A Arte de

A ARTE DE JEAN-PIERRE MELVILLE E ROBERT ALTMAN + O CINEMA DE OZU 3

DE VOLTA AO CATÁLOGO, OS INFLUENTES POLICIAIS FRANCESES DE JEAN-PIERRE MELVILLE E TRÊS CULTS DO DIRETOR NORTE-AMERICANO NOS ANOS 70. E NÃO PERCA TAMBÉM O TERCEIRO VOLUME DA COLEÇÃO COM CLÁSSICOS DO MESTRE YASUJIRO OZU.

A ARTE DE JEAN-PIERRE MELVILLE

O DVD duplo reúne inéditas versões restauradas de clássicos de Jean-Pierre Melville (1917-1983), o mestre maior do policial francês, além de um ótimo documentário sobre o diretor, além de quase uma hora de extras.

Considerado um dos precursores da nouvelle vague, o cineasta francês era fascinado pelo cinema norte-americano, em especial pelos anti-heróis, femme fatales e tramas intrincadas do cinema noir. O box inclui um de seus melhores trabalhos, “O Círculo Vermelho”, influente “heist movie” (filme de assalto) com seus personagens amorais à beira do abismo.

DISCO 1: 

O CÍRCULO VERMELHO (“Le Cercle Rouge”, 1970, 141 min.)
Com Alain Delon, Bourvil, Gian Maria Volonté e Yves Montand.

Um grande ladrão, um assassino e um ex-policial alcoólatra planejam um elaborado assalto. O ultimo grande filme de Melville é uma sensacional homenagem aos filmes de assalto hollywodianos e a “Rififi”, de Jules Dassin.

CODINOME MELVILLE (“Sous le nom de Melville”, 2008, 76 min.)
De Olivier Bohler. Com Volker Schlöndorff, Bertrand Tavernier e Johnnie To.

Documentário que propõe uma fascinante reflexão sobre a vida, a obra e o legado de Melville, a partir de raros materiais de arquivo, trechos de filmes e depoimentos de cineastas consagrados e críticos de cinema.

DISCO 2:

TÉCNICA DE UM DELATOR (“Les Doulos”, 1969, 102 min.)
Com Jean-Paul Belmondo, Serge Reggiani e Jean Desailly.

A história de dois criminosos no submundo de Paris cujos destinos se cruzam. Eles são amigos ou inimigos? Um deles é um delator? Um filme noir fatalista e complexo dirigido magistralmente por Melville.

DOIS HOMENS EM MANHATTAN (“Deux Hommes dans Manhattan”, 1959, 84 min.)
Com Jean-Pierre Melville, Pierre Grasset e Christiane Eudes.

Um diplomata francês da ONU desaparece em Nova York. Um jornalista francês que mora na cidade e um fotógrafo alcoólatra saem à sua procura. Mais uma declaração de amor de Melville ao cinema policial norte-americano.

EXTRAS:

* Análise de “O Círculo Vermelho” (21 min.)
* Depoimento de Jean-Pierre Melville sobre “Técnica de um Delator” (19 min.)
* Apresentação de “Técnica” (2 min.)
* Trailers (09 min.)

A ARTE DE ROBERT ALTMAN

Um dos pioneiros da “Nova Hollywood” que emergiu no cinema americano no final dos anos 1960, Robert Altman (1925–2006) migrou da TV para a sétima arte combinando inovações técnicas como a sobreposição de diálogos numa cena, a alternância de histórias paralelas (o famoso multiplot ou filme-coral), o jogo de lentes e muita improvisação entre os atores – quase sempre com conteúdo crítico e subversivo.

A década de 1970 é considerada a mais fértil e bem-sucedida do cineasta, sendo bem representada na coleção, que reúne três clássicos desse período mais um documentário inédito.

DISCO 1:

TRÊS MULHERES (“3 Women”, 1977)
Com Shelley Duvall, Sissy Spacek e Janice Rule.

Mulher tímida e solitária começa um novo trabalho e logo se sente emocionalmente ligada a uma colega. Um acidente envolvendo as duas faz com que, inexplicavelmente, elas troquem de personalidade.

ALTMAN, UM RETRATO (“Robert Altman: giggle and give in”, 1996)
De Paul Joyce. Com Shelley Duvall, Elliott Gould e Joan Tewkesbury.

Fascinante introdução à obra do cineasta norte-americano, acompanhada de uma análise dos temas recorrentes de sua filmografia.

DISCO 2:

O PERIGOSO ADEUS (“The Long Goodbye”, 1973)
Com Elliott Gould, Nina van Pallandt e Sterling Hayden.

O detetive particular Philip Marlowe tenta ajudar um amigo acusado de matar a esposa. Baseado no romance “Hard Boiled”, do genial Raymond Chandler (“À Beira do Abismo”), este policial é um dos melhores neo-noir dos anos 70.

RENEGADOS ATÉ A ÚLTIMA RAJADA (“Thieves Like Us”, 1974)
Com Keith Carradine, Shelley Duvall, John Schuck e Bert Remsen.

Na década de 1930, três assassinos condenados escapam da prisão e iniciam uma série de assaltos a banco. Baseado no mesmo romance filmado por Nicholas Ray no cult “Amarga Esperança”.

EXTRAS:

* Documentário sobre “O Perigoso Adeus” (25 min.)
* Trailers e Spots de TV de “3 Mulheres” (8 min.)
* Trailer de “O Perigoso Adeus” (3 min.)
* Spots de Rádio de “O Perigoso Adeus” (3 min.)
* Trailer de “Renegados Até a Última Rajada” (2 min.)

O CINEMA DE OZU – VOL. 3

Mais 6 clássicos do mestre japonês, incluindo inéditas versões restauradas de três de seus últimos filmes (“A Rotina Tem seu Encanto”, “Bom Dia” e “Dias de Outono”) e raridades como “As Irmãs Munekata” e “O Sabor do Chá Verde Sobre o Arroz”.

DISCO 1:

BOM DIA (Ohayo, 1959, 94 min.)

Num bairro de Tóquio, as crianças ficam encantadas com a televisão de um vizinho. E os irmãos Isamu e Minoru querem uma TV só para eles, o que gera conflito familiares.

DIAS DE OUTONO (Akibiyori, 1960, 128 min.)

Após a morte do marido, Akiko e amigos sugerem a sua filha, Ayako, que se case. Mas ela recusa, pois quer ficar com a mãe. Com o novo casamento da mãe, o que Ayako fará?

DISCO 2:

A ROTINA TEM SEU ENCANTO (Sanma No Aji, 1962, 114 min.)

Um viúvo leva uma vida calma sob os cuidados da filha. Mas, após uma conversa com amigos, ele fica preocupado com o futuro da filha e resolve arrumar um marido para ela.

AS IRMÃS MUNEKATA (Munekata Kyodai, 1950, 112 min.)

Duas irmãs ganham a vida trabalhando num bar. Uma delas é casada com um desempregado alcóolatra, mas as duas amam outro homem, um sofisticado antiquário.

DISCO 3:

O SABOR DO CHÁ VERDE SOBRE O ARROZ (Ochazuke no Aji, 1952, 116 min.)

Taeko e Mokichi há anos vivem um infeliz casamento arranjado. A recusa da sobrinha de Taeko em aceitar a mesma situação abre uma nova crise entre o casal.

RELATO DE UM PROPRIETÁRIO (Nagaya Shinshiroku, 1947, 71 min.)

Tashiro acha um menino abandonado num vilarejo em ruínas e acaba adotando-o, a contragosto. Mas o desaparecimento do menino a fará perceber o quanto o ama.

EXTRAS:

* Especial sobre Ozu (15 min.)
* Análise de “Bom Dia” (18 min.)

COMPLETE A SUA COLEÇÃO:
O Cinema de Ozu
O Cinema de Ozu – Vol 2

A ARTE DE UM DOS MESTRES DO CINEMA

A VERSÁTIL LANÇA BOX COM QUATRO OBRAS-PRIMAS DO MESTRE FRANCÊS, EM EDIÇÃO ESPECIAL COM 4 CARDS, E TRAZ DE VOLTA AO CATÁLOGO 7 VOLUMES ANTERIORES DA COLEÇÃO “A ARTE DE…”

Na filmografia de Robert Bresson (1901–1999), uma das mais pessoais, independentes e coerentes da história do cinema, predominam os temas espirituais e o estilo narrativo minimalista. Seu trabalho prima pelo uso de cenas curtas, planos-detalhe repletos de significado, brilhantes elipses ditadas pela montagem e atuações naturalistas de atores não-profissionais.

Cena de “A Grande Testemunha” (1966), incluído na coleção

Bresson nunca se rendeu a modismos, a padrões de mercado ou ao público. Seu estilo austero e minimalista influenciou diferentes gerações de cineastas, de Jean-Luc Godard a Andrei Tarkovski, passando por Jean-Marie Straub, até Bruno Dumont. As ações de seus personagens continuam a intrigar, assim como seus dilemas morais. Em sua busca por transcendência espiritual, ele elevou seu cinema à condição de arte.

O DVD duplo reúne quatro clássicos fundamentais para entender a obra do diretor. Cultuados por cinéfilos experientes, os trabalhos do diretor francês são periodicamente relacionados em inúmeras listas de melhores filmes de todos os tempos.

DISCO 1:

A GRANDE TESTEMUNHA (Au Hasard Balthazar, 1966, 95 min.)
Com Anne Wiazemsky, Walter Green, François Lafarge.

A triste vida e a morte de Balthazar, um jumento, desde sua infância idílica cercado por crianças, até a idade adulta, tiranizado como animal de carga. Em 2017, “A Grande Testemunha” ficou em 16º lugar na votação dos melhores filmes de todos os tempos promovida pela revista inglesa Sight & Sound com críticos e diretores de todo o mundo.

MOUCHETTE, A VIRGEM POSSUÍDA (Mouchette, 1967, 81 min.)
Com Nadine Nortier, Jean-Claude Guilbert, Marie Cardinal.

A história de uma menina do campo violentada por um caçador é o ponto de partida para Bresson colocar em evidência, de maneira implacável, a miséria e a crueldade humana. Baseado em romance de Georges Bernanos.

DISCO 2:

DIÁRIO DE UM PADRE (Journal d’un Curé de Campagne, 1951, 115 min.)
Com Claude Laydu, Nicole Ladmiral, Jean Riveyre.

Um jovem é nomeado padre em uma pequena aldeia da França. Os moradores locais o recebem com hostilidade. Com a saúde debilitada, ele terá dificuldades em se adaptar. Baseado em romance de Georges Bernanos.

UM CONDENADO À MORTE ESCAPOU (Un condamné à mort s’est échappé ou Le vent souffle où il veut, 1956, 101 min.)
Com François Leterrier, Charles Le Clainche, Maurice Beerblock.

Aprisionado pelos nazistas, membro da Resistência Francesa passa a elaborar um plano de fuga, sem saber se pode confiar totalmente em seu colega de cela. Prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes.

EXTRAS:
* Documentário sobre Bresson (56 min.)
* Depoimentos e trailers (22 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 4 CARDs:

E COMPLETE SUA COLEÇÃO:

DISCO 1:
O REI DE NOVA YORK
SEDUÇÃO E VINGANÇA

DISCO 2:
OS CHEFÕES
INIMIGOS DO DESTINO

DISCO 1:
UM TIRO NA NOITE

DISCO 2:
IRMÃS DIABÓLICAS
O FANTASMA DO PARAÍSO

DISCO 1:
SATYRICON DE FELLINI
CIAO, FEDERICO

DISCO 2:
ROMA DE FELLINI
A VOZ DA LUA

DISCO 1:
O CÍRCULO VERMELHO
CODINOME MELVILLE

DISCO 2:
TÉCNICA DE UM DELATOR
DOIS HOMENS EM MANHATTAN

DISCO 1:
A BESTA HUMANA
O RIO SAGRADO

DISCO 2:
A CADELA
AMOR À TERRA

DISCO 1:
A CANÇÃO DA ESPERANÇA
ASSIM FALOU O AMOR

DISCO 2:
AMANTES
CASSAVETES: O HOMEM E SUA OBRA

DISCO 1:
TRÊS MULHERES
ALTMAN, UM RETRATO

DISCO 2:
O PERIGOSO ADEUS
RENEGADOS ATÉ A ÚLTIMA RAJADA

DISCO 1:
TÓQUIO VIOLENTA
HISTÓRIA DE UMA PROSTITUTA

DISCO 2:
A VIDA DE UM TATUADO
PORTAL DA CARNE

NATAL CINÉFILO, COM A ARTE DE MESTRES DO CINEMA

CINCO COLEÇÕES IMPERDÍVEIS, TODAS COM 2 DISCOS E INÚMEROS EXTRAS, TRAZENDO CLÁSSICOS E CULTS – MUITOS DELES INÉDITOS EM DVD – EM VERSÕES RESTAURADAS.

A ARTE DE CLAUDE CHABROL

DVD duplo com 4 inéditos filmes em versões restauradas do grande diretor francês, um dos “jovens turcos” da Nouvelle Vague, além de dois raros curtas do cineasta nos extras.

A coleção traz um de seus filmes mais famosos e cultuados: “Ciúme, o Inferno do Amor Possessivo”, até então inédito em DVD.

DISCO 1:

A COR DA MENTIRA (Au Couer du Mensonge, 1998, 113 min.)
Com Sandrine Bonnaire, Jacques Gamblin, Antoine de Caunes.

Num vilarejo da Bretanha, uma menina de 10 anos é encontrada morta. René, seu professor de Artes, é apontado como principal suspeito, o que ameaça destruir sua vida e seu casamento.

CÍUME – O INFERNO DO AMOR POSSESSIVO (L’Enfer, 1994, 102 min.)
Com Emmanuelle Béart, François Cluzet, Nathalie Cardone.

O gerente de hotel Paul se casa com a linda Nelly. A vida do jovem casal parece um sonho até que ele passa a ser consumido por um ciúme doentio da esposa. Remake de “O Inferno” (1964), cult inacabado de Henri Georges-Clouzot, com François Cluzet (de “Intocáveis”) e a bela Emmanuelle Béart (“A Bela Intrigante”).

DISCO 2:

OPHÉLIA (Idem, 1963, 104 min.)
Com Alida Valli, Claude Cerval, André Jocelyn.

Jovem fica furioso quando sua mãe se casa com seu tio rico, após a morte de seu pai. Chabrol realiza uma brilhante releitura moderna de “Hamlet”, de William Shakespeare, nesse filme injustamente esquecido.

BETTY – UMA MULHER SEM PASSADO (Betty, 1992, 104 min.)
Com Marie Trintignant, Stéphane Audran, Jean-François Garreaud.

Certa noite, Betty, uma jovem alcóolica sem rumo na vida, conhece Laure, uma burguesa de Lyon. A nova amiga a leva para seu hotel, onde Betty contará sua triste história. Baseado emromance de Georges Simenon.

EXTRAS:
* Curtas “O Avarento” (1962, 19 min.) e “O Homem que Vendeu a Torre Eiffel” (1964, 22 min.)

A ARTE DE ALFRED HITCHCOCK

Com 2 discos, o box reúne 4 clássicos da fase inglesa do genial Alfred Hitchcock, em inéditas versões restauradas. E ainda quase uma hora de extras, incluindo um documentário sobre a carreira do cineasta em sua terra natal.

DISCO 1:

O MARIDO ERA O CULPADO (Sabotage, 1936, 76 min.)
Com Sylvia Sidney, Oskar Homolka e Desmond Tester.

Um agente infiltrado da Scotland Yard está atrás de um sabotador que faz parte de um complô para explodir uma bomba em Londres. Também conhecida como “Sabotagem”, esta é uma eletrizante adaptação de “O Agente Secreto”, romance de Joseph Conrad (“Coração das Trevas”).

JOVEM E INOCENTE (Young and Innocent, 1937, 83 min.)
Com Nova Pilbeam, Derrick De Marney e Percy Marmont.

Um homem é acusado de assassinato. Ele foge e recebe, por acaso, ajuda de uma moça. Ela se sente atraída por ele e dá continuidade à fuga, mesmo sem saber se ele é mesmo o culpado. Uma dos melhores trabalhos da fase inglesa do mestre do suspense.

DISCO 2:

O INQUILINO (The Lodger: A Story of the London Fog, 1927, 91 min.)
Com June, Ivor Novello, Marie Ault.

Baseado em livro homônimo inspirado no mais famoso assassino de todos os tempos – Jack, O Estripador –, o filme gira em torno de um serial killer de mulheres loiras. Primeiro suspense do mestre.

A ESTALAGEM MALDITA (Jamaica Inn, 1939, 108 min.)
Com Maureen O’Hara, Robert Newton e Charles Laughton.

Inglaterra, 1819. Na tempestuosa costa da Cornualha, uma jovem órfã se torna alvo de uma quadrilha de ladrões de navios. Primeira adaptação de Hitchcock para uma obra de Daphne du Maurier (“Rebecca”, “Os Pássaros”).

EXTRAS:
* Documentário sobre a fase inglesa de Hitchcock (24 min.)
* Especiais (32 min.)

E NÃO PERCA TAMBÉM:
O Cinema de Hitchcock

A ARTE DE FRANÇOIS TRUFFAUT

DVD duplo com três obras-primas em inéditas versões restauradas do crítico de cinema e diretor François Truffaut (1932-1984), um dos idealizadores da Nouvelle Vague, além de mais de duas horas de extras, incluindo documentários e depoimentos do cineasta francês.

Destaque para a nova versão restaurada de um dos maiores sucessos de Truffaut: “A Noite Americana”, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro – e indicado ainda a melhor diretor, roteiro original e atriz coadjuvante (Valentina Cortese).

DISCO 1:

A NOITE AMERICANA (“La Nuit Américaine”, 1973, 115 min.)
Com Jacqueline Bisset, Jean-Pierre Léaud e Valentina Cortese.

Nesta apaixonante declaração de amor de Truffaut ao cinema, acompanhamos os conflitos e as paixões que ocorrem nos bastidores de uma filmagem, envolvendo os atores, os técnicos e o diretor. Com bela trilha sonora de Georges Delerue, essa produção aclamada vem acompanhada de uma hora e meia de extras – com entrevistas do elenco, Truffaut e sua equipe, análises e documentários.

DISCO 2:

DE REPENTE, NUM DOMINGO (“Vivement Dimanche!”, 1983, 111 min.)
Com Fanny Ardant e Jean-Louis Trintignant.

Julien Vercel, agente imobiliário, é acusado de matar o amante de sua mulher que, por sua vez, também foi assassinada. Como ele é obrigado a se esconder, sua secretária, Barbara, conduz a investigação. Último filme de Truffaut.

ATIREM NO PIANISTA (“Tirez sur le Pianiste”, 1960, 82 min.)
Com Charles Aznavour, Marie Dubois e Nicole Berger.

Após perder a esposa, o célebre pianista Edouard Saroyan abandona a carreira e passa a tocar com outro nome em um bar, onde acaba reencontrando um de seus irmãos, que está envolvido com a máfia.

EXTRAS:
* Uma conversa com Jacqueline Bisset (9 min.)
* “A Noite Americana”, uma apreciação (17 min.)
* Nathalie Baye (12 min.)
* Bernard Menez (4 min.)* Dani (04 min.)
* Yann Dedet (4 min.)
* Truffaut nos EUA (9 min.)
* Truffaut: um ponto de vista (06 min.)
* Entrevista de Pierre-William Glenn (18 min.)* Apresentação do filme (6 min.)
* “A Noite Americana” no Festival de Cannes (02 min.)
* Entrevista de Truffaut em 1973 (02 min.)
* Trailer de cinema (02 min.)* Apresentação de “De Repente, num Domingo” (5 min.)
* Trailer de “De Repente” (4 min.)* Depoimentos de François Truffaut sobre “Atirem” (22 min.)* Apresentação de “Atirem” (4 min.)
* Trailer de “Atirem” (2 min.) * Teste de cena de MarieDubois (3 min.)

A ARTE DE CARL T. DREYER

O DVD duplo reúne quatro obras-primas em inéditas versões restauradas e ainda quase uma hora de extras, incluindo documentário sobre o diretor dinamarquês.

DISCO 1:

A PALAVRA (Ordet, 1955, 126 min.)
Com Henrik Malberg, Emil Hass Christensen, Cay Kristiansen.

A rotina de uma família de fazendeiros é modificada quando um dos filhos, aparentemente enlouquecido, declara ser Jesus. Um dos maiores filmes de todos os tempos, vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza.

O VAMPIRO (Vampyr, 1932, 73 min.)
Com Julian West, Maurice Schutz, Rena Mandel.

Um viajante obcecado pelo sobrenatural se hospeda numa pousada na qual encontra evidências da existência de vampiros. Incursão de Dreyer no cinema fantástico, com roteiro baseado em “Carmilla, a Vampira de Karnstein”, de Sheridan Le Fanu.

DISCO 2:

DIAS DE IRA (Vredens dag, 1943, 98 min.)
Com Thorkild Roose, Lisbeth Movin, Sigrid Neiiendam.

A jovem esposa de um pastor se apaixona pelo filho deste em meio à violenta caça às bruxas na Dinamarca do século XVII. Uma obra-prima sombria sobre religião e fanatismo dirigida magistralmente por Dreyer.

GERTRUD (Idem, 1964, 117 min.)
Com Nina Pens Rode, Bendt Rothe, Ebbe Rode, Baard Owe.

Entediada com a vida conjugal, uma aristocrata mantém relações com outros homens. Vencedor do Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Veneza, este drama foi o derradeiro filme do grande mestre.

EXTRAS:
* Documentário sobre Dreyer (30 min.)
* Especial sobre “Dias de Ira” (20 min.)

A ARTE DE ANDREI TARKÓVSKI

Depois de resgatar a filmografia de John Cassavetes, Mario Bava e Robert Altman, chegou a vez da Versátil homenagear um dos maiores cineastas de todos os tempos.

O DVD duplo traz três obras-primas em inéditas versões restauradas do russo Andrei Tarkóvski (1932-1986), um dos maiores estetas da história do cinema, e um ótimo documentário sobre “Nostalgia”.

DISCO 1:

NOSTALGIA (“Nostalghia”, 1983)
Com Oleg Yankovskiy, Erland Josephson e Domiziana Giordano.

Poeta russo vai à Itália pesquisar sobre músico russo que se suicidou no exílio. Durante sua pesquisa, ele vive uma jornada espiritual. Melhor Direção, Prêmio da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Cannes.

A INFÂNCIA DE IVAN (“Ivanovo detstvo”, 1962)
Com Nikolai Burlyaev, Valentin Zubkov e E. Zharikov.

Durante a Segunda Guerra, Ivan, um menino russo de 12 anos, trabalha como espião no front soviético, cruzando as linhas inimigas, para coletar informações dos nazistas. Vencedor do Leão de Ouro em Veneza, este foi o longa-metragem de estreia do diretor.

DISCO 2:

O ESPELHO (“Zerkalo”, 1975)
Com Margarita Terekhova, Oleg Yankóvski e Alla Demidova.

Cena de “O Espelho”, uma das obras-primas do diretor – e presença constante em listas de melhores filmes de todos os tempos. À beira da morte, um homem relembra passagens de sua vida: a infância, a experiência da guerra… Um dos trabalhos mais radicais e herméticos de Tarkóvski, “O Espelho” é um dos filmes definitivos sobre a memória.

TEMPO DE VIAGEM (“Tempo di Viaggio”, 1983)
Com Andrei Tarkóvski e Tonino Guerra.

Documentário sobre a procura de locações para “Nostalgia”. Recém-chegado à Itália, Tarkóvski trabalha, conversa com Tonino Guerra e fala de cinema e literatura. Inclui pequenos ensaios filmados pelo diretor.

EXTRAS:
* Análise de “A Infância de Ivan” (31 min.)
* Análise de “O Espelho” (11 min)

A ARTE DE ABEL FERRARA E FEDERICO FELLINI

MAIS DOIS VOLUMES DA SÉRIE DA VERSÁTIL DEDICADA A GRANDES DIRETORES: UM COM O CINEMA MARGINAL DO NOVA-IORQUINO ABEL FERRARA, E O OUTRO COM TRÊS FILMES DO MESTRE ITALIANO MAIS DOCUMENTÁRIO SOBRE “SATYRICON”.

A ARTE DE ABEL FERRARA

DVD duplo reunindo 4 filmes do cineasta em versões restauradas: “Os Chefões”, “O Rei de Nova York”, “Sedução e Vingança” e “Inimigos pelo Destino”.

Nascido no Bronx, Ferrara começou a dirigir curtas underground no início dos anos 1970, realizando em seguida thrillers trash violentos como “O Assassino da Furadeira” (1978) e “Sedução e Vingança” (1981).

Chamado de cineasta “maldito”, em razão de seu notório vício em drogas, de suas produções fora dos padrões e de seus personagens decadentes, o cineasta mudou de status com “O Rei de Nova York” (1990) e “Vício Frenético” (1992), indicados a prêmios em festivais.

À margem da indústria hollywoodiana, Ferrara tem dirigido nos últimos anos coproduções com a Europa, como “Bem-Vindo a Nova York” e “Pasolini”. Em 2012, foi homenageado com uma retrospectiva no Centro Cultural Banco do Brasil.

DISCO 1:

O REI DE NOVA YORK (“King of New York”, 1990, 103 min.)
Com Christopher Walken, David Caruso, Laurence Fishburne.

Nessa releitura sangrenta da história de Robin Hood, ex-chefão sai da prisão determinado a recuperar o controle do tráfico para distribuir os lucros entre os mais pobres. Esse cult é um dos pontos altos da carreira de Ferrara.

SEDUÇÃO E VINGANÇA (Ms .45, 1981, 81 min.)
Com Zoë Lund, Bogey, Albert Sinkys.

Após ser violentada duas vezes no mesmo dia, uma costureira muda e tímida enlouquece e passa a matar homens nas ruas de Nova York com sua pistola calibre .45. Um filme de vingança perturbador e extremamente atual.

DISCO 2:

OS CHEFÕES (The Funeral, 1996, 95 min.)
Com Christopher Walken, Chris Penn, Annabella Sciorra.

Nova York, 1930. Uma poderosa família mafiosa se vê no meio do fogo cruzado entre sindicalistas e brutais chefes corporativos. Aclamada no Festival de Veneza, onde ganhou o prêmio de ator coadjuvante (para Chris Penn), esse é um dos melhores trabalhos de Ferrara.

INIMIGOS PELO DESTINO (China Girl, 1987, 91 min.)
Com James Russo, Richard Panebianco, Sari Chang.

Atualização da história de Romeu e Julieta nas ruas de Nova York. Um rapaz italiano e uma moça chinesa se tornam amantes, causando um trágico conflito entre gangues locais. Um dos filmes mais subestimados do diretor.

EXTRAS:
* Depoimentos de Abel Ferrara (61 min.)
* Trailers (5 min.)

A ARTE DE FEDERICO FELLINI

Iniciado no cinema por Roberto Rossellini, com quem co-roteirizou “Roma, Cidade Aberta” e “Paisà”, Fellini (1920-1993) é considerado um dos maiores nomes do cinema italiano, com seu estilo único e onírico, que pode ser observado nos três filmes (restaurados) que compõem a coleção. Além deles, o box com 2 discos apresenta “Ciao, Federico!”, documentário sobre os bastidores de “Satyricon”.

DISCO 1:

SATYRICON DE FELLINI (Fellini Satyricon, 1969, 128 min.)
Com Martin Potter, Hiram Keller, Max Born.

Na Roma de Nero, o jovem Encolpio lamenta a perda de seu amante, Gitone, para o melhor amigo, Ascilto. Onírico, extravagante, psicodélico, erótico e brutal, “Satyricon” é um retrato fascinante da decadência do Império Indicado ao Oscar de melhor direção em 1971.

CIAO, FEDERICO! (Idem, 1970, 60 min.)
De Gideon Bachmann. Com Federico Fellini, Capucine, Giulietta Masina.

Fascinante documentário sobre os bastidores das filmagens de “Satyricon”, registrando o anárquico processo de criação felliniana e a relação do diretor com seu elenco, além da criativa utilização dos cenários.

DISCO 2:

ROMA DE FELLINI (“Roma”, 1972, 120 min.)
Com Brita Barnes, Anna Magnani e Peter Gonzales Falcon.

Um filme-memória-tributo sobre a capital italiana que intercala relatos ficcionais da juventude de Fellini e de sua chegada à cidade com cenas da época das filmagens, e a busca do diretor por uma Roma mítica.

A VOZ DA LUA (“La Voce della Luna”, 1990, 118 min.)
Com Roberto Benigni, Paolo Villaggio e Nadia Ottaviani.

O lunático Salvini observa o mundo de maneira diferente, procurando sempre achar o seu lado poético, como se a lua o guiasse. Estrelado pelo comediante Roberto Benigni (“A Vida É Bela”), esse foi o último filme do mestre.

EXTRAS:
* “Fellini e Petrônio” (24 min.)
* Cenas excluídas de “Roma” (17 min.)
* Trailers (8 min.)

MAIS FELLINI NA 2001:

Entrevista (1987)
Cidade das Mulheres (1980)
Ensaio de Orquestra (1978)
Casanova de Fellini (1976)
Amarcord (1973)
Os Palhaços (1970)
Histórias Extraordinárias (1968) episódio “Toby Dammit”
Julieta dos Espíritos (1965)
Fellini 8 E 1/2 (1963) DVD e Blu-ray
Boccaccio 70 (1962) episódio “As Tentações do Dr. Antonio”
Noites de Cabiria (1957)
A Trapaça (1955)
Amores na Cidade (1953) episódio “Agência Matrimonial”
Abismo de um Sonho (1952)
Mulheres e Luzes (1951)

“O SACRIFÍCIO”, O FILME-TESTAMENTO DE UM DOS MAIORES POETAS DO CINEMA

"O assunto que abordo neste filme é, na minha opinião, o mais crucial: a ausência de espaço para a existência espiritual em nossa cultura. Nós ampliamos a meta das nossas realizações materiais e conduzimos experiências materialistas sem levar em conta a ameaça que é privar o homem de sua dimensão espiritual. O homem está sofrendo, mas não sabe porque." Andrei Tarkovski

“… o indivíduo se encontra em uma encruzilhada, confrontado com a opção de uma existência fundamentada em um consumismo cego, sujeito ao avanço inexorável da nova tecnologia e à infinita multiplicação dos bens materiais, ou, então, de buscar um caminho que conduza à responsabilidade espiritual, um caminho que, enfim, pode significar não apenas sua salvação pessoal, mas também a salvação da sociedade como um todo…” Andrei Tarkóvski, no livro “Esculpir o Tempo”

VENCEDOR DE QUATRO PRÊMIOS NO FESTIVAL DE CANNES EM 1986, “O SACRIFÍCIO” SAI NO BRASIL EM VERSÃO RESTAURADA MAIS O DOCUMENTÁRIO “DIRIGIDO POR ANDREI TARKÓVSKI”, COM BASTIDORES DA PRODUÇÃO E ENTREVISTAS. E, PARA ALEGRIA DOS CINÉFILOS, O DVD DUPLO TRAZ AINDA UM MINI-PÔSTER EXCLUSIVO DO FILME. 

Escrito e dirigido por Andrei Tarkóvski (1932-1986), o longa foi rodado na Suécia, durante a fase de exílio do cineasta russo, com o ator bergmaniano Erland Josephson no papel principal.

Previsão de entrega? 07/12

Previsão de entrega: 07/12

FESTIVAL DE CANNES
Grande Prêmio do Júri
Prêmio da Crítica Internacional (FIPRESCI)
Prêmio do Júri Ecumênico
Melhor contribuição artística (Sven Nykvist)

DISCO 1 :

O SACRIFÍCIO (Offret, 1986, 145 min.)
Com Erland Josephson, Susan Fleetwood e Allan Edwall.

Realizado por Tarkóvski no final de sua vida, vítima de um câncer no pulmão, o longa acompanha a celebração do aniversário do patriarca Alexander (Erland Josephson), escritor e ator aposentado, sob a sombra de uma catástrofe nuclear que irá afetar a todos.

the-sacrifice2

Com “O Sacrifício”, pela primeira vez na história do Festival de Cannes um único filme foi vencedor de quatro prêmios.

DISCO 2: 

DIRIGIDO POR ANDREI TARKÓVSKI (Regi: Andrei Tarkovski, 1988, 99 min.)
De Michal Leszczylowski. Com Brian Cox, Erland Josephson e Andrei Tarkóvski.

O diretor Michal Leszczylowski quis dividir com o público os momentos que passou com o cineasta Andrei Tarkóvski, enquanto trabalhava na montagem de “O Sacrifício”.

GRÁTIS MINI-PÔSTER EXCLUSIVO:

sacrificio-cartaz-814x1024

Medidas do pôster: 35 x 43,7 cm

E NÃO PERCA TAMBÉM, DO CINEASTA:

A Arte de Andrei Tarkovski 3D

A ARTE DE ANDREI TARKÓVSKI

O DVD duplo reúne três obras-primas em inéditas versões restauradas do russo Andrei Tarkóvski (1932-1986), um dos maiores estetas da história do cinema, e um ótimo documentário sobre “Nostalgia”.

DISCO 1:

NOSTALGIA (“Nostalghia”, 1983)
Com Oleg Yankovskiy, Erland Josephson e Domiziana Giordano.

0000

Poeta russo vai à Itália pesquisar sobre músico russo que se suicidou no exílio. Durante sua pesquisa, ele vive uma jornada espiritual. Melhor Direção, Prêmio da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Cannes.

A INFÂNCIA DE IVAN (“Ivanovo detstvo”, 1962)
Com Nikolai Burlyaev, Valentin Zubkov e E. Zharikov.

Durante a II Guerra, Ivan, um menino russo de 12 anos, trabalha como espião no front soviético, cruzando as linhas inimigas, para coletar informações dos nazistas. Longa-metragem de estreia do diretor, vencedor do Leão de Ouro em Veneza.

DISCO 2:

O ESPELHO (“Zerkalo”, 1975)
Com Margarita Terekhova, Oleg Yankóvski e Alla Demidova.

00001

Cena de “O Espelho”, uma das obras-primas do diretor – e presença constante em listas de melhores filmes de todos os tempos

À beira da morte, um homem relembra passagens de sua vida: a infância, a experiência da guerra… Um dos trabalhos mais radicais e herméticos de Tarkóvski, “O Espelho” é um dos filmes definitivos sobre a memória.

TEMPO DE VIAGEM (“Tempo di Viaggio”, 1983)
Com Andrei Tarkóvski e Tonino Guerra.

Documentário sobre a procura de locações para “Nostalgia”. Recém-chegado à Itália, Tarkóvski trabalha, conversa com Tonino Guerra e fala de cinema e literatura. Inclui pequenos ensaios filmados pelo diretor.

EXTRAS: Análise de “A Infância de Ivan” (31 min.), análise de “O Espelho” (11 min).

tumblr_nrys8nlLRL1sma6oio1_1280

COMPLETE A SUA COLEÇÃO “A ARTE DE…”:

JEAN-PIERRE MELVILLE

DVD 1:
O CÍRCULO VERMELHO
CODINOME MELVILLE

DVD 2:
TÉCNICA DE UM DELATOR
DOIS HOMENS EM MANHATTAN

JOHN CASSAVETES

DVD 1:
A CANÇÃO DA ESPERANÇA
ASSIM FALOU O AMOR

DVD 2:
AMANTES
CASSAVETES: O HOMEM E SUA OBRA

MARIO BAVA

DVD 1:
A MALDIÇÃO DO DEMÔNIO
O ALERTA VERMELHO DA LOUCURA

DVD 2:
A GAROTA QUE SABIA DEMAIS
CÃES RAIVOSOS

ROBERT ALTMAN

DVD 1:
TRÊS MULHERES
ALTMAN, UM RETRATO

DVD 2:
O PERIGOSO ADEUS
RENEGADOS ATÉ A ÚLTIMA RAJADA

SAMUEL FULLER

DVD 1:
O BEIJO AMARGO
O QUIMONO ESCARLATE

DVD 2:
PAIXÕES QUE ALUCINAM
CASA DE BAMBU