O CINEMA DE LOUIS MALLE, EM 6 LANÇAMENTOS NA 2001

Louis Malle (1932–1995)

UM DOS MAIS IMPORTANTES (E VERSÁTEIS) DIRETORES EUROPEUS DO PÓS-GUERRA, O CINEASTA FRANCÊS TEM 6 FILMES RECÉM-LANÇADOS EM DVD – INCLUINDO “O MUNDO SILENCIOSO”, DOCUMENTÁRIO VENCEDOR DO OSCAR -, E “TIO VANYA EM NOVA YORK”, SEU ÚLTIMO TRABALHO.

Nascido em 30 de outubro de 1932, na comuna de Thumeries, no norte da França, Louis Malle estudou Ciências Políticas na Sorbonne e cinema no IDHEC (Institut des Hautes Études Cinématographiques).

Filho de família nobre, que o desencorajava a seguir carreira no cinema, Malle dirigiu dois curtas em 1954 (“Station 307” e “Crazeologie”) e logo passou a acompanhar o explorador Jacques-Yves Cousteau como operador de câmera. Depois de codirigir “O Mundo Silencioso” (1956), documentário de Cousteau premiado com a Palma de Ouro e o Oscar da categoria, o jovem Malle foi assistente de Robert Bresson em “Um Condenado à Morte Escapou” (1956).

Jeanne Moreau em “Os Amantes” (1958)

Sua estreia como diretor-solo se deu em 1958, com “Ascensor para o Cadafalso” (1958), thriller policial com marcante trilha sonora composta por Miles Davis. No final do mesmo ano, lançou “Os Amantes“, longa estrelado por Jeanne Moreau que provocou escândalo na época, em razão de uma tomada da atriz que insinua sexo oral – foi a primeira cena do gênero no cinema.

Sem ligação com seus contemporâneos que começavam a despontar na nouvelle vague, Malle sempre se arriscou em gêneros diferentes, fugindo do rótulo de “autor”. Buscava assuntos que lhe interessavam, experimentando assuntos e estilos diferentes.

“Meu Jantar com André” (1981) – disponível em edição especial na 2001 -, com Wallace Shawn e Andre Gregory. Os dois voltariam a atuar sob a direção de Malle em “Tio Vanya em Nova York” (1994)

Sua filmografia inclui desde o humor lúdico de “Zazie no Metrô” (1960), o tema do suicídio em “Trinta Anos esta Noite” (1963), a farsa de época de “O Ladrão Aventureiro” (1967), a fantasia de fundo psicanalítico “Lua Negra” (1975), o drama indicado ao Oscar “Atlantic City” (1980), a comédia de assalto “Alta Incompetência” (1984), a França ocupada pelos nazistas em “Adeus, Meninos” (1987), a paixão obsessiva, no ousado “Perdas e Danos” (1992), e seu filme-despedida, “Tio Vanya em Nova York” (1994), adaptação metalinguística da peça de Anton Tchekhov.

Falecido em 23 de novembro de 1995, aos 63 anos, Malle concorreu ao Oscar de melhor roteiro adaptado em 1973, por “Sopro no Coração”; melhor diretor em 1982, por “Atlantic City“; e melhor roteiro original em 1988, pelo drama autobiográfico “Adeus, Meninos“.

Confira a seguir seis trabalhos do grande cineasta francês que acabam de sair em DVD na 2001:

O MUNDO SILENCIOSO

Depois de trabalhar como operador de câmera em diversas viagens do oceanógrafo Jacques-Yves Cousteau, Malle foi promovido a codiretor, neste documentário pioneiro no uso da fotografia subaquática em cores. Do Mediterrâneo ao Oceano Índico, passando pelo Mar Vermelho, o comandante Costeau e sua equipe mergulham nas misteriosas belezas e mistérios do fundo do mar.

ASCENSOR PARA O CADAFALSO

Primeiro longa-metragem de ficção de Malle, que envereda pelo cinema noir americano sem deixar de lado a espontaneidade da nouvelle vague que eclodia no período. Na trama, Florence Carala (Jeanne Moreau) e seu amante Julien Tavernier (Maurice Ronet) sonham em ficar juntos e, para isso, armam um plano para matar o marido dela. A trilha jazzística do filme foi composta por Miles Davis.

LUA NEGRA

Incompreendido na época de seu lançamento, o longa é o trabalho mais experimental de Malle, uma jornada surrealista pela psique de uma jovem que faz de tudo para se isolar da cruel realidade em que vive. Escrito pelo próprio cineasta com a colaboração de Joyce Buñuel (nora de Luís Buñuel), “Lua Negra” é repleto de elementos fantásticos – como um unicórnio – e simbolismos, em belas imagens de Sven Nykvist.

ATLANTIC CITY

Depois do polêmico “Pretty Baby” (1978), Malle voltou aos EUA com este drama nostálgico com grandes atuações de Burt Lancaster e Susan Sarandon. Em Atlantic City, Lou (Lancaster), um gângster decadente que vive de lembranças do passado, aproxima-se de Sallu (Sarandon), cujo sonho é se tornar crupiê em Monte Carlo. Premiado em Veneza, o filme concorreu ao Oscar nas cinco categorias principais.

ALTA INCOMPETÊNCIA

Com Donald Sutherland, Jack Warden e Sean Penn no elenco, esta comédia de erros marca a incursão de Malle num subgênero americano por excelência: o filme de assalto. A história acompanha o plano de Garvey (Warden), que trabalha em uma casa de penhores em São Francisco. Ele e um grupo de desajustados desempregados resolvem assaltar a loja enquanto o dono está fora da cidade.

TIO VANYA EM NOVA YORK

Último trabalho de Malle antes de sua morte, o filme é uma versão modernizada da peça de Anton Tchécov. Na rua 42, em Nova York, uma trupe de atores faz uma leitura dramática da peça “Tio Vanya”. A partir daí, o roteiro metalinguístico de David Mamet mostra os bastidores dos ensaios, desnudando o processo de criação dos atores e sua assimilação do texto, estreitando as fronteiras entre realidade e ficção.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *