INDICADOS AO OSCAR 2018 E MAIS NOVIDADES NA 2001

ROMAN J. ISRAEL

Denzel Washington recebeu sua segunda indicação consecutiva ao Oscar (concorreu em 2017 por “Um Limite Entre Nós”) por este drama de tribunal escrito e dirigido por Dan Gilroy (“O Abutre”). Transitando entre diversos temas (desigualdade social, ética, justiça para todos, racismo), “Roman J. Israel” é o retrato de um advogado idealista, especialista em causas sociais que precisa se reinventar após a morte do dono do escritório em que trabalhava. No caminho, enfrenta diversos dilemas ético-profissionais, no limiar entre Justiça e negócio.

VICTORIA E ABDUL – O CONFIDENTE DA RAINHA

Depois de “Sra. Henderson Apresenta” (2005) e “Philomena” (2013), Stephen Frears volta a dirigir Judi Dench numa história baseada em fatos reais. A grande atriz inglesa adiciona mais uma monarca à sua galeria de personagens, no papel de uma decadente rainha Victoria, em 1887. Sem ânimo para viver, ela conhece Abdul, um servo enviado da Índia (então parte do Império Britânico) com quem começa uma relação de amizade e cumplicidade que irá desagradar a corte inglesa.

THELMA

Thriller psicanalítico de Joachim Trier – diretor do premiado “Oslo, 31 de Agosto” -, escolhido pela Noruega para disputar o Oscar 2018 de melhor filme estrangeiro. Embora não tenha ficado entre os cinco finalistas, vale a pena conhecer este intrincado mergulho na sexualidade (e psique) de Thelma (Eili Harboe), uma jovem que deixa a casa dos pais religiosos ao entrar na faculdade. Ela irá vivenciar novas experiências, como uma paixão reprimida por uma colega de classe e até fenômenos paranormais.

BONECO DE NEVE

Adaptação do bestseller homônimo do autor norueguês Jo Nesbø, o suspense traz Michael Fassbender no papel do detetive Harry Hole. Ao lado de uma agente novata,Katrine Braft (a sueca Rebecca Ferguson, de “A Garota no Trem”), ele passa a investigar o desaparecimento de uma série de mulheres. Nos locais dos crimes, o assassino deixa como assinatura um boneco de neve. Dirigido por Tomas Alfredson (de “Deixe Ela Entrar”), o filme ainda traz no elenco Charlotte Gainsbourg e J.K. Simmons (“Whiplash”).

O CASTELO DE VIDRO

Baseado em livro autobiográfico da jornalista Jeanette Walls, o filme narra as memórias da autora, interpretada pela ganhadora do Oscar Brie Larson (“O Quarto de Jack”). Em flashbacks, ela – hoje uma colunista de sucesso em Nova York – relembra seu passado ao lado dos pais idealistas (Woody Harrelson e Naomi Watts) que vivem como nômades. Assim como em “Capitão Fantástico”, Jeanette e seus irmãos passam por inúmeras privações isolados no estilo de vida alternativo da família.

THOR: RAGNAROK

Thor (Chris Hemsworth) está preso do outro lado do universo e precisa correr contra o tempo para voltar a Asgard e parar a implacável vilã Hela (Cate Blanchett), a deusa da morte. Antes disso, ele precisa da ajuda de Hulk (Mark Ruffalo) e de Loki (Tom Hiddleston) para escapar de um planeta governado pelo tirânico Grão-Mestre (Jeff Goldblum). Com mais de 6 milhões de espectadores nos cinemas brasileiros, o terceiro longa do deus do trovão tem direção do neozelandês Taika Waititi.

DETROIT EM REBELIÃO

Única mulher premiada com o Oscar de melhor direção, por “Guerra ao Terror” em 2009, Kathryn Bigelow reconstitui com realismo e tensão crescente fatos reais envolvendo racismo e violência policial nos EUA. Entre 23 e 27 de julho de 1967, a cidade de Detroit foi palco de inúmeros protestos de cidadãos negros, repelidos com violência brutal pela polícia. No elenco, estão John Boyega (“Os Últimos Jedi“) e Anthony Mackie (“Capitão América – Guerra Civil“).

UMA VERDADE MAIS INCONVENIENTE

Dez anos após ter alertado sobre a crise iminente envolvendo o aquecimento global em “Uma Verdade Inconveniente” (vencedor do Oscar em 2007), Al Gore retorna ao tema neste documentário indicado ao Bafta. Exibido na última Mostra Internacional de Cinema de SP, o filme investiga não só as consequências práticas da crise climática, mas também os avanços obtidos na obtenção de energia através de fontes limpas.

MANIFESTO

Cate Blanchett dá um show, ao incorporar 13 personagens neste filme conceitual derivado de instalação de arte do artista alemão Julian Rosefeldt, também diretor do filme. Cate interpreta, sob diferentes personas, 13 monólogos adaptados de manifestos de movimentos políticos e artísticos, como o “Manifesto comunista” (1848), de Karl Max e Friedrich Engels, e o Dogma 95, dos cineastas dinamarqueses Lars von Trier e Thomas Vinterberg.

DEPOIS DAQUELA MONTANHA

Kate Winslet e Idris Elba precisam sobreviver juntos após um desastre aéreo neste drama de sobrevivência dirigido pelo palestino Hany Abu-Assad (de “Paradise Now”). Kate vive uma jornalista que decide fretar um jatinho e convida um médico (papel de Idris Elba) para dividir as despesas. Só que nada sai como planejado e os dois acabam sozinhos em uma região montanhosa isolada da civilização.

O MELHOR PROFESSOR DA MINHA VIDA

Com uma agenda positiva em prol da Educação e dilemas pertinentes a qualquer profissional da área, este longa francês trata com humor e sensibilidade dos desafios enfrentados por François Foucault (Denis Podalydès, de “Monsieur & Madame Adelman“), professor quarentão de uma escola particular em Paris que acaba sendo transferido para o ensino público.

GAROTO FANTASMA

Elogiada animação franco-belga dos diretores Jean-Loup Felicioli e Alain Gagnol, responsáveis por “Um Gato em Paris” (desenho indicado ao Oscar em 2011). Em seu novo trabalho, a dupla mistura fantasia e trama policial para tratar de temas sérios, como experiências fora do corpo físico. Preso em um hospital, Léo, um menino de 11 anos, descobre que ao fechar os olhos é capaz de projetar seu espírito pela cidade de Nova York.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *