Emma Stone

“LA LA LAND” E “MOONLIGHT” SÃO OS GRANDES VENCEDORES DO OSCAR 2017

O CALENDÁRIO DE PREMIAÇÕES DE HOLLYWOOD TERMINOU ONTEM, COM A CERIMÔNIA DA ACADEMIA DE ARTES E CIÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS. FAVORITO, COM 14 INDICAÇÕES, “LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES” LEVOU O MAIOR NÚMERO DE ESTATUETAS, 6 – INCLUINDO MELHOR DIRETOR E ATRIZ -, MAS PERDEU O PRÊMIO PRINCIPAL, O OSCAR DE MELHOR FILME, PARA O DRAMA INDEPENDENTE “MOONLIGHT – SOB A LUZ DO LUAR”.

Apresentada por Jimmy Kimmel, a cerimônia de premiação ficou marcada por uma gafe histórica. Para celebrar os 50 anos de “Bonnie e Clyde – Uma Rajada de Balas” (1967), clássico que marcou o início da Nova Hollywood, Warren Beatty e Faye Dunaway foram chamados ao palco para apresentar o último prêmio da noite: o Oscar de melhor filme. Com o envelope errado (o de melhor atriz, para Emma Stone), os dois anunciaram que o vencedor era “La La Land – Cantando Estações”, mas o premiado, na verdade, era “Moonlight – Sob a Luz do Luar”. Os produtores do musical faziam seus discursos de agradecimento quando o erro foi descoberto e o verdadeiro envelope com o ganhador revelado, para espanto (e êxtase) da plateia presente no auditório do Dolby Theatre, em Los Angeles.

O veterano Warren Beatty, 79, ao lado do apresentador Jimmy Kimmel, no centro da confusão envolvendo o anúncio do Oscar de melhor filme

Produção de baixo orçamento, “Moonlight” já havia recebido, um dia antes, seis prêmios do Independent Spirit Awards (espécie de “Oscar indie”): melhor filme, diretor para Barry Jenkins, roteiro, fotografia, montagem e o especial Robert Altman. Narrado em três atos, com momentos distintos de um jovem afro-americano que cresce num bairro pobre de Miami, o longa venceu ainda o Oscar de melhor ator coadjuvante (Mahershala Ali) e roteiro adaptado.

Recordista de indicações ao Oscar (ao lado de “A Malvada” e “Titanic“), “La La Land” levou o maior número de estatuetas da noite – seis de 14 categorias a que concorria – e confirmou seu favoritismo nas categorias de melhor direção (Damián Chazelle, mais jovem cineasta a vencer o prêmio), atriz, fotografia, design de produção, canção (“City of Stars”) e trilha sonora.

“Até o Último Homem” (2 Oscars), “La La Land” (6), “Moonlight” (3), “Lion – Uma Jornada para Casa” (0), “A Chegada” (1) e “Manchester à Beira Mar” (2)

Dirigido e escrito por Kenneth Lonergan, o devastador “Manchester à Beira Mar” ficou com os prêmios de melhor ator (Casey Affleck) e roteiro original, e o longa de guerra “Até o Último Homem”, dirigido por Mel Gibson, levou duas categorias técnicas.

E, ao contrário dos últimos dois anos, marcados pela polêmica em torno da ausência de atores negros nas quatro categorias de atuação, o Oscar deste ano celebrou a diversidade, tanto nos temas das produções quanto entre os artistas indicados. Seis atores negros disputaram o prêmio, e dois deles ganharam: Viola Davis, eleita melhor atriz coadjuvante por “Um Limite Entre Nós”, adaptação da peça teatral “Fences”, e o já citado Ali, de “Moonlight” .

Com alfinetadas ao governo do presidente Donald Trump, homenagens  a vencedores do passado, e a confusão final para anunciar o prêmio principal, a cerimônia do Oscar 2017 não deixa de ser um retrato dos tempos difíceis em que vivemos, com seus dramas sociais, desafios e dilemas da contemporaneidade.

MELHOR FILME
“Moonlight – Sob a Luz do Luar”

MELHOR DIREÇÃO
Damián Chazelle -“La La Land – Cantando Estações”

MELHOR ATOR
Casey Affleck – “Manchester à Beira-Mar” (em pré-venda na 2001 em DVD e Blu-ray)

Indicado ao Oscar pela primeira vez por “O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford” , como coadjuvante em 2008, Casey Affleck levou a estatueta de melhor ator por “Manchester à Beira Mar“. O filme tem previsão de lançamento em DVD para 26/4 na 2001

MELHOR ATRIZ
Emma Stone – “La La Land – Cantando Estações”

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali – “Moonlight – Sob a Luz do Luar”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis – “Um Limite Entre Nós”

Viola Davis já ganhou um Tony, o Oscar do teatro, pelo mesmo papel em 2010, quando estava em cartaz em Nova York.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney – “Moonlight – Sob a Luz do Luar”

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Kenneth Lonergan – “Manchester à Beira-Mar” (em pré-venda na 2001 em DVD e Blu-ray)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
“O Apartamento”

“O Apartamento”, novo filme do diretor-roteirista iraniano Asghar Farhadi – premiado na mesma categoria em 2012 por “A Separação”. Em protesto às leis anti-imigração de Donald Trump, ele se recusou a viajar aos EUA e mandou uma representante, que leu sua declaração contra a política do atual presidente norte-americano.

MELHOR MONTAGEM
“Até o Último Homem”

MELHOR FOTOGRAFIA
“La La Land – Cantando Estações”

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Mogli – O Menino Lobo” (disponível em DVD e Blu-ray na 2001)

A superprodução da Disney bateu fortes concorrentes, como “Doutor Estranho” e “Rogue One: Uma História Star Wars”

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Zootopia” (disponível em DVD e Blu-ray na 2001)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
“La La Land – Cantando Estações”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“City of Stars” (“La La Land – Cantando Estações”)

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
“La La Land – Cantando Estações”

MELHOR FIGURINO
“Animais Fantásticos e Onde Habitam”

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
Esquadrão Suicida” (disponível em DVD e Blu-ray na 2001)

Não dá pra negar o elaborado trabalho de maquiagem do filme, um incrível sucesso no Brasil com quase 8 milhões de espectadores no ano passado

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE LONGA-METRAGEM
“O.J.: Made in America”

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM
“The White Helmets”

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
A Chegada” (em pré-venda na 2001 em DVD e Blu-ray)

Um dos sucessos-surpresa de 2016, a ficção-científica dirigida pelo canadense Denis Villeneuve (de “Incêndios”) recebeu apenas uma estatueta: edição de som. O filme tem previsão de “chegada” em DVD e Blu-ray na 2001 a partir de 8/3.

MELHOR MIXAGEM DE SOM
“Até o Último Homem”

MELHOR CURTA-METRAGEM
“Sing (Mindenki)”

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
“Piper”

CONHEÇA OS VENCEDORES DO PRÊMIO BAFTA 2017

NO ÚLTIMO DOMINGO (12/2), “LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES”  FOI SAGRADO O GRANDE CAMPEÃO Da 70ª EDIÇÃO DO BAFTA, PRINCIPAL PREMIAÇÃO BRITÂNICA DE CINEMA.

O MUSICAL LEVOU CINCO PRÊMIOS: MELHOR FILME, DIREÇÃO (DAMIEN CHAZELLE), ATRIZ (EMMA STONE), FOTOGRAFIA E TRILHA SONORA. ALÉM DE STONE, CASEY AFFLECK E VIOLA DAVIS CONFIRMARAM SEU FAVORITISMO, POR SUAS ATUAÇÕES EM, RESPECTIVAMENTE, “MANCHESTER À BEIRA MAR” E “UM LIMITE ENTRE NÓS” (“FENCES”, NO ORIGINAL)

Destaque para uma singularidade do Bafta, a estatueta de melhor filme britânico, que foi para “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach. Já o grande comediante Mel Brooks recebeu, aos 90 anos, o recém-criado “Fellowship BAFTA”, espécie de prêmio honorário por sua contribuição ao cinema.

Quatro dos premiados da festa: Emma Stone (“La La Land”), Mel Brooks, Viola Davis (“Um Limite Entre Nós”) e Casey Affleck (“Manchester à Beira Mar”)

Revelado em “Quem Quer Ser um Milionário?”, Dev Patel foi uma das poucas surpresas da noite, vencendo como melhor ator coadjuvante pelo drama “Lion – Uma Jornada para Casa”. E “Kubo e as Cordas Mágicas” bateu o favorito “Zootopia” na categoria de melhor longa de animação.

Confira a seguir a lista completa do Bafta 2017, com os vencedores em negrito.

MELHOR FILME
A Chegada
Eu, Daniel Blake
La La Land – Cantando Estações
Manchester à Beira-Mar
Moonlight: Sob a Luz do Luar

PRÊMIO ALEXANDER KORDA PARA MELHOR FILME BRITÂNICO DO ANO
American Honey
Denial
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Eu, Daniel Blake
Notes On Blindness
Sob as Sombras

MELHOR ATOR
Andrew Garfield – Até o Último Homem
Ryan Gosling – La La Land – Cantando Estações
Casey Affleck – Manchester à Beira-Mar
Jake Gyllenhaal – Animais Noturnos
Viggo Mortensen – Capitão Fantástico

As cinco indicadas ao Bafta de melhor atriz. Duas delas ficaram de fora da lista do Oscar: Amy Adams por “A Chegada” e Emily Blunt por “A Garota no Trem

MELHOR ATRIZ
Emma Stone – La La Land – Cantando Estações
Natalie Portman – Jackie
Amy Adams – A Chegada
Meryl Streep – Florence: Quem É Essa Mulher?
Emily Blunt – A Garota no Trem

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Aaron Taylor-Johnson – Animais Noturnos
Dev Patel – Lion – Uma Jornada para Casa
Jeff Bridges – A Qualquer Custo
Hugh Grant – Florence: Quem É Essa Mulher?
Mahershala Ali – Moonlight: Sob a Luz do Luar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Hayley Squires – Eu, Daniel Blake
Michelle Williams – Manchester à Beira-Mar
Naomie Harris – Moonlight: Sob a Luz do Luar
Nicole Kidman – Lion – Uma Jornada para Casa
Viola Davis – Um Limite entre Nós

Viola Davis segue favorita ao Oscar por “Fences”, drama dirigido e estrelado por Denzel Washington. O filme recebeu o título no Brasil de “Um Limite Entre Nós”.

PRÊMIO DAVID LEAN DE MELHOR DIREÇÃO
Denis Villeneuve – A Chegada
Ken Loach – Eu, Daniel Blake
Damien Chazelle – La La Land – Cantando Estações
Kenneth Lonergan – Manchester à Beira-Mar
Tom Ford – Animais Noturnos

MELHOR MONTAGEM
A Chegada
Até o Último Homem
La La Land – Cantando Estações
Animais Noturnos
Manchester à Beira-Mar

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
A Qualquer Custo
Eu, Daniel Blake
La La Land – Cantando Estações
Manchester à Beira-Mar
Moonlight: Sob a Luz do Luar

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
A Chegada
Até o Último Homem
Estrelas Além do Tempo
Lion – Uma Jornada para Casa
Animais Noturnos

O ator britânico de origem indiana Dev Patel, em “Lion”, longa baseado em história real

MELHOR FOTOGRAFIA
A Chegada
A Qualquer Custo
La La Land – Cantando Estações
Lion – Uma Jornada para Casa
Animais Noturnos

MELHOR DESIGN DE ARTE
Doutor Estranho
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Ave, César!
La La Land – Cantando Estações
Animais Noturnos

MELHORES EFEITOS VISUAIS
A Chegada
Doutor Estranho
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Mogli: O Menino Lobo
Rogue One: Uma História Star Wars

A incrível recriação dos animais em computação gráfica de “Mogli”, produzido pela Disney, levou o Oscar de efeitos visuais

MELHOR FIGURINO
Aliados
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Florence: Quem É Essa Mulher?
Jackie
La La Land – Cantando Estações

MELHOR PENTEADO E MAQUIAGEM
Florence: Quem É Essa Mulher?
Doutor Estranho
Até o Último Homem
Animais Noturnos
Rogue One: Uma História Star Wars

PRÊMIO ANTHONY ASQUITH PARA TRILHA SONORA
A Chegada
Jackie
La La Land – Cantando Estações
Lion
Animais Noturnos

MELHOR SOM
A Chegada
Horizonte Profundo: Desastre no Golfo
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Até o Último Homem
La La Land – Cantando Estações

Aclamado pela crítica, a ficção-científica “A Chegada”, do mesmo diretor de “Incêndios” – Denis Villeneuve -, já está em pré-venda em DVD e Blu-ray na 2001

MELHOR FILME DE ESTREIA DE UM ROTEIRISTA, DIRETOR OU PRODUTOR BRITÂNICO
Mike Carey, Camille Gatin – The Girl With All The Gifts
George Amponsah, Dionne Walker – The Hard Stop
Pete Middleton, James Spinney, Jo-Jo Ellison – Notes On Blindness
John Donnelly, Ben Williams – The Pass
Babak Anvari, Emily Leo, Oliver Roskill, Lucan Toh – Sob as Sombras

MELHOR FILME DE LÍNGUA NÃO-INGLESA
Dheepan
Julieta
Mustang
O Filho de Saul
Toni Erdmann

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Procurando Dory
Kubo e as Cordas Mágicas
Moana
Zootopia

Produzido pelo estúdio Laika, “Kubo e as Cordas Mágicas” está disponível em DVD no acervo da 2001

MELHOR DOCUMENTÁRIO
13th
The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years
The Eagle Huntress
Notes On Blindness
Weiner

MELHOR CURTA BRITÂNICO
Consumed
Home
Mouth Of Hell
The Party
Standby

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO BRITÂNICO
The Alan Dimension
A Love Story
Tough

ESTRELA EM ASCENSÃO
Anya Taylor-Joy
Laia Costa
Lucas Hedges
Tom Holland
Ruth Negga

SAIU A LISTA DOS INDICADOS AO OSCAR 2017!

A ESPERA ACABOU. A ACADEMIA DE ARTES E CIÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS DE HOLLYWOOD ANUNCIOU NESTA TERÇA OS CONCORRENTES AO MAIOR PRÊMIO DA INDÚSTRIA DO CINEMA. COM 14 INDICAÇÕES, “LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES” É O GRANDE FAVORITO, SEGUIDO POR “A CHEGADA” E “MOONLIGHT”.

Como era esperado, o musical de Damien Chazelle (diretor de “Whiplash“) lidera a corrida ao Oscar, igualando o recorde de 14 indicações do clássico “A Malvada“, em 1951, e de “Titanic“, em 1998. Tributo musical a Los Angeles, o filme conquistou público e crítica, incluindo sete Globos de Ouro – o prêmio da Imprensa Estrangeira em Hollywood.

Seus maiores concorrentes são a ficção-científica “A Chegada”, dirigida pelo canadense Denis Villeneuve (de “Incêndios” e “Sicário”), e o drama indie “Moonlight – Sob a Luz do Luar”, vencedor do Globo de Ouro de melhor filme dramático. Cada um concorre em oito estatuetas, com o primeiro com boas chances nas categorias técnicas, e o segundo como favorito a melhor ator coadjuvante (Mahershala Ali).

É mesmo o ano de “La La Land”: vencedor de 7 Globos de Ouro e indicado ao Oscar em 14 categorias, o musical concorre ainda a 11 prêmios Bafta, na Inglaterra

Entre as surpresas, destaque para a ausência de Amy Adams, por sua elogiada atuação em “A Chegada”. Apesar de concorrer ao Globo de Ouro e disputar o Bafta e o Screen Actors Award, ela ficou de fora da lista de melhor atriz. Na mesma categoria, Meryl Streep conquistou a impressionante marca de 20 indicações, graças a “Florence – Quem é Essa Mulher?”, e a lendária atriz francesa Isabelle Huppert disputa o Oscar pela primeira vez por seu polêmico papel no thriller “Elle”. E, grande vencedor do European Film Awards, “Toni Erdmann” é favorito a melhor filme de língua estrangeira, representando a Alemanha.

Agora, é aguardar o anúncio dos vencedores da 89ª cerimônia de entrega dos prêmios, marcada para 26 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Los Angeles.

A seguir, a lista completa com os indicados ao OSCAR 2017:

“Lion – Uma Jornada Para Casa”, “A Qualquer Custo”, “La La Land”, “Moonlight”, “Manchester à Beira-Mar”, “Cercas”, “A Chegada” e “Estrelas Além do Tempo”, todos indicados a melhor filme do ano

MELHOR FILME
“A Chegada”
“Até o Último Homem”
“Estrelas Além do Tempo”
“Lion – Uma Jornada Para Casa”
“Moonlight”
“Cercas”
“A Qualquer Custo”
“La La Land – Cantando Estações”
“Manchester à Beira-Mar”

MELHOR DIREÇÃO
Denis Villeneuve -“A Chegada”
Barry Jenkins -“Moonlight: Sob a Luz do Luar”
Damián Chazelle -“La La Land – Cantando Estações”
Kenneth Lonegan -“Manchester a Beira-Mar”
Mel Gibson -“Até o Último Homem”

Denis Villeneuve dirige Amy Adams no set de “A Chegada”, que lhe valeu sua primeira indicação ao Oscar. O diretor canadense ganhou fama no Brasil com o aclamado “Incêndios”

MELHOR ATOR
Casey Affleck – “Mancehester à Beira-Mar”
Andrew Garfield – “Até o Último Homem”
Ryan Gosling – “La La Land – Cantando Estações”
Viggo Mortensen – “Capitão Fantástico”
Denzel Washington – “Cercas”

MELHOR ATRIZ
Isabelle Huppert – “Elle”
Ruth Neggam – “Loving”
Natalie Portman – “Jackie”
Emma Stone – “La La Land – Cantando Estações”
Meryl Streep – “Florence – Quem é Essa Mulher?” (disponível em DVD na 2001)

Pelo papel-título de “Florence – Quem é Essa Mulher?”, Meryl Streep concorre ao Oscar pela vigésima vez, um feito inédito na história do prêmio

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali – “Moonlight”
Jeff Bridges -“A Qualquer Custo”
Lucas Hedges -“Manchester A Beira-Mar”
Dev Patel -“Lion”
Michael Shannon -“Animais Noturnos”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis – “Cercas”
Naomie Harris – “Moonlight”
Nicole Kidman – “Lion”
Octavia Spencer – “Estrelas Além do Tempo”
Michelle Williams – “Manchester à Beira-Mar”

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Eric Heisserer – “A Chegada”
August Wilson – “Cercas”
Allison Schroeder, Theodore Melfi – “Estrelas Além do Tempo”
Luke Davies – “Lion – Uma Jornada para Casa””
Barry Jenkins, Tarell Alvin McCraney – “Moonlight: Sob a Luz do Luar”

Estrelado por Colin Farrell e Rachel Weisz, “O Lagosta” foi merecidamente lembrado na categoria de melhor roteiro original

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Taylor Sheridan – “A Qualquer Custo”
Damien Chazelle – “La La Land – Cantando Estações”
Yorgos Lanthimos, Efthymis Filippou – “O Lagosta”
Kenneth Lonergan – “Manchester a Beira-Mar”
Mike Mills – “20th Century Woman”

MELHOR MONTAGEM
“A Chegada”
“Até o Último Homem”
“A Qualquer Custo”
“La La Land- Cantando Estação”
“Moonlight: Sob a Luz do Luar”

MELHOR FOTOGRAFIA
“A Chegada”
“La La Land – Cantando Estações”
“Lion”
” Moonlight: Sob a Luz do Luar”
“Silêncio”

Dirigido por Martin Scorsese, o épico “Silence” recebeu apenas uma indicação: melhor direção de fotografia, do mexicano Rodrigo Prieto

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
“Land of Mine”
“A Man Called Ove”
“The Salesman”
“Tana”
“Toni Erdmann”

MELHORES EFEITOS VISUAIS
“Horizonte Profundo – Desastre no Golfo”
“Doutor Estranho”
Mogli – O Menino Lobo
Kubo e as Cordas Mágicas
“Rogue One: Uma História Star Wars”

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Kubo e as Cordas Mágicas” (disponível em DVD na 2001)
“Moana”
“My Life as a Zucchini”
“The Red Turtle”
Zootopia” (disponível em DVD e Blu-ray na 2001)

Vencedor do Globo de Ouro de melhor animação, “Zootopia” é favorito ao Oscar da categoria, com “Kubo e as Cordas Mágicas” correndo por fora

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
“Jackie”
“La La Land – Cantando Estações”
“Lion – Uma Jornada Para Casa”
“Moonlight: Sob a Luz do Luar”
“Passageiros”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Can’t Stop the Feelings” (“Trolls”)
“The Empty Chair” (“Jim: The James Foley Story”)
” How Far I’ll Go” (“Moana”)
“City of Stars” (“La La Land – Cantando Estações”)
“Audition” (“La La Land – Cantando Estações”)

MELHOR FIGURINO
“Aliados”
” Animais Fantásticos e onde Habitam”
Florence – Quem é Essa Mulher?
“Jackie”
“La La Land – Cantando Estações”

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
“Um Homem Chamado Ove”
Star Trek: Sem Fronteiras” (disponível em DVD na 2001)
Esquadrão Suicida” (disponível em DVD e Blu-ray na 2001)

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
“A Chegada”
“Animais Fantásticos e onde Habitam”
Ave, César!
“La La Land – Cantando Estações”
“Passeiros”

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE LONGA-METRAGEM
Fogo no Mar” (disponível em DVD na 2001)
“I Am Not Your Negro”
“Life, Animated”
“O.J.: Made in America”
“A 13ª Emenda”

Vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim em 2016, o documentário italiano “Fogo no Mar” trata do importante tema da imigração em massa e foi lembrado com uma indicação ao Oscar

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM
“The White Helmets”
“Watani: My Homeland”
“Joe’s Violin”
“4.1 Miles”
“Extremis”

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
“A Chegada”
“Horizonte Profundo – Desastre no Golfo”
“Até o Último Homem”
“La La Land – Cantando Estações”
“Sully – O Herói do Rio Hudson”

MELHOR MIXAGEM DE SOM
“A Chegada”
“Até o Último Homem”
“La La Land – Cantando Estações”
“Rogue One: Uma História Star Wars”
13 Horas – Os Soldados Secretos de Benghazi” (disponível em DVD na 2001)

Dirigido por Michael Bay, “13 Horas…” é baseado em fatos reais e está disponível no acervo da 2001

MELHOR CURTA-METRAGEM
“Ennemis Intérieurs”
“La Femme et le TGV”
“Silent Nights”
“Sing (Mindenki)”
“Timecode”

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
“Blind Vaysha”
“Borrowed Time”
“Pear Cider and Cigarettes”
“Pearl”
“Piper”

QUARTAS COM SUZANA VIDIGAL: “O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA”

EDITORA DO CINE GARIMPO, A JORNALISTA SUZANA VIDIGAL ESCREVE TODA QUARTA-FEIRA PARA O BLOG DA 2001, DESTACANDO UM GRANDE LANÇAMENTO PARA LOCAÇÃO OU VENDA NAS LOJAS DA REDE

Uma das maiores bilheterias de 2012, O Espetacular Homem-Aranha conseguiu revitalizar a franquia de Sam Raimi. O filme pode ser encontrado em três formatos para locação e venda na 2001: DVD, Blu-ray e Blu-ray 3D

Antes de ser aranha, Peter Parker é homem. Homem-Aranha vem depois de muita coisa, muitas questões pessoais mal resolvidas: foi abandonado ainda criança pelos pais sem qualquer explicação, foi criado pelos afetivos tios, hostilizado na escola, rejeitado pelos ânimos adolescentes, criado cheio de dúvidas e perguntas. O Homem-Aranha que vemos nas telas deste novo filme não é um super-herói cheio de poderes e nenhum questionamento. Pelo contrário, seus conflitos ganham mais ênfase do que os espetaculares saltos pelos prédios de Nova York. E que saltos!

Foi pensando nisso que me dei conta que quem dirige O Espetacular Homem-Aranha é Mark Webb, também do ótimo e sensível 500 Dias com Ela. Um filme não tem absolutamente nada a ver com o outro – um é ação pura, super-herói; o outro, comédia e romance, com graça e graciosidade. Mas essa marca aparece no filme, na questão familiar de Peter Parker (Andrew Garfield, também em A Rede Social, Não me Abandone Jamais), seus questionamentos em relação aos pais, sua relação com os tios (Martin Sheen, também em The Way; e Sally Fields, também em Forrest Gump), seu romance com a bela Gwen Stacy (Emma Stone, também em Histórias Cruzadas, Amor a Toda Prova), sua culpa, sentimento de justiça e vingança, suas fraquezas e virtudes. E isso, para alguém como eu que não acompanha de perto das peripécias do Homem-Aranha, foi uma grata surpresa, um equilíbrio que vai, com certeza, atrair um público além do fã clube do herói.

Muito do sucesso do filme se deve à dupla de protagonistas (Andrew Garfield e Emma Stone) e à sensibilidade do diretor de 500 Dias com Ela, Mark Webb

Mas eu diria que o fã clube também curtiu. Na sessão para imprensa, os fãs estiveram presentes fazendo grandes filas para ver a primeira exibição do filme no Brasil. A trama, como eu disse, volta para o começo da série, contando como Peter Parker descobre uma mala antiga de seu pai com a equação que vai dar de bandeja para o vilão, Dr. Curt Connors (Rhys Ifans), a capacidade de se tornar o grande o lagarto gigante que ameaçará Nova York e colocará à prova os poderes e principalmente o equilíbrio emocional de Parker.

Trocando em miúdos: saiba você de cor ou não a história dos três anteriores filmes do Homem-Aranha, seja você fã ou não dos super-heróis, vale a pena ver. Ainda mais se for em 3D – os saltos ficam ainda mais espetaculares, sem que as questões humanas e de relacionamento sejam só coadjuvantes.

 

Cliente da 2001, Suzana Vidigal é jornalista e editora do Cine Garimpo, blog com dicas de cinema e DVD para você escolher de acordo com seu estado de espírito.

LANÇAMENTOS PARA LOCAÇÃO

INÉDITOS NOS CINEMAS BRASILEIROS, DOIS DRAMAS INDEPENDENTES E A REFILMAGEM DE ARTHUR – O MILIONÁRIO SEDUTOR ACABAM DE CHEGAR ÀS LOJAS DA 2001:

Matemática do Amor
(An Invisible Sign, EUA, 2010, Cor, 87′)
California – Drama – 12 anos
De: Marilyn Agrelo
Com: Jessica Alba, J.K. Simmons, Sonia Braga
Na infância, Mona Gray desenvolveu habilidades com a matemática para superar os problemas causados pela doença do pai. Com o passar do tempo, ela passou a ensinar a matéria, ajudando diferentes estudantes.

O drama estrelado por Jessica Alba pode ser conferido em DVD e Blu-ray nas lojas da 2001

Drama edificante estrelado por Jessica Alba (Quarteto Fantástico) no papel de jovem apaixonada por matemática, vivendo uma série de privações até se encontrar como professora. No elenco, destaque para a curiosa participação de Sonia Braga, no papel de mãe da protagonista.

 

Tempo de Crescer
(Paper Man, EUA, 2009, Cor, 110′)
California – Drama – 14 anos
De: Kieran Mulroney, Michele Mulroney
Com: Jeff Daniels, Emma Stone, Ryan Reynolds
Uma amizade inesperada surge entre Richard, escritor de meia-idade com bloqueio criativo, e Abby, garota de 17 anos marcada por uma tragédia em família.

Tempo de Crescer é mais uma produção independente com bom elenco e personagens excêntricos, amargurados pelas pequenas decepções da vida. Nesse caldeirão de neuroses, um escritor frustrado, possivelmente com Síndrome de Peter Pan, encontra na jovem interpretada pela ótima Emma Stone (A Mentira) alguém para dividir seus anseios e fantasias mais secretas – como seu amigo imaginário, interpretado por Ryan Reynolds (Lanterna Verde).

 

Arthur – O Milionário Irresistível
(Arthur, EUA, 2011, Cor, 110′)
Warner – Comédia – 12 anos
De: Jason Winer
Com: Russell Brand, Helen Mirren, Jennifer Garner
Para não perder a herança milionária da família, Arthur precisa se casar com uma mulher da alta sociedade. No entanto, ele se apaixona por uma garçonete, obrigando-o a escolher entre o amor e o dinheiro.

Refilmagem da comédia Arthur – O Milionário Sedutor (1981), com o comediante inglês Russell Brand (O Pior Trabalho do Mundo) no papel que foi de Dudley Moore na versão original, e a ótima Helen Mirren interpretando uma versão feminina do impagável mordomo de John Gielgud (1904–2000). Brand e Mirren voltaram a trabalhar juntos em A Tempestade, adaptação — ainda inédita no Brasil — da peça de William Shakespeare.
Extras: Cenas adicionais

 

30 anos separam o Arthur de Dudley Moore (à esquerda, em 1981) da nova versão com Russell Brand (à direita)