ROGER CORMAN.

EDGAR ALLAN POE NO CINEMA

DVD duplo com quatro clássicos dirigidos por Roger Corman e inspirados na obra de Edgar Allan Poe (1809-1849), um mestre da literatura gótica. Esta Edição Especial traz os filmes em inéditas versões restauradas e mais de duas horas de extras.

DISCO 1:

MURALHAS DO PAVOR (“Tales of Terror”, 1962, 89 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price, Peter Lorre e Basil Rathbone.

Quatro contos de Poe em três episódios. Em “Morella”, um jovem descobre que seu pai conserva o cadáver da esposa. O segundo episódio condensa “O Gato Preto” e “O Barril de Amontillado” e o último traz “O Caso do Sr. Valdemar”.

OBSESSÃO MACABRA (“Premature Burial”, 1962, 81 min.)
De Roger Corman. Com Ray Milland, Hazel Court e Richard Ney.

No terceiro filme de Corman baseado em Poe, Ray Milland (“Farrapo Humano”) interpreta um homem que tem medo de ser enterrado vivo, como aconteceu com seu pai.

DISCO 2:

O POÇO E O PÊNDULO (“The Pit and the Pendulum”, 1961, 81 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price, Barbara Steele e John Kerr.

Ao saber da repentina morte de sua irmã, Francis Barnard vai ao castelo de seu cunhado, Nicholas Medina, o atormentado filho de um carrasco da Inquisição espanhola. Também conhecido como “A Mansão do Terror”.

O TÚMULO SINISTRO (“The Tomb of Ligeia”, 1964, 81 min.)
De Roger Corman. Com Vincent Price e Elizabeth Shepherd.

Anos após ter enterrado sua amada esposa Ligeia, Verden Fell aceita a se casar com outra mulher. Porém, seu novo casamento é assombrado pela lembrança da falecida. Último filme do ciclo de Corman dedicado à obra de Poe.

EXTRAS:
* Uma noite com Edgar Allan Poe (52 min.) * Depoimento de Roger Corman sobre “Obsessão Macabra” (10 min.)
* Depoimento de Joe Dante sobre “Obsessão Macabra” (10 min.)
* Trailers dos quatro filmes (11 min.)
* Poe no Cinema (28 min.)
* Making of de “O Poço e o Pêndulo” (43 min.)
* Cena excluída de “O Poço e o Pêndulo” (5 min.)

EDGAR ALLAN POE NO CINEMA – VOL. 2

Bela edição com quatro clássicos inspirados na obra de Poe, em inéditas versões restauradas acompanhadas de muitos extras.

O box traz o cult “Histórias Extraordinárias”, composto por três segmentos, dirigidos por Federico Fellini, Roger Vadim e Louis Malle. “Toby Dammit”, de Fellini, é considerado um dos melhores trabalhos do mestre iltaiano – e uma crítica bem humorada e atual ao culto às celebridades.

DISCO 1:

DOIS OLHOS SATÂNICOS (Due occhi diabolici/Two Evil Eyes, 1990, 120 min.)
De George A. Romero e Dario Argento.
Com Adrienne Barbeau, Harvey Keitel, Ramy Zada.

Dois dos maiores mestres do horror no cinema, George A. Romero e Dario Argento, dirigem duas horripilantes histórias baseadas em contos de Poe: “O Estranho Caso do Sr. Valdemar” e “O Gato Preto”.

HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS (Histories Extraordinaires, 1968, 120 min.)
De Federico Fellini, Roger Vadim, Louis Malle.
Com Jane Fonda, Brigitte Bardot, Alain Delon.

Os grandes diretores europeus Federico Fellini, Roger Vadim e Louis Malle dirigem três histórias: “Metzengerstein”, “William Wilson” e “Toby Dammit”.

DISCO 2:

O CORVO (The Raven, 1963, 86 min.)
De Roger Corman
Com Vincent Price, Boris Karloff, Peter Lorre.

Inspirado livremente no célebre poema de Poe, O Corvo é o mais divertido dos filmes do ciclo de Roger Corman dedicado ao escritor. Dois bruxos duelam pela supremacia da do mundo da magia.

GATO NEGRO (Gatto Nero, 1981, 92 min.)
De Lucio Fulci
Com Patrick Magee, Mimsy Farmer, David Warbeck.

Os moradores de um vilarejo inglês começam a morrer numa série de acidentes horríveis e um investigador da Scotland Yard passa a investigar o caso. O encontro de Poe com Lucio Fulci, o mestre do gore.

EXTRAS:
* Especial sobre “Dois Olhos Satânicos” (30 min.)
* Depoimentos (17 min.)
* Trailers (10 min)

LOVECRAFT NO CINEMA

Coleção com três clássicos inspirados na obra de H. P. Lovecraft (1890-1937), um dos grandes mestres da literatura de horror, em inéditas versões restauradas, além de um documentário sobre o escritor e quase duas horas de vídeos extras. Lovecraft é um dos escritores favoritos – e influência assumida – de cineastas como Dan O’Bannon (“A Volta dos Mortos Vivos”) e Guillermo del Toro (“O Labirinto do Fauno”).

DISCO 1:

RE-ANIMATOR: A HORA DOS MORTOS-VIVOS (“Re-Animator”, 1985, 86 min.)
De Stuart Gordon. Com Jeffrey Combs, Bruce Abbott, Barbara Crampton.

Baseando-se livremente no conto “Herbert West: Reanimador”, Stuart Gordon criou uma obra-prima do horror, com muito sangue e cenas escatológicas. Inédita versão restaurada com vários extras, incluindo making of e cenas excluídas. Um dos títulos seminais dos anos 1980.

DO ALÉM (“From Beyond”, 1986, 86 min.)
De Stuart Gordon. Com Jeffrey Combs, Barbara Crampton e Ted Sorel.

A partir do conto homônimo de poucas páginas, Stuart Gordon volta ao universo lovecraftiano para mostrar até onde a tecnologia pode transformar o ser humano. O resultado é uma visceral e alucinante mistura de ficção científica e horror, com cenas desconcertantes.

DISCO 2:

À BEIRA DA LOUCURA (“In the Mouth of Madness”, 1994, 95 min.)
De John Carpenter. Com Sam Neill, Julie Carmen e Jürgen Prochnow.

O investigador John Trent é contratado para achar Sutter Cane, um escritor de histórias de terror que, após terminar seu último livro, misteriosamente desapareceu. Brilhante homenagem de Carpenter ao universo literário de Lovecraft.

LOVECRAFT: MEDO DO DESCONHECIDO (Lovecraft: Fear of the Unknown, 2008, 89 min.)
De Frank H. Woodward. Com Neil Gaiman, Guillermo Del Toro e John Carpenter.

Lovecraft é considerado por muitos o pai do horror moderno. A mitologia aterradora criada por ele influencia milhares de criações do gênero até hoje. Este documentário faz uma crônica sobre a vida, a obra e as ideias do autor de “O chamado de Cthulhu”.

EXTRAS:
* Making of de “Re-Animator” (69 min.)
* Trailers (18 min.)
* Cenas excluídas de “Re-Animator” (26 min.)
* Depoimento de Stuart Gordon sobre “Do Além” (9 min.)

EM NOVAS COLEÇÕES DA VERSÁTIL, OBRAS-PRIMAS DO TERROR + VAMPIROS

COM 3 DISCOS E 6 CARDS, O BOX “OBRAS-PRIMAS DO TERROR 7” REÚNE 6 CULTS DE DIFERENTES ÉPOCAS, INCLUINDO UMA NOVA VERSÃO DE “OS INOCENTES” – UM DOS FILMES FUNDAMENTAIS DO GÊNERO.

E não perca também os dois volumes de “Vampiros no Cinema”, com títulos icônicos como o “Nosferatu” de 1922, e raridades – entre elas, “Cronos”, de Guillermo Del Toro, e “Quando Chega a Escuridão”, de Kathryn Bigelow (premiada com o Oscar por “Guerra ao Terror”).

OBRAS-PRIMAS DO TERROR VOL. 7 – ED. LIMITADA COM 6 CARDS

No formato digistack, o box com 3 DVDs reúne uma ótima seleção, com inédita versão restaurada de “Os Inocentes” – considerado um dos maiores filmes de terror de todos os tempos –, o original filme japonês “Kairo” e o drama de horror psicológico inglês “Sintomas”.

Edição Limitada com 6 cards e quase uma hora e meia de extras.

DISCO 1:

OS INOCENTES (The Innocents, 1961, 100 min.)
De Jack Clayton. Com Deborah Kerr, Peter Wyngarde, Megs Jenkins.

Uma governanta, que cuida de duas crianças, acredita que a casa onde moram é assombrada por fantasmas. Com roteiro de Truman Capote, essa obra-prima é baseada no clássico “A Outra Volta do Parafuso”, de Henry James.

UM GRITO DE PAVOR (Taste of Fear/Scream of Fear, 1961, 81 min.)
De Seth Holt. Com Susan Strasberg, Ann Todd, Christopher Lee.

Após sofrer acidente, jovem paralítica volta à casa da família e fica aterrorizada ao ver o corpo do falecido pai pela propriedade. Filme favorito de Christopher Lee, esse terror psicológico é uma das melhores produções da Hammer.

DISCO 2:

KAIRO (Pulse, 2001, 119 min.)
De Kiyoshi Kurosawa. Com Haruhiko Kato, Kumiko Aso, Koyuki.

Dois grupos descobrem evidências que sugerem que espíritos podem estar tentando invadir o mundo através da internet. Uma obra original e desconcertante do japonês Kiyoshi Kurosawa (“A Cura”), um dos mestres do J-Horror.

SINTOMAS (Symptoms, 1974, 92 min.)
De José Ramón Larraz. Com Angela Pleasence, Peter Vaughan, Lorna Heilbron.

Uma jovem é convidada pela amiga para passar uma temporada em sua casa de campo na Inglaterra. Mas tanto a casa como a amiga não são o que parecem ser. Fascinante terror psicológico do espanhol José Ramón Larraz (de “As Filhas de Drácula”).

DISCO 3:

A MANSÃO DA MEIA-NOITE (House of the Long Shadows, 1983, 102 min.)
De Peter Walker. Com Vincent Price, Christopher Lee, Peter Cushing.

Um escritor vai para uma remota mansão com o desafio de escrever um romance em 24 horas. Ao chegar, conhece os estranhos moradores do local. Ótimo terrir que reúne os monstros sagrados Vincent Price, Christopher Lee e Peter Cushing.

CALAFRIO (Willard, 1970, 95 min.)
De Daniel Mann. Com Bruce Davison, Elsa Lanchaster, Sondra Locke.

Um tímido e problemático rapaz ensina seus ratos de estimação a atacar seus inimigos. Refilmado em 2003 como “A Vingança de Willard”, esse cult-movie inspirou diversos outros filmes de terror com animais assassinos.

EXTRAS:
* Especiais sobre os filmes (80 min.)
* Trailers (9 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

VAMPIROS NO CINEMA

No formato digistack, o DVD duplo reúne 4 clássicos de vampiro, todos em versões restauradas, além de mais de duas horas de extras, incluindo documentários e depoimento de Guillermo Del Toro.

DISCO 1:

NOSFERATU (“Nosferatu, eine Symphonie des Grauens”, 1922, 96 min.)
De F. W. Murnau. Com Max Schreck e Greta Schröder.

A obra-prima de Murnau é apresentada em inédita versão restaurada, acompanhada de um excelente documentário sobre a produção.

CRONOS (Idem, 1993, 92 min.)
De Guillermo Del Toro. Com Federico Luppi e Ron Perlman.

Cultuada estreia de Guillermo Del Toro (de “O Labirinto do Fauno”) na direção, “Cronos” é um filme de vampiro sombrio e muito original.

DISCO 2:

QUANDO CHEGA A ESCURIDÃO (“Near Dark”, 1987, 94 min.)
De Kathryn Bigelow. Com Jenny Wright, Lance Henriksen e Bill Paxton.

Após ser mordido por uma garota, o filho de um fazendeiro entra para um grupo de vampiros que viaja pelos EUA atrás de sangue fresco. Direção de Kathryn Bigelow (“Guerra ao Terror”).

A NOITE DOS DEMÔNIOS (“La Notte dei Diavoli”, 1972, 93 min.)
De Giorgio Ferroni. Com Gianni Garko e Agostina Belli.

Brilhante adaptação do conto que deu origem ao episódio “O Wurdalak” de “As Três Máscaras do Terror”, de Mario Bava.

EXTRAS:
* Documentário “Nosferatu – a Linguagem das Sombras” (53 min.)
* Trailers (5 min.)
* Cena excluída de “Quando Chega a Escuridão” (2 min.)
* Making of de “Quando Chega a Escuridão” (47 min.)
* Depoimento de Guillermo Del Toro (17 min.)

VAMPIROS NO CINEMA VOL. 2 – ED. LIMITADA COM 4 CARDS

DVD duplo com 4 clássicos filmes de vampiro da década de 1970, todos em inéditas versões restauradas, além de uma hora de extras, incluindo especiais sobre os filmes.

DISCO 1:

BLACULA, O VAMPIRO NEGRO (Blacula, 1972, 93 min.)
De William Crain. Com William Marshall, Vonetta McGee, Denise Nicholas.

Um antigo príncipe africano, que foi transformado em vampiro pelo próprio Drácula, vai parar na Los Angeles dos anos 1970. Cult vampiresco da Blaxploitation com atuação icônica de William Marshall como o vampiro negro.

NAS SOMBRAS DA NOITE (House of Dark Shadows, 1970, 97 min.)
De Dan Curtis. Com Jonathan Frid, Grayson Hall, Kathryn Leigh Scott.

Após séculos, o vampiro Barnabas Collins é acidentalmente libertado de seu caixão e passa a conviver com seus descendentes na mansão da família. Primeiro filme baseado em uma série de TV, refilmado depois como “Sombras da Noite” (2012) por Tim Burton.

DISCO 2:

CAPITÃO KRONOS – O CAÇADOR DE VAMPIROS (Captain Kronos – Vampire Hunter, 1974, 90 min.)
De Brian Clemens. Com Horst Janson, John Carson, Shane Briant.

Um ex-soldado espadachim e seu assistente corcunda caçam vampiros nesta fantasia de época. Incompreendido na época de seu lançamento, essa inventiva produção tardia da Hammer se tornou um cult-movie com o tempo.

CONDE YORGA, VAMPIRO (Count Yorga, Vampire, 1970, 93 min.)
De Bob Kelljan. Com Robert Quarry, Roger Perry, Michael Murphy.

Um casal convida um imigrante para fazer uma reunião mediúnica para contatar um parente falecido, sem saber que o convidado é um vampiro. Com atuação memorável de Robert Quarry, esse é um dos filmes de vampiro mais originais dos anos 1970.

EXTRAS:
* Especiais (49 min.)
* Trailers (10 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 4 CARDs:

E VEJA TAMBÉM:

OS VAMPIROS DE SALEM

Dirigida pelo especialista Tobe Hooper (de “O Massacre da Serra Elétrica”), a minissérie é baseada em “A Hora do Vampiro” (1975), o segundo romance de Stephen King. No elenco, estão David Soul (da série “Starsky & Hutch – Justiça em Dobro”) e James Mason (“Cinco Dedos”).

Quando menino, Ben Mears ficou traumatizado com os horrores escondidos na mansão Marsten, localizada em sua cidade natal, Salem’s Lot. Agora adulto e escritor, Ben resolve voltar à cidade para escrever um livro sobre a mansão, a fim de superar seus antigos medos. Mas ele não desconfia que agora a mansão seja habitada por vampiros.

Com ótima direção de Hooper, atmosfera de terror muito bem construída e diversas cenas antológicas, “Os Vampiros de Salem” é mais uma adaptação da obra de King que merece ser conhecida, especialmente pelos fãs do escritor de “Carrie” e “O Iluminado”.

HALLOWEEN COM MAIS STEPHEN KING NA 2001

O REVIVAL DA OBRA DO ESCRITOR, COM ADAPTAÇÕES RECENTES NA TV E NO CINEMA (“A TORRE NEGRA”, “IT – A COISA”), CONTINUA COM O LANÇAMENTO DE MAIS FILMES E MINISSÉRIES EM DVD.

STEPHEN KING – CONTOS DE TERROR

Edição especial com 2 discos, 4 cards e luva, reunindo 4 produções baseadas na obra de King – em versões remasterizadas – mais 60 minutos de extras.

DISCO 1:

CREEPSHOW – SHOW DE HORRORES (Creepshow, 1982, 120 min.)
De George A. Romero. Com Hal Holbrook, Leslie Nielsen, Adrienne Barbeau.

Inspirado nos quadrinhos da E.C. Comics, de 1950, George A. Romero e Stephen King criaram cinco contos de terror. No primeiro, um homem enlouquecido volta do mundo dos mortos no Dia dos Pais para finalmente ganhar um pedaço de bolo que a filha assassina nunca lhe deu. O próprio King interpreta, na segunda história, fazendeiro que descobre um meteorito que caiu na Terra transformando tudo em plantas assassinas.

CREEPSHOW 2 – SHOW DE HORRORES (Creepshow 2, 1987, 90 min.)
De Michael Gornick. Com George Kennedy, Lois Chiles, Domenick John.

No primeiro conto, a estátua de madeira de um cacique ganha vida, para vingar a morte do dono de uma pequena mercearia e de sua mulher, assassinados por uma quadrilha. No segundo, quatro jovens vão nadar em um lago e buscam refúgio numa balsa, quando começam a ser caçados por uma “mancha de óleo”. Na última história, uma mulher casada trai o marido e logo depois atropela um homem. Ela decide fugir, mas o fantasma da vítima a persegue.

DISCO 2:

A CRIATURA DO CEMITÉRIO (Graveyard Shift, 1990, 89 min.)
De Ralph S. Singleton. Com David Andrews, Kelly Wolf, Stephen Macht.

Fábrica têxtil de uma pequena cidade americana, abandonada há anos, é reaberta. Mas os trabalhadores contratados para limpá-la começam a ser mortos e mutilados por ratos que infestam o local.

ÀS VEZES ELES VOLTAM (Sometimes They Come Back Again, 1991, 98 min.)
De Tom McLoughlin. Com Tim Matheson, Brooke Adams, Robert Rusler.

Um professor e sua família mudam-se para uma pequena cidade interiorana. Agora com uma vida mais simples, morando numa casa decadente, ele começa a lecionar em uma escola local, até ser atormentado por seu passado obscuro.

EXTRAS: Quase 60 minutos contendo um divertido featurette com George A.Romero, especial “Você nunca viu Creepshow”, entrevista com o mestre dos efeitos especiais Tom Savini, por trás das cenas de Creepshow 2, e muito mais!

A DANÇA DA MORTE

Premiada com 2 Emmys, esta é uma das melhores minisséries baseadas na obra de King e é ambientada em um mundo pós-apocalíptico devastado por vírus mortal; uma realidade paralela que aparece também na saga de “A Torre Negra”. Os poucos sobreviventes dividem-se em dois grandes grupos: o primeiro, guiado espiritualmente por Mãe Abagail, uma senhora com 108 anos de idade, e o segundo, sob a influência do diabólico Randall Flagg. No elenco, Gary Sinise, Molly Ringwald, Jamey Sheridan, Ruby Dee e Laura San Giacomo.

A CRIATURA DO CEMITÉRIO

Baseado no conto “Último Turno”, do livro “Sombras da Noite”, o terror toma forma num moinho têxtil onde um funcionário do turno da noite é morto de forma violenta e misteriosa. Um forasteiro, John Hall (David Andrews), é contratado em seu lugar pelo inescrupuloso dono do empreendimento, mas misteriosos assassinatos voltam a ocorrer: uma maléfica entidade habita os subterrâneos da fábrica. Dublador do boneco Chucky, Brad Dourif encarna um exterminador de ratos. Obs. Incluído na coleção Stephen King – Contos de Terror.

CHRISTINE – O CARRO ASSASSINO

Depois de dirgir o impactante “O Enigma de Outro Mundo” (1983), o mestre John Carpenter voltou-se para esta adaptação do livro de King sobre a paixão de um adolescente por seu automóvel. Na trama, Arnie Cunningham (Keith Gordon, de Vestida para Matar”) é um estudante nerd que adquire um Plymouth Fury 1958 vermelho. Obecado pelo carro, o jovem dedica-se febrilmente à sua restauração, e “Christine” retribui o carinho matando qualquer um que fizer mal a seu novo proprietário.

DESESPERO

Inicialmente planejado como minissérie, o telefilme foi escrito pelo próprio Stephen King a partir de seu livro homônimo. Desespero é o nome de uma pequena cidade de Nevada controlada pelo tirânico xerife local, Collie Entragian (Ron Perlman, de “Hellboy”). Ele tem o péssimo hábito de deter viajantes na estrada que corta a cidade deserta cuja população é, na verdade, formada a partir do seu arbítrio. Tom Skerritt, Steven Weber, Annabeth Gish, Charles Durning e Henry Thomas estão no elenco.

FENDA NO TEMPO

Minissérie em 3 episódios na qual King mistura ficção-científica e mistério, por meio de um tipo de fenda do universo. Em um voo rotineiro de Los Angeles para Boston algo sem explicação acontece: dez passageiros despertam e constatam que são as únicas pessoas no avião. Desconfianças e até uma teoria da conspiração pairam sobre os sobreviventes, e o piloto responsável, Brian Engle (David Morse, de “A Espera de um Milagre”), decide posar a aeronave no próximo aeroporto.

JOVEM OUTRA VEZ

Mais uma mnissérie dos anos 1990 baseada em material do autor, uma versão sci-fi do envelhecimento reverso. A história acompanha as transformações sofridas por um zelador idoso que é atingido por substâncias químicas após a explosão de um laboratório secreto do governo. A cada dia, ele vai se tornando mais jovem, o que coloca a CIA em seu encalço, a fim de transformá-lo em cobaia.

OS ESTRANHOS

Em uma pequena cidade na zona rural dos Estados Unidos, uma estranha radiação começa a emanar da floresta depois que uma romancista começa a desenterrar o que parece ser uma nave alienígena. Minissérie de ficção-científica estrelada por Jimmy Smits (“Nova Iorque Contra o Crime”), Marg Helgenberger (“CSI”) e Joanna Cassidy (uma das replicantes de “Blade Runner”).

E VEJA TAMBÉM:
Mais de Stephen King na 2001

ENTRE AS NOVIDADES DO MÊS, JEFF BRIDGES, KEANU REEVES, CATHERINE DENEUVE E MUITO MAIS!

A QUALQUER CUSTO

Espécie de faroeste moderno em tempos de recessão econômica, o filme do diretor David Mackenzie (“Sentidos do Amor”) acompanha os irmãos Toby (Chris Pine) e Tanner (Ben Foster) Howard em uma série de assaltos a bancos numa região pobre do Texas. Em seu encalço está Marcus Hamilton (Jeff Bridges, indicado ao Oscar de ator coadjuvante), um Texas Ranger prestes a se aposentar. Com muito subtexto social, “A Qualquer Custo” concorreu ainda ao Oscar de melhor filme, roteiro original e montagem.

JOHN WICK – UM NOVO DIA PARA MATAR

Keanu Reeves reencontra Laurence Fishburne, seu parceiro de “Matrix“, nesta elogiada continuação do cult de ação “De Volta ao Jogo”, de 2014. O astro repete o papel do assassino de aluguel, que desta vez é forçado a uma última missão por um perigoso mafioso italiano, interpretado por Riccardo Scarmacio (de “O Primeiro que Disse”). Com belas locações em Roma, o filme tem tudo para agradar aos fãs do primeiro filme, com cenas de ação incrivelmente coreografadas e estilizadas.

HOMEM ARANHA – DE VOLTA AO LAR

Com mais de 6,6 milhões de espectadores nos cinemas, o filme dá novo fôlego à franquia, mostrando suas origens do personagem. Depois de lutar ao lado dos Vingadores, Peter Parker (Tom Holland, revelado em “O Impossível”) retorna para casa e à rotina escolar, ao mesmo tempo em que tenta provar para Tony Stark (Robert Downey Jr.) que é um super-herói de verdade. Com muito bom humor, o filme enfoca o rito de passagem do protagonista sem deixar de lado a aventura, com Michael Keaton como o vilão Abutre.

