“AMOR À FLOR DA PELE” E AS INÚMERAS PAIXÕES DE WONG KAR-WAI

CONFIRA EM DVD NA 2001 A OBRA-PRIMA DO ACLAMADO DIRETOR CHINÊS, E SUA CONTINUAÇÃO, “2046 – OS SEGREDOS DO AMOR”.

Em 2016, os editores do BBC Culture realizaram uma eleição junto a críticos e personalidades do cinema para escolher os cem melhores filmes do século 21. Premiado no Festival de Cannes, “Amor à Flor da Pele” (2000) ficou na segunda posição, ficando atrás apenas de “Cidade dos Sonhos” (2001), de David Lynch.

Wong Kar-Wai nasceu em 17 de julho de 1958, em Xangai (China), e foi criado em Hong Kong. Fez assistência de produção para a televisão antes de iniciar a carreira de roteirista, migrando posteriormente para o cinema, escrevendo diversos roteiros antes de estrear na direção com “Conflito Mortal” (1988). Ficou conhecido no Brasil a partir de “Amores Expressos” (1994) e atingiu a consagração internacional com o drama romântico “Amor à Flor da Pele“. É um dos cineastas chineses que têm mais afinidade com o público ocidental. Seus personagens essencialmente solitários e desgarrados expressam bem o espírito, as angústias e os desejos daqueles que vivem nos grandes centros urbanos.

AMOR À FLOR DA PELE

A partir de um enredo singelo, ambientado em Hong Kong nos anos 1960, o diretor criou uma experiência sensorial única, com grandes atuações do casal central, visual deslumbrante e trilha sonora marcante.

Ator-fetiche de Kar-wai, Tony Leung (“Felizes Juntos“, “O Grande Mestre”) interpreta o Sr. Chow, jornalista que muda-se com a esposa para um novo apartamento. No local, conhece uma linda mulher casada, Li-Zhen (Maggie Cheung, de “Clean”). Aos poucos, eles se tornam amigos e descobrem que seus respectivos companheiros estão tendo um caso.

Com a ausência constante de seus parceiros, os dois sentem o peso da solidão, ao mesmo tempo em que desejam desesperadamente um ao outro. É a deixa para Kar-wai compor a dinâmica entre os protagonistas traídos, que passam a simular os passos de seus esposos, querendo saber como estes começaram seu caso. Querendo entender os ausentes – e a si mesmos.

Sem recorrer a cenas de sexo ou nudez, “Amor À Flor da Pele“, com o auxílio indispensável da fotografia do australiano Christopher Doyle, acompanha uma paixão tão arrebatadora quanto sufocada.

Maggie Cheung e Wong Kar-wai durante as filmagens de “Amor à Flor da Pele”

CURIOSIDADES:

* Inicialmente, as filmagens estavam planejadas para serem realizadas em Beijing, na China. Entretanto, as autoridades chinesas exigiram ver o script completo do filme antes. Como o diretor Wong Kar-Wai nunca utiliza scripts em seus filmes, as filmagens foram transferidas para Macau.

* Tony Leung recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cannes pelo papel principal. O filme também levou o Grande Prêmio Técnico em Cannes e o César de melhor filme estrangeiro.

* A trilha sonora conta com duas canções interpretadas por Nat King Cole.

2046 – OS SEGREDOS DO AMOR

Quatro anos depois do lançamento de “Amor à Flor da Pele“, “2046” amplia o universo do atormentado Sr. Chow, acompanhando o fluxo de memórias do personagem, agora um Don Juan envolvido em diversas aventuras amorosas na tentativa de esquecer o passado.

Divorciado da mulher que o traía com o marido de sua vizinha, Chow começa a escrever um conto ambientado no futuro, no mundo imaginário de 2046, mesmo número do apartamento onde ele e Su Li-zhen encontravam-se na trama de “Amor à Flor da Pele“. O local guarda as memórias de um amor perdido e, segundo Chow, “… é o destino daqueles que buscam recuperar recordações esquecidas, porque nada mais muda”.

“Todas as recordações são rastros de lágrimas”. Chow (Tony Leung)

Logo no início, uma exuberante sequência de animação apresenta uma estação futurista onde um vagão de trem leva a 2046, e uma vez lá ninguém consegue escapar. Assim como Chow, que não consegue fugir das próprias memórias, preso numa existência solitária sublimada na ficção que escreve – projetada na tela.

Mas Chow não é mais o sujeito recatado e tímido do longa anterior. Após uma  grande desilusão amorosa, ele passa a gastar todo o seu dinheiro com apostas e mulheres em Singapura, até ser resgatado pela trágica personagem da musa Gong Li (“Lanternas Vermelhas”), jogadora profissional com quem ele vive breve flerte. Anos depois, em Hong Kong, envolve-se com uma prostituta (Zhang Zyyi, de “O Grande Mestre”) que cai de amores por ele. Mas, desencantado com o amor, ele prefere não se prender a ninguém.

Essas e outras peripécias do agora bon vivant Chow são narradas de forma não-linear, num fluxo contínuo no qual momentos presentes são transformados em passado. Em deslumbrantes imagens de Christopher Doyle, “2046” circula no tempo e no espaço subjetivados pelo protagonista, cujas memórias tomam a tela. E o espectador.

E VEJA TAMBÉM, DO MESMO DIRETOR:

EROS

O amor e o erotismo na visão de três grandes cineastas de diferentes continentes: “A Mão”, de Wong Kar-Wai, “O Perigoso Encadeamento das Coisas”, de Michelangelo Antonioni, e “Equilíbrio”, assinado por Steven Soderbergh. “A Mão” traz a obsessão e o desejo irrealizado de um costureiro por uma cortesã de luxo, nos anos 1960, com as características já tradicionais da obra de Kar-Wai.

FELIZES JUNTOS

Um dos grandes nomes do cinema contemporâneo, Wong Kar-Wai (“Amores Expressos“) levou o prêmio de melhor diretor do Festival de Cannes por este drama sobre amor e solidão, em ritmo de tango. Na trama, Lai (Tony Leung Chiu-Wai, ator-assinatura de Kar-Wai) e seu namorado Po-Wing (Leslie Cheung) deixam Hong Kong com destino a Foz do Iguaçu, mas se perdem no caminho e vão parar na Argentina. Em meio a brigas e recomeços, os dois acabam ficando em Buenos Aires.

ANJOS CAÍDOS

Um assassino de aluguel desiludido e cansado da vida parte para seu último trabalho, ao mesmo tempo em que se vê atraído por sua sócia de crimes. Tomado pela dúvida em se envolver ou não com a parceira, ele segue pela noite de Hong-Kong e cruza com Ho, jovem mudo que invade lojas fingindo ser um vendedor. Com enquadramentos ousados, muitos filtros, luzes e texturas, é mais um trabalho de Kar-wai sobre relacionamentos na modernidade.

CINZAS DO PASSADO REDUX

Na China antiga, à beira de um grande deserto, o espadachim Ouyang Feng vive como um vagabundo, tirando seu sustento da contratação de assassinos de aluguel.  Realizado em 1994 e relançado mundialmente com o acréscimo do Redux no título, o filme foi restaurado, remixado e parcialmente restaurado, com parte da trilha refeita. Wong Kar-Wai acrescenta seu estilo à tradicional saga épica oriental, com inúmeras subtramas, pontos de vista e cenas de ação estilizadas.

AMORES EXPRESSOS

Terceiro longa-metragem do diretor Wong Kar-wai (“Amor à Flor da Pele“, “Felizes Juntos“), o filme foi realizado em Hong Kong e narra duas histórias protagonizadas por policiais: 223 (Takeshi Kaneshiro) e 663 (Tony Leung, ator-assinatura do cineasta). O destino dos dois irá se cruzar com outros personagens solitários, em meio a um turbilhão de amores, cores vibrantes e clássicos da música pop típicos da filmografia de Kar-Wai.

DIAS SELVAGENS

Yuddy, solitário e de coração duro, acaba envolvido com duas belas mulheres que disputam seu amor. O triângulo amoroso desencadeia uma série de descobertas, com o tempo como figura-chave. Segundo longa-metragem do diretor, e a sua primeira parceria com o diretor de fotografia Christopher Doyle, corresponsável pela linguagem única de seus filmes.

CONFLITO MORTAL

Primeiro filme de Kar-wai, um drama policial já estrelado por Maggie Cheung, musa de “Amor à Flor da Pele“. Na trama, Wah (Andy Lau) acaba de receber uma visita inesperada. Sua prima Ngor (Cheung), delicada garota que chega para mudar sua rotina de líder de gangue, cuja maior preocupação é salvar o irmão, sempre endividado e fugindo de agiotas.

One thought on ““AMOR À FLOR DA PELE” E AS INÚMERAS PAIXÕES DE WONG KAR-WAI

  1. James says:

    Fiquei muito feliz por esses lançamentos, esperava por muito tempo, não estava conseguindo encontrar amor a flor da pele e 2046 pois estava fora de catalogo, e estava muito triste com a situação da 2001, que bom que vocês prolongaram a decisão, e retornaram com esses lançamentos.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *