cinema de horror

NOVAS COLEÇÕES DO SELO OBRAS-PRIMAS DO CINEMA: D.W. GRIFFITH E ESTÚDIO HAMMER

COM 2 DISCOS, “D.W.GRIFFITH” REVISITA OS PRIMÓRDIOS DO CINEMA, COM “O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO” E “INTOLERÂNCIA”, E A “COLEÇÃO ESTÚDIO HAMMER“, COM 3 DVDs, REÚNE 6 CLÁSSICOS DE TERROR BRITÂNICO DOS ANOS 50 E 60.

Edições limitadas com cards e inúmeros extras com bastidores de produção.

D.W. GRIFFITH

UM PIONEIRO DO CINEMA

David Llewelyn Wark Griffith nasceu em região rural do estado de Kentucky (EUA), em 22 de janeiro de 1875. Filho de um herói da guerra civil americana que influenciou o filho com suas histórias, começou a carreira artística como ator amador e ingressou no cinema quando aceitou trabalhar para um filme da Companhia Edison, realizado por Edwin S. Porter.

A partir de 1908, Griffith dirigiu centenas de curtas para a Biograph, que lhe permitiram testar novas técnicas, até realizar O “Nascimento de uma Nação” (1915). O sucesso desse épico pioneiro, realizado em 12 rolos, deu novo rumo ao cinema. Griffith, ao lado do fotógrafo G.W. Bitzer, revolucionou a linguagem cinematográfica, criando procedimentos técnicos como o close, o travelling e o flashback.

Retirou-se de cena no início dos anos 1930, após sucessivos fracassos. Griffith morreu solitário num hotel de Los Angeles (Califórnia), em 1948. Apesar de ter reconhecida sua importância para o desenvolvimento da linguagem do cinema, com o tempo o diretor passou a ser criticado por idealizar membros da Ku Klux Klan como heróis em “O Nascimento de uma Nação”.

DISCO 1:

O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (The Birth of a Nation, 1915, 193 min.)
Com Lillian Gish, Mae Marsh, Henry B. Walthall.

Dois irmãos da família Stoneman visitam os Cameron em Piedmont, Carolina do Sul. Esta amizade é afetada com a Guerra Civil, pois os Cameron se alistam no exército Confederado enquanto os Stoneman unem-se às forças da União.

São retratadas as consequências da guerra na vida destas duas famílias e as conexões com os principiais acontecimentos históricos, como o crescimento da Guerra da Secessão, o assassinato de Lincoln e o nascimento da Ku Klux Klan.

DISCO 2:

INTOLERÂNCIA (Intolerance: Love’s Struggle Throughout the Ages, 1916, 167 min.)
Com Lillian Gish, Robert Harron, Mae Marsh.

A intolerância vista e analisada em quatro diferentes estágios da História: Na Babilônia, uma garota convive com a rivalidade religiosa que leva uma cidade às ruínas. Na Judeia, os hipócritas condenam Jesus Cristo. Na Paris do século XVI, sem saber saber do Massacre da Noite de São Bartolomeu, dois huguenotes se preparam para um casamento. E na América moderna reformistas sociais destroem a vida de um jovem casal.

EXTRAS:

* Making of de “O Nascimento de uma Nação”: Com duração de 24 minutos, contém informações sobre a produção e inclui raros testes de figurinos e mais bastidores.
* “Three Hours That Shook the World”: Com duração de 19 minutos, esta entrevista com Kevin Brownlow traz histórias fascinantes sobre o filme “Intolerância”.

COLEÇÃO ESTÚDIO HAMMER

Fundada em 1934, com nome homenageando a região de seu fundador, William Hinds (comediante de Hammersmith), a Hammer começou suas atividades com a produção de comédias e aventuras de baixo orçamento.

Em 1955, o sucesso de “Terror que Mata” (The Quatermass Xperiment) impulsionou a Hammer a produzir mais filmes de sci-fi e terror, revitalizando nas telas monstros clássicos da Universal, em títulos como “A Maldição de Frankenstein” (The Curse of Frankenstein, 1957) e “O Vampiro da Noite” (Dracula, 1958).

Com mais de cem longas realizados até a década de 1970, a Hammer se tornou referência mundial em terror, adicionando erotismo e violência gráfica às suas produções fincadas na literatura gótica. Atores recorrentes nos maiores sucessos da Hammer, Peter Cushing e Christopher Lee viraram astros universais do cinema de horror.

DISCO 1:

A MÚMIA (The Mummy, 1959, 1.66:1, 88 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Peter Cushing, Christopher Lee, Yvonne Furneaux.

No ano de 1895, a tumba da princesa egípcia Ananka é encontrada por um grupo de arqueólogos. Contudo, o sumo-sacerdote Kharis (Christopher Lee), que amava a princesa, volta à vida, espalhando terror entre os escavadores.

MALDIÇÃO DE LOBISOMEM (The Curse of the Werewolf, 1961, 2.0:1, 92 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Clifford Evans, Oliver Reed, Yvonne Romain.

Na Espanha, Leon nasceu no dia de Natal, fruto de um estupro. Quando jovem, ele trabalha em uma adega e se apaixona pela filha do proprietário, Cristina. Só que, em uma noite de lua cheia, ele se transforma, assustando toda a cidade.

DISCO 2:

O BEIJO DO VAMPIRO (The Kiss of the Vampire, 1963, 1.85:1, 88 min.)
Direção: Don Sharp. Com Clifford Evans, Edward de Souza, Noel Willman.

Gerald e Marianne Harcourt viajam de carro quando seu veículo quebra e eles são obrigados a passar alguns dias numa pequena e remota comunidade. Logo, são convidados a visitar o castelo do Dr. Ravna, o líder de um culto vampírico.

MANIAC (Maniac, 1961, 2.35:1, 86 min.)
Direção: Michael Carreras. Com Kerwin Mathews, Nadia Gray, Donald Houston.

Um artista plástico norte-americano desembarca em uma ilha francesa e se envolve em um triangulo amoroso. Convencido por sua amante a ajudar o ex-marido a escapar de um hospital psiquiátrico, ele acaba libertando um homem altamente perigoso.

DISCO 3:

A GÓRGONA (The Gorgon, 1964, 1.66:1, 83 min.)
Direção: Terence Fisher. Com Christopher Lee, Peter Cushing, Richard Pasco.

Em 1910, na pequena cidade alemã de Vandorf, uma série de assassinatos foram cometidos nos últimos cinco anos, com todas as vítimas transformadas em pedra. As autoridades locais temem que uma antiga lenda tenha se tornado realidade.

FANATISMO MACABRO (Die! Die! My Darling!, 1965, 1.85:1, 94 min.)
Direção: Silvio Narizzano. Com Tallulah Bankhead, Stefanie Powers, Peter Vaughan.

A Sra. Trefoile é uma demente religiosa que ficou obcecada pelo espírito do filho que faleceu há vários anos em um acidente. Ela prende sua ex-nora no sótão como refém para “limpar” sua alma para que ela possa se reunir com seu filho no céu.

EXTRAS:

* Especial sobre “A Múmia”
* Membros da equipe original relembram suas experiências em “Maniac”
* Por dentro de “A Górgona” e “Fanatismo Macabro”

MAIS HAMMER FILMES NA 2001:
Drácula – The Ultimate Hammer Collection – 5 discos
Hammer – A Casa do Terror

STEPHEN KING NA 2001: O MESTRE DO HORROR MODERNO

“Monstros são reais e fantasmas são reais também. Vivem dentro de nós e, às vezes, vencem.” Stephen King

NASCIDO EM PORTLAND, NO ESTADO DO MAINE, EM 1947, STEPHEN EDWIN KING TORNOU-SE PARTE DA HISTÓRIA DA CULTURA POP, COM MAIS DE 50 LIVROS PUBLICADOS, E 300 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS SÓ NOS EUA.

Autor de inúmeros best-sellers, quase todos nos gêneros terror e fantasia, King é um dos escritores mais adaptados para o cinema e a televisão. “Sou um escritor visual, e isso atrai cineastas”, afirmou certa vez, e uma prova disso são as mais de 200 adaptações de sua obra listadas no site www.imdb.com

Com a estreia de mais uma transposição da obra de King nos cinemas — “A Torre Negra”, com Idris Elba e Matthew McConaughey no elenco –, confira a seguir uma amostra do universo do autor na tela. Destaque para duas minisséries em pré-venda na 2001: “O Iluminado” (1997) e “A Tempestade do Século” (1999).

Bons sustos!

A TEMPESTADE DO SÉCULO – A MINISSÉRIE COMPLETA

DVD Duplo

Minissérie em 3 episódios escrita originalmente para a televisão por Stephen King. Ao contrário da maioria das obras do autor, esta não foi lançada primeiro como livro e depois adaptada.

Uma de suas histórias mais assustadoras, sem monstros ou seres fantásticos, com a ênfase no suspense psicológico. Na trama, Little Tall, uma pequena cidade localizada em uma ilha, está prestes a sofrer uma violenta tempestade de neve. O misterioso Andre Linoge (Colm Feore, de “Titus”) chega ao local e cria pânico entre os moradores. O forasteiro conhece os segredos – inclusive os mais obscuros – de todos os habitantes, gerando caos e medo na comunidade que, presa pela tempestade, não tem como fugir dele.

O ILUMINADO – A MINISSÉRIE COMPLETA

3 Discos

Insatisfeito com a versão de Stanley Kubrick, lançada em 1980 com Jack Nicholson, King resolveu produzir sua própria adaptação, com 3 episódios que foram ao ar pela primeira vez na televisão americana em 1997.

Steven Weber interpreta o protagonista, Jack Torrance, um escritor fracassado que assume o trabalho de zelador do Overlook Hotel. O local fica fechado no inverno por quase cinco meses, deixando Jack isolado ao lado do filho Danny (Courtney Mead) e da esposa Wendy (Rebecca de Mornay). Pouco a pouco, a atmosfera do hotel aumenta as ansiedades e inseguranças dele e tudo explodirá em uma espiral de loucura e violência.

Dirigida por Mick Garris, responsável por outras duas adaptações da obra de King para TV – “A Dança da Morte” e “Saco de Ossos” – , a minissérie é considerada mais fiel ao livro do que o clássico de Kubrick.

Curiosidade: King escreveu uma continuação do livro chamada “Doutor Sono”, que se passa mais de 30 anos depois de “O Iluminado“.

A HORA DA ZONA MORTA

Uma das melhores transposições da obra de King para o cinema, com atmosfera inquietante que é a marca do diretor David Cronenberg. Christopher Walken vive o atormentado Johnny Smith, professor secundário que entra em coma após um terrível acidente de carro. Cinco anos depois, ele acorda e tenta reconstruir sua vida, descobrindo no caminho o poder de prever o futuro. Em um trabalho mais comercial (e comportado), Cronenberg exibe sua assinatura nas assustadoras sequências de previsão do personagem.

COLHEITA MALDITA

Jovem casal (Peter Norton e Linda Hamilton) presencia um assassinato horrendo e parte para Gatlin, a cidade mais próxima, para avisar as autoridades. O local, contudo, parece abandonado e logo eles são aprisionados por um terrível menino, Isaac, que controla todas as crianças da região. Baseado no conto “As Crianças do Milharal”, presente no livro “Sombras da Noite” – primeira coletânea de contos lançada por Stephen King -, o filme teve várias continuações e uma refilmagem em 2009.

A HORA DO LOBISOMEM

Na pequena cidade de Tarker’s Mill, acontecem violentos assassinatos e o jovem Marty (Corey Haim, de “Os Garotos Perdidos”) acredita que o responsável não é um ser humano, mas sim um lobisomem. Terror indicado ao prêmio máximo do Fantasporto, o maior festival de cinema dedicado a filmes do gênero fantástico. Produzido por Dino De Laurentiis (“A Hora da Zona Morta“), “A Hora do Lobisomem” tem o roteiro escrito pelo próprio Stephen King.

O SOBREVIVENTE

Bem antes de “Jogos Vorazes” e similares, King escreveu — sob o pseudônimo de Richard Bachman — esta crítica ao sensacionalismo televisivo. Um dos violentos longas de ação que fizeram a fama de Arnold Schwarzenegger nos anos 1980, o filme se passa, curiosamente, em 2017, com os Estados Unidos transformados em um regime totalitário que patrocina um jogo mortal no qual condenados pela Justiça lutam pela sobrevivência até que apenas um permaneça vivo.

O CEMITÉRIO MALDITO

Louis Creed, um jovem médico de Chicago, muda-se com a família para uma pequena cidade do Maine. Em um passeio pela região, eles conhecem um cemitério onde gerações de crianças enterraram seus animais de estimação. Quando o gato da família morre, Judd Crandall, um vizinho, leva Louis para um cemitério indígena capaz de ressuscitar os animais. Terror dirigido por Mary Lambert (“Marcas de uma Paixão”) com roteiro escrito por King a partir de seu livro “O Cemitério”.

A METADE NEGRA

O tema do duplo, eternizado na obra de Fiódor Dostoievski, é uma constante na obra de King, que se vale da figura do escritor para refletir sobre o uso do pseudônimo – ou outro “eu”. Durante anos o próprio autor escreveu sob o pseudônimo de Richard Bachman. Em “A Metade Negra”, é Thad Beaumont (Timothy Hutton) que usa outro nome para assinar seus violentos best sellers criminais, até que alguém descobre seu segredo e passa a chantageá-lo. Direção do mestre George A. Romero, que nos deixou no último dia 16 de julho, aos 77 anos.

À ESPERA DE UM MILAGRE

Diretor e roteirista de “Um Sonho de Liberdade“, Frank Darabont retorna cinco anos depois com mais uma adaptação da obra de King. Volta a brutalidade de uma penitenciária americana, agora nos anos 1930, onde John Coffey (Michael Clarke Duncan), um gigantesco condenado à morte, desperta a simpatia do carcereiro Paul Edgecombe (Tom Hanks). Indicado ao Oscar de melhor filme, ator coadjuvante (Duncan), roteiro adaptado e som, o longa é baseado em obra originalmente publicada em seis partes com o título de “O Corredor da Morte”.

CARRIE, A ESTRANHA (2013)

Diretora de “Meninos não Choram”, Kimberly Peirce atualiza o primeiro sucesso de vendas de King, levado primeiro para a telona por Brian De Palma em 1976. Na nova versão, Carrie (Chloë Grace Moretz, de “Kick-ass”), além de lidar com sua mãe fanática religiosa (Julianne Moore), precisa enfrentar novas formas de bullying – como a exposição de fotos comprometedoras na internet. Nesta refilmagem, a profusão de efeitos especiais coloca em primeiro plano a paranormalidade da protagonista.

UNDER THE DOME – 1ª TEMPORADA

A intrigante história dos moradores de Chester’s Mill, uma pequena cidade que explicavelmente se vê presa sob uma redoma enorme e transparente. Liderados por um veterano da Guerra do Iraque (Mike Vogel), os moradores unem-se para manter a ordem e lutar contra a barreira que os isola do resto do mundo. Série baseada em obra de King lançada em 2009 após vinte anos de trabalho do escritor. Entre os extras do box, estão cenas inéditas e erros de gravação.

E VEJA TAMBÉM:

Under the Dome – A Série Completa (1 – 3)

NOVOS VOLUMES DE “OBRAS-PRIMAS DO TERROR” + PROMOÇÃO

MUITOS SUSTOS, SERES FANTÁSTICOS E NOVIDADES EM DUAS NOVAS COLEÇÕES DA VERSÁTIL NA 2001: “OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.5” – DEDICADO AO CINEMA DE HORROR NIPÔNICO – E O VOLUME 6, EDIÇÃO LIMITADA INCLUINDO 6 CARDS.

Lançamento na 2001 com valor promocional (por tempo limitado – ou enquanto durarem os estoques)

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.5

Coleção com 3 discos reunindo 6 cults do cinema japonês, destaque para o desconcertante “Audição” (que estampa a capa do box), de Takashi Miike, e o psicodélico “Hausu” (mais conhecido como “House”).

Todos os filmes em inéditas versões restauradas, além de quase duas horas de extras.

DVD 1:

AUDIÇÃO (Odishon/Audition, 1999, 115 min.)
De Takashi Miike. Com Ryo Ishibashi, Eihi Shiina, Tetsu Sawaki.

Após a morte da esposa, um executivo é convidado pelo amigo cineasta a participar da escolha de uma atriz. O viúvo se interessa por uma bela e misteriosa candidata. Um dos filmes mais chocantes das últimas décadas – e um dos favoritos de Quentin Tarantino.

HAUSU (Idem, 1977, 88 min.)
De Nobuhiko Obayashi. Com Kimiko Ikegami, Miki Jinbo, Kumiko Ohba.

Garota briga com o pai e vai passar as férias com suas amigas na casa da tia, porém a casa é mal assombrada. Delirante, absurdo e psicodélico, esse cult-movie é um terror que desafia qualquer descrição.

DISCO 2:

A CURA (Cure/Kyua, 1997, 111 min.)
De Kiyoshi Kurosawa. Com Masato Hagiwara, Koji Yakusho e Tsuyoshi Ujiki.

Um policial complexado investiga uma série de crimes violentos praticados por pessoas que não se lembram do que fizeram. Elogiado por Martin Scorsese e Bong Joon Ho (“O Hospedeiro”), este terror psicológico tem direção do premiado Kiyoshi Kurosawa (“Kairo”).

INFERNO (Jigoku, 1960, 98 min.)
De Nobuo Nakagawa. Com Shigeru Amachi, Utako Mitsuya, Yoichi Numata.

Um grupo de pecadores envolvidos em casos interligados de assassinato, vingança e adultério encontram- se nos Portões do Inferno. Chocante, original e poético, “Inferno” é a obra máxima de Nobuo Nakagawa, o pai do terror japonês.

DISCO 3:

ONIBABA – A MULHER DEMÔNIO (Onibaba, 1964, 102 min.)
De Kaneto Shindo. Com Nobuko Otowa, Jitsuko Yoshimura, Kei Sato.

Japão, século XIV. Duas mulheres vivem de matar samurais e vender seus pertences. Porém, um dia uma delas encontra um misterioso samurai com uma máscara bizarra. Obra-prima do mestre Kaneto Shindo (“A Ilha Nua”) – e um dos filmes de referência de William Friedkin (“O Exorcista”).

O GATO PRETO (Yabu no Naka no Kuroneko, 1968, 99 min.)
De Kaneto Shindo. Com Kichiemon Nakamura, Nobuko Otowa, Kei Sato.

No Japão medieval, um espírito vingativo mata samurais em um vilarejo. Enviado para enfrentar essa força invisível, um famoso guerreiro terá que enfrentar seus demônios. Poético e atmosférico conto de terror do diretor de “Onibaba”.

EXTRAS:
* Depoimentos de diretores e críticos (81 min.)
* Trailers (13 min.)

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.6

Caixa digistack com 3 DVDs que reúne seis clássicos inéditos de horror dirigidos ou produzidos por nomes lendários do gênero como Val Lewton, Brian Yuzna, William Castle, Dan Curtis e Narciso Ibáñez Serrador. Todos os filmes em versões restauradas e acompanhados por uma hora e meia de extras.

Edição Limitada com 6 cards.

DISCO 1:

A ILHA DAS ALMAS SELVAGENS (Island of Lost Souls, 1932, 70 min.)
De Erle C. Kenton. Com Charles Laughton, Bela Lugosi, Richard Arlen.

Cientista obcecado conduz macabras experiências genéticas numa remota ilha do Oceano Pacífico. Primeira adaptação de “A Ilha do Dr. Moreau”, de H. G. Wells, e um clássico do cinema de horror dos anos 1930.

A SOCIEDADE DOS AMIGOS DO DIABO (Society, 1989, 99 min.)
De Brian Yuzna. Com Billy Warlock, Devin DeVasquez, Evan Richards.

Um adolescente desconfia que sua família faça parte de um culto grotesco formado pela elite da sociedade local. Estreia do famoso produtor Brian Yuzna (“Re-Animator”) na direção, esse cult do body horror é uma cáustica sátira social.

DISCO 2:

A MANSÃO MACABRA (Burnt Offerings, 1976, 106 min.)
De Dan Curtis. Com Karen Black, Oliver Reed e Burgess Meredith.

Uma família se muda para uma velha mansão assombrada, que se alimenta de seus habitantes. Filme de casa assombrada dirigido pelo especialista Dan Curtis (“Sombras da Noite”).

A SÉTIMA VÍTIMA (The Seventh Victim, 1943, 71 min.)
De Mark Robson. Com Kim Hunter, Tom Conway, Jean Brooks.

Uma mulher em busca da irmã desaparecida descobre um culto satânico no coração de Nova York. Parte do lendário ciclo de filmes de terror do produtor Val Lewton (“Sangue de Pantera”, “O Túmulo Vazio”).

DISCO 3:

INTERNATO DERRADEIRO (La Residencia/The House that Screamed, 1969, 104 min.)
De Narciso Ibañez Serrador. Com Lili Palmer, Cristina Galbó, John Moulder-Brown.

França, século XIX. Jovens estudantes de um internato isolado começam a desaparecer em circunstâncias misteriosas. Precursor de “Suspiria”, esse clássico do horror europeu tem direção do mestre Narciso Ibañez Serrador (“Os Meninos”).

A MÁSCARA DO HORROR (Mr. Sardonicus, 1960, 90 min.)
De William Castle. Com Ronald Lewis, Audrey Dalton, Guy Rolfe.

Desesperado para recuperar um bilhete de loteria vitorioso, um barão ganancioso desenterra o corpo do pai e se torna vítima de uma maldição. Filme favorito do lendário produtor William Castle (“A Casa dos Maus Espíritos”).

EXTRAS:
* Entrevistas (47 min.)
* Especiais (22 min.)
* Trailers (14 min)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

COMPLETE SUA COLEÇÃO

(Em promoção por tempo limitado):

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.1

DISCO 1:
O CHICOTE E O CORPO
A ORGIA DA MORTE

DISCO 2:
O TÚMULO VAZIO
NA SOLIDÃO DA NOITE

DISCO 3:
A NOITE DO DEMÔNIO
A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.2

DISCO 1:
O CICLO DO PAVOR
LISA E O DIABO

DISCO 2:
A MANSÃO DO INFERNO
MARTIN

DISCO 3:
PELO AMOR E PELA MORTE
TERROR NAS TREVAS

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.3

DISCO 1:
BANHO DE SANGUE
A INOCENTE FACE DO TERROR

DISCO 2:
OS MENINOS
CARNAVAL DE ALMAS

DISCO 3:
FARSA TRÁGICA
MAGIA NEGRA

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.4

DISCO 1:
A ESPINHA DO DIABO
SOB O PODER DA MALDADE

DISCO 2:
A CASA DO CEMITÉRIO
A FILHA DE SATÃ

DISCO 3:
NASCE UM MONSTRO
SCHOCK

MUITOS SUSTOS E TENSÃO EM 10 LANÇAMENTOS DE TERROR E SUSPENSE

VÁRIOS TÍTULOS PARA OS FÃS DO GÊNERO, COM LANÇAMENTOS QUE VÃO DESDE OS FAMOSOS GIALLOS ITALIANOS — BEM REPRESENTADOS NA COLEÇÃO “A ARTE DE DARIO ARGENTO” — ATÉ PRODUÇÕES RECENTES, COMO “O SONO DA MORTE” E “O CHAMADO 3”. E EM JULHO VEM MUITO MAIS, COM OS SEIS VOLUMES DE “OBRAS-PRIMAS DO TERROR”.

A ARTE DE DARIO ARGENTO

Nascido em Roma em 1940, Argento foi crítico de cinema e colaborou no roteiro de “Era uma Vez no Oeste” (1968), de Sergio Leone. Influenciado por Mario Bava, estreou na direção em 1970 com “O Pássaro das Plumas de Cristal”, longa que deu origem à sua “Trilogia dos Bichos”, em que cada título de filme apresenta um animal que serve de pista para a derradeira descoberta dos assassinos.

Com trilha sonora de Ennio Morricone, a trilogia marcou Argento como mestre do ‘giallo’, subgênero conhecido pelos thrillers italianos caracterizados por histórias de suspense envolvendo um assassino serial — geralmente de luvas, capa ou chapéu –, uma testemunha ocular que se envolve em uma investigação particular e a morte de lindas mulheres de forma sádica. O termo ‘giallo’, significa “amarelo” em italiano e é originário dos livros de mistério publicados com capa amarelada em toda a Itália durante a década de 1930.

Além da “Trilogia dos Bichos”, o box traz “Terror na Ópera”, considerado o último grande filme do diretor.

DISCO 1:

O PÁSSARO DAS PLUMAS DE CRISTAL (“L’uccello dalle piume di cristallo”, 1970, 97 min.)
Com Tony Musante, Suzy Kendall e Enrico Maria Salerno.

Um escritor americano que mora em Roma assiste ao assassinato de uma mulher. Como a polícia não resolve o caso, ele decide investigar por conta própria.

O GATO DE NOVE CAUDAS (“Il gatto a nove code”, 1971, 112 min.)
Com James Franciscus, Karl Malden e Catherine Spaak.

Um repórter e um jornalista cego aposentado tentam resolver uma série de assassinatos e acabam se tornando alvos do assassino.

DISCO 2:

QUATRO MOSCAS SOBRE VELUDO CINZA (“Quattro Mosche di Velluto Grigio”, 1971, 104 min.)
Com Michael Brandon, Mimsy Farmer e Jean-Pierre Marielle.

Um músico é perseguido por um assassino misterioso que o chantageia pela morte acidental de uma pessoa.

TERROR NA ÓPERA (“Opera”, 1987, 107 min.)
Com Cristina Marsillach, Ian Charleson e Urbano Barberini.

Uma jovem soprano é perseguida por um assassino doentio durante a montagem da ópera “Macbeth” em Milão. Direção de fotografia de Ronnie Taylor (vencedor do Oscar por “Gandhi”) e trilha assinada por, entre outros, Brian Eno.

 E VEJA TAMBÉM:

A MORTE CAMINHA DE SALTO ALTO

Giallo de 1971 dirigido por Luciano Ercoli com a atriz espanhola Nieves Navarro (aqui sob o pseudônimo de Susan Scott) no papel de Nicole, uma dançarina que acaba perseguida por um homem mascarado, responsável pela morte de seu pai. Com cenas de violência chocante, muita sensualidade e visual estilizado, o filme lembra alguns trabalhos de Brian De Palma (“Sisters”, “Vestida para Matar”).

KOLCHAK E OS DEMÔNIOS DA NOITE – A SÉRIE COMPLETA

Box com 5 discos incluindo todos os 20 episódios da cultuada série dos anos 1970 que serviu de inspiração para produções como “Arquivo X” e “Supernatural“. Na trama, o repórter policial Carl Kolchak (Darren McGavin) trabalha em um jornal de Chicago e investiga estranhos casos policiais envolvendo fatos sobrenaturais, vampiros, lobisomens, zumbis, fantasmas, alienígenas e outros seres bizarros.

A HORA DO LOBISOMEM

Produzido por Dino De Laurentiis, o filme é baseado no romance homônimo de Stephen King, também autor do roteiro, sobre a pequena cidade de Tarker’s Mill, onde violentos assassinatos começam a ocorrer. Porém, o jovem Marty (Corey Haim, de “Os Garotos Perdidos”) acredita que o assassino não é uma pessoa, mas sim um lobisomem. Terror indicado ao prêmio máximo do Fantasporto, o maior festival de cinema dedicado a filmes do gênero fantástico.

DARK SIDE HORROR COLLECTION – VOLUME 3

Edição com luva, livreto, 2 discos e cards, trazendo dois filmes –exibidos em sessão dupla nos anos 1960– com Peter Cushing no papel do Dr. Who. Em DR. WHO E A GUERRA DOS DALEKS, o personagem ativa acidentalmente sua nova invenção, a TARDIS, uma máquina do tempo. Já na sequência, ANO 2.150 – A INVASÃO DA TERRA, Who e parte de sua família viajam para 2150 e encontram Londres destruída pelos alienígenas Daleks.

DARK SIDE HORROR COLLECTION – VOLUME 4

Filme de horror trash típico dos anos 1980, A VISÃO DO TERROR satiriza a classe média norte-americana, por meio de uma poderosa forma de energia vinda do espaço que provoca estranhos fenômenos, captados pela antena parabólica de uma TV. Em A TV DOS MORTOS-VIVOS, um escritor recebe por engano uma televisão que exibe apenas um filme em preto e branco, “Zombie Blood Nightmare”. Edição com luva, livreto, 2 discos e cards.

MONSTERS – THE ESSENCIAL COLLECTION (Blu-ray)

Edição Especial Limitada com 8 cards dos posters dos filmes mais livreto de 48 páginas com fotos de bastidores, cartas, posters originais e muito mais. São 8 clássicos da Universal: “Drácula” (1931), “Frankenstein” (1931), “A Múmia” (1932), “O Homem Invisível” (1933), “A Noiva de Frankenstein” (1935), “O Lobisomem” (1941), “O Fantasma da Ópera” (1943) e “O Monstro da Lagoa Negra” (1954).

O CHAMADO 3

Terceiro episódio da franquia de terror baseada no terror japonês de 1998 sobre fita de vídeo VHS que amaldiçoa quem a assiste. Pois o filme amaldiçoado de Samara começa a circular novamente e faz mais vítimas, entre elas a jovem Julia (Matilda Lutz), que descobre algo que ninguém havia visto antes nas imagens do vídeo.

O SONO DA MORTE

Depois de brilhar em “O Quarto de Jack“, o ator-mirim Jacob Tremblay estrela este thriller psicológico que flerta com o cinema de horror e o fantástico. Seu personagem, Cody, é adotado pelo casal Jessie (Kate Bosworth) e Mark (Thomas Jane), só que tem um problema: seus sonhos (e pesadelos) podem se tornar realidade.

BRUXA DE BLAIR (2016)

Em 1999 “A Bruxa e Blair” marcou época com sua combinação de terror e imagens ao estilo “found footage” (preexistentes, como se fosse um documentário). 17 anos depois, esta sequência refaz o mesmo enredo, com um grupo de universitários perdido numa floresta sinistra de Maryland.

SEXTA-FEIRA 13 COM TERROR E SUSPENSE NA 2001

PENNY DREADFUL – 2ª TEMPORADA

Em 2016, Eva Green (“O Lar das Crianças Peculiares“) recebeu uma merecida indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz (drama) por sua atuação na segunda temporada da série criada por John Logan. Mais do passado de sua personagem, Vanessa Ives, vem à tona em incríveis flashbacks, enquanto seus amigos – o explorador africano Sir Malcolm Murray (Timothy Dalton), o americano Ethan Chandler (Josh Hartnett) e o Dr. Victor Frankenstein (Harry Treadaway) – enfrentam novos perigos.

O HOMEM NAS TREVAS

Reverenciado pelo fãs de terror graças à refilmagem de “A Morte do Demônio“, o uruguaio Fede Alvarez assina a direção desta violenta produção de baixo orçamento que se tornou um dos sucessos-surpresa de 2016. Na trama, um trio de jovens contraventores encontra a oportunidade perfeita de fazer um assalto. Após descobrirem que uma mansão é habitada por um senhor cego (Stephen Lang, de “Avatar”), eles elaboram um plano para tentar invadir o local, mas o jogo muda. Encarcerados no local, eles precisam lutar por suas vidas contra um oponente inesperado.

EXTRAS: Comentários em áudio * Não tem como escapar * O Homem nas Trevas * Conheça o elenco * Criando a casa assustadora * Os sons do horror * Cenas excluídas * Trailers

QUANDO AS LUZES SE APAGAM

Inspirado em curta-metragem homônimo do diretor sueco David F. Sandberg, o filme parte da seguinte premissa: uma entidade maligna que surge em qualquer lugar que não tenha luz. É o que descobrem dois irmãos que lidam com uma criatura ligada ao passado de sua mãe. Agora, a vida de toda sua família e amigos corre perigo todas as vezes que as luzes se apagam… Nos extras do DVD, cenas deletadas.

INVOCAÇÃO DO MAL 2

7

Um dos maiores nomes do cinema de horror (“Jogos Mortais”, “Sobrenatural”) na atualidade, James Wan dirige e produz esta continuação do terror de 2013. Com 3,6 milhões de espectadores nos cinemas brasileiros, o filme traz de volta o carismático casal de investigadores paranormais em um novo caso, conhecido como o “Amityville britânico”, em 1977. A dupla desembarca em Enfield, na Inglaterra, chamada pela igreja para investigar incidentes paranormais supostamente ocorridos na residência de Peggy Hodgson (Frances O’Connor), que cria sozinha seus quatros filhos.

A MALDIÇÃO DA FLORESTA

Em uma remota floresta na Irlanda, Adam Hitchens tenta recomeçar a vida ao lado da esposa e do filho recém-nascido. No entanto, ao chegarem na casa nova, são alertados por um morador local para tomar cuidado com as terras sagradas. Premiado em festivais de cinema fantástico (Fangoria, Screamfest etc), o filme marca a estreia do videoartista Colin Hardy na direção de longa e mistura elementos de terror e suspense com folclore irlandês.

A COLINA ESCARLATE

7

Aclamado por “O Labirinto do Fauno”, o diretor e produtor Guillermo del Toro cria mais uma vez um universo exuberante, nesta produção gótica estrelada por Tom Hiddleston, Jessica Chastain e Mia Wasikowska. Na trama, uma escritora, apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe, muda-se para a sombria mansão dele no alto de uma colina. A propriedade tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo.

DARK COLLECTION – VOL.1

Dois cults de horror britânicos: “A Casa que Pingava Sangue” (1971), antologia com quatro episódios escritos por Robert Bloch (autor de “Psicose”), e “A Casa da Noite Eterna” (1973), influente “filme de casa assombrada” escrito por Richard Matheson (“Além da Imaginação”) e estrelado por Roddy McDowall e Pamela Franklin. No elenco do primeiro, destaque para a presença de dois ícones do gênero: Christopher Lee e Peter Cushing. Edição especial com dois discos e cards.

DARK COLLECTION – VOL.2

Duas bizarras interpretações de clássicos de horror por Paul Morrissey, ex-pupilo de Andy Warhol na célebre Factory. Em “Carne para Frankenstein” (1973), o Barão Frankenstein (Udo Kier) vive uma relação incestuosa com a própria irmã e inicia um experimento a partir de restos mortais. Já em “Sangue para Drácula” (1974), o conde precisa descobrir uma jovem virgem para beber de seu sangue. Ator-fetiche de Warhol, Joe Dallesandro estrela ambos os filmes. Edição especial com dois discos e cards.

HAMMER – A CASA DO TERROR

untitled-1

Com 4 discos, o box reúne a temporada completa, com 13 episódios, da série produzida pela Hammer em 1980. A tradicional produtora inglesa de filmes de horror empregou sua experiência no gênero em histórias macabras (e repletas de humor negro) com atores do porte de Peter Cushing, Denholm Eliot, Brian Cox, Pierce Brosnan e Jon Finch.

OS VAMPIROS DE SALEM – O RETORNO

6

A fim de sossego, um antropólogo leva o filho adolescente para sua cidade natal, Jerusalem’s Lot. Lá, descobre que a cidade está infestada de vampiros e tenta acabar com a ameaça, antes que eles se tornem os residentes definitivos de Salem. Dirigido pelo especialista em produções “B” Larry Cohen (“Nasce um Monstro“, “A Coisa”), o filme é uma continuação da minissérie “A Mansão Marsten” (1979), baseada em obra de Stephen King.

SERIAL KILLERS

0000000000

Coleção com 3 DVDs + 5 Cards e quase 3 horas de extras. São cinco filmes inéditos, a maioria cults e produções B para os fãs de terror e suspenses, todos sobre assassinos seriais. Quatro deles baseados em eventos verídicos. Há títulos perturbadores como “Confissões de um Necrófilo”, o aclamado “Henry – Retrato de um Assassino”, indicado ao Independent Spirit Awards, e o cult “Lua de Mel de Assassinos”, proibido em vários países. Nos extras, destaque para o inédito documentário “O Serial Killer – Henry Lee Lucas”.

BOA NOITE, MAMÃE

1111111111

Dirigido por Severin Fiala e Veronika Franz, o aclamado suspense austríaco estabelece desde o início a grande dúvida dos protagonistas. Numa propriedade isolada, os gêmeos Lukas e Elias (Lukas e Elias Schwartz) estranham a aparência da mãe (Susanne Wuest), que surge irreconhecível com o rosto coberto de ataduras, após uma cirurgia plástica. Repleta de elipses, a trama mantém o mistério em torno do que ocorreu com a mulher com o rosto coberto, paralelamente em que desenvolve um sádico jogo de poder entre ela e as crianças.

GAROTA SOMBRIA CAMINHA PELA MORTE

14

Um filme de vampiros diferente: uma coprodução entre EUA e Irã, com fotografia em preto e branco e diálogos em persa. Em Bad City, uma cidade iraniana abandonada, vivem diversos traficantes e prostitutas. Um reduto de depravação e falta de esperança, onde uma vampira mata seres solitários a fim de saciar sua sede de sangue. Indicado ao Independent Spirit Awards de melhor filme de estreia, fotografia e ao “Someone to Watch Award”.

RUA CLOVERFIELD, 10

00000

Dirigido pelo estreante Dan Trachtenberg, o filme é uma espécie de sequência temática de “Cloverfield – O Monstro”, também produzido por J.J. Abrams, diretor de “Star Wars – O Despertar da Força“. Os quatro primeiros minutos da trama estabelecem o clima intrigante que ronda Michelle (Mary Elizabeth Winstead), que sofre um terrível acidente de carro. Ao acordar, começa o pesadelo, com ela acorrentada sobre a cama em um abrigo subterrâneo.

AMERICAN HORROR STORY – HOTEL

001

A série criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk continua, com mais uma história diferente e Lady Gaga como “A Condessa”, papel que lhe rendeu um Globo de Ouro no início deste ano. As pistas de uma série de assassinatos levam até à sensual personagem da cantora, uma vil moradora do Hotel Cortez na região central de Los Angeles. Kathy Bates, Angela Bassett, Matt Bomer, Denis O’Hare e Sarah Paulson completam o elenco.

EM EDIÇÕES ESPECIAIS, JERRY LEWIS, ERNST LUBITSCH E “SANGUE DE PANTERA”

CINÉFILOS E COLECIONADORES NÃO PODEM PERDER O LANÇAMENTO DE TRÊS CLÁSSICOS EM JANEIRO: “BANCANDO A AMA-SECA“, COMÉDIA ESTRELADA POR JERRY LEWIS; “SER OU NÃO SER“, A CLÁSSICA VERSÃO DE 1942 DIRIGIDA POR ERNST LUBITSCH; E “SANGUE DE PANTERA“, CULT QUE SE TORNOU REFERÊNCIA DO CINEMA DE HORROR. CADA DVD VEM ACOMPANHADO DE 1 CARD MAIS EXTRAS.

BANCANDO A AMA-SECA

Um dos melhores filmes de Jerry Lewis nos anos 1950 – e uma raridade, já que quase todos os DVDs com o ator estão fora de catálogo no Brasil. Só recentemente foi lançado “De Caniço e Samburá” (1969), também disponível na 2001.

Exibido em sessão dupla com “A Canoa Furou” nos EUA, em 1963, a comédia tem direção e roteiro de Frank Tashlin, amigo pessoal de Lewis. O diretor e o astro trabalharam juntos em oito filmes, incluindo clássicos como “Cinderelo Sem Sapato” (Cinderfella, 1960) e “Errado pra Cachorro”(1963) – que traz a antológica cena em que Lewis simula usar uma máquina de escrever.

No clássico da Sessão da Tarde “Bancando a Ama-Seca”, Lewis dá vida à Clayton Poole, um atrapalhado “faz tudo”, ainda apaixonado por uma amiga de infância – Carla Naples (Marilyn Maxwell), agora uma atriz de sucesso.
Ao descobrir que está grávida, e que a notícia pode arruinar sua carreira, Carla lembra do velho amigo, que prometera fazer tudo por ela. Ingenuamente, Clayton aceita cuidar do bebê, até descobrir que, na verdade, ela teve trigêmeos!

Com cenas hilárias, entre elas a de Lewis com uma mangueira de jardim eoutra em que seu personagem encena programas dentro do tubo de uma televisão, o filme sai em DVD com a dublagem clássica da TV brasileira, com Nelson Batista fazendo a voz do inesquecível comediante.

EXTRAS:
* Entrevista com Jerry Lewis

SER OU NÃO SER

Dirigido por um mestre da farsa sofisticada, Ernst Lubitsch, este clássico da comédia americana foi lançado em março de 1942, logo após a morte da protagonista Carole Lombard em um acidente aéreo. O título é inspirado no famoso solilóquio de Shakespeare e o filme sai em versão remasterizada com mais de 1 hora e meia de extras.

Durante a Segunda Guerra Mundial, na Polônia ocupada pelos nazistas, um grupo de atores de teatro precisa evitar que um espião, que possui informação sobre a resistência polonesa, a entregue para os alemães.

Eleito pelo American Film Institute como uma das 100 melhores comédias de todos os tempos, “Ser ou não Ser” ganhou uma refilmagem em 1983, com Mel Brooks e Anne Bancroft.

EXTRAS:
* “Palácio Pinkus” (44 minutos), inédito curta-metragem de 1916 dirigido e estrelado por Ernst Lubitsch
* Documentário sobre a carreira do diretor (53 minutos)

SANGUE DE PANTERA

Dirigido por Jacques Tourneur (“Fuga do Passado“, “O Homem Leopardo“) e estrelado por Simone Simon, Kent Smith e Tom Conway, o longa marca a primeira parceria do cineasta com o lendário produtor de filmes de horror Val Lewton.

Na trama, Simon interpreta Irena Dubrovna, uma sérvia que trabalha com desenho de moda. Ela e o americano Oliver Reed conhecem-se num zoológico, se apaixonam e se casam. Contudo, começam a ter problemas quando Irena passa a acreditar ser descendente de uma raça diferente de mulheres. Ela acredita possuir o “sangue de pantera”, que a faz mudar de forma ao vivenciar emoções fortes, colocando a vida de todos em perigo.

Produção de baixo orçamento, o filme virou objeto de culto entre cinéfilos e cineastas, tornando-se uma referência na construção de atmosfera e poder de sugestão dentro do cinema de horror.

EXTRAS:
* Documentário “Val Lewton: The Man in the Shadows” (76 min.)
* Entrevista com o diretor Jacques Tourneur (26 min.)
* Entrevista com o diretor de fotografia (16 min.)
* Trailer

DUAS NOVAS COLEÇÕES DA VERSÁTIL COM CARDS: “FILME NOIR VOL.7” E “ZUMBIS NO CINEMA 2”

COM 3 DVDs, O BOX “FILME NOIR VOL. 7” REÚNE 6 CLÁSSICOS DO GÊNERO, INCLUINDO VERSÕES RESTAURADAS DE “ALMAS PERVERSAS”, DE FRITZ LANG, E “CINZAS QUE QUEIMAM”, DE NICHOLAS RAY. JÁ O DVD DUPLO “ZUMBIS NO CINEMA 2” TRAZ 4 TÍTULOS REALIZADOS ENTRE OS ANOS 1970 E 80, COMO OS CULTS “ENRAIVECIDA, NA FÚRIA DO SEXO” E “A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS”.

filme-noir-7-3d

FILME NOIR – VOL. 7

No formato digistack, com três DVDs, a coleção resgata clássicos de Fritz Lang e Nicholas Ray, em versões restauradas, mais raridades como “A Taverna do Caminho”, de Jean Negulesco, e “A Noite de 23 de Maio”, de John Sturges (diretor do “Sete Homens e um Destino” original). Dos seis filmes, dois são estrelados pela atriz e cineasta Ida Lupino.

DISCO 1:

ALMAS PERVERSAS (Scarlet Street, 1945, 102 min.)
De Fritz Lang. Com Edward G. Robinson, Joan Bennett, Dan Duryea.

0001

A obsessão amorosa de um homem de meia-idade por uma prostituta o leva ao crime e à decadência moral. Inspirando-se no clássico francês “A Cadela” (1931), de Jean Renoir, Lang criou uma das obras capitais do filme noir.

CINZAS QUE QUEIMAM (On Dangerous Ground, 1951, 82 min.)
De Nicholas Ray. Com Ida Lupino, Robert Ryan, Ward Bond.

0002

Um detetive amargurado é enviado para investigar o assassinato de uma jovem fora da cidade. A irmã do assassino pede que este tenha uma segunda chance. Mais um filme noir fascinante do genial Nicholas Ray (“No Silêncio da Noite”).

DISCO 2:

TENSÃO (Tension, 1949, 92 min.)
De John Berry. Com Richard Basehart, Audrey Totter, Cyd Charisse.

0003

Após ser traído e abandonado pela esposa, pacato gerente de farmácia assume outra identidade e busca vingança. A diva Audrey Totter vive uma icônica femme fatale neste noir do mesmo diretor de “Por Amor Também se Mata” (1951).

A TAVERNA DO CAMINHO (Road House, 1948, 95 min.)
De Jean Negulesco. Com Ida Lupino, Richard Widmark, Cornel Wilde.

0004

O dono de uma casa de shows se apaixona por uma cantora, que se envolve com o gerente do local. É o início de um tenso triângulo amoroso. A lendária Ida Lupino (“Seu Último Refúgio”) canta e brilha nesse eletrizante filme noir.

DISCO 3:

JUSTIÇA INJUSTA (The Sound of Fury/Try and Get Me!, 1950, 92 min.)
De Cy Endfield. Com Frank Lovejoy, Kathleen Ryan, Richard Carlson.

0005

Um desempregado se envolve com um assassino e ambos realizam um trágico sequestro. Baseado no mesmo evento retratado em “Fúria”, de Fritz Lang, esse é um dos filmes mais chocantes do cinema norte-americano.

A NOITE DE 23 DE MAIO (Mystery Street, 1950, 93 min.)
De John Sturges. Com Ricardo Montalbán, Sally Forrest, Bruce Bennett.

0006

Quando o corpo de uma prostituta grávida é encontrado numa praia, um policial recebe a ajuda de um professor de Harvard para descobrir o assassino. Precursor de seriados como “CSI” no uso da Ciência Forense em trama policial.

EXTRAS:

* Especiais sobre os filmes (57 min.)
* Trailers (10 min.)

ATENÇÃO: Edição Limitada com seis cards encartados no digistack

ATENÇÃO: Edição Limitada com seis cards encartados no digistack

zumbis-no-cinema-2-3d

ZUMBIS NO CINEMA 2

DVD duplo reunindo quatro filmes realizados entre os anos 1970 e 80 – dois deles cults: “Enraivecida, na Fúria do Sexo” (1974), longa de David Cronenberg chamado de “terror venéreo”, com a ex-atriz pornô Marilyn Chamber, e “A Volta dos Mortos-Vivos”, dirigido por Dan O’Bannon (roteirista de “Alien, o Oitavo Passageiro”) – e uma homenagem ao cinema de George A. Romero, misturando cenas gore e humor negro.

DISCO 1:

A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS (“The Return of the Living Dead”, 1985, 91 min.)
De Dan O’Bannon. Com Clu Gulager, James Karen e Don Calfa.

0007

Dois funcionários de um armazém liberam acidentalmente um gás mortal no ar, reanimando os mortos de um cemitério próximo. Um dos maiores clássicos do horror nos anos 1980 e uma divertida homenagem ao mestre Romero.

ENRAIVECIDA NA FÚRIA DO SEXO (“Rabid”, 1974, 91 min.)
De David Cronenberg. Com Marilyn Chambers, Frank Moore e Joe Silver.

0008

Mulher sofre grave acidente e, após uma cirurgia experimental, é possuída por uma sede de sangue insaciável, espalhando um vírus mortal. Filme de zumbi venéreo do mestre David Cronenberg com a estrela pornô Marilyn Chambers.

DISCO 2:

PAVOR NA CIDADE DOS ZUMBIS (“Paura nella città dei morti viventi”, 1981, 93 min.)
De Lucio Fulci. Com Christopher George, Catriona MacColl e Carlo De Mejo.

00010

Cidade de Dunwich. Uma força maligna é libertada após o suicídio de um padre, que se enforcou no cemitério da igreja. Primeiro filme da célebre Trilogia do Inferno do mestre absoluto do gore Lucio Fulci (“Terror nas Trevas”).

NOITES DE TERROR (“Le notti del terrore/Burial Ground”, 1981, 85 min.)
De Andrea Bianchi. Com Karin Well, Gianluigi Chirizzi e Simone Mattioli.

00011

Durante uma escavação, um professor acidentalmente desperta zumbis etruscos que, famintos por carne humana, atacam um grupo de jovens na vizinhança. Deliciosa pérola trash do ciclo zumbi spaghetti do cinema italiano de horror.

EXTRAS:

* Making of de “Pavor na Cidade dos Zumbis” (32 min.)
* Making of de “A Volta dos Mortos-Vivos” (21 min.)
* Os zumbis de “A Volta dos Mortos-Vivos” (14 min.)
* Entrevista de David Cronenberg (21 min.)
* Trailers (20 min.)

3

ATENÇÃO: Edição Limitada com quatro cards encartados no digistack

E, FÃS DE TERROR, NÃO PERCAM TAMBÉM:

HAMMER – A CASA DO TERROR
Com 4 discos, o box reúne a temporada completa, com 13 episódios.

“GÊMEOS – MÓRBIDA SEMELHANÇA” E “IMAGENS”: QUANDO O HORROR EMANA DA PSIQUE HUMANA

PREMIADOS, “GÊMEOS – MÓRBIDA SEMELHANÇA“, FILME QUE MARCA O RECONHECIMENTO DE DAVID CRONENBERG COMO CINEASTA AUTORAL, E “IMAGENS“, UM DOS TRABALHOS MAIS EXPERIMENTAIS DE ROBERT ALTMAN, EXPLORAM TEMAS COMO IDENTIDADE, OBSESSÃO E SEXUALIDADE HUMANA.

Considerado um dos melhores filmes de David Cronenberg, "Gêmeos - Mórbida Semelhança" apresenta uma das melhores atuações do ator inglês Jeremy Irons. Confira este cult dos anos 80, em DVD com ótimso extras sobre a produção

Considerado um dos melhores filmes de David Cronenberg, “Gêmeos – Mórbida Semelhança” apresenta uma das melhores atuações do ator inglês Jeremy Irons. Confira este cult dos anos 80, em DVD com ótimos extras sobre a produção

GÊMEOS- MÓRBIDA SEMELHANÇA

Nascido em 15 de março de 1943, em Toronto (Ontario, Canadá), David Cronenberg estudou literatura, língua inglesa e até ciências na universidade. Depois de alguns curtas experimentais, realizou o média-metragem caseiro “Stereo” (1969), passando a chamar a atenção da cena independente canadense com “Calafrios” (1975) e “Rabid” (1977), produções B repletas de violência gore e sexualidade.

David Cronenberg, em foto-montagem cercado por algumas das criaturas e objetos  criados em sua filmografia

David Cronenberg, em foto-montagem cercado por algumas das criaturas e objetos criados em sua filmografia

Após o controverso (e estranhamente autobiográfico) Os “Filhos do Medo” (1979), o diretor conseguiu o primeiro sucesso de público de sua carreira com “Scanners – Sua Mente Pode Destruir” (1981). O filme foi seu passaporte para Hollywood e para a impactante refilmagem de “A Mosca da Cabeça Branca” em 1986. Violência explícita, a fusão entre pele humana e elementos externos, a dicotomia entre corpo e mente e o desejo sexual como meio e fim de personagens solitários, à procura de seu lugar no mundo, são algumas das marcas de seu autor, que era até então considerado apenas um criativo e original diretor de longas de horror.

Tudo mudou com “Gêmeos – Mórbida Semelhança” (1988): saem os monstros e mutações genéticas; o horror emana da mente, das pulsões humanas e da complexa psicologia dos gêmeos brilhantemente interpretados por Jeremy Irons. O filme é baseado no caso dos irmãos ginecologistas nova-iorquinos Cyril e Stewart Marcus, que inspiraram o romance “Twins”, de Bari Wood e Jack Geasland (1977).

Jeremy Irons no papel duplo de Gêmeos – Mórbida Semelhança, marco na carreira de Cronenberg que ajudou a desmistificar sua antiga imagem de diretor de filmes de terror

Jeremy Irons em “Gêmeos – Mórbida Semelhança, marco na carreira de Cronenberg que ajudou a desmistificar sua antiga imagem de diretor de filmes de terror

Na trama, Beverly Mantle é trabalhador, retraído e frágil, ao passo que seu irmão Elliot é extrovertido e sedutor. Gêmeos idênticos, os dois compartilham tudo na vida, desde namoradas até a clínica em que trabalham como ginecologistas. O equilíbrio vai ser rompido com o triângulo amoroso formado entre os irmãos Mantle e Claire Niveau, uma atriz famosa (interpretada por Genevieve Bujold, de “Ana dos Mil Dias”).

Dirigido cirurgicamente por Cronenberg, “Gêmeos” é um dos filmes seminais da década de 80, no qual o diretor substitui o terror óbvio por imagens marcantes como as dos “instrumentos ginecológicos para operar mulheres mutantes”.

EXTRAS: Making of (07 min.) * A psicologia por trás de “Gêmeos” (30 min.) * Os efeitos especiais (20 min.) * Trailer de cinema (3 min.)

PRÊMIOS:

ASSOCIAÇÃO DOS CRÍTICOS DE CINEMA DE LOS ANGELES
Melhor Atriz Coadjuvante (Geneviève Bujold)
Melhor Diretor (David Cronenberg)

CÍRCULO DOS CRÍTICOS DE CINEMA DE NOVA YORK
Melhor Ator (Jeremy Irons)

FANTASPORTO
Melhor Ator (Jeremy Irons)

FESTIVAL DE CINEMA FANTÁSTICO DE AVORIAZ
Grande Prêmio

Vencedor do prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes, "Imagens" é um dos trabalhos mais rebuscados - e sensoriais - da carreira de Robert Altman, com um elaborado jogo dramático entre realidade e subconsciente. Confira esse e outros trabalho do diretor na 2001.

Vencedor do prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes, “Imagens” é um dos trabalhos mais rebuscados – e sensoriais – da carreira de Robert Altman, com um elaborado jogo dramático entre realidade e subconsciente. Confira esse e outros trabalhos do diretor na 2001.

IMAGENS

Um dos pioneiros da “Nova Hollywood” que emergiu no cinema americano no final dos anos 1960, Robert Altman fez uma transição brilhante da TV para a sétima arte, combinando inovações técnicas – como a sobreposição de diálogos numa cena, a alternância de histórias paralelas (o famoso multiplot ou filme-coral), o jogo de lentes e muita improvisação entre os atores – com conteúdo crítico e subversivo.

A comédia antibelicista “M.A.S.H.” marcou, em 1970, o seu primeiro sucesso comercial – e primeira indicação ao Oscar de melhor direção. A década prosseguiu com filmes arrojados como o western “Onde os Homens são Homens” (1971) e o rebuscado drama psicanalítico “Imagens”. Com criativo uso do design de som e elaborada fotografia de Vilmos Zsigmond, que usa e abusa de reflexos e imagens distorcidas, o longa mergulha na alterada percepção do mundo de sua protagonista, Cathryn (Susannah York, premiada no Festival de Cannes).

Susannah York em "Imagens": o que é realidade ou fruto da percepção alterada da protagonista?

Susannah York em “Imagens”: o que é realidade ou fruto da percepção alterada da protagonista?

Escritora de livros infantis, Cathryn entra em crise ao desconfiar da fidelidade do marido, criando uma realidade fantasiosa. Quando o casal decide tirar férias em uma casa de campo, seus delírios se tornam ainda mais perturbadores, e ela – assim como o espectador – tem dificuldade em determinar o que é realidade e o que está em sua mente.

Influenciado por “Repulsa ao Sexo”, de Roman Polanski, e “Persona”, de Ingmar Bergman, “Imagens” é um corajoso e perturbador experimento de Altman no universo da esquizofrenia.

EXTRAS: Depoimento de Robert Altman (24 min.) * Cenas comentadas (36 min.) * Trailer de cinema (3 min)

"Eu ainda gosto do filme. É um pouco pesado, mas eu não o mudaria. Quando fiz Imagens pensei: acabou, todos vão pirar com esse filme. Será a grande descoberta desde o haxixe!". Robert Altman, em entrevista para David Thompson em 2006

“Eu ainda gosto do filme. É um pouco pesado, mas eu não o mudaria. Quando fiz Imagens pensei: acabou, todos vão pirar com esse filme. Será a grande descoberta desde o haxixe!”. Robert Altman, em entrevista para David Thompson em 2006

PRÊMIOS E INDICAÇÕES:

FESTIVAL DE CANNES
Melhor Atriz (Susannah York)

INDICADO AO OSCAR
Melhor Trilha Sonora (John Williams)

INDICADO AO GLOBO DE OURO
Melhor Filme Estrangeiro

MISTÉRIO E SUSTOS NUMA INCRÍVEL PROMOÇÃO DA VERSÁTIL

promocao_terrorsuspense

Promoção por tempo limitado – ou enquanto durarem os estoques

FÃS DO CINEMA DE HORROR E SUSPENSE NÃO PODEM PERDER, PELA PRIMEIRA VEZ EM PROMOÇÃO, NOVE CLÁSSICOS COM 50% OFF* NA 2001:

O SOLAR DAS ALMAS PERDIDAS

01

Com direção de Lewis Allen (de “Meu Ofício é Matar”), a produção tem no elenco Ray Milland – vencedor do Oscar de melhor ator por “Farrapo Humano” –, além de famosa trilha sonora de Victor Young (Sansão e Dalila). Em versão restaurada com quase uma hora de extras, incluindo uma análise do filme à luz do Espiritismo, o filme renovou o gênero da casa mal assombrada, ao abordar com seriedade o sobrenatural.

A QUEDA DA CASA DE USHER

Vincent Price in House of Usher, 1960.

Também conhecido como “O Solar Maldito”, é o primeiro filme do lendário ciclo de adaptações da obra de Edgar Allan Poe realizado por Roger Corman (“A Orgia da Morte”), o mestre do filme B, e que conta no elenco com Vincent Price, um dos ícones do cinema de horror. Nos extras, confira a versão muda surrealista do conto de Poe dirigida por Jean Epstein e coescrita por Luis Buñuel. Pela primeira vez em DVD no Brasil.

A HORA DO LOBO

03

Uma das grandes obras-primas do mestre Ingmar Bergman e seu único filme de horror. Edição especial com vários extras, incluindo making of e entrevistas com Erland Josephson e Liv Ullman. Na trama, o pintor Johan e sua esposa grávida, Alma, retiram-se para uma ilha isolada; enquanto ele é consumido por demônios do passado e por constantes alucinações, ela tenta ajudá-lo a manter a sanidade e controlar sua obra.

INVERNO DE SANGUE EM VENEZA

04

Um dos melhores filmes de terror da história do cinema, o cult movie é mais um rebuscado trabalho de Nicolas Roeg, diretor de filmes marcados pela experimentação visual e pela contracultura dos anos 1960 e 70, como “Performance” e “O Homem que Caiu na Terra”. Nos extras, depoimentos de Allan Scott, Donald Sutherland e Danny Boyle, somando 55 minutos; versão curta do filme, por Boyle (5’) e making of (20’).

O COLECIONADOR

05

Adaptado do romance de John Fowles, o filme concorreu aos Oscar de melhor direção (William Wyler), atriz (Samantha Eggar) e roteiro adaptado, abordando com sensibilidade o tradicional enredo de thriller. Na trama, o jovem Freddie (Terence Stamp) é um colecionador de borboletas que sequestra Miranda, uma bela estudante de arte. Uma história delicada ao som de bela trilha sonora de Maurice Jarre.

A TORTURA DO MEDO

06

Dirigido pelo mestre Michael Powell, o clássico “Peeping Tom” (título original) desconcertou a crítica em seu lançamento, meses antes de “Psicose”. Mal recebido na época, em virtude de seu conteúdo ousado – bem distante dos trabalhos anteriores do diretor de “Sapatinhos Vermelhos” –, o filme ganhou status de cult com o tempo, tornando-se um dos mais profundos estudos do voyeurismo e da psicopatia no cinema.

O MENSAGEIRO DO DIABO

07

O único filme dirigido pelo grande ator Charles Laughton (“Testemunha de Acusação”), em versão restaurada com uma hora de vídeos extras, incluindo making of. O astro Robert Mitchum brilha como o reverendo Harry Powell, um misterioso “pastor” que, com as palavras “ódio” e “amor” tatuadas nos dedos das mãos, percorre o interior dos Estados Unidos, aplicando golpes e deixando um rastro de viúvas mortas pelo caminho.

SOB O DOMÍNIO DO MEDO

08

Um dos filmes mais polêmicos da história do cinema, o clássico de Sam Peckinpah (de “Os Implacáveis”) chocou o público com a sua explosão de violência e uma controversa cena de estupro protagonizada por Susan George. Indicado ao Oscar em 1972, saiu em DVD numa versão restaurada com mais de 1 hora de extras, incluindo entrevistas esclarecedoras de Susan e Dustin Hoffman, além de bastidores.

NOSFERATU (1979)

09

Refilmagem do clássico expressionista do mestre W. F. Murnau dirigida com maestria por Werner Herzog (de “O Enigma de Kaspar Hauser”). A partir do clássico “Drácula” de Bram Stoker, o cineasta alemão narra a jornada de Jonathan Harker (Bruno Ganz) pelo reino de horror do Conde Drácula (Klaus Kinski), um maligno vampiro obcecado pela esposa de Harker, a bela Lucy (Isabelle Adjani). Versão restaurada, com muitos extras.

E VEJA TAMBÉM, EM PROMOÇÃO NA 2001: 

OBRAS-PRIMAS DO TERROR

DISCO 1:

O CHICOTE E O CORPO (La frusta e il corpo, 1963)
De Mario Bava. Com Christopher Lee e Daliah Lavi.

A ORGIA DA MORTE (The masque of the red death, 1964)
De Roger Corman. Com Vincent Price e Jane Asher.

DISCO 2:

O TÚMULO VAZIO (The body snatcher, 1945)
De Robert Wise. Com Bela Lugosi, Boris Karloff e Henry Daniell.

NA SOLIDÃO DA NOITE (Dead of night, 1945)
De Alberto Cavalcanti e outros. Com Michael Redgrave e Mervyn Johns.

DISCO 3:

A NOITE DO DEMÔNIO (Night of the demon, 1957)
De Jacques Tourneur. Com Dana Andrews e Peggy Cummings.

A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS (Village of the damned, 1960)
De Wolf Rilla. Com George Sanders e Barbara Shelley.

10649449_802092579847935_6998303698150094449_n

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.2

DISCO 1:

O CICLO DO PAVOR (Operazione Paura, 1966)
De Mario Bava. Com Giacomo Rossi­Stuart e Erika Blanc.

LISA E O DIABO (Lisa e il Diavolo, 1973)
De Mario Bava. Com Elke Sommer, Telly Savalas e Sylva Koscina.

DISCO 2:

A MANSÃO DO INFERNO (Inferno, 1980)
De Dario Argento. Com Leigh McCloskey, Irene Miracle e Eleonora Giorgi.

MARTIN (Idem, 1976)
De George Romero. Com John Amplas, Lincoln Maazel e Christine Forrest.

DISCO 3:

PELO AMOR E PELA MORTE (Dellamorte Dellamore, 1993)
De Michele Soavi. Com Rupert Everett e François Hadji­Lazaro.

TERROR NAS TREVAS (…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà, 1981)
De Lucio Fulci. Com Catriona MacColl, David Warbeck e Cinzia Monreale.

SUSPENSE E TERROR É COM A VERSÁTIL!

ALÉM DAS BELÍSSIMAS EDIÇÕES DE “OBRAS-PRIMAS DO TERROR”, A VERSÁTIL CAPRICHA MAIS UMA VEZ COM TRÊS LANÇAMENTOS: “ARMADILHA MORTAL“, A COLEÇÃO “VAMPIROS NO CINEMA” E A MINISSÉRIE “OS VAMPIROS DE SALEM“.

ARMADILHA MORTAL

010

Dirigido pelo mestre Sidney Lumet (de “Serpico” e “Rede de Intrigas”), o filme é baseado numa peça do escritor Ira Levin (autor de “O Bebê de Rosemary”) e traz no elenco os astros Michael Caine (“O Homem que Queria Ser Rei”) e Christopher Reeve (“Em Algum Lugar do Passado”) num duelo de interpretação.

Na trama, um especialista em peças de mistério, o renomado dramaturgo Sidney Bruhl (Caine), amarga uma fase de decadência. Ao receber a primeira peça de um jovem autor, a qual considera genial, Sidney planeja com a esposa convidar o rapaz para visitar sua casa, a fim de matá-­lo e se apropriar de sua peça. É o início de uma trama surpreendente, repleta de reviravoltas.

Metalinguístico e mordaz, “Armadilha Mortal” é um verdadeiro tour de force de Lumet e seus atores, ao estilo teatral do clássico “Trama Diabólica” (1972), de Joseph L. Mankiewicz.

VAMPIROS NO CINEMA

unnamed

No formato digistack, o DVD duplo reúne 4 clássicos de vampiro, todos em versões restauradas, além de mais de duas horas de extras, incluindo documentários e depoimento de Guillermo Del Toro.

DISCO 1:

NOSFERATU (“Nosferatu, eine Symphonie des Grauens”, 1922)
De F. W. Murnau. Com Max Schreck e Greta Schröder.

A obra-prima de Murnau é apresentada em inédita versão restaurada, acompanhada de um excelente documentário sobre a produção.

CRONOS (Idem, 1993)
De Guillermo Del Toro. Com Federico Luppi e Ron Perlman.

Cultuada estreia de Guillermo Del Toro (de “O Labirinto do Fauno”) na direção, “Cronos” é um filme de vampiro sombrio e muito original.

DISCO 2:

QUANDO CHEGA A ESCURIDÃO (“Near Dark”, 1987)
De Kathryn Bigelow. Com Jenny Wright, Lance Henriksen e Bill Paxton.

Após ser mordido por uma garota, o filho de um fazendeiro entra para um grupo de vampiros que viaja pelos EUA atrás de sangue fresco. Direção de Kathryn Bigelow (“Guerra ao Terror”).

A NOITE DOS DEMÔNIOS (“La Notte dei Diavoli”, 1972)
De Giorgio Ferroni. Com Gianni Garko e Agostina Belli.

Brilhante adaptação do conto que deu origem ao episódio “O Wurdalak” de “As Três Máscaras do Terror”, de Mario Bava.

EXTRAS: Documentário “Nosferatu – a Linguagem das Sombras” (53 min.), Trailers (5 min.), Cena excluída de “Quando Chega a Escuridão” (2 min.), Making of de “Quando Chega a Escuridão” (47 min.), Depoimento de Guillermo Del Toro (17 min.)

OS VAMPIROS DE SALEM

00

Dirigida pelo especialista Tobe Hooper (de “O Massacre da Serra Elétrica”), a minissérie é baseada em “A Hora do Vampiro” (1975), o segundo romance de Stephen King. No elenco, estão David Soul (da série “Starsky & Hutch – Justiça em Dobro”) e James Mason (“Cinco Dedos”).

Quando menino, Ben Mears ficou traumatizado com os horrores escondidos na mansão Marsten, localizada em sua cidade natal, Salem’s Lot. Agora adulto e escritor, Ben resolve voltar à cidade para escrever um livro sobre a mansão, a fim de superar seus antigos medos. Mas ele não desconfia que agora a mansão seja habitada por vampiros.

Com ótima direção de Hooper, atmosfera de terror muito bem construída e diversas cenas antológicas, “Os Vampiros de Salem” é mais uma adaptação da obra de King que merece ser conhecida, especialmente pelos fãs do escritor de “Carrie” e “O Iluminado”.

E VEJA TAMBÉM: 

ZUMBIS NO CINEMA

00

DVD duplo com 4 dos maiores filmes de zumbi de todos os tempos, todos em inéditas versões restauradas, além de uma hora de extras, incluindo entrevistas com os diretores.

DISCO 1:

A NOITE DOS MORTOS VIVOS (“Night of the Living Dead”, 1968)
De George A. Romero. Com Duane Jones e Judith O’Dea.

NÃO SE DEVE PROFANAR O SONO DOS MORTOS (“No profanar el sueño de los muertos”, 1974)
De Jorge Grau. Com Cristina Galbó, Ray Lovelock e Arthur Kennedy.

DISCO 2:

A NOITE DO TERROR CEGO (“La Noche del Terror Ciego”, 1972)
De Armando de Ossorio. Com César Burner e Lone Fleming.

A NOITE DOS ARREPIOS (“Night of the Creeps”, 1986)
De Fred Dekker. Com Jason Lively, Tom Atkins e Steve Marshall.

A ARTE DE MARIO BAVA

A-Arte-de-Mario-Bava-3D1

Além dos volumes 1 e 2 de “OBRAS-PRIMAS DO TERROR“, os fãs do cinema de horror podem conhecer o trabalho de um dos maiores cineastas do gênero, Mario Bava. No formato digistack, o DVD duplo reúne quatro obras-primas em versões restauradas do visionário diretor italiano, além de quase duas horas de extras, incluindo um documentário com depoimentos de Tim Burton, Joe Dante e John Carpenter.

ATENÇÃO: Edição Limitada com 4 cards.

DISCO 1:

A MALDIÇÃO DO DEMÔNIO (“La Maschera del Demonio”, 1960)
Com Barbara Steele, John Richardson e Andrea Checchi.

O ALERTA VERMELHO DA LOUCURA (“Il Rosso Segno della Follia/Hatchet for the Honeymoon”, 1970)
Com Stephen Forsyth, Dagmar Lassander e Laura Betti.

DISCO 2:

A GAROTA QUE SABIA DEMAIS (“La Ragazza che Sapeva Troppo”, 1965)
Com Letícia Román, John Saxon e Valentina Cortese.

CÃES RAIVOSOS (“Cani Arrabbiati”, 1974)
Com Riccardo Cucciolla, Don Backy e Lea Lander.

EXTRAS: Documentário “Mario Bava – Maestro do Macabro” (60 min.), Comentário em áudio de Tim Lucas para “A Maldição do Demônio” (87 min.), Introdução de Alan Jones para “A Maldição do Demônio” (3 min.), Entrevista com a atriz Barbara Steele (9 min.), Cena excluída de “A Maldição do Demônio” (4 min.), Trailers de “A Maldição do Demônio” (11 min.), Spot de TV de “A Maldição” (1 min.), Especial sobre “A Garota que Sabia Demais” (21 min.), Trailer de “O Alerta Vermelho da Loucura” (3 min.)

 

E, EM HOMENAGEM A CHRISTOPHER LEE, FALECIDO NO ÚLTIMO DIA 7, RELEMBRE O ATOR INGLÊS NO CLÁSSICO “O CHICOTE E O CORPO” (1963), TAMBÉM DIRIGIDO POR MARIO BAVA E INCLUÍDO NO BOX “OBRAS-PRIMAS DO TERROR“.

Christopher Lee (1922-2015) em cena

Em cena de “O Chicote e o Corpo”, Christopher Lee (1922-2015), lenda do terror e um dos maiores vilões da história do cinema

OBRAS-PRIMAS DO TERROR

DISCO 1:

O CHICOTE E O CORPO (La frusta e il corpo, 1963)
De Mario Bava. Com Christopher Lee e Daliah Lavi.

A ORGIA DA MORTE (The masque of the red death, 1964)
De Roger Corman. Com Vincent Price e Jane Asher.

DISCO 2:

O TÚMULO VAZIO (The body snatcher, 1945)
De Robert Wise. Com Bela Lugosi, Boris Karloff e Henry Daniell.

NA SOLIDÃO DA NOITE (Dead of night, 1945)
De Alberto Cavalcanti e outros. Com Michael Redgrave e Mervyn Johns.

DISCO 3:

A NOITE DO DEMÔNIO (Night of the demon, 1957)
De Jacques Tourneur. Com Dana Andrews e Peggy Cummings.

A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS (Village of the damned, 1960)
De Wolf Rilla. Com George Sanders e Barbara Shelley.

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.2

DISCO 1:

O CICLO DO PAVOR (Operazione Paura, 1966)
De Mario Bava. Com Giacomo Rossi­Stuart e Erika Blanc.

LISA E O DIABO (Lisa e il Diavolo, 1973)
De Mario Bava. Com Elke Sommer, Telly Savalas e Sylva Koscina.

DISCO 2:

A MANSÃO DO INFERNO (Inferno, 1980)
De Dario Argento. Com Leigh McCloskey, Irene Miracle e Eleonora Giorgi.

MARTIN (Idem, 1976)
De George Romero. Com John Amplas, Lincoln Maazel e Christine Forrest.

DISCO 3:

PELO AMOR E PELA MORTE (Dellamorte Dellamore, 1993)
De Michele Soavi. Com Rupert Everett e François Hadji­Lazaro.

TERROR NAS TREVAS (…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà, 1981)
De Lucio Fulci. Com Catriona MacColl, David Warbeck e Cinzia Monreale.

10649449_802092579847935_6998303698150094449_n