E VEJA TAMBÉM:
Coleção Homem-Aranha (6 Filmes)

O REENCONTRO

Exibido no Festival Varilux de Cinema Francês deste ano, o longa tem como destaque o embate entre duas grandes atrizes: Catherine Deneuve (“Indochina“) e Catherine Frot (de “Marguerite”, em promoção na 2001). Frot interpreta Claire, uma experiente (e solitária) parteira que tem sua vida virada de cabeça para baixo com o retorno de Beatrice (papel de Deneuve), a extravagante ex-amante de seu falecido pai. Direção e roteiro de Martin Provost (“Violette”).

A VIAGEM DE FANNY

Inspirada na autobiografia homônima de Fanny Ben-Ami, esta aventura infantil acompanha a história real da autora, que aos 12 anos liderou um grupo de crianças em fuga da França para a fronteira com a Suíça durante a ocupação nazista, em 1943. Estrelado por Léonie Souchaud e Cécile de France, o filme fez parte da programação do Festival Varilux de Cinema Francês 2017.

MÁS NOTÍCIAS PARA O SR. MARS

Mais um trabalho inusitado de Dominik Moll, diretor de “Lemming” (2005) e “O Monge” (2011), filmes marcados pelo insólito e imagens delirantes. Na comédia do absurdo “Más Notícias”, François Damiens (de “A Família Bélier”) vive Philippe Mars, um homem pacato que faz o possível para ser um bom pai, ex-marido e irmão compreensível, apesar do (mau) comportamento daqueles a sua volta.

DÉGRADÉ

Escrito e dirigido pelos irmãos gêmeos Arab Nasser e Tarzan Nasser, o filme acompanha um dia no salão de beleza da imigrante russa Christine (Victoria Balitska), situado em Gaza. O terror e a opressão na região permeiam as confidências de diferentes mulheres – uma delas interpretada por Hiam Abbass – que acabam presas ali, em meio ao caos nas ruas. Exibido em Cannes e no Festival de Toronto em 2015

SOUNDTRACK

Estreia da dupla 300ml na direção, o filme narra a história de Cris (Selton Mello), um artista brasileiro que viaja até uma estação de estudos isolada no Ártico para se dedicar a um novo projeto. Durante sua estadia, entra em contato com pesquisadores ali instalados – entre eles um cientista que estuda o aquecimento global (papel do inglês Ralph Ineson, de “Game of Thrones”) e um botânico (vivido por Seu Jorge).

CORAÇÃO DE CACHORRO

Escrito e dirigido por Laurie Anderson, música e ex-parceria de Lou Reed, o documentário traz reflexões da multiartista sobre a morte a partir de temas pessoais, como o falecimento de sua cadela Lolabelle, e assuntos mais amplos, como os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos. Premiado no Festival de Cinema de Veneza, o filme foi exibido na Mostra Internacional de Cinema de SP.

BOX GRANDES DIRETORES

Em “Woody Allen – Um Documentário”, O escritor, diretor, ator, comediante e músico nova-iorquino permitiu que sua vida e processo criativo fossem registrados, com acesso sem precedentes. Já em “Roman Polanski – Memórias”, o polêmico diretor polonês fala sobre sua tumultuada história de vida e carreira em uma conversa com Andrew Braunsberg.

MEMÓRIAS EM VERDE E ROSA

O documentário de Pedro Von Krüger resgata histórias do morro da Mangueira, berço da Estação Primeira e de várias lendas do samba. Tantinho, Nelson Sargento, Delegado e outros relembram as dificuldades enfrentadas antes do reconhecimento como artistas e moradores ilustres de uma das comunidades mais famosas do Rio de Janeiro.

TUDO E TODAS AS COISAS

Adaptação do best seller homônimo de Nicola Yoon, o filme é mais um sensível drama centrado em jovens em crise – e seu processo de amadurecimento. Como Maddie (Amandla Stenberg), que, aos 18 anos, vive confinada em casa devido a uma doença rara – a Síndrome da Imunodeficiência Combinada. Até que um novo vizinho começa a mudar sua vida.

NOVAS COLEÇÕES DE “GIALLO” DA VERSÁTIL

MUITOS SUSTOS E SURPRESAS EM DOIS LANÇAMENTOS COM O CELEBRADO (E VIOLENTO) ESTILO DE SUSPENSE ITALIANO: “GIALLO – VOL. 3“, INCLUINDO CULTS DE LUCIO FULCI E MARIO BAVA, E O VOLUME 4, EM EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDS.

GIALLO – VOL. 3

No formato digistack, com 2 DVDs, o box reúne – em inéditas versões restauradas – 4 clássicos dirigidos por nomes-chave do cinema giallo, além de quase duas horas de vídeos extras.

DISCO 1:

PREMONIÇÃO (Sette Note in Nero/The Psychic, 1977, 96 min.)
De Lucio Fulci. Com Jennifer O’Neill, Gabriele Ferzetti, Marc Porel.

Mulher acometida por estranhas visões encontra um esqueleto atrás da parede de sua sala. Perturbada, ela decide investigar o que aconteceu. Com ótima trilha de Fabio Frizzi – homenageada por Quentin Tarantino em “Kill Bill” -, Fulci realiza um giallo muito bem construído e envolvente.

CINCO BONECAS PARA A LUA DE AGOSTO (5 Bambole per la Luna d’Agosto, 1970, 81 min.)
De Mario Bava. Com Edwige Fenech, Ely Galleani, Maurice Poli, William Berger.

Um grupo de amigos é vítima de assassinatos misteriosos numa ilha paradisíaca. Inspirado livremente em “O Caso dos Dez Negrinhos”, de Agatha Christie, esse giallo é uma das obras visualmente mais originais do mestre Mario Bava.

DISCO 2:

NO QUARTO ESCURO DE SATÃ (Il tuo vizio è una stanza chiusa e solo io ne ho la chiave, 1972, 97 min.)
De Sergio Martino. Com Edwige Fenech, Anita Strindberg e Luigi Pistilli.

Assassinatos misteriosos ocorrem num vilarejo lançando suspeitas sobre um escritor decadente e sua esposa. Adaptação livre do conto “O Gato Preto”, de Edgar Allan Poe, esse é mais um influente giallo de Sergio Martino (“Torso”).

OS PASSOS (Le Orme, 1975, 96 min.)
De Luigi Bazzoni. Com Florinda Bolkan, Peter McEnery, Klaus Kinski.

Atormentada por estranhos sonhos de astronautas na lua, uma mulher visita uma cidade litorânea cujos moradores afirmam já conhecê-la. Essa fascinante mistura de giallo e sci-fi traz mais uma interpretação marcante da brasileira Florinda Bolkan (“Uma Lagartixa num Corpo de Mulher”) no gênero.

EXTRAS:

* Depoimentos (24 min.)
* Apresentação de Fernando Brito para “Cinco Bonecas para a Lua de Agosto” (10 min.)
* Especial sobre “Premonição” (24 min.)
* Trailers (7 min.)

GIALLO VOL. 4 – ED. LIMITADA COM 4 CARDS

DVD duplo, no formato digistack, com 4 clássicos inéditos (e sangrentos)dirigidos por especialistas no gênero, como Sergio Martino (“Torso”) e Massimo Dallamano (“O Que Vocês Fizeram com Solange?”), além de uma hora de vídeos extras.

Edição Limitada com 4 cards.

DISCO 1:

TODAS AS CORES DA ESCURIDÃO (Tutti i Colori del Buio, 1972, 95 min.)
De Sergio Martino. Com George Hilton, Edwige Fenech, Ivan Rassimov.

Uma mulher em recuperação após um acidente de carro envolve-se com uma seita de adoradores do diabo. Psicodélico, inventivo e com uma trilha icônica de Bruno Nicolai, este é um dos melhores gialli de Martino.

O QUE ELES FIZERAM A SUAS FILHAS? (La Polizia Chiede Aiuto, 1974, 91 min.)
De Massimo Dallamano. Com Giovanna Ralli, Claudio Cassinelli, Mario Adorf.

Ao investigar o aparente suicídio de uma jovem, a polícia descobre um esquema criminoso e sai à caça de um assassino. Eletrizante mistura de giallo e trama policial numa espécie de continuação do ótimo “O Que Vocês Fizeram com Solange?”.

DISCO 2:

O PERFUME DA SENHORA DE PRETO (Il Profumo della Signora in Nero, 1974, 104 min.)
De Francesco Barilli. Com Mimsy Farmer, Maurizio Bonuglia, Mario Scaccia.

Silvia, uma cientista industrial, é assombrada por estranhas alucinações relacionadas à trágica morte de sua mãe. Com ecos de “O Bebê de Rosemary” e “Repulsa ao Sexo”, o filme traz no elenco Mimsy Farmer (“More”), musa dos anos 1970.

A RAINHA VERMELHA MATA 7 VEZES (La Dama Rossa Uccide Sette Volte, 1972, 99 min.)
De Emilio Miraglia. Com Barbara Bouchet, Ugo Pagliai, Marina Malfatti.

Quando duas irmãs herdam o castelo da família, tem início uma série de assassinatos cometidos por uma misteriosa mulher trajando uma capa vermelha. Bizarro giallo que transita entre cenários góticos e o universo da moda.

EXTRAS:

* Entrevista de Sergio Martino (32 min.)
* Especiais e Trailers (31 min.)

MAIS 4 CARDS EXCLUSIVOS:

E COMPLETE SUA COLEÇÃO

GIALLO – VOL. 1

DISCO 1:
SEIS MULHERES PARA O ASSASSINO
TENEBRE

DISCO 2:
O ESTRANHO VÍCIO DA SRA. WARDH
O SEGREDO DO BOSQUE DOS SONHOS

GIALLO – VOL. 2

DISCO 1:
UMA LAGARTIXA NUM CORPO DE MULHER
O QUE VOCÊS FIZERAM COM SOLANGE?

DISCO 2:
TORSO
A BREVE NOITE DAS BONECAS DE VIDRO

10 LANÇAMENTOS PARA OS FÃS DE CLÁSSICOS DO CINEMA

DESAPARECIDO – UM GRANDE MISTÉRIO

Baseado em fatos reais, este thriller político do cineasta franco-grego Costa-Gavras (“Z“) recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes e o Oscar de melhor roteiro adaptado. Na trama, um jovem jornalista americano (John Shea) desaparece no Chile durante o golpe de estado liderado por Augusto Pinochet, em 1973. Seu pai (Jack Lemmon, também premiado em Cannes) vai até o país e, ao lado da esposa do rapaz (papel de Sissy Spacek), busca informações sobre seu paradeiro.

ASSASSINATO NO EXPRESSO ORIENTE

Enquanto não estreia nos cinemas a nova adaptação da obra de Agatha Christie, com direção de Kenneth Baranagh, vale a pena ver (ou rever) a versão de 1974, premiada com o Oscar de melhor atriz coadjuvante para Ingrid Bergman. Sidney Lumet (“Rede de Intrigas“) conduz um elenco de estrelas, com Albert Finney no papel de Hercule Poirot, inspetor belga que tenta desvendar um intrigante caso de assassinato a bordo do Expresso Oriente.

STANLEY KUBRICK – THE NOIR COLLECTION

DVD com dois filmes do início de carreira do genial diretor de “2001: Uma odisseia no Espaço“. Em “A Morte Passou Perto” (1955), seu segundo longa-metragem, um boxeador nova-iorquino começa a correr perigo quando ele decide proteger uma dançarina de cabaré envolvida com um gangster. Já em “O Grande Golpe” (1956), considerado um dos grandes filmes noir da história, um ex-presidiário (Sterling Hayden) planeja um assalto durante a corrida de cavalos mais importante do ano.

O CONTO DO CZAR SALTAN

Imortalizado na ópera de Rimsky-Korsakov, o célebre poema de Aleksandr Pushkin é transposto para a tela por Aleksander Ptushko, diretor russo especializado em efeitos especiais de animação stop motion. Em clima de fábula, “O Conto do Czar Saltan” narra a saga do príncipe Gvidon, que é jogado ao mar junto com sua mãe czarina após ser traída pelas irmãs dela. Com a ajuda de um cisne encantado que realiza seus desejos, o príncipe inicia uma fantástica aventura em busca do pai.

PRÍNCIPE VALENTE

Henry Hathaway (“Bravura Indômita“) dirige esta aventura de capa e espada baseada nas histórias em quadrinhos de Harold “Hal” Foster, com Robert Wagner na pele do herói, Janet Leigh no papel da mocinha e James Mason como o vilão Cavaleiro Negro. Quando atinge a maioridade, o príncipe é enviado por seu pai a Camelot para se tornar cavaleiro, mas é atacado por um desconhecido.

SATÃ JANTA CONOSCO

Clássica comédia baseada em sucesso da Broadway, com Monty Woolley repetindo no cinema o papel de um famoso (e manipulador) autor fictício, Sheridan Whiteside. Após sofrer uma fratura, ele fica obrigado a ficar na casa dos Stanley, em Ohio, e transforma a vida de todos num inferno. Bette Davis interpreta sua secretária, Maggie Cutler.

E VEJA TAMBÉM:
Box Bette Davis

CONSCIÊNCIAS MORTAS

Dirigido por William Wellman (“Beau Geste”), este western trata de um tema universal: a justiça com as próprias mãos. Henry Fonda interpreta um forasteiro que tenta impedir o linchamento dos supostos assassinos de um fazendeiro na pequena cidade de Ox-Bow. Um dos melhores faroestes psicológicos já realizados, indicado ao Oscar de melhor filme em 1944.

QUANDO UM HOMEM É HOMEM

Este western cômico marca a quarta de cinco parcerias entre John Wayne e Maureen O’Hara (“Depois do Vendaval“) e é livremente inspirado em “A Megera Domada”, de Shakespeare. O “Duke” dá vida a George Washington McLintock, um altivo barão do gado que entra em guerra com sua teimosa esposa Katherine (O’Hara), que o abandonou dois anos antes.

AO COMPASSO DO AMOR

Em seu primeiro filme juntos, Fred Astaire e Rita Hayworth interpretam dois parceiros de dança. Os dois formam triângulo amoroso com um produtor casado (Robert Benchley) que está interessado na moça. Musical indicado ao Oscar de melhor trilha sonora e canção original – “Since I Kissed My Baby Goodbye”, de Cole Porter.

NAS ÁGUAS DA ESQUADRA

O quinto de dez musicais com a dupla Fred Astaire e Ginger Rogers na tela, com trilha musical de Irving Berlin e canções como “Let’s Face The Music And Dance” e “Let Yourself Go”. A história acompanha o marinheiro e ex-dançarino Bake Baker (Astaire), que tenta reacender a chama com sua antiga parceira, Sherry Martin (Rogers).

E VEJA TAMBÉM:
Box Fred e Ginger