Warning: Declaration of Walker_post_notification::start_lvl(&$output, $depth, $args) should be compatible with Walker::start_lvl(&$output, $depth = 0, $args = Array) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299

Warning: Declaration of Walker_post_notification::end_lvl(&$output, $depth, $args) should be compatible with Walker::end_lvl(&$output, $depth = 0, $args = Array) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299

Warning: Declaration of Walker_post_notification::start_el(&$output, $category, $depth, $args) should be compatible with Walker::start_el(&$output, $object, $depth = 0, $args = Array, $current_object_id = 0) in /home4/hg200612/public_html/2001indica.com.br/wp-content/plugins/post-notification/functions.php on line 299
“ELIS” E “AQUARIUS” SÃO OS GRANDES VENCEDORES DO GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO | 2001 Indica

“ELIS” E “AQUARIUS” SÃO OS GRANDES VENCEDORES DO GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO

EM CERIMÔNIA REALIZADA ONTEM À NOITE, NO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO, O “OSCAR DO CINEMA NACIONAL” CELEBROU OS MELHORES TRABALHOS E PROFISSIONAIS DA ÁREA, DIVIDINDO A MAIORIA DOS PRÊMIOS ENTRE A CINEBIOGRAFIA “ELIS“, COM OITO TROFÉUS, E O ACLAMADO “AQUARIUS“, VENCEDOR DAS CATEGORIAS DE MELHOR FILME, DIREÇÃO E TRILHA SONORA.

“Elis” levou 8 troféus: atriz (Andréia Horta), montagem, fotografia, trilha sonora original, maquiagem, som, direção de arte e figurino.

Escrito por Luiz Bolognesi, Vera Egito e pelo diretor Hugo Prata, “Elis” condensa a trajetória singular da artista que passou como um furacão pela música brasileira nos anos 1960 e 70, participando ativamente de alguns dos mais importantes momentos da cultura popular do período.

Com primorosa reconstituição de época, o filme faz um recorte da carreira e da vida pessoal da cantora gaúcha, desde sua chegada com o pai ao Rio de Janeiro, em 1º de abril de 1964, quando eclodiu o Golpe Militar. Aos 19 anos, ainda desconhecida, ela conheceu Luiz Carlos Miéle e o sedutor Ronaldo Bôscoli, que se tornaria seu primeiro marido. Outras passagens importantes foram a parceria amorosa e artística com o pianista César Camargo Mariano – que rendeu espetáculos históricos como “Falso Brilhante” -, a maternidade, sua relação conturbada com os militares, e seu trágico final.

Andréia Horta no filme e Elis Regina na capa do disco “Em Pleno Verão”, de 1970

Rodada no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Paris entre agosto e setembro de 2015, a cinebiografia marca a estreia de Prata na direção de longa-metragem. Além de Andréia Horta (da minissérie “Liberdade, Liberdade”) –radiante no papel-título–, o elenco conta com Lucio Mauro Filho (na pele de Miéle), Caco Ciocler (no papel de César Camargo Mariano), Gustavo Machado (Ronaldo Bôscoli), Julio Andrade (o dzi croquette Lennie Dale) e Zécarlos Machado (como Romeu, pai de Elis).

“Intensa, ela foi tragada pela própria labareda”, assim Horta descreve a icônica “Pimentinha” que, passados 35 anos desde sua morte, ainda deixa saudades.

Aclamado pela crítica, “Aquarius” levou os dois prêmios mais importantes – melhor filme e direção (para Kleber Mendonça Filho) — mais trilha sonora.

Um dos trabalhos mais elogiados – e controversos do cinema em 2016 -, “Aquarius” fez sua estreia no Festival de Cannes e concorreu ao César e ao Independent Spirit Awards de melhor filme estrangeiro.

Depois de “O Som Ao Redor” (2012), o diretor e roteirista Kleber Mendonça Filho volta a cutucar conflitos sociais e diferenças de classe no Brasil, por meio do embate vivido por Clara (Sonia Braga), jornalista aposentada que mora em um apartamento do edifício Aquarius, em Recife. Ela é a última moradora do prédio e recusa-se a vender o imóvel para uma construtora, que deseja demolir o local e construir um novo empreendimento.

Coprodução entre Brasil e França, o filme gradativamente constrói a tensão sofrida por Clara, em uma disputa de Davi contra Golias a fim de preservar seu espaço e liberdade de escolha.

Confira a lista completa dos vencedores do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro:

MELHOR FILME
Aquarius

MELHOR FILME – JÚRI POPULAR
Boi Neon

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Cinema Novo / Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil

MELHOR DOCUMENTÁRIO – JÚRI POPULAR
Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil

MELHOR COMÉDIA
O Shaolin do Sertão

MELHOR DIREÇÃO
Kleber Mendonça Filho (Aquarius)

MELHOR ATOR
Juliano Cazarré (Boi Neon)

MELHOR ATRIZ
Andréia Horta (Elis)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Flávio Bauraqui (Nise – O Coração da Loucura)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Laura Cardoso (De Onde Eu Te Vejo)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
BR 716 / Boi Neon

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Minha Mãe é uma Peça 2 / Big Jato

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Chegada

MELHOR FILME ESTRANGEIRO – JÚRI POPULAR
A Garota Dinamarquesa

MELHOR MONTAGEM – FICÇÃO
Elis

MELHOR MONTAGEM – DOCUMENTÁRIO
Cinema Novo

MELHOR FOTOGRAFIA
Boi Neon / Elis

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Elis

MELHOR TRILHA SONORA
Aquarius

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Elis

MELHOR SOM
Elis

MELHOR FIGURINO
Elis

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Pequeno Segredo

MELHOR MAQUIAGEM
Elis

MELHOR CURTA – FICÇÃO
O Melhor Som do Mundo

MELHOR CURTA – DOCUMENTÁRIO
Buscando Helena

MELHOR CURTA – ANIMAÇÃO
Vida de Boneco

MENÇÃO HONROSA – CINEMA INFANTIL
Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *