Carol

CANNES NA 2001, EM VINTE CONCORRENTES À PALMA DE OURO, DE 2013 A 2015

4

A 69ª EDIÇÃO DO FESTIVAL DE CANNES CHEGA AO FIM NO PRÓXIMO DOMINGO. ENQUANTO OS VENCEDORES NÃO SÃO ANUNCIADOS, CONFIRA NO ACERVO DA 2001 VINTE FILMES QUE PARTICIPARAM DA SELEÇÃO OFICIAL NOS ÚLTIMOS ANOS.

UM DELES,  “AZUL É A COR MAIS QUENTE“, CONQUISTOU O PRÊMIO MÁXIMO, A COBIÇADA PALMA DE OURO.

2

2015

CAROL

10

Dirigido por Todd Haynes (“Longe do Paraíso”, “Não Estou Lá”), o filme foi aplaudido de pé na sua estreia no festival, de onde Rooney Mara saiu com o prêmio de melhor atriz (dividido com Emmanuelle Bercot por “Mon Roi”). Visualmente inspirado no trabalho dos fotógrafos Saul Leiter e Vivian Maier. Na trama, a jovem Therese Belivet (Mara) leva uma rotina entendiante como vendedora até conhecer a elegante Carol Aird (Cate Blanchett), em processo de separação do marido. De classes sociais diferentes, as duas se aproximam cada vez mais, afetiva e sexualmente, desafiando as regras de conduta estabelecidas pela sociedade da época.

MACBETH – AMBIÇÃO E GUERRA

11

Versão sóbria e estilizada de uma das peças mais sangrentas de William Shakespeare, adaptada antes por, entre outros, Orson Welles, Roman Polanski e Akira Kurosawa. O elenco é o grande destaque, com Marion Cotillard (vencedora do Oscar por “Piaf”) como a manipuladora Lady Macbeth e Michael Fassbender no papel-título do ambicioso usurpador que não medirá esforços para assumir o trono do reino. A direção é de Justin Kurzel, que volta a trabalhar com Fassbender e Cotillard na adaptação para o cinema do game “Assassin’s Creed”, ainda sem previsão de estreia no Brasil.

SICARIO – TERRA DE NINGUÉM

12

Considerado pela crítica internacional um dos melhores filmes de 2015 e indicado ao Oscar de melhor fotografia (do veterano Roger Deakins, nomeado 12 vezes ao prêmio), trilha sonora e edição de som. Com cenas de tensão sufocante, “Sicario” mergulha no inferno do tráfico de drogas dos cartéis mexicanos na fronteira com os EUA. Policial do FBI, Kate Macy (Emily Blunt) entra para uma audaciosa operação da CIA, ao lado de Matt (Josh Brolin) e Alejandro (Benicio Del Toro). Ela irá testar todos os seus limites morais e éticos, em meio à violência e inimigos indefinidos. De Denis Villeneuve, o aclamado diretor canadense de “Incêndios” e “Os Suspeitos”.

2014

RELATOS SELVAGENS

13

Um dos maiores sucessos argentinos desde “O Segredo dos Seus Olhos”, o longa abriu a 38ª Mostra de Cinema de São Paulo em 2014, e concorreu ao Oscar 2015 de melhor filme estrangeiro. Escrita e dirigida por Damián Szifrón, um dos roteiristas da série de TV “Os Simuladores”, a comédia é narrada em episódios: seis histórias que têm em comum personagens (um deles interpretado por Ricardo Darín) fora de controle, compelidos a fazer justiça com as próprias mãos como forma de vingança.

ACIMA DAS NUVENS

14

Um dos grandes sucessos da Mostra de Cinema de SP de 2014, o filme marca a segunda parceria entre o diretor Olivier Assayas e a atriz Juliette Binoche, de “Horas de Verão”. Na trama repleta de metalinguagem, Binoche brilha no papel de Maria Enders, atriz de sucesso convidada para fazer uma nova montagem da peça que a lançou, e Kristen Stewart (premiada com o César de atriz coadjuvante) interpreta sua fiel assistente. Stewart estrela o novo trabalho de Assayas, “Personal Chopper”, em disputa pela Palma de Ouro deste ano.

SAINT LAURENT

15

Vencedor da “Palm Dog” em Cannes, o longa também concorreu em 10 categorias do César 2015, incluindo melhor filme, direção (Bertrand Bonello) e ator (Gaspard Ulliel). Escolhido pela França para disputar o Oscar de melhor filme estrangeiro, “Saint Laurent” é um recorte estilizado da vida do estilista francês, cobrindo o período entre 1967 e 1976. Jérémie Renier interpreta seu parceiro, Pierre Bergé, e Louis Garrel um de seus amantes, Jacques de Bascher.

MAPAS PARA AS ESTRELAS

16

Vencedor do prêmio de melhor atriz (Julianne Moore) no festival, o filme de David Cronenberg mergulha na frivolidade da fama, a partir de diferentes personagens vivendo em Los Angeles. No centro da trama, Havana Segrand (Moore), uma atriz decadente, desesperada para conseguir o papel principal da refilmagem de um sucesso estrelado por sua mãe, décadas atrás. Ainda no elenco, Mia Wasikowska, John Cusack e Robert Pattinson.

ADEUS À LINGUAGEM

17

Mais um elaborado filme-ensaio da fase recente de Jean-Luc Godard (“Nossa Música”, “Film Socialisme”) que continua as investigações do cineasta francês em torno da sétima arte e suas inter-relações com a História da humanidade. Visualmente um dos trabalhos mais inventivos do cineasta – e o seu primeiro no formato 3D -, conquistou o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes e levou também a “Palm Dog”. Confira outros trabalhos de Godard em DVD na 2001.

JIMMY’S HALL

18

Antes de causar sensação no atual Festival de Cannes com “I, Daniel Blake” – considerado um dos favoritos à Palma de Ouro 2016 -, o britânico Ken Loach (“Kes”, “Terra e Liberdade”) disputou a seleção oficial com “Jimmy’s Hall”, que conta a história de Jimmy Gralton (Barry Ward), líder comunista irlandês que desafiou a Igreja Católica ao questionar sua censura à liberdade de expressão. Gralton gerou discórdia ao inaugurar um espaço de debate e lazer para a classe trabalhadora no Condado de Leitrim, no noroeste da Irlanda.

DOIS DIAS, UMA NOITE

19

Antes de disputarem a Palma de Ouro deste ano com “A Garota Desconhecida”, os irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne (“Rosetta”, “A Criança”) dirigiram este dilacerante relato da luta de uma operária (Marion Cottilard, de “Era uma Vez em Nova York”) para reverter, em apenas um final de semana, votação na qual seus colegas decidiram optar por um bônus salarial em troca de sua demissão. Indicado ao Oscar 2015 de melhor atriz (Cotillard).

TIMBUKTU

20

Vencedor do Prêmio do Júri Ecumênico em Cannes e grande vencedor do César (o Oscar francês), em sete categorias, entre elas melhor filme e direção (Abderrahmane Sissako). “Timbuktu” acompanha a tragédia de uma família afetada pelo radicalismo de rebeldes islâmicos que tomaram o poder da cidade histórica do Mali. Coprodução entre França e Mauritânia indicada ainda ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

O SEGREDO DAS ÁGUAS

21

Um dos destaques da 38ª Mostra de Cinema de SP, o aclamado longa da japonesa Naomi Kawase narra, com grande beleza estética, o processo de amadurecimento de dois adolescentes, na ilha de Amami. Durante uma noite de danças tradicionais, Kaito, de 16 anos, encontra um cadáver flutuando no mar e sua namorada tenta ajudá-lo a compreender os mistérios da descoberta. A partir daí, os dois aprenderão juntos o que é ser adulto.

À PROCURA

Ryan Reynolds in The Captive

Dirigido pelo aclamado cineasta canadense de origem egípcia Atom Egoyan (“O Doce Amanhã”, “Verdade Nua”), o longa acompanha a luta de um casal para encontrar a sua filha. Seis anos após o desaparecimento da jovem, novas provas indicam que ela pode ainda estar viva, quando os mesmos policiais que investigaram o caso descobrem uma grande rede de pedofilia. No elenco, Ryan Reynolds, Scott Speedman e Rosario Dawson.

2013

AZUL É A COR MAIS QUENTE

23

Livremente baseado na HQ homônima, o filme tem direção de Abdellatif Kechiche (“O Segredo do Grão”) e acompanha o rito de passagem da jovem Adèle (a revelação Adèle Exarchopoulos), que logo se apaixona por Emma (Léa Seydoux, de “Adeus, Minha Rainha”). Com uma longa sequência de sexo explícito entre as protagonistas, o longa causou furor e polêmica no Festival de Cannes e venceu a PALMA DE OURO – dividida, pela primeira vez na história, entre o diretor e suas duas atrizes principais.

O PASSADO

24

Vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro por “A Separação”, o diretor-roteirista Asghar Farhadi mais uma vez explora as nuances de um núcleo familiar em reconstrução, a partir do divórcio de um iraniano e sua esposa francesa, interpretada por Bérénice Bejo, laureada com o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes. Marie espera formalizar a separação, a fim de casar com seu namorado Samir (Tahar Rahim, de “O Profeta”), mas antigas feridas do passado e novas revelações  dificultam o entendimento, tornando a visita de Ahmad cada vez mais desconfortável.

ERA UMA VEZ EM NOVA YORK

25

Considerado pela crítica brasileira um dos melhores de 2014, o filme marca a quarta colaboração entre o diretor James Gray e o ator Joaquin Phoenix, de “Amantes”, “Os Donos da Noite” e “Caminho Sem Volta”. Ambientado em 1921, este drama austero narra a história de Ewa (Marion Cotillard), uma imigrante polonesa que chega a Nova York e sofre um bocado para sobreviver, caindo nas mãos do cafetão Bruno (Phoenix), que a explora em uma rede de prostituição.

JOVEM E BELA

26

Diretor de “Potiche” e “Dentro da Casa”, François Ozon conduz, com sua habitual elegância, a jornada de Isabelle (a ex-modelo Marine Vacth), uma estudante de 17 anos que começa a trabalhar como prostituta de luxo em Paris. Com pontos de contato com “Ninfomaníaca” de Lars von Trier, a personagem não consegue estabelecer laços emocionais nem compartilhar seus sentimentos com ninguém, até que uma reviravolta pode expor seu segredo.

A PELE DE VÊNUS

27

Vencedor do César (o “Oscar francês”) de melhor direção para Roman Polanski , o filme apresenta Vanda (Emmanuelle Seigner, de “Lua de Fel”), atriz que se esforça para convencer o diretor Thomas (Mathieu Amalric) de que ela é a pessoa certa para interpretar a protagonista de sua mais nova peça. Um irônico jogo de sedução e poder adaptado da premiada peça teatral de David Ives – por sua vez baseada no clássico da literatura erótica “A Vênus das Peles”, do escritor Leopold von Sacher-Masoch.

A GRANDE BELEZA

28

Aclamado por público e crítica, o longa conquistou, entre outros prêmios, o Oscar e o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, posicionando o nome de Paolo Sorrentino (em cartaz com “Juventude”) entre os cineastas mais quentes da Europa. Permeada por fina ironia, a narrativa acompanha o escritor Jap (Toni Servillo, de “Gomorra”) em suas divagações sobre a sociedade a sua volta. Aos 65 anos de idade, ele começa a refletir sobre o hedonismo ao seu redor e, em especial, o sentido de sua própria existência.

NEBRASKA

29

Indicado em seis categorias do Oscar 2014, incluindo melhor filme e direção, “Nebraska” é mais um retrato espirituoso da vida cotidiana por Alexander Payne, diretor de “Sideways” e “Os Descendentes”. Vencedor do prêmio de melhor ator no Festival de Cannes, Buce Dern dá vida a Woody Grant, senhor com problemas de memória que acredita ter ganho uma fortuna. Começa então, ao lado de David, seu filho mais novo, uma pitoresca viagem até a distante cidade de Lincoln, em Nebraska, a fim de receber o prêmio.

INDICADAS AO OSCAR 2016, CATE BLANCHETT E ROONEY MARA BRILHAM NO DELICADO “CAROL”

Já disponível para venda em DVD na 2001, "Carol" é um dos filmes mais aclamados de 2015 e concorreu ao Oscar em seis categorias

Já disponível para venda em DVD na 2001, “Carol” é um dos filmes mais aclamados de 2015 e concorreu ao Oscar em seis categorias

PREMIADO EM CANNES E INDICADO AO OSCAR EM SEIS CATEGORIAS, “CAROL” É CONSIDERADO UM DOS MELHORES FILMES DE 2015 PELA CRÍTICA INTERNACIONAL.

Dirigido por Todd Haynes (de “Longe do Paraíso” e “Não Estou Lá”), o filme foi aplaudido de pé na sua estreia no último Festival de Cannes, de onde Rooney Mara saiu com o prêmio de melhor atriz (dividido com Emmanuelle Bercot por “Mon Roi”).

Em março, “Carol” foi anunciado em primeiro lugar no ranking de 30 Melhores Filmes LGBT de todos os tempos do British Film Institute (BFI). O Instituto Britânico de Cinema realizou uma grande enquete com 100 especialistas – entre curadores e críticos – para selecionar os grandes longas de temática gay da história do cinema. “Carol” ficou à frente de títulos como “Weekend” (em 2º), “Felizes Juntos” (3º), “O Segredo de Brokeback Mountain” (4º) e “Garotos de Programa” (em 10º lugar), entre outros.

Três trabalhos de Todd Haynes: "Carol" (2015), "Velvet Goldmine" (1998) e "Longe do Paraíso' (2002)

Três trabalhos de Todd Haynes: “Carol” (2015), “Velvet Goldmine” (1998) e “Longe do Paraíso’ (2002), com Julianne Moore

Visualmente inspirado no trabalho dos fotógrafos Saul Leiter e Vivian Maier, o filme de Haynes é uma adaptação do romance “The Price of Salt”, escrito por Patricia Highsmith (autora de “O Talentoso Ripley”) sob o pseudônimo de Claire Morgan. Em 1990, a obra foi republicada com o título “Carol“. Highsmith inspirou-se em experiências pessoais para a história, ambientada na Nova York dos anos 1950.

Aspirante a fotógrafa, a jovem Therese Belivet (Rooney Mara) leva uma rotina entendiante como vendedora na seção de brinquedos de uma loja de departamentos. Um dia, ela conhece a elegante Carol Aird (Cate Blanchett), uma cliente que busca um presente de Natal para sua filha. Em processo de separação do marido (Kyle Chandler), Carol também não está contente com sua vida. De classes sociais diferentes, as duas se aproximam cada vez mais, afetiva e sexualmente, desafiando as regras de conduta estabelecidas pela sociedade da época.

2

Em cena, Rooney Mara e Cate Blanchett no encontro casual que irá mudar suas vidas

Assim como em “Longe do Paraíso” e na minissérie “Mildred Pierce”, Haynes conduz a narrativa com extrema sutileza e atenção aos detalhes, ao que “não é dito” – expresso nos olhares repletos de significado – e paixão reprimida – das personagens de Blanchett e Mara. Muito mais do que a alcunha pejorativa de uma história de amor lésbico, “Carol“, com suas cenas e diálogos repletos de subtexto, trata mesmo é da sensação de ser diferente, de solidão e da luta inútil para frear o próprio desejo.

CURIOSIDADE: Embora premiada como melhor atriz em Cannes, Rooney Mara concorreu ao Oscar de coadjuvante, mesmo tendo mais tempo em cena – 6 minutos – que Cate Blanchett, indicada na categoria principal. Mara perdeu o prêmio, mas oficialmente quebrou o recorde de atriz coadjuvante indicada ao Oscar com mais tempo na tela: 71 minutos no total. A recordista anterior era Tatum O’Neal, por “Lua de Papel” (1973), com 66 minutos.

3

INDICAÇÕES E PRÊMIOS:

INDICADO AO OSCAR
Melhor Atriz (Cate Blanchett)
Melhor Atriz Coadjuvante (Rooney Mara)
Melhor Trilha Sonora
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Fotografia
Melhor Figurino

INDICADO AO GLOBO DE OURO
Melhor Filme (drama)
Melhor Atriz em Drama (Cate Blanchett)
Melhor Atriz em Drama (Rooney Mara)
Melhor Diretor (Todd Haynes)
Melhor Trilha Sonora

FESTIVAL DE CANNES
Queer Palm
Melhor Atriz (Rooney Mara)

INDEPENDENT SPIRIT AWARDS
Melhor Fotografia

CÍRCULO DOS CRÍTICOS DE CINEMA DE NOVA YORK
Melhor Filme
Melhor Diretor (Todd Haynes)
Melhor Roteiro (Phyllis Nagy)
Melhor Fotografia

SAIU A LISTA DOS INDICADOS AO OSCAR 2016!

004

A ESPERA ACABOU. A ACADEMIA DE ARTES E CIÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS DE HOLLYWOOD ANUNCIOU NA MANHÃ DESTA QUINTA-FEIRA (14/1) OS CONCORRENTES AO MAIOR PRÊMIO DA INDÚSTRIA DO CINEMA. “O REGRESSO” E “MAD MAX – ESTRADA DA FÚRIA” LARGAM NA FRENTE, COM O MAIOR NÚMERO DE INDICAÇÕES.

Vencedor de três estatuetas no ano passado, por “Birdman”, o mexicano Alejandro González Iñárritu pode vencer novamente o Oscar de melhor direção, agora com “O Regresso”, épico já premiado com três Globos de Ouro. Estrelado por Leonardo DiCaprio – favorito ao prêmio, em sua quinta indicação como ator -, o filme concorre em 12 categorias, seguido de perto por “Mad Max – Estrada da Fúria”, a aclamada aventura de George Miller com Tom Hardy e Charlize Theron, com dez indicações.

Entre as surpresas, destaque para a exclusão de Ridley Scott (por “Perdido em Marte“) na categoria de melhor direção. Lembrado pelo Sindicato dos Diretores (DGA), o cineasta britânico foi preterido na lista da Academia, sendo substituído pelo irlandês Lenny Abrahamson, do drama independente “O Quarto de Jack” – favorito à estatueta de melhor atriz para Brie Larson. De qualquer forma, a ficção-científica dirigida e produzida por Scott recebeu sete nomeações, incluindo melhor filme e ator (Matt Damon).

A lista de indicados a melhor filme inclui  oito títulos, com “Carol” e “Star Wars: O Despertar da Força” entre as omissões mais notadas. E, embora “Que Horas Ela Volta” tenha ficado fora da disputa de melhor filme estrangeiro, o Brasil está bem representado, com “O Menino e Mundo” concorrendo a melhor animação. Vencedor do grande prêmio do Festival Internacional de Animação de Annecy, na França, o filme de Alê Abreu é a primeira animação da história do cinema brasileiro a ser indicada ao prêmio e mistura diversas técnicas de ilustração, como lápis de cor, giz de cera e colagem.

Agora, é aguardar o anúncio dos vencedores na 88ª cerimônia de entrega dos prêmios, marcada para 28 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Los Angeles.

111

O comediante Chris Rock será o apresentador da cerimônia do Oscar, em 28 de fevereiro

A seguir, a lista completa com os indicados ao OSCAR 2016:

MELHOR FILME
Mad Max – Estrada da Fúria
O Regresso
O Quarto de Jack
Spotlight – Segredos Revelados
A Grande Aposta
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Perdido em Marte

Não foi dessa vez para Ridley Scott como melhor diretor, mas ele concorre como produtor de "Perdido em Marte", ficção-científica indicada em sete categorias. Matt Damon recebeu sua terceira indicação como ator. Antes, ele concorreu como coadjuvante por "Invictus" e ator principal por "Gênio Indomável", que lhe valeu o prêmio de roteiro original (dividido com Ben Aflleck)

Não foi dessa vez para Ridley Scott como melhor diretor, mas ele concorre como produtor de “Perdido em Marte”, ficção-científica indicada em sete categorias. Matt Damon recebeu sua terceira indicação como ator. Antes, ele concorreu como coadjuvante por “Invictus” e ator principal por “Gênio Indomável”, que lhe valeu o prêmio de roteiro original (dividido com Ben Affleck) em 1998.

MELHOR DIRETOR
Alejandro González Iñárritu – O Regresso
Tom McCarthy – Spotlight – Segredos Revelados
Adam McKay – A Grande Aposta
George Miller – Mad Max: Estrada da Fúria
Lenny Abrahamson – O Quarto de Jack

MELHOR ATOR
Bryan Cranston – Trumbo
Leonardo DiCaprio – O Regresso
Michael Fassbender – Steve Jobs
Eddie Redmayne – A Garota Dinamarquesa
Matt Damon – Perdido em Marte

Depois do Globo de Ouro recebido por "O regresso", parece que chegou a vez de Leonardo DiCaprio finalmente conquistar seu Oscar. Ele já concorreu três vezes como ator principal, uma de coadjuvante e ainda pela produção de "O Lobo de Wall Street".

Depois do Globo de Ouro recebido por “O Regresso”, parece que chegou finalmente o ano de Leonardo DiCaprio conquistar seu Oscar. Ele concorreu outras três vezes como ator principal, além de coadjuvante por “Gilbert Grape” e produtor de “O Lobo de Wall Street”.

MELHOR ATRIZ
Cate Blanchett – Carol
Brie Larson – O Quarto de Jack
Saoirse Ronan – Brooklyn
Charlotte Rampling – 45 Anos
Jennifer Lawrence – Joy – o Nome do Sucesso

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Christian Bale – A Grande Aposta
Tom Hardy – O Regresso
Mark Ruffalo – Spotlight – Segredos Revelados
Mark Rylance – Ponte dos Espiões
Sylvester Stallone – Creed – Nascido para Lutar

Do grande elenco de "Spotlight", filme-denúncia indicado em seis categorias, foram lembrados Mark Ruffalo e Rachel Rachel McAdams, como coadjuvantes

Do grande elenco de “Spotlight”, filme-denúncia indicado em seis categorias, Mark Ruffalo e Rachel Rachel McAdams, foram lembrados como coadjuvantes

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Jason Leigh – Os 8 Odiados
Rooney Mara – Carol
Rachel McAdams – Spotlight – Segredos Revelados
Alicia Vikander – A Garota Dinamarquesa
Kate Winslet – Steve Jobs

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Charles Randolph, Adam McKay – A Grande Aposta
Nick Hornby – Brooklyn
Phyllis Nagy – Carol
Drew Goddard – Perdido em Marte
Emma Donoghue – O Quarto de Jack

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Matt Charman – Ponte dos Espiões
Alex Garland – Ex-Machina – Instinto Artificial
Peter Docter, Meg LeFauve, Josh Cooley – Divertida Mente
Josh Singer, Tom McCarthy – Spotlight – Segredos Revelados
Jonathan Herman, Andrea Berloff – Straigh Outta Comptom

O roteirista britânico Alex Garland (de "Extermínio" e "Não Me Abandone Jamais") recebeu uma merecida indicação por "Ex-Machina", ficção-científica intimista também nomeada a melhores efeitos visuais

O roteirista britânico Alex Garland (de “Extermínio” e “Não Me Abandone Jamais”) recebeu uma merecida indicação por “Ex-Machina”, ficção-científica intimista também nomeada a melhores efeitos visuais

MELHOR MONTAGEM
A Grande Aposta
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Spotlight – Segredos Revelados
Star Wars: O Despertar da Força

MELHOR FOTOGRAFIA
Carol
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Sicario: Terra de Ninguém
Os 8 Odiados

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Theeb – Jordânia
A War – Dinamarca
Mustang – França
O Filho de Saul – Hungria
Embrace of the Serpent – Colombia

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Anomalisa
Divertida Mente
Shaun, o Carneiro
O Menino e o Mundo
As Memórias de Marnie

Aclamado no exterior, o filme foi premiado nos festivais de Havana, Buenos Aires, Lisboa e São Paulo, e no Festival Internacional de Animação de Annecy, na França. * A história de um menino que, sentindo a falta do pai, deixa sua aldeia para procurá-lo e descobre um mundo fantástico. Com forte tom político, o roteiro aponta os problemas do mundo moderno pelos olhos da criança.

Premiado nos festivais de Havana, Buenos Aires, Lisboa e São Paulo, “O Menino e o Mundo” representa o Brasil no Oscar. O belo (e comovente) filme de Alê Abreu mostra a história de um menino que deixa sua aldeia para procurar o pai e que descobre, no caminho, as contradições e maravilhas da cidade grande. DISPONÍVEL PARA VENDA EM DVD NA 2001

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Carter Burwell – Carol
Ennio Morricone – Os 8 Odiados
Jóhann Jóhannsson – Sicario: Terra de Ninguém
Thomas Newman – Ponte dos Espiões
John Williams – Star Wars: O Despertar da Força

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Earned It” – de The Weeknd – Cinquenta Tons de Cinza
“Manta Ray” – de J. Ralph & Anthony – Racing Extinction
“Simple Song #3” – de Sumi Jo – Youth
“Writing’s On The Wall” – de Sam Smith e James Napier – 007 Contra Spectre
“Til It Happens To You” – de Lady Gaga e Diane Warren- The Hunting Ground

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
The 100-Year-Old Man Who Climbed out The Window And Disappeared
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso

MELHOR FIGURINO
O Regresso
Carol
Cinderela
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Ponte dos Espiões
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso

Aclamado como um dos melhores filmes de 2015, "Mad Max - Estrada da Fúria" é o favorito nas categorias técnicas, batendo de frente com "Star Wars - O Despertar da Força" e "O Regresso"

Aclamado como um dos melhores filmes de 2015, “Mad Max – Estrada da Fúria” é o favorito nas categorias técnicas, batendo de frente com “Star Wars – O Despertar da Força” e “O Regresso”

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Star Wars: O Despertar da Força
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
Ex-Machina – Instinto Artificial
O Regresso

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Sicario: Terra de Ninguém
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars – O Despertar da Força

MELHOR MIXAGEM DE SOM
Ponte dos Espiões
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars – O Despertar da Força

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE LONGA-METRAGEM
Amy
Cartel Land
O Peso do Silêncio
What Happened, Miss Simone?
Winter on Fire: Ukraine’s Fight fo Freedom

Indicado a dois prêmios Bafta, "Amy" é apontado como favorito ao Oscar de melhor documentário

Indicado a dois prêmios Bafta, “Amy” é apontado como favorito ao Oscar de melhor documentário

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM
Body Team 12
Chau, Beyond The Lines
Claude Lanzmann: Spectres Of The Shoah
A Girl In The River: The Price Of Forgiveness
Last Day Of Freedom

MELHOR CURTA-METRAGEM
Ave Maria
Day One
Everything Will Be Okay (Alles Wird Gut)
Shok
Stutterer

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
Bear Story
Prologue
Os Heróis de Sanjay
We Can’t Live Without Cosmos
World of Tomorrow

CONHEÇA OS VENCEDORES DO GLOBO DE OURO 2016

100

NA NOITE DE ONTEM, EM BEVERLY HILLS (LOS ANGELES, EUA), ACONTECEU A 73ª EDIÇÃO DO GLOBO DE OURO, PREMIAÇÃO DA IMPRENSA ESTRANGEIRA EM HOLLYWOOD.

Mais uma vez, o comediante britânico Ricky Gervais destilou seu veneno como apresentador da cerimônia que, diferentemente de outras premiações, divide as principais categorias de cinema e televisão entre drama e comédia/musical.

O épico “O Regresso” foi o grande vencedor da noite, nas categorias de melhor drama, diretor (Alejandro González Iñárritu) e ator dramático (Leonardo DiCaprio), desbancando os favoritos “Carol” e “Spotlight – Segredos Revelados”, que ficaram sem nenhum prêmio. Curiosamente, a ficção-científica “Perdido em Marte” foi premiada como melhor comédia ou musical e ator (para Matt Damon), e “Steve Jobs” ficou com o Globo de Ouro de atriz coadjuvante (Kate Winslet) e roteiro (escrito por Aaron Sorkin). Já Divertida Mente” confirmou o favoritismo da Disney/Pixar ao conquistar o prêmio de melhor animação.

Alejandro González Iñárritu e Leonardo DiCaprio com os Globos de Ouro recebidos por "O Regresso", superprodução que ganha força rumo ao Oscar

Alejandro González Iñárritu e Leonardo DiCaprio com os Globos de Ouro recebidos por “O Regresso”, superprodução que ganha força rumo ao Oscar

Nas categorias de TV, os críticos da Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood surpreenderam, premiando inúmeras produções novas, entre elas “Mr. Robot” (melhor série dramática e ator coadjuvante), “Crazy Ex-Girlfriend” (melhor atriz em comédia ou musical), “Mozart in the Jungle”  (melhor filme e ator cômicos), e a minissérie “Wolf Hall”, aclamada produção da BBC sobre o conflito entre Henrique VIII e Thomas Cromwell.

E não podia faltar o grande homenageado da noite: Denzel Washington. Aos 62 anos, o astro recebeu o prêmio Cecil B.deMille pelo conjunto da carreira, que abrange mais de três décadas, 54 produções para cinema e TV, e dois Oscars.

CONFIRA A SEGUIR TODOS OS PREMIADOS DO GLOBO DE OURO 2016:

Cinema

000000000000000

Melhor Filme (Drama): “O Regresso”

Melhor Filme (Comédia/Musical): “Perdido em Marte” (em pré-venda na 2001)

Sucesso de público e crítica, "Perdido em Marte" pode render a Ridley Scott o primeiro Oscar de sua carreira, e a primeira indicação de  Matt Damon como ator principal. Com lançamento em DVD e Blu-ray previsto para 31/1, o filme traz na trilha "Starman", canção de David Bowie (1947-2016)

Sucesso de público e crítica, “Perdido em Marte” pode render a Ridley Scott o primeiro Oscar de sua carreira, e a segunda indicação de Matt Damon como ator principal. Com lançamento em DVD e Blu-ray previsto para 31/1, o filme traz na trilha “Starman”, canção de David Bowie (1947-2016)

Melhor Direção: Alejandro González Iñárritu por “O Regresso”

Melhor Ator (Drama): Leonardo DiCaprio por “O Regresso”

Melhor Ator (Comédia/Musical): Matt Damon por “Perdido em Marte” (em pré-venda na 2001)

Melhor Atriz (Drama): Brie Larson por “O Quarto de Jack”

77777

Brie Larson (de “O Apostador”) derrotou as favoritas Cate Blanchett e Rooney Mara, levando a estatueta por seu comovente desempenho no drama indie “O Quarto de Jack”

Melhor Atriz (Comédia/Musical): Jennifer Lawrence por “Joy”

Melhor Ator Coadjuvante: Sylvester Stallone por “Creed: Nascido para Lutar”

Melhor Atriz Coadjuvante: Kate Winslet por “Steve Jobs”

Melhor Roteiro: Aaron Sorkin por “Steve Jobs”

Melhor Animação: “Divertida Mente”

E, como era de se esperar, o prêmio para "Divertida Mente" é mais um triunfo da Pixar

E, como era de se esperar, o prêmio de melhor animação para “Divertida Mente” celebra mais um triunfo da Pixar

Melhor Canção Original: Sam Smith e James Napier por “Writing’s on the Wall” (de “007 Contra Spectre”)

Melhor Trilha Sonora: Ennio Morricone por “Os Oito Odiados”

Melhor Filme Estrangeiro: “O Filho de Saul” (Hungria)

Televisão

0100

Melhor Série (Drama): “Mr. Robot”

Melhor Série (Comédia/Musical): “Mozart in the Jungle”

Melhor Minissérie ou Telefilme: “Wolf Hall”

Produzida pela BBC, a minissérie "Wolf Hall" sai em DVD para compra e venda na 2001 em fevereiro

Produzida pela BBC, a minissérie “Wolf Hall” sai em DVD para compra e venda na 2001 em fevereiro

Melhor Ator de Série (Drama): Jon Hamm por “Mad Men

Melhor Ator de Série (Comédia): Gael García Bernal por “Mozart in the Jungle”

Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme: Oscar Isaac por “Show Me a Hero”

Melhor Atriz de Série (Drama): Taraji P. Henson por “Empire

Fenômeno de audiência nos EUA, "Empire" já pode ser adquirida em DVD na 2001

Fenômeno de audiência nos EUA, “Empire” já pode ser adquirida em DVD na 2001

Melhor Atriz de Série (Comédia): Rachel Bloom por “Crazy Ex-Girlfriend”

Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme: Lady Gaga por “American Horror Story”

Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme: Christian Slater por “Mr. Robot”

Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme: Maura Tierney por “The Affair”