Coleções

CHARLES CHAPLIN E BUSTER KEATON, DOIS GÊNIOS DA COMÉDIA NA 2001

DUAS COLEÇÕES RESGATAM A FILMOGRAFIA DE DUAS LENDAS DO CINEMA: “CHAPLIN – A OBRA COMPLETA“, COM 20 DVDs MAIS ENCARTE ESPECIAL DE 16 PÁGINAS, E “BUSTER KEATON – ED. ESPECIAL“, COM 8 DISCOS REUNINDO 12 FILMES DO COMEDIANTE – ENTRE ELES, O FUNDAMENTAL “A GENERAL” (1926).

Nascido em East Lane Walworth, subúrbio de Londres, em 16 de abril de 1889, Charles Spencer Chaplin tinha o sangue artístico dos pais Charles e Hannah Chaplin, artistas de variedades. Aos cinco anos, já atuava no Music Hall, e em 1910 foi pela primeira vez aos EUA, com a companhia teatral de Fred Karno.

Trocou o teatro pelo cinema , trabalhando para a Keystone Company em Los Angeles. Com “Corrida de Automóveis para Meninos” (1914), iniciou a criação de seu gentil vagabundo, com seu traje característico, mas ainda sem a bengala – que usaria em “Dia Chuvoso”, no mesmo ano.

Nos próximos anos, consolidou sua reputação internacional ao refinar o personagem do vagabundo, adicionando drama e humor singelo às suas conhecidas habilidades acrobáticas. Depois de cofundar a United Artists em 1919, Chaplin começou a produção de seus melhores trabalhos: “O Garoto” (1921), “Casamento ou Luxo” (1923), “Em Busca do Ouro” (1925), “O Circo” (1928), “Luzes da Cidade” (1931), “Tempos Modernos” (1936) e “O Grande Ditador” (1940), seu primeiro longa-metragem falado, em que abandona Carlitos e cria uma inesquecível paródia de Adolf Hitler.

Lançado no calor da ascensão do nazismo na Europa, “O Grande Ditador” é uma das obras-primas de Chaplin

Seus últimos filmes, com exceção de “Luzes da Ribalta” (1952), não atingiram a mesma popularidade; o aparente cinismo de “Monsieur Verdoux” (1947) e “Um Rei em Nova York” (1957), e o romance maduro de “A Condessa de Hong Kong” (1967), com Marlon Brando e Sopphia Loren, fracassaram.

Amado e idolatrado no mundo inteiro, Chaplin teve uma vida pessoal atribulada: casou quatro vezes, sofreu um processo de paternidade em 1944 e foi acusado de atividades antiamericanas em 1952 durante a famosa “caça às bruxas” promovida pelo senador Joseph McCarthy a supostos comunistas em atividade em Hollywood. Por isso, exilou-se com a família na Suíça até sua morte, em 25 de dezembro de 1977, aos 86 anos. Quebrou a reclusão apenas em 1972, quando retornou aos EUA para receber o Oscar honorário pela carreira.

Lembrado em inúmeras livros e pela cinebiografia “Chaplin” (1992), com Robert Downey Jr. no papel principal, o legado de Charles Chaplin é inegável – assim como Carlitos, o palhaço mais famoso do cinema.

Box no formato digistack, com 20 DVDs – mais encarte especial de 16 páginas – reunindo  as versões restauradas de todos os filmes do maior gênio da comédia (13 longas-metragens e 65 curtas – quase 50 horas de conteúdo!), além de muitos extras especiais, como documentários em que Bertolucci, Chabrol e outros cineastas renomados falam de Chaplin.

Disco 1 – CORRIDAS DE AUTOMÓVEIS PARA MENINOS e outros 13 curtas
Produzidos pela Keystone, esses 14 anos curtas-metragens trazem as primeiras aparições do personagem Carlitos no cinema.

Disco 2 – NA FARRA e outros 12 curtas
13 pequenas comédias de 1914, quando Chaplin ainda era um jovem ator no estúdio Keystone.

Disco 3 – O CASAMENTO DE CARLITOS e outros 6 curtas
“O Casamento de Carlitos” (1914) foi o primeiro longa-metragem da Keystone. O longa, somado a outros 6 curtas encerram o ano de estreia de Chaplin em Hollywood.

“O Casamento de Carlitos” (1914)

Disco 4 – CAMPEÃO DE BOXE e outros 6 curtas
As primeiras produções dirigidas por Chaplin para os estúdios Essanay. Em um dos sete curtas deste disco, Carlitos decide tentar a sorte em uma luta de boxe.

Disco 5 – OS AMORES DE CARMEN e outros 6 curtas
“Os Amores de Carmen” é uma paródia da ópera “Carmen”, de Bizet. Além desta comédia, outros 6 curtas, todos produzidos pela Essanay.

Disco 6 – O VAGABUNDO e outros 6 curtas
Os últimos filmes para a Essanay e os primeiros de Chaplin para a Mutual, que incluem “O Vagabundo”, em que Carlitos vive um violinista que toca pelas ruas.

Disco 7 – O IMIGRANTE e outros 6 curtas
Sete curtas produzidos entre 1916 e 1917, completando a fase de Chaplin para a Mutual. Em “A Rua da Paz”, Carlitos aceita o cargo de policial para vigiar uma rua sem lei.

“O Imigrante” (1917)

Disco 8 – DIA DE PAGAMENTO e outros 4 curtas
Em 1917, Chaplin assinou contrato com a First National, para produzir filmes com total controle criativo. Entre esses títulos, estão os 5 curtas reunidos neste volume.

Disco 9 – O GAROTO
Primeiro longa-metragem de Chaplin. A história de um bebê abandonado pela mãe, mas criado pelo vagabundo Carlitos. Com o tempo, eles se tornam companheiros inseparáveis.

Disco 10 – CASAMENTO OU LUXO
Único filme que Charles Chaplin dirigiu, mas que não aparece. É também seu primeiro drama. Realizado em 1923, o filme fala sobre um homem que se apaixona por uma cortesã.

Disco 11 – EM BUSCA DO OURO
Carlitos decide tentar a sorte no Alasca, durante a época da “Febre do Ouro” e encarna um garimpeiro à procura das minas de ouro. Umas das obras-primas de Chaplin.

“Em Busca do Ouro” (1925)

Disco 12 – O CIRCO
O Vagabundo é confundido pela polícia com um ladrão de carteiras, em sua fuga, acaba parando num espetáculo de circo e fazendo muito sucesso.

Disco 13 – LUZES DA CIDADE
Produzido em 1931, o filme conta a história de uma florista cega que confunde Carlitos com um homem rico, e ele, tocado pelas dificuldades da garota, faz de tudo para ajudá-la .

Disco 14 – TEMPOS MODERNOS
O Vagabundo tenta sobreviver ao mundo moderno da Revolução Industrial, satirizando o capitalismo em cenas de muito humor.

“Tempos Modernos” (1936)

Disco 15 – O GRANDE DITADOR
Primeiro filme falado de Chaplin. A trama se passa em uma nação imaginária, dominada pelo ditador Hynkel, que é uma clara sátira a Adolf Hitler.

Disco 16 – MONSIEUR VERDOUX
Chaplin deixa de lado o personagem do vagabundo para viver um golpista e assassino de esposas, nessa comédia de humor negro que faz críticas ao capitalismo e militarismo.

Disco 17 – LUZES DA RIBALTA
A história de um comediante decadente, que já não faz o público rir. Um dos últimos filmes de Chaplin, com o qual ganhou um Oscar de melhor trilha sonora em 1973.

Luzes da Ribalta (1952)

Disco 18 – UM REI EM NOVA YORK
Filmado fora dos EUA, em 1957, o filme satiriza o modo de vida americano, através da saga do Rei Schadov, que escapa de uma revolução em seu país, indo parar em Nova York.

Disco 19 – FESTIVAL CARLITOS
Longa editado e narrado por Chaplin, que reúne “Vida de Cachorro”, filme em que Carlitos salva a vida de um cachorro, “Ombro, Armas!” e “Pastor de Almas”.

Disco 20 – A CONDESSA DE HONG KONG
Comédia produzida e dirigida por Chaplin e protagonizada por Sophia Loren e Marlon Brando. Uma prostituta, que vive em Hong Kong, deseja fugir com a ajuda de um empresário americano durante uma viagem de navio.

E VEJA TAMBÉM:
O Chaplin que Ninguém Viu (1983)

E, EM PRÉ-VENDA NA 2001:

BUSTER KEATON – EDIÇÃO ESPECIAL (8 DVDs)

Box no formato digipak – com 8 discos e 6 cards colecionáveis – trazendo versões remasterizadas dos melhores filmes do comediante, famoso por sua persona impassível, que lhe rendeu o apelido de “O homem que nunca ri”.

Edição especial com 12 filmes (incluindo longas e médias-metragens), 32 curtas-metragens e mais de 3 horas de extras, com depoimentos de Orson Welles, Gloria Swanson, pequenos documentários e muito mais!

DISCO 1 – Os primeiros trabalhos de Buster Keaton realizados entre 1917 e 1918:
O MENINO AÇOUGUEIRO (1917) + THE ROUGH HOUSE (1917) + HIS WEDDING NIGHT (1917) + OH DOCTOR! (1917) + CONEY ISLAND (1917) + OUT WEST (1918) + THE BELL BOY (1918) + MOONSHINE (1918) + GOOD NIGHT, NURSE! (1918) + THE COOK (1918).

DISCO 2 – O filme “O Pesado de 1920” e mais 7 curtas, realizados entre 1919 a 1920:
BACK STAGE (1919) + THE HAYSEED (1919) + THE GARAGE (1920) + UMA SEMANA (1920) + O PESADO (1920) + CONVICT 13 (1920) + O ESPANTALHO (1920) + VIZINHOS VIGILANTES (1920).

DISCO 3 – Curtas-metragens realizados entre 1921 a 1922:
A CASA MALUCA (1921) + MÁ SORTE (1921) + THE ‘HIGH SIGN’ (1921) + A CABRA (1921) + THE PLAY HOUSE (1921) + O BARCO (1921) + THE PALEFACE (1922) + O ENRASCADO (1922) + A PARENTELA DA ESPOSA (1922).

• DISCO 4 – O filme “A Antiga e a Moderna de 1923” e mais 6 curtas realizados entre 1922 a 1923:
FERRADURAS MODERNAS (1922) + NO PAÍS DOS GELADOS (1922) + A CASA ELÉTRICA (1922) + SONHO E REALIDADE (1922) + O AERONAUTA (1923) + THE LOVE NEST (1923) + A ANTIGA E A MODERNA (1923).

“Ferraduras Modernas” (1922)

DISCO 5 – Dois longas-metragens e uma média-metragem:
NOSSA HOSPITALIDADE (1923) + BANCANDO O ÁGUIA (1924) + MARINHEIRO POR DESCUIDO (1924).

DISCO 6 – Dois longas-metragens e um média-metragem:
SETE OPORTUNIDADES (1924) + VAQUEIRO AVACALHADO (1925) + BOXE POR AMOR (1926).

DISCO 7 – Dois longas-metragens:
A GENERAL (1926) + AMORES DE UM ESTUDANTE (1927).

DISCO 8 – Dois longas-metragens:
MARINHEIRO DE ENCOMENDA (1928) + O HOMEM DAS NOVIDADES (1928)

 

 

 

 

 

INVASÃO ZUMBI NA 2001

DUAS GRANDES COLEÇÕES DA VERSÁTIL GANHAM AINDA MAIS RELEVÂNCIA APÓS A MORTE DE GEORGE A.ROMERO (EM 16 DE JULHO), CONSIDERADO O PAI DOS FILMES DE ZUMBI MODERNOS. ROMERO DIRIGIU E COESCREVEU “A NOITE DOS MORTOS VIVOS” — CLÁSSICO INCLUÍDO NO VOLUME 2 –, UM MARCO DESSE SUBGENÊRO DO CINEMA DE HORROR.

ZUMBIS NO CINEMA

O DVD duplo reúne 4 dos maiores filmes de zumbi de todos os tempos – incluindo “A Noite dos Mortos Vivos”, a seminal obra-prima de George A.Romero (1940-2017) –, todos em inéditas versões restauradas, mais uma hora de extras, com entrevistas com os diretores.

DISCO 1:

A NOITE DOS MORTOS VIVOS (“Night of the Living Dead”, 1968)
De George A. Romero. Com Duane Jones e Judith O’Dea.

No interior dos Estados Unidos, um grupo de pessoas se refugia numa casa de fazenda, tentando sobreviver ao ataque feroz de mortos vivos comedores de gente. Primeiro grande filme de zumbi da história – e um marco do cinema de horror.

NÃO SE DEVE PROFANAR O SONO DOS MORTOS” (“No profanar el sueño de los muertos”, 1974)
De Jorge Grau. Com Cristina Galbó, Ray Lovelock e Arthur Kennedy.

Um policial persegue dois jovens suspeitos de assassinatos. Porém, os verdadeiros culpados são mortos-vivos. Influenciado por “A Noite dos Mortos Vivos”, Jorge Grau realizou um clássico do horror europeu. Também conhecido como “Zumbi 3”.

DISCO 2:

A NOITE DO TERROR CEGO (“La Noche del Terror Ciego”, 1972)
De Armando de Ossorio. Com César Burner e Lone Fleming.

Um grupo de amigos passa o final de semana em Portugal, onde, nas ruínas de um mosteiro, são vítimas de mortos-vivos cegos, que foram antigos cavaleiros templários. Esse cult exploitation do mestre Ossorio é um dos mais originais filmes de zumbi da história.

A NOITE DOS ARREPIOS (“Night of the Creeps”, 1986)
De Fred Dekker. Com Jason Lively, Tom Atkins e Steve Marshall.

Jovens universitários são infectados por parasitas espaciais que se alimentam do cérebro dos hospedeiros e os transformam em zumbis. Um clássico dos anos 80, esse divertido filme de zumbi é uma grande homenagem aos filmes B dos anos 40 e 50.

EXTRAS:

* Conversa com George A. Romero (16 min.)
* Entrevista em áudio de Duane Jones (16 min.)
* Final alternativo de “A Noite dos Arrepios” (30 seg.)
* Trailer e Spots de TV de “A Noite dos Mortos Vivos” (3 min.)
* Depoimento de Jorge Grau (21 min.)
* Trailer de “Não se Deve Profanar o Sono dos Mortos” (4 min.)
* Entrevista de Armando de Ossorio (10 min.)
* Abertura alternativa de “A Noite do Terror Cego” (2 min.)
* Trailer de “A Noite do Terror Cego” (2 min.)
* Trailer de “A Noite dos Arrepios” (2 min.)

ZUMBIS NO CINEMA 2

DVD duplo reunindo quatro filmes realizados entre os anos 1970 e 80 – dois deles cults: “Enraivecida, na Fúria do Sexo” (1974), longa de David Cronenberg chamado de “terror venéreo”, com a ex-atriz pornô Marilyn Chamber, e “A Volta dos Mortos-Vivos”, dirigido por Dan O’Bannon (roteirista de “Alien, o Oitavo Passageiro”) – e uma homenagem ao cinema de George A. Romero, misturando cenas gore e humor negro.

DISCO 1:

A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS (“The Return of the Living Dead”, 1985, 91 min.)
De Dan O’Bannon. Com Clu Gulager, James Karen e Don Calfa.

Dois funcionários de um armazém liberam acidentalmente um gás mortal no ar, reanimando os mortos de um cemitério próximo. Um dos maiores clássicos do horror nos anos 1980 e uma divertida homenagem ao mestre Romero.

ENRAIVECIDA NA FÚRIA DO SEXO (“Rabid”, 1974, 91 min.)
De David Cronenberg. Com Marilyn Chambers, Frank Moore e Joe Silver.

Mulher sofre grave acidente e, após uma cirurgia experimental, é possuída por uma sede de sangue insaciável, espalhando um vírus mortal. Filme de zumbi venéreo do mestre David Cronenberg com a estrela pornô Marilyn Chambers.

DISCO 2:

PAVOR NA CIDADE DOS ZUMBIS (“Paura nella città dei morti viventi”, 1981, 93 min.)
De Lucio Fulci. Com Christopher George, Catriona MacColl e Carlo De Mejo.

Cidade de Dunwich. Uma força maligna é libertada após o suicídio de um padre, que se enforcou no cemitério da igreja. Primeiro filme da célebre Trilogia do Inferno do mestre absoluto do gore Lucio Fulci (“Terror nas Trevas”).

NOITES DE TERROR (“Le notti del terrore/Burial Ground”, 1981, 85 min.)
De Andrea Bianchi. Com Karin Well, Gianluigi Chirizzi e Simone Mattioli.

Durante uma escavação, um professor acidentalmente desperta zumbis etruscos que, famintos por carne humana, atacam um grupo de jovens na vizinhança. Deliciosa pérola trash do ciclo zumbi spaghetti do cinema italiano de horror.

EXTRAS:

* Making of de “Pavor na Cidade dos Zumbis” (32 min.)
* Making of de “A Volta dos Mortos-Vivos” (21 min.)
* Os zumbis de “A Volta dos Mortos-Vivos” (14 min.)
* Entrevista de David Cronenberg (21 min.)
* Trailers (20 min.)

NO DIA DOS PAIS, DÊ WESTERN DE PRESENTE

UM DOS GÊNEROS MAIS QUERIDOS DO PÚBLICO NA 2001 MARCA PRESENÇA COM O LANÇAMENTO DE “CINEMA FAROESTE – VOL. 5“, COLEÇÃO COM TRÊS DISCOS REUNINDO CLÁSSICOS COMO “A QUADRILHA MALDITA” E “UM PECADO EM CADA ALMA”. E CONFIRA AINDA – COM VALOR PROMOCIONAL – OS QUATRO VOLUMES ANTERIORES, UMA ÓTIMA OPÇÃO DE PRESENTE.

Ambientado entre meados do século XIX e início do XX, o western, faroeste ou “bangue-bangue” é considerado um gênero americano por excelência, graças a nomes como John Ford, Howard Hwaks, John Wayne e Clint Eastwood, que ajudaram a eternizar inúmeras jornadas do herói em regiões sem lei. As coleções da Versátil a seguir resgatam alguns dos melhores títulos do cânone do gênero, assim como cults e raridades que merecem ser descobertas.

CINEMA FAROESTE – VOL. 5

No formato digistack, com 3 DVDs, o box reúne 6 clássicos, incluindo uma inédita versão restaurada de “A Quadrilha Maldita”, cult admirado por Quentin Tarantino e Martin Scorsese. Na coleção, brilham estrelas como John Wayne, Glenn Ford, Robert Ryan e Barbara Stanwyck.

ATENÇÃO: Edição Limitada com 6 cards reproduzindo pôsteres originais dos filmes.

DISCO 1:

CHISUM – UMA LENDA AMERICANA (Chisum, 1970, 111 min.)
De Andrew V. McLaglen. Com John Wayne, Forrest Tucker, Christopher George.

Para defender suas propriedades, o criador de gado John Chisum se junta a Billy the Kid e Pat Garrett para lutar na lendária Guerra de Lincoln County. Superprodução com um dos últimos papéis do The Duke no cinema.

A QUADRILHA MALDITA (Day of the Outlaw, 1959, 92 min.)
De André De Toth. Com Robert Ryan, Burl Ives, Tina Louise.

O terrível Jack Bruhn e sua quadrilha dominam um vilarejo ilhado pela neve, mas os caubóis e rancheiros da região decidem enfrentá-los. Cultuado faroeste de De Toth (“Cidade Tenebrosa”) que inspirou “Os Oito Odiados”, de Tarantino.

DISCO 2:

UM PECADO EM CADA ALMA (The Violent Men, 1955, 96 min.)
De Rudolph Maté. Com Glenn Ford, Barbara Stanwyck, Edward G. Robinson.

Um ex-militar confederado pretende vender sua fazenda para o rancho vizinho e se mudar com a noiva, mas muda de ideia quando um de seus ajudantes é morto. Com espetacular elenco, esse faroeste subestimado é uma das pérolas do gênero nos anos 1950.

À BORDA DA MORTE (The Proud Ones, 1956, 94 min.)
De Robert D. Webb. Com Robert Ryan, Jeffrey Hunter, Virginia Mayo.

O xerife Cass Silver precisa enfrentar o corrupto dono do saloon e seus pistoleiros, além de crises recorrentes de cegueira. Com linda fotografia de Lucien Ballard (“Meu Ódio Será Sua Herança”), este é um faroeste urbano de rara força.

DISCO 3:

HOMENS INDOMÁVEIS (Silver Lode, 1954, 77 min.)
De Allan Dwan. Com John Payne, Lizabeth Scott, Dan Duryea.

Um respeitado morador de uma cidadezinha é preso durante seu casamento sob a acusação de ter matado seu irmão e roubado uma grande soma de dinheiro. O filme é uma alegoria do Macarthismo.

A RENEGADA (Woman They Almost Lynched, 1953,91 min.)
De Allan Dwan. Com John Lund, Brian Donlevy, Audrey Totter.

A história de Kate Quantrill, a destemida mulher do lendário fora da lei Charles Quantrill. Subversivo faroeste feminista em que as mulheres assumem o primeiro plano, antecipando o revolucionário “Johnny Guitar” (1954).

EXTRAS:
* Depoimento sobre “A Quadrilha Maldita” (27 min.)
* Especiais (20 min.)
* Trailers (7 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

COMPLETE SUA COLEÇÃO

(Em promoção por tempo limitado):

CINEMA FAROESTE – VOL.1

DISCO 1:
AUDAZES E MALDITOS
COMANDO NEGRO

DISCO 2:
ALMAS EM FÚRIA
COMANDO NEGRO

DISCO 3:
PAIXÃO SELVAGEM
REINADO DO TERROR

CINEMA FAROESTE – VOL.2

DISCO 1:
CARAVANA DE BRAVOS
O RESGATE DO BANDOLEIRO

DISCO 2:
GOLPE DE MISERICÓRDIA
RENEGANDO O MEU SANGUE

DISCO 3:
CHOQUE DE ÓDIOS
O TESTAMENTO DE DEUS

CINEMA FAROESTE – VOL.3

DISCO 1:
NAS GARRAS DA AMBIÇÃO
ENTRE DOIS JURAMENTOS

DISCO 2:
QUEM FOI JESSE JAMES
FIBRA DE HERÓI

DISCO 3:
UM HOMEM DIFÍCIL DE MATAR
FÚRIA ABRASADORA

CINEMA FAROESTE – VOL. 4

DISCO 1:
O HOMEM DO OESTE
NAS MARGENS DO RIO GRANDE

DISCO 2:
FÚRIA SELVAGEM
BARQUERO

DISCO 3:
PAIXÃO DE BRAVO
FORA DAS GRADES

NOVOS VOLUMES DE “OBRAS-PRIMAS DO TERROR” + PROMOÇÃO

MUITOS SUSTOS, SERES FANTÁSTICOS E NOVIDADES EM DUAS NOVAS COLEÇÕES DA VERSÁTIL NA 2001: “OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.5” – DEDICADO AO CINEMA DE HORROR NIPÔNICO – E O VOLUME 6, EDIÇÃO LIMITADA INCLUINDO 6 CARDS.

Lançamento na 2001 com valor promocional (por tempo limitado – ou enquanto durarem os estoques)

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.5

Coleção com 3 discos reunindo 6 cults do cinema japonês, destaque para o desconcertante “Audição” (que estampa a capa do box), de Takashi Miike, e o psicodélico “Hausu” (mais conhecido como “House”).

Todos os filmes em inéditas versões restauradas, além de quase duas horas de extras.

DVD 1:

AUDIÇÃO (Odishon/Audition, 1999, 115 min.)
De Takashi Miike. Com Ryo Ishibashi, Eihi Shiina, Tetsu Sawaki.

Após a morte da esposa, um executivo é convidado pelo amigo cineasta a participar da escolha de uma atriz. O viúvo se interessa por uma bela e misteriosa candidata. Um dos filmes mais chocantes das últimas décadas – e um dos favoritos de Quentin Tarantino.

HAUSU (Idem, 1977, 88 min.)
De Nobuhiko Obayashi. Com Kimiko Ikegami, Miki Jinbo, Kumiko Ohba.

Garota briga com o pai e vai passar as férias com suas amigas na casa da tia, porém a casa é mal assombrada. Delirante, absurdo e psicodélico, esse cult-movie é um terror que desafia qualquer descrição.

DISCO 2:

A CURA (Cure/Kyua, 1997, 111 min.)
De Kiyoshi Kurosawa. Com Masato Hagiwara, Koji Yakusho e Tsuyoshi Ujiki.

Um policial complexado investiga uma série de crimes violentos praticados por pessoas que não se lembram do que fizeram. Elogiado por Martin Scorsese e Bong Joon Ho (“O Hospedeiro”), este terror psicológico tem direção do premiado Kiyoshi Kurosawa (“Kairo”).

INFERNO (Jigoku, 1960, 98 min.)
De Nobuo Nakagawa. Com Shigeru Amachi, Utako Mitsuya, Yoichi Numata.

Um grupo de pecadores envolvidos em casos interligados de assassinato, vingança e adultério encontram- se nos Portões do Inferno. Chocante, original e poético, “Inferno” é a obra máxima de Nobuo Nakagawa, o pai do terror japonês.

DISCO 3:

ONIBABA – A MULHER DEMÔNIO (Onibaba, 1964, 102 min.)
De Kaneto Shindo. Com Nobuko Otowa, Jitsuko Yoshimura, Kei Sato.

Japão, século XIV. Duas mulheres vivem de matar samurais e vender seus pertences. Porém, um dia uma delas encontra um misterioso samurai com uma máscara bizarra. Obra-prima do mestre Kaneto Shindo (“A Ilha Nua”) – e um dos filmes de referência de William Friedkin (“O Exorcista”).

O GATO PRETO (Yabu no Naka no Kuroneko, 1968, 99 min.)
De Kaneto Shindo. Com Kichiemon Nakamura, Nobuko Otowa, Kei Sato.

No Japão medieval, um espírito vingativo mata samurais em um vilarejo. Enviado para enfrentar essa força invisível, um famoso guerreiro terá que enfrentar seus demônios. Poético e atmosférico conto de terror do diretor de “Onibaba”.

EXTRAS:
* Depoimentos de diretores e críticos (81 min.)
* Trailers (13 min.)

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.6

Caixa digistack com 3 DVDs que reúne seis clássicos inéditos de horror dirigidos ou produzidos por nomes lendários do gênero como Val Lewton, Brian Yuzna, William Castle, Dan Curtis e Narciso Ibáñez Serrador. Todos os filmes em versões restauradas e acompanhados por uma hora e meia de extras.

Edição Limitada com 6 cards.

DISCO 1:

A ILHA DAS ALMAS SELVAGENS (Island of Lost Souls, 1932, 70 min.)
De Erle C. Kenton. Com Charles Laughton, Bela Lugosi, Richard Arlen.

Cientista obcecado conduz macabras experiências genéticas numa remota ilha do Oceano Pacífico. Primeira adaptação de “A Ilha do Dr. Moreau”, de H. G. Wells, e um clássico do cinema de horror dos anos 1930.

A SOCIEDADE DOS AMIGOS DO DIABO (Society, 1989, 99 min.)
De Brian Yuzna. Com Billy Warlock, Devin DeVasquez, Evan Richards.

Um adolescente desconfia que sua família faça parte de um culto grotesco formado pela elite da sociedade local. Estreia do famoso produtor Brian Yuzna (“Re-Animator”) na direção, esse cult do body horror é uma cáustica sátira social.

DISCO 2:

A MANSÃO MACABRA (Burnt Offerings, 1976, 106 min.)
De Dan Curtis. Com Karen Black, Oliver Reed e Burgess Meredith.

Uma família se muda para uma velha mansão assombrada, que se alimenta de seus habitantes. Filme de casa assombrada dirigido pelo especialista Dan Curtis (“Sombras da Noite”).

A SÉTIMA VÍTIMA (The Seventh Victim, 1943, 71 min.)
De Mark Robson. Com Kim Hunter, Tom Conway, Jean Brooks.

Uma mulher em busca da irmã desaparecida descobre um culto satânico no coração de Nova York. Parte do lendário ciclo de filmes de terror do produtor Val Lewton (“Sangue de Pantera”, “O Túmulo Vazio”).

DISCO 3:

INTERNATO DERRADEIRO (La Residencia/The House that Screamed, 1969, 104 min.)
De Narciso Ibañez Serrador. Com Lili Palmer, Cristina Galbó, John Moulder-Brown.

França, século XIX. Jovens estudantes de um internato isolado começam a desaparecer em circunstâncias misteriosas. Precursor de “Suspiria”, esse clássico do horror europeu tem direção do mestre Narciso Ibañez Serrador (“Os Meninos”).

A MÁSCARA DO HORROR (Mr. Sardonicus, 1960, 90 min.)
De William Castle. Com Ronald Lewis, Audrey Dalton, Guy Rolfe.

Desesperado para recuperar um bilhete de loteria vitorioso, um barão ganancioso desenterra o corpo do pai e se torna vítima de uma maldição. Filme favorito do lendário produtor William Castle (“A Casa dos Maus Espíritos”).

EXTRAS:
* Entrevistas (47 min.)
* Especiais (22 min.)
* Trailers (14 min)

EDIÇÃO LIMITADA COM 6 CARDs:

COMPLETE SUA COLEÇÃO

(Em promoção por tempo limitado):

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.1

DISCO 1:
O CHICOTE E O CORPO
A ORGIA DA MORTE

DISCO 2:
O TÚMULO VAZIO
NA SOLIDÃO DA NOITE

DISCO 3:
A NOITE DO DEMÔNIO
A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.2

DISCO 1:
O CICLO DO PAVOR
LISA E O DIABO

DISCO 2:
A MANSÃO DO INFERNO
MARTIN

DISCO 3:
PELO AMOR E PELA MORTE
TERROR NAS TREVAS

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.3

DISCO 1:
BANHO DE SANGUE
A INOCENTE FACE DO TERROR

DISCO 2:
OS MENINOS
CARNAVAL DE ALMAS

DISCO 3:
FARSA TRÁGICA
MAGIA NEGRA

OBRAS-PRIMAS DO TERROR – VOL.4

DISCO 1:
A ESPINHA DO DIABO
SOB O PODER DA MALDADE

DISCO 2:
A CASA DO CEMITÉRIO
A FILHA DE SATÃ

DISCO 3:
NASCE UM MONSTRO
SCHOCK

EXPRESSIONISMO ALEMÃO, UM MARCO DO CINEMA

COM 3 DISCOS, O BOX REÚNE 5 CLÁSSICOS, MAIS CARDS E 2 HORAS DE EXTRAS INÉDITOS.

O Expressionismo Alemão é um dos mais importantes movimentos cinematográficos da história, e tem suas origens no grupo Die Brücke, fundado na Dresden de 1907. Seus integrantes, de áreas artísticas como a literatura, a pintura e o teatro, fizeram a ponte entre a vanguarda do século 20 e o futuro, influenciando anos depois artistas como F.W. Murnau e Robert Wiene. Esses e outros cineastas alemães anteviram a tragédia que cobriria o país com o advento de ideologias intolerantes como o nacional-socialismo.

O cinema expressionista alemão foi, sobretudo, um fenômeno cultural, espelhando em imagens distorcidas a crise moral, política e social da Alemanha do pós-guerra.

Segundo a historiadora alemã Lotte Eisner, o expressionista não vê, mas tem visões. Em outras palavras, os filmes do movimento não pretendem retratar a realidade imediata. Ecos do cinema expressionista podem ser identificados na filmografia de uma profusão de diretores, de Ingmar Bergman a David Cronenberg e Tim Burton.

Com 3 discos, o box apresenta 5 clássicos da escola alemã, cards e mais de 2 horas extras, que incluem o documentário “From Caligari to Hitler”.

DISCO 1:

FAUSTO (Faust: Eine deutsche Volkssage, 1926, 107 min.)
De Friedrich Wilhelm Murnau. Com Gösta Ekman, Emil Jannings, Camilla Horn.

Um velho alquimista vê sua cidade ser assolada pela peste negra. Ele começa a pensar sobre sua própria finitude e então evoca Mefistofeles, a quem pede sua juventude de volta e vida eterna. Clássico baseado na famosa peça de Goethe.

O CASTELO VOGELOD (Schloß Vogelöd, 1921, 81 min.)
De Friedrich Wilhelm Murnau. Com Arnold Korff, Lulu Kyser-Korff, Lothar Mehnert.

No castelo Vogeloed, alguns aristocratas esperam a baronesa Safferstätt. Acontece que o Conde Oetsch aparece na propriedade sem ser convidado e a situação se complica. Todos acreditam que ele assassinou a três anos atrás seu próprio cunhado, o primeiro marido da baronesa.

DISCO 2:

A CAIXA DE PANDORA (Die Büchse der Pandora, 1929, 131 min.)
De Georg Wilhelm Pabst. Com Louise Brooks, Fritz Kortner, Francis Lederer.

Lulu é uma dançarina que se envolve com um rico dono de jornal. Os dois acabam sendo flagrados pela noiva dele, que rompe o compromisso. Para que sua honra não seja jogada na lama, o homem resolve se casar com a dançarina.

A MORTE CANSADA (Der müde Tod, 1921, 98 min.)
De Fritz Lang. Com Lil Dagover, Walter Janssen, Bernhard Goetzke.

Num vilarejo europeu do século 19, a Morte leva um jovem quando ele está prestes a se casar. Sua noiva suplica que devolva a vida dele e a Morte prometendo trazê-lo com uma condição: se ela conseguir evitar que três pessoas morram.

DISCO 3:

O GABINETE DO DR. CALIGARI (Das Cabinet des Dr. Caligari, 1920, 77 min.)
De Robert Wiene. Com Werner Krauss, Conrad Veidt, Friedrich Feher.

Num pequeno vilarejo da fronteira holandesa, o Dr. Caligari – um misterioso hipnotizador – chega acompanhado do sonâmbulo Cesare que, supostamente, estaria adormecido por mais de 20 anos. Um dos filmes mais importantes e influentes da história do cinema.

EXTRAS: Mais de 2 horas de extras, incluindo o inédito documentário “From Caligari to Hitler” que explora o impacto social e cultural do cinema alemão no período da “República de Weimar”.

A ARTE DE ABEL FERRARA E FEDERICO FELLINI

MAIS DOIS VOLUMES DA SÉRIE DA VERSÁTIL DEDICADA A GRANDES DIRETORES: UM COM O CINEMA MARGINAL DO NOVA-IORQUINO ABEL FERRARA, E O OUTRO COM TRÊS FILMES DO MESTRE ITALIANO MAIS DOCUMENTÁRIO SOBRE “SATYRICON”.

A ARTE DE ABEL FERRARA

DVD duplo reunindo 4 filmes do cineasta em versões restauradas: “Os Chefões”, “O Rei de Nova York”, “Sedução e Vingança” e “Inimigos pelo Destino”.

Nascido no Bronx, Ferrara começou a dirigir curtas underground no início dos anos 1970, realizando em seguida thrillers trash violentos como “O Assassino da Furadeira” (1978) e “Sedução e Vingança” (1981).

Chamado de cineasta “maldito”, em razão de seu notório vício em drogas, de suas produções fora dos padrões e de seus personagens decadentes, o cineasta mudou de status com “O Rei de Nova York” (1990) e “Vício Frenético” (1992), indicados a prêmios em festivais.

À margem da indústria hollywoodiana, Ferrara tem dirigido nos últimos anos coproduções com a Europa, como “Bem-Vindo a Nova York” e “Pasolini”. Em 2012, foi homenageado com uma retrospectiva no Centro Cultural Banco do Brasil.

DISCO 1:

O REI DE NOVA YORK (“King of New York”, 1990, 103 min.)
Com Christopher Walken, David Caruso, Laurence Fishburne.

Nessa releitura sangrenta da história de Robin Hood, ex-chefão sai da prisão determinado a recuperar o controle do tráfico para distribuir os lucros entre os mais pobres. Esse cult é um dos pontos altos da carreira de Ferrara.

SEDUÇÃO E VINGANÇA (Ms .45, 1981, 81 min.)
Com Zoë Lund, Bogey, Albert Sinkys.

Após ser violentada duas vezes no mesmo dia, uma costureira muda e tímida enlouquece e passa a matar homens nas ruas de Nova York com sua pistola calibre .45. Um filme de vingança perturbador e extremamente atual.

DISCO 2:

OS CHEFÕES (The Funeral, 1996, 95 min.)
Com Christopher Walken, Chris Penn, Annabella Sciorra.

Nova York, 1930. Uma poderosa família mafiosa se vê no meio do fogo cruzado entre sindicalistas e brutais chefes corporativos. Aclamada no Festival de Veneza, onde ganhou o prêmio de ator coadjuvante (para Chris Penn), esse é um dos melhores trabalhos de Ferrara.

INIMIGOS PELO DESTINO (China Girl, 1987, 91 min.)
Com James Russo, Richard Panebianco, Sari Chang.

Atualização da história de Romeu e Julieta nas ruas de Nova York. Um rapaz italiano e uma moça chinesa se tornam amantes, causando um trágico conflito entre gangues locais. Um dos filmes mais subestimados do diretor.

EXTRAS:
* Depoimentos de Abel Ferrara (61 min.)
* Trailers (5 min.)

A ARTE DE FEDERICO FELLINI

Iniciado no cinema por Roberto Rossellini, com quem co-roteirizou “Roma, Cidade Aberta” e “Paisà”, Fellini (1920-1993) é considerado um dos maiores nomes do cinema italiano, com seu estilo único e onírico, que pode ser observado nos três filmes (restaurados) que compõem a coleção. Além deles, o box com 2 discos apresenta “Ciao, Federico!”, documentário sobre os bastidores de “Satyricon”.

DISCO 1:

SATYRICON DE FELLINI (Fellini Satyricon, 1969, 128 min.)
Com Martin Potter, Hiram Keller, Max Born.

Na Roma de Nero, o jovem Encolpio lamenta a perda de seu amante, Gitone, para o melhor amigo, Ascilto. Onírico, extravagante, psicodélico, erótico e brutal, “Satyricon” é um retrato fascinante da decadência do Império Indicado ao Oscar de melhor direção em 1971.

CIAO, FEDERICO! (Idem, 1970, 60 min.)
De Gideon Bachmann. Com Federico Fellini, Capucine, Giulietta Masina.

Fascinante documentário sobre os bastidores das filmagens de “Satyricon”, registrando o anárquico processo de criação felliniana e a relação do diretor com seu elenco, além da criativa utilização dos cenários.

DISCO 2:

ROMA DE FELLINI (“Roma”, 1972, 120 min.)
Com Brita Barnes, Anna Magnani e Peter Gonzales Falcon.

Um filme-memória-tributo sobre a capital italiana que intercala relatos ficcionais da juventude de Fellini e de sua chegada à cidade com cenas da época das filmagens, e a busca do diretor por uma Roma mítica.

A VOZ DA LUA (“La Voce della Luna”, 1990, 118 min.)
Com Roberto Benigni, Paolo Villaggio e Nadia Ottaviani.

O lunático Salvini observa o mundo de maneira diferente, procurando sempre achar o seu lado poético, como se a lua o guiasse. Estrelado pelo comediante Roberto Benigni (“A Vida É Bela”), esse foi o último filme do mestre.

EXTRAS:
* “Fellini e Petrônio” (24 min.)
* Cenas excluídas de “Roma” (17 min.)
* Trailers (8 min.)

MAIS FELLINI NA 2001:

Entrevista (1987)
Cidade das Mulheres (1980)
Ensaio de Orquestra (1978)
Casanova de Fellini (1976)
Amarcord (1973)
Os Palhaços (1970)
Histórias Extraordinárias (1968) episódio “Toby Dammit”
Julieta dos Espíritos (1965)
Fellini 8 E 1/2 (1963) DVD e Blu-ray
Boccaccio 70 (1962) episódio “As Tentações do Dr. Antonio”
Noites de Cabiria (1957)
A Trapaça (1955)
Amores na Cidade (1953) episódio “Agência Matrimonial”
Abismo de um Sonho (1952)
Mulheres e Luzes (1951)

DOIS GRANDES CINEASTAS: JEAN RENOIR E JOHN CASSAVETES

A VERSÁTIL LANÇA AS COLEÇÕES “A ARTE DE JEAN RENOIR“, DVD DUPLO COM 4 CLÁSSICOS DO DIRETOR FRANCÊS – INCLUINDO O BELO “O RIO SAGRADO” -, E “O CINEMA DE JOHN CASSAVETES“, COM TRÊS PRODUÇÕES ACOMPANHADAS DE INÚMEROS EXTRAS.

Filho do pintor impressionista Auguste Renoir, Jean Renoir nasceu em 15/9/1894, em Paris, e tornou-se um dos diretores mais influentes da história do cinema. Após servir na I Guerra Mundial, ele ficou gravemente ferido. Recuperado, estreou no cinema com “A Filha da Água”, em 1925, dando início a uma profícua carreira que atingiu seu ápice criativo nos anos 1930, com os dramas históricos “Madame Bovary” (1934), adaptação do romance de Gustave Flaubert; “A Besta Humana” (1938), baseado no clássico homônimo de Émile Zola; e “A Marselhesa” (1938), sobre a Revolução Francesa.

Jean Renoir (1894–1979)

Dois trabalhos desse período, o clássico antibelicista “A Grande Ilusão” (1937) e o mosaico de personagens “A Regra do Jogo” (1939), continuam influentes até hoje, figurando em inúmeras listas de melhores filmes de todos os tempos.

Falecido em 12/2/1979, o artista foi homenageado pela Academia de Hollywood em 1975 com o Oscar honorário.

A ARTE DE JEAN RENOIR

A coleção reúne 4 clássicos em inéditas versões restauradas, mais uma hora de extras.

DISCO 1:

A BESTA HUMANA (La Bête Humaine, 1938, 99 min.)
Com Jean Gabin, Julien Carette, Simone Simon.

Séverine, a mulher do chefe de uma estação ferroviária, se relaciona com um maquinista a fim de esconder seu envolvimento em um assassinato. Baseado no romance de Émile Zola, este é um dos maiores clássicos do cinema francês.

O RIO SAGRADO (The River, 1951, 99 min.)
Com Patricia Walters, Nora Swinburne, Esmond Knight.

Três garotas inglesas vivem em Bengala, perto de um grande rio na Índia. Elas se apaixonam por um oficial americano que perdeu uma perna. Um dos filmes mais belos de Renoir, vencedor do Prêmio Internacional no Festival de Cinema de Veneza.

DISCO 2:

A CADELA (La Chienne, 1931, 96 min.)
Com Michel Simon, Georges Flamant, Janie Marèse.

Pintor nas horas vagas, homem infeliz no casamento é explorado por uma prostituta e seu cafetão. Uma dasobras absolutas de Renoir que depois seria refilmada por Fritz Lang em “Almas Perversas” (1945).

AMOR À TERRA (The Southerner, 1945, 92 min.)
Com Zachary Scott, Betty Field, J. Carrol Naish.

A vida da pobre família Tucker, que trabalha na colheita de algodão e decidiu desenvolver seu próprio terreno, mesmo em condições adversas. Premiado no Festival de Veneza, o filme concorreu a Renoir sua única indicação ao Oscar de melhor direção, em 1946.

EXTRAS:
* Apresentações De Jean Renoir (17 Min.)
* Especiais (36 Min.)
* Trailers (6 Min.)

MAIS JEAN RENOIR EM DVD NA 2001:
O Cabo Ardiloso (1962)
O Testamento do Dr. Cordelier (1959)
As Estranhas Coisas de Paris (1956)
French Cancan (1955)
A Mulher Desejada (1947)
Esta Terra é Minha (1943)
A Grande Ilusão (1937)
Boudu – Salvo das Águas (1932)
Nana (1926)
A Filha da Água (1925)
Catherine – Uma Vida Sem Alegria (1924)

O CINEMA DE JOHN CASSAVETES

A Versátil completa a filmografia de Cassavetes com mais uma coleção, composta por três de seus melhores trabalhos entre os anos 1960 e 1970, em versões restauradas. O box traz, nos extras, o documentário “Cineastas de nosso tempo: John Cassavetes” (49 min.) e o making of de “Faces”.

John Cassavetes (1929–1989)

Em paralelo a seu trabalho como ator em Hollywood (“Os Doze Condenados”, “O Bebê de Rosemary” etc), Cassavetes desafiou o sistema dos estúdios financiando com recursos próprios produções autorais. Recusando fórmulas fáceis, se firmou como diretor e roteirista de filmes verdadeiramente independentes, de baixo orçamento, sempre com a mesma equipe técnica – além da presença de amigos como Ben Gazzara, Peter Falk, Seymour Cassel e, é claro, a esposa Gena Rowlands no elenco.

DISCO 1:

FACES (Idem, 1968, 130 min.)
Com Gena Rowlands, Seymour Cassel, Lynn Carlin, John Marley.

O desmoronamento de um casamento da classe média alta. Richard deixa sua esposa, Maria, para se encontrar com a jovem Jeannie, que acabara de conhecer num bar. Maria, por sua vez, vai a uma boate e deixa-se envolver por um garoto de programa. Vencedor dos prêmios de Melhor Filme e indicado ao Oscar de melhor roteiro original, ator coadjuvante (Seymour Cassel) e atriz coadjuvante (Lynn Carlin).

DISCO 2:

A MORTE DE UM BOOKMAKER CHINÊS (The Killing of a Chinese Bookie, 1976, 135 min.)
Com Ben Gazzara, Timothy Carey, Seymour Cassel.

Cosmo Vittelli, proprietário de uma boate em Los Angeles, não tem dinheiro para quitar uma alta dívida de pôquer. A máfia exige que ele mate um bookmaker chinês para saldar a dívida. O disco traz as duas versões do filme: a de 1976, com 136 minutos, e a do relançamento em 1978, com 109 min.

DISCO 3:

NOITE DE ESTREIA (Opening Night, 1977, 144 min.)
Com Gena Rowlands, John Cassavetes, Ben Gazzara.

Myrtle Gordon, célebre atriz de meia-idade, enfrenta uma crise de identidade ao sentir-se culpada pela morte de uma ardorosa fã na noite de estreia de sua nova peça. Ela vê a moça em alucinações e recusa-se a representar o papel de uma mulher que envelhece. Premiado com o Urso de Prata de melhor atriz (Gena Rowlands) no Festival de Berlim.

EXTRAS:
* Cineastas de nosso tempo: John Cassavetes (49 min.)
* Making of de “Faces” (42 min.)
* Abertura alternativa de “Faces” (18 min.)
* A fotografia de “Faces” (8 min.)
* Entrevistas com Ben Gazzara, Al Ruban e Gena Rowlands (50 min.)
* Trailers (7 min.)

E VEJA TAMBÉM, DO MESMO DIRETOR:
Cassavetes e a Nova Hollywood
Minha Esperança é Você

“O SACRIFÍCIO”, O FILME-TESTAMENTO DE UM DOS MAIORES POETAS DO CINEMA

"O assunto que abordo neste filme é, na minha opinião, o mais crucial: a ausência de espaço para a existência espiritual em nossa cultura. Nós ampliamos a meta das nossas realizações materiais e conduzimos experiências materialistas sem levar em conta a ameaça que é privar o homem de sua dimensão espiritual. O homem está sofrendo, mas não sabe porque." Andrei Tarkovski

“… o indivíduo se encontra em uma encruzilhada, confrontado com a opção de uma existência fundamentada em um consumismo cego, sujeito ao avanço inexorável da nova tecnologia e à infinita multiplicação dos bens materiais, ou, então, de buscar um caminho que conduza à responsabilidade espiritual, um caminho que, enfim, pode significar não apenas sua salvação pessoal, mas também a salvação da sociedade como um todo…” Andrei Tarkóvski, no livro “Esculpir o Tempo”

VENCEDOR DE QUATRO PRÊMIOS NO FESTIVAL DE CANNES EM 1986, “O SACRIFÍCIO” SAI NO BRASIL EM VERSÃO RESTAURADA MAIS O DOCUMENTÁRIO “DIRIGIDO POR ANDREI TARKÓVSKI”, COM BASTIDORES DA PRODUÇÃO E ENTREVISTAS. E, PARA ALEGRIA DOS CINÉFILOS, O DVD DUPLO TRAZ AINDA UM MINI-PÔSTER EXCLUSIVO DO FILME. 

Escrito e dirigido por Andrei Tarkóvski (1932-1986), o longa foi rodado na Suécia, durante a fase de exílio do cineasta russo, com o ator bergmaniano Erland Josephson no papel principal.

Previsão de entrega? 07/12

Previsão de entrega: 07/12

FESTIVAL DE CANNES
Grande Prêmio do Júri
Prêmio da Crítica Internacional (FIPRESCI)
Prêmio do Júri Ecumênico
Melhor contribuição artística (Sven Nykvist)

DISCO 1 :

O SACRIFÍCIO (Offret, 1986, 145 min.)
Com Erland Josephson, Susan Fleetwood e Allan Edwall.

Realizado por Tarkóvski no final de sua vida, vítima de um câncer no pulmão, o longa acompanha a celebração do aniversário do patriarca Alexander (Erland Josephson), escritor e ator aposentado, sob a sombra de uma catástrofe nuclear que irá afetar a todos.

the-sacrifice2

Com “O Sacrifício”, pela primeira vez na história do Festival de Cannes um único filme foi vencedor de quatro prêmios.

DISCO 2: 

DIRIGIDO POR ANDREI TARKÓVSKI (Regi: Andrei Tarkovski, 1988, 99 min.)
De Michal Leszczylowski. Com Brian Cox, Erland Josephson e Andrei Tarkóvski.

O diretor Michal Leszczylowski quis dividir com o público os momentos que passou com o cineasta Andrei Tarkóvski, enquanto trabalhava na montagem de “O Sacrifício”.

GRÁTIS MINI-PÔSTER EXCLUSIVO:

sacrificio-cartaz-814x1024

Medidas do pôster: 35 x 43,7 cm

E NÃO PERCA TAMBÉM, DO CINEASTA:

A Arte de Andrei Tarkovski 3D

A ARTE DE ANDREI TARKÓVSKI

O DVD duplo reúne três obras-primas em inéditas versões restauradas do russo Andrei Tarkóvski (1932-1986), um dos maiores estetas da história do cinema, e um ótimo documentário sobre “Nostalgia”.

DISCO 1:

NOSTALGIA (“Nostalghia”, 1983)
Com Oleg Yankovskiy, Erland Josephson e Domiziana Giordano.

0000

Poeta russo vai à Itália pesquisar sobre músico russo que se suicidou no exílio. Durante sua pesquisa, ele vive uma jornada espiritual. Melhor Direção, Prêmio da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Cannes.

A INFÂNCIA DE IVAN (“Ivanovo detstvo”, 1962)
Com Nikolai Burlyaev, Valentin Zubkov e E. Zharikov.

Durante a II Guerra, Ivan, um menino russo de 12 anos, trabalha como espião no front soviético, cruzando as linhas inimigas, para coletar informações dos nazistas. Longa-metragem de estreia do diretor, vencedor do Leão de Ouro em Veneza.

DISCO 2:

O ESPELHO (“Zerkalo”, 1975)
Com Margarita Terekhova, Oleg Yankóvski e Alla Demidova.

00001

Cena de “O Espelho”, uma das obras-primas do diretor – e presença constante em listas de melhores filmes de todos os tempos

À beira da morte, um homem relembra passagens de sua vida: a infância, a experiência da guerra… Um dos trabalhos mais radicais e herméticos de Tarkóvski, “O Espelho” é um dos filmes definitivos sobre a memória.

TEMPO DE VIAGEM (“Tempo di Viaggio”, 1983)
Com Andrei Tarkóvski e Tonino Guerra.

Documentário sobre a procura de locações para “Nostalgia”. Recém-chegado à Itália, Tarkóvski trabalha, conversa com Tonino Guerra e fala de cinema e literatura. Inclui pequenos ensaios filmados pelo diretor.

EXTRAS: Análise de “A Infância de Ivan” (31 min.), análise de “O Espelho” (11 min).

tumblr_nrys8nlLRL1sma6oio1_1280

COMPLETE A SUA COLEÇÃO “A ARTE DE…”:

JEAN-PIERRE MELVILLE

DVD 1:
O CÍRCULO VERMELHO
CODINOME MELVILLE

DVD 2:
TÉCNICA DE UM DELATOR
DOIS HOMENS EM MANHATTAN

JOHN CASSAVETES

DVD 1:
A CANÇÃO DA ESPERANÇA
ASSIM FALOU O AMOR

DVD 2:
AMANTES
CASSAVETES: O HOMEM E SUA OBRA

MARIO BAVA

DVD 1:
A MALDIÇÃO DO DEMÔNIO
O ALERTA VERMELHO DA LOUCURA

DVD 2:
A GAROTA QUE SABIA DEMAIS
CÃES RAIVOSOS

ROBERT ALTMAN

DVD 1:
TRÊS MULHERES
ALTMAN, UM RETRATO

DVD 2:
O PERIGOSO ADEUS
RENEGADOS ATÉ A ÚLTIMA RAJADA

SAMUEL FULLER

DVD 1:
O BEIJO AMARGO
O QUIMONO ESCARLATE

DVD 2:
PAIXÕES QUE ALUCINAM
CASA DE BAMBU

CLÁSSICOS DO WESTERN, POLICIAIS FRANCESES, FICÇÃO-CIENTÍFICA E DARIO ARGENTO EM 4 LANÇAMENTOS DA VERSÁTIL

O CINEMA DE GÊNERO GANHA FORÇA EM QUATRO LANÇAMENTOS PARA LOCAÇÃO E VENDA NA 2001: “A ARTE DE JEAN-PIERRE MELVILLE” (COM POLICIAIS NEO-NOIR FRANCESES), “CINEMA FAROESTE – VOL.2“, “CLÁSSICOS SCI-FI – VOL.2” E “PHENOMENA” (TERROR DO MESTRE DARIO ARGENTO), EM EDIÇÕES ESPECIAIS REPLETAS DE EXTRAS.

Previsão de entrega: 05/11

A ARTE DE JEAN-PIERRE MELVILLE

Com data de entrega prevista para 5 de novembro, o DVD duplo reúne inéditas versões restauradas de clássicos de Jean-Pierre Melville (1917-1983), o mestre maior do policial noir francês, além de um ótimo documentário sobre o diretor, além de quase uma hora de extras.

DISCO 1: 

O CÍRCULO VERMELHO (“Le Cercle Rouge”, 1970, 141 min.)
Com Alain Delon, Bourvil, Gian Maria Volonté e Yves Montand.

444

Um grande ladrão, um assassino e um ex-policial alcoólatra planejam um elaborado assalto. O ultimo grande filme de Melville é uma sensacional homenagem aos filmes de assalto hollywodianos e a “Rififi”, de Jules Dassin.

CODINOME MELVILLE (“Sous le nom de Melville”, 2008, 76 min.)
De Olivier Bohler. Com Volker Schlöndorff, Bertrand Tavernier e Johnnie To.

Documentário que propõe uma fascinante reflexão sobre a vida, a obra e o legado de Melville, a partir de raros materiais de arquivo, trechos de filmes e depoimentos de cineastas consagrados e críticos de cinema.

DISCO 2:

TÉCNICA DE UM DELATOR (“Les Doulos”, 1969, 102 min.)
Com Jean-Paul Belmondo, Serge Reggiani e Jean Desailly.

555

A história de dois criminosos no submundo de Paris cujos destinos se cruzam. Eles são amigos ou inimigos? Um deles é um delator? Um filme noir fatalista e complexo dirigido magistralmente por Melville.

DOIS HOMENS EM MANHATTAN (“Deux Hommes dans Manhattan”, 1959, 84 min.)
Com Jean-Pierre Melville, Pierre Grasset e Christiane Eudes.

Um diplomata francês da ONU desaparece em Nova York. Um jornalista francês que mora na cidade e um fotógrafo alcoólatra saem à sua procura. Mais uma declaração de amor de Melville ao cinema policial norte-americano.

EXTRAS INCLUÍDOS NA COLEÇÃO:
* Análise de “O Círculo Vermelho” (21 min.)
* Depoimento de Jean-Pierre Melville sobre “Técnica de um Delator” (19 min.)
* Apresentação de “Técnica” (2 min.)
* Trailers (09 min.)

Previsão de entrega: 05/11

CINEMA FAROESTE VOL.2

Com o estrondoso sucesso da coleção “Cinema Faroeste”, a Versátil brinda os fãs do western com mais um volume dedicado ao gênero, trazendo em 3 DVDs 6 clássicos dirigidos por mestres como John Ford, Jacques Tourneur e Samuel Fuller. Nos extras, depoimento de Martin Scorsese e comentários em áudio de Peter Bogdanovich. Previsão de entrega: 05 de novembro.

DISCO 1:

CARAVANA DE BRAVOS (“Wagon Master”, 1950, 86 min.)
De John Ford. Com Ben Johnson, Joanne Dru e Harry Carey Jr.

666

Em 1849, dois jovens comerciantes de cavalos são contratados para guiar uma caravana de mórmons. O filme favorito de John Ford, em DVD com comentários em áudio de Peter Bogdanovich e Harry Carey Jr.

O RESGATE DO BANDOLEIRO (“The Tall T”, 1957, 78 min.)
De Budd Boetticher. Com Randolph Scott e Richard Boone.

Após perder seu cavalo numa aposta, rancheiro viaja numa diligência que cai nas mãos de bandidos. Outro eletrizante filme do “ciclo Ranown”, conjunto de faroestes do diretor Budd Boetticher estrelados por Randolph Scott.

DISCO 2:

GOLPE DE MISERICÓRDIA (“Colorado Territory”, 1949, 94 min.)
De Raoul Walsh. Com Joel McCrea, Virginia Mayo e Dorothy Malone.

Solto da cadeia para ajudar em mais um assalto na ferrovia, bandido pensa em mudar de vida. Nessa refilmagem de seu filme noir “Seu Último Refúgio”, Walsh cria um faroeste poético ainda mais impactante do que o original.

RENEGANDO O MEU SANGUE (“Run of the Arrow”, 1957, 86 min.)
De Samuel Fuller. Com Rod Steiger, Sarita Montiel e Brian Keith.

777

Após o fim da Guerra da Secessão, soldado sulista, imbuído por ódio aos vencedores ianques, passa a integrar uma tribo Sioux. Fascinante e polêmico faroeste revisionista de Samuel Fuller sobre a questão indígena.

DISCO 3:

CHOQUE DE ÓDIOS (“Wichita”, 1955, 82 min.)
De Jacques Tourneur. Com Joel McCrea, Vera Miles e Llyod Bridges.

888

Antes de entrar para a história em Dodge City, Wyatt Earp chega à pequena Wichita, onde se verá obrigado a se tornar xerife. Utilizando pela primeira vez o CinemaScope, Jacques Tourneur realiza um grande faroeste.

O TESTAMENTO DE DEUS (“Stars in My Crown”, 1950, 89 min.)
De Jacques Touneur. Com Joel McCrea, Ellen Drew e Dean Stockwell.

Um veterano de guerra busca refazer a vida como reverendo numa cidadezinha, mas encontra resistência entre os fiéis. Dirigido magistralmente por Tourneur, um drama envolvente ambientado no Velho Oeste.

EXTRAS INCLUÍDOS NA COLEÇÃO:
* Depoimento de Martin Scorsese sobre “O Resgate do Bandoleiro” (7 min.)
* Trailers (7 min.)
* Comentários em áudio de Peter Bogdanovich, Harry Carey Jr. e John Ford sobre “Caravana de Bravos” (86 min.)

MAIS 6 CARDS EXCLUSIVOS:ATENÇÃO: Edição Limitada com kit especial com seis mini-pôsteres encartados no digistack.

Edição Limitada com kit especial com seis mini-pôsteres encartados no digistack.

Classicos-Sci-Fi-2-3D-718x1024

CLÁSSICOS SCI-FI – VOL.2

Com o sucesso da coleção “Clássicos Sci-Fi”, a Versátil lança um segundo volume sobre o tema, com 3 DVDs reunindo 6 longas de ficção científica dirigidos por mestres como David Cronenberg, Roger Corman e Howard Hawks, incluindo inéditas versões restauradas de “Scanners”, “O Homem dos Olhos de Raio-X” e “No Mundo de 2020”. E o grande destaque para os cinéfilos é a inclusão do seminal cult “Matadouro 5”, dirigido por George Roy Hil e baseado no romance do escritor Kurt Vonnegut. O box traz ainda mais de duas horas de extras, incluindo depoimentos e documentários especiais.

DISCO 1:

SCANNERS – SUA MENTE PODE DESTRUIR (Scanners, 1981, 103′)
De David Cronenberg. Com Jennifer O’Neill, Stephen Lack e Michael Ironside.

0014
Um cientista envia um homem com poderes paranormais para caçar outros como ele. Primeiro sucesso de David Cronenberg, essa criativa mistura de ficção científica e horror se tornou um dos cult-movies dos anos 1980.

O HOMEM DOS OLHOS DE RAIO-X (X: The Man with the X-Ray Eyes, 1963, 79′)
De Roger Corman. Com Ray Milland e Diana van der Vlis.

Um médico testa em si mesmo uma fórmula que lhe dá visão de raio-X, mas esse poder tem consequências terríveis. Alegórica e imaginativa, a obra de Roger Corman tem um dos finais mais antológicos do gênero.

DISCO 2:

O MONSTRO DO ÁRTICO (The Thing from Another World, 1951, 83′)
De Christian Nyby e Howard Hawks. Com Kenneth Tobey e Margaret Sheridan.

Cientistas e militares americanos enfrentam um alienígena sanguinário num posto do Polo Norte. Refilmado por John Carpenter como “O Enigma do Outro Mundo”, esse é um dos grandes clássicos sci-fi dos anos 1950.

MATADOURO 5 (“Slaughterhouse-Five”, 1972, 104′)
De George Roy Hill. Com Michael Sacks, Ron Leibman e Eugene Roche.

Slaughterhouse-Five-Gallery-1
Um homem conta a história de como ficou viajando no tempo e foi abduzido por alienígenas. Vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes, o filme é uma intrincada adaptação do genial romance de Kurt Vonnegut.

DISCO 3:

NO MUNDO DE 2020 (“Soylent Green”, 1973, 97′)
De Richard Fleischer. Com Charlton Heston e Edward G. Robinson.

Em 2022, quando a Terra sofre com a poluição e a superpopulação, um policial investiga o assassinato de um executivo do ramo de alimentos. Surpreendente ficção futurista dos anos 1970.

ROBINSON CRUSOÉ EM MARTE” (“Robinson Crusoe on Mars”, 1964, 110′)
De Bryon Haskin. Com Paul Mantee, Victor Lundin e Adam West.

1111111111

Tendo apenas um macaco como companhia, um astronauta tenta sobreviver em Marte. Ótima adaptação do romance de Daniel Defoe dirigida pelo premiado técnico de efeitos especiais Bryon Haskin (de “A Guerra dos Mundos”).

EXTRAS INCLUÍDOS NA COLEÇÃO:
* Documentário sobre “Scanners” (23 min.) * Entrevista de Michael Ironside sobre “Scanners” (19 min.)
* Depoimento de Joe Dante sobre “O Homem dos Olhos de Raio-X” (6 min.)
* Prólogo alternativo de “O Homem dos…” (4 min.)
* Depoimento de John Carpenter sobre “O Monstro do Ártico” (24 min.)
* Especial sobre “O Monstro do Ártico” (10 min.)
* Making of de “No Mundo de 2020” (10 min.)
* A Ciência em “Robinson Crusoé em Marte” (19 min.)
* Trailers (18 min.)

MAIS 6 CARDS EXCLUSIVOS:scifi-cards-600x558

Edição Limitada com kit especial com seis mini-pôsteres encartados no digistack.

Previsão de entrega: 05/11

PHENOMENA

Inédito em DVD no Brasil, o filme de Dario Argento (“Suspiria”) conta com Jennifer Connelly (“Uma Mente Brilhante”) e Donald Pleasence (“Halloween”) no elenco. Esta Edição Especial Limitada traz o filme em versão integral restaurada com 116 minutos e áudio original em inglês e opção de áudio dublado em italiano, mais cerca de uma hora de vídeos extras, incluindo making of e depoimentos, além de um pôster exclusivo (35 x 43,7 cm).

Na trama, uma adolescente americana (Connelly, em início de carreira) vai estudar em colégio interno para garotas, na Alemanha. Enquanto ela explora sua capacidade especial de se comunicar com insetos, um assassino aterroriza o local com seus crimes brutais.

Ao som de Motörhead e Iron Maiden, Argento cria um filme bizarro de rara beleza que mistura horror, conto de fadas e giallo.

EXTRAS:
* Making of (17 min.)
* Documentário sobre o filme (26 min.)
* Entrevistas especiais (21 min.)
* Clipes musicais (8 min.)
* Créditos alternativos (2 min.)
* Trailer (3 min.)

E GRÁTIS COM O DVD:
Pôster exclusivo (35 x 43,7 cm)

Grátis pôster exclusivo (35 x 43,7 cm)

OS PRIMÓRDIOS DO CINEMA E O MELHOR DA FICÇÃO-CIENTÍFICA ESTÃO NA 2001

"Os filmes darão aos olhos o que o fonógrafo deu aos ouvidos". - Thomas Edison

“Os filmes darão aos olhos o que o fonógrafo deu aos ouvidos”.
– Thomas Edison

TRÊS LANÇAMENTOS PARA VENDA NA 2001 RESGATAM OS PRIMÓRDIOS DO CINEMA E A MAGIA DA FICÇÃO-CIENTÍFICA: “EDISON – A INVENÇÃO DOS FILMES“, BOX COM 4 DVDs SOMANDO MAIS DE 12 HORAS DE DURAÇÃO; “CLÁSSICOS SCI-FI“, DVD TRIPLO REUNINDO SEIS CLÁSSICOS DO GÊNERO; E O VOLUME 1 DA 3ª TEMPORADA DE “VIAGEM AO FUNDO DO MAR”, A SÉRIE CLÁSSICA CRIADA POR IRVING ALLEN.

EDISON – A INVENÇÃO DOS FILMES (4 DVDs)

2Filmes comerciais foram inventados no Laboratório Edison entre 1888 e 1893. A habilidade de Edison e sua equipe de reorganizá-los para um único propósito foi uma grande conquista cultural. Dentro de um ano, Edison tinha lançado o seu modelo de negócios comercial de filmes e permaneceu no mercado até 1918.

Coleção monumental contendo 140 filmes de arquivo, de testes de câmera nunca lançados no século XIX até o último longa-metragem lançado pela Thomas A. Edison Studios em 1918 (“O Descrente”), além de quatro arquivos em PDF com a descrição completa de cada curta e dados de produção, o box “EDISON” é um estudo abrangente de uma das figuras mais influentes da história do cinema, acompanhado de documentos históricos e dezenas de entrevistas com especialistas na sétima arte.

EXTRAS: Duas horas de entrevistas com arquivistas e estudantes de cinema, discutindo filmes específicos, os estúdios Edison e os esforços para preservar o seu legado. Comentários de especialistas como Steven Higgins, curador do departamento de Cinema do Museu de Arte Moderna (MoMA) e Charles Musser, professor de Cinema e Estudos Americanos da Universidade de Yale.

Classicos Sci-Fi

CLÁSSICOS SCI-FI  (3 DVDs)

A distribuidora Versátil preparou mais um incrível box com 3 discos reunindo seis filmes, desta vez clássicos do ficção-científica dirigidos por nomes como John Carpenter, Mario Bava, Jack Arnold e Joseph Losey, incluindo inéditas versões restauradas de “Eles Vivem” e “O Planeta Proibido”, além de quase duas horas de extras.

ATENÇÃO: Edição Limitada com kit especial com seis mini-pôsteres encartados no digistack.

DISCO 1:

ELES VIVEM (“They Live”, 1988)
De John Carpenter. Com Roddy Piper, Keith David e Meg Foster.

Operário descobre um par de óculos que o permite ver que alienígenas dominaram a Terra. Com ácido comentário social, este cult de Carpenter é um dos filmes essenciais dos anos 1980.

A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO (“It Came from Outer Space”, 1953)
De Jack Arnold. Com Richard Carlson e Barbara Rush.

Baseado em conto do genial Ray Bradbury (“Fahrenheit 451”).

DISCO 2:

O PLANETA PROIBIDO (“Forbidden Planet”, 1956)
De Fred M. Wilcox. Com Walter Pidgeon, Anne Francis e Leslie Nielsen.

Inspirado em “A Tempestade”, de William Shakespeare, o filme conta a história de uma expedição enviada para uma colônia de cientistas num planeta distante.

A brasileira Norma Bengell (1935-2013) em cena de "O Planeta dos Vampiros", um dos destaques da coleção

A brasileira Norma Bengell (1935-2013) em cena de “O Planeta dos Vampiros”, um dos destaques da coleção

O PLANETA DOS VAMPIROS (Terrore nello Spazio/Planet of the Vampires, 1965)
De Mario Bava. Com Barry Sullivan e Norma Bengell.

Criativa ficção do mestre Bava que influenciou “Alien – O Oitavo Passageiro”, de Ridley Scott.

DISCO 3:

OS MALDITOS (“These Are the Damned”, 1963)
De Joseph Losey. Com MacDonald Carey, Shirley Anne Field e Oliver Reed.

Produzido pela Hammer, o filme é uma fascinante parábola de Losey sobre a paranoia atômica.

FUGA NO SÉCULO 23 (“Logan’s Run”, 1976)
De Michael Anderson. Com Michael York, Richard Jordan e Farrah Fawcett.

Arte conceitual do filme "Fuga no Século 23"

Arte conceitual do filme “Fuga no Século 23”, vencedor de um Oscar especial pelos seus efeitos visuais em 1977

Superprodução dos anos 1970, este clássico apresenta uma das sociedades distópicas mais interessantes do cinema.

 

VIAGEM AO FUNDO DO MAR – 3ª TEMPORADA – VOL.1  (4 DVDs)

1

Como a missão permanente do SSRN Seaview continua, sua tripulação corajosamente defende o mundo contra os inimigos da humanidade, lutando contra forças estrangeiras sinistras, criaturas mortais do mar, cientistas enlouquecidos empenhados em dominar o mundo, e a ameaça iminente do juízo final nuclear.

Criada pelo produtor/escritor/diretor Irwin Allen, a série estava anos à frente de seu tempo, refletindo questões políticas e sociais importantes, e cativando o público com seu híbrido de espetáculo de ficção científica, suspense e espionagem.

Equipe 2001