Robert Bresson

A ARTE DE UM DOS MESTRES DO CINEMA

A VERSÁTIL LANÇA BOX COM QUATRO OBRAS-PRIMAS DO MESTRE FRANCÊS, EM EDIÇÃO ESPECIAL COM 4 CARDS, E TRAZ DE VOLTA AO CATÁLOGO 7 VOLUMES ANTERIORES DA COLEÇÃO “A ARTE DE…”

Na filmografia de Robert Bresson (1901–1999), uma das mais pessoais, independentes e coerentes da história do cinema, predominam os temas espirituais e o estilo narrativo minimalista. Seu trabalho prima pelo uso de cenas curtas, planos-detalhe repletos de significado, brilhantes elipses ditadas pela montagem e atuações naturalistas de atores não-profissionais.

Cena de “A Grande Testemunha” (1966), incluído na coleção

Bresson nunca se rendeu a modismos, a padrões de mercado ou ao público. Seu estilo austero e minimalista influenciou diferentes gerações de cineastas, de Jean-Luc Godard a Andrei Tarkovski, passando por Jean-Marie Straub, até Bruno Dumont. As ações de seus personagens continuam a intrigar, assim como seus dilemas morais. Em sua busca por transcendência espiritual, ele elevou seu cinema à condição de arte.

O DVD duplo reúne quatro clássicos fundamentais para entender a obra do diretor. Cultuados por cinéfilos experientes, os trabalhos do diretor francês são periodicamente relacionados em inúmeras listas de melhores filmes de todos os tempos.

DISCO 1:

A GRANDE TESTEMUNHA (Au Hasard Balthazar, 1966, 95 min.)
Com Anne Wiazemsky, Walter Green, François Lafarge.

A triste vida e a morte de Balthazar, um jumento, desde sua infância idílica cercado por crianças, até a idade adulta, tiranizado como animal de carga. Em 2017, “A Grande Testemunha” ficou em 16º lugar na votação dos melhores filmes de todos os tempos promovida pela revista inglesa Sight & Sound com críticos e diretores de todo o mundo.

MOUCHETTE, A VIRGEM POSSUÍDA (Mouchette, 1967, 81 min.)
Com Nadine Nortier, Jean-Claude Guilbert, Marie Cardinal.

A história de uma menina do campo violentada por um caçador é o ponto de partida para Bresson colocar em evidência, de maneira implacável, a miséria e a crueldade humana. Baseado em romance de Georges Bernanos.

DISCO 2:

DIÁRIO DE UM PADRE (Journal d’un Curé de Campagne, 1951, 115 min.)
Com Claude Laydu, Nicole Ladmiral, Jean Riveyre.

Um jovem é nomeado padre em uma pequena aldeia da França. Os moradores locais o recebem com hostilidade. Com a saúde debilitada, ele terá dificuldades em se adaptar. Baseado em romance de Georges Bernanos.

UM CONDENADO À MORTE ESCAPOU (Un condamné à mort s’est échappé ou Le vent souffle où il veut, 1956, 101 min.)
Com François Leterrier, Charles Le Clainche, Maurice Beerblock.

Aprisionado pelos nazistas, membro da Resistência Francesa passa a elaborar um plano de fuga, sem saber se pode confiar totalmente em seu colega de cela. Prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes.

EXTRAS:
* Documentário sobre Bresson (56 min.)
* Depoimentos e trailers (22 min.)

EDIÇÃO LIMITADA COM 4 CARDs:

E COMPLETE SUA COLEÇÃO:

DISCO 1:
O REI DE NOVA YORK
SEDUÇÃO E VINGANÇA

DISCO 2:
OS CHEFÕES
INIMIGOS DO DESTINO

DISCO 1:
UM TIRO NA NOITE

DISCO 2:
IRMÃS DIABÓLICAS
O FANTASMA DO PARAÍSO

DISCO 1:
SATYRICON DE FELLINI
CIAO, FEDERICO

DISCO 2:
ROMA DE FELLINI
A VOZ DA LUA

DISCO 1:
O CÍRCULO VERMELHO
CODINOME MELVILLE

DISCO 2:
TÉCNICA DE UM DELATOR
DOIS HOMENS EM MANHATTAN

DISCO 1:
A BESTA HUMANA
O RIO SAGRADO

DISCO 2:
A CADELA
AMOR À TERRA

DISCO 1:
A CANÇÃO DA ESPERANÇA
ASSIM FALOU O AMOR

DISCO 2:
AMANTES
CASSAVETES: O HOMEM E SUA OBRA

DISCO 1:
TRÊS MULHERES
ALTMAN, UM RETRATO

DISCO 2:
O PERIGOSO ADEUS
RENEGADOS ATÉ A ÚLTIMA RAJADA

DISCO 1:
TÓQUIO VIOLENTA
HISTÓRIA DE UMA PROSTITUTA

DISCO 2:
A VIDA DE UM TATUADO
PORTAL DA CARNE

ROBERT BRESSON

"O filme nasce pela primeira vez em minha cabeça e morre no papel." Robert Bresson

CHAMADO DE “FILÓSOFO COM UMA CÂMERA”, O CINEASTA FRANCÊS É RELEMBRADO COM O LANÇAMENTO DE LIVROS (O PROCESSO DE JOANA D’ARC, BRESSON OU O ATO PURO DAS METAMORFOSES) E CICLO CULTURAL (GEORGE BERNANOS – DA LITERATURA AO CINEMA) NA SEDE DA EDITORA E ESPAÇO CULTURAL, EM SÃO PAULO.

Nascido há 110 anos, em Bromont-Lamothe, na região montanhosa de Auvergne, na França, em 25 de setembro de 1901, Robert Bresson estudou Filosofia, foi fotógrafo e pintor antes de se dedicar ao cinema. Assistente de René Clair no incompleto Air Pair, trabalhou como roteirista da comédia C’Était un Musicien (1933), estreando na direção com o curta Les Affaires Publiques, em 1934.

Cena da prisão (física e mental) de Um Condenado a Morte Que Escapou

Três influências na vida de Bresson moldaram sua obra: seu catolicismo que evoluiu para o rigoroso jansenismo, seus anos de formação como pintor e suas experiências como prisioneiro de guerra. Preso em um campo alemão durante a Segunda Guerra, o cineasta refletiu sobre essa experiência em seu filme mais bem-sucedido comercialmente, Um Condenado a Morte Que Escapou (1956), que lhe valeu o prêmio de melhor direção no Festival de Cannes. Baseado em conto autobiográfico de André Devigny, ex-membro da resistência francesa preso pela Gestapo, o longa é centrado no meticuloso plano de fuga de seu protagonista e sua luta por salvação.

Após o aclamado Pickpocket – O Batedor de Carteiras (1959), Bresson dirigiu O Processo de Joana d’Arc (1962), baseado no último julgamento da mártir, interpretada pela atriz estreante Florence Carrez.

Florence Carrez interpreta a Joana D'Arc de Bresson: resignada, austera e em busca de redenção espiritual

O uso de atores não-profissionais, o tom pessimista e a presença da morte continuaram em A Grande Testemunha (Au Hasard, Balthazar, 1966) e Mouchette (1967), ambos com protagonistas vitimados pelas circunstâncias de seu meio. Nos filmes do mestre francês, seus personagens agem sem razão aparente, apenas seguindo seu destino em meio a uma sociedade intolerante. E seus atores não-profissionais, segundo ele, são “modelos” treinados para os papéis em um processo contínuo de descobertas mútuas.

A Grande Testemunha: Um simbólico (e soberbo) estudo da crueldade e da finitude humana

Pintor de formação, Bresson começou a filmar em cores apenas em 1969, com Une Femme Douce (ainda inédito em DVD no Brasil), sobre um marido que tenta entender o suicídio da esposa. Espiral de trágicas consequências provocadas por uma nota falsa recebida por um inocente, O Dinheiro – livremente adaptado de um conto de Leon Tostói – foi seu último filme e lhe valeu novo prêmio em Cannes.

Em 1975, publicou Notas de um Cinematógrafo, compilação com seus conceitos sobre cinema, leitura fundamental para cinéfilos e estudiosos do assunto.

Bresson faleceu em 18 de dezembro de 1999, de causas naturais, deixando um legado de 13 longas-metragens em mais de 40 anos de carreira. Em sua obra, uma das mais pessoais, independentes e coerentes da história do cinema, predominam os temas espirituais e estilo narrativo minimalista – marcado por cenas curtas, planos-detalhe repletos de significado, o uso de diálogos econômicos, brilhantes elipses ditadas pela montagem e atuações naturalistas de atores não-profissionais. Ele nunca se rendeu a modismos, a padrões de mercado ou ao público.

O estilo austero e minimalista de Bresson influenciou diferentes gerações de cineastas, de Jean-Luc Godard a Andrei Tarkovski, passando por Jean-Marie Straub, até Bruno Dumont. As ações de seus personagens continuam a intrigar, assim como seus dilemas morais. Em sua busca por transcendência espiritual, Bresson elevou seu cinema à condição de arte.

Robert Bresson (1901-1999)

ROBERT BRESSON EM DVD NA 2001 VÍDEO:

As Damas do Bois de Boulogne
(Les Dames du Bois de Boulogne, FRA, 1945, 85′)
Com: Maria Casarés, Paul Bernard, Elina Labourdette, Jean Marchat
Dama da alta sociedade, Hélene deseja vingar-se do amante que abandou, Jean, e pede a uma dançarina de cabaret para seduzi-lo. Só que a vingança acabará se transformando num escandaloso romance.

Diário de um Padre
(Le Journal d’un Curé de Campagne, FRA, 1950, P&B, 115′)
Com: Claude Laydu, André Guibert, Marie-Monique Arkell
Um jovem padre é nomeado pároco em Ambricourt, uma pequena aldeia em Artois, na França. Os moradores locais o recebem com certa hostilidade. Com uma personalidade frágil e saúde debilitada, ele tem dificuldades em se impor aos paroquianos.

Um Condenado a Morte Que Escapou
(Un condamné à mort s’est échappé, FRA, 1956, P&B, 99′)
Com: François Leterrier, Charles Le Clainche, Maurice Beerblock
Membro da resistência francesa durante a ocupação nazista, Andre Devigni é preso e jogado numa cela, onde passa suas noites em claro orquestrando um plano de fuga. Porém, no mesmo dia em que recebe sua sentença de morte, ganha um novo colega de cela. Seria ele um espião da Gestapo?

Pickpocket
(Idem, FRA, 1959, P&B, 75′)
Com: Cesar Gattegno, Dolly Scal, Jean Pelegri
A trajetória de um batedor de carteiras chamado Michel, seus assaltos e sua tentativa de mudar de vida.

O Processo de Joana D´Arc
(Le Procès de Jeanne D´Arc, FRA, 1962, P&B, 65′)
Com: Florence Carrez, E.R. Pratt, Donald O’Brien
Baseado em documentos históricos, o filme relata a prisão, o julgamento e a execução de Joana D´Arc.

A Grande Testemunha
(Au Hasard Balthazar, FRA, 1966, P&B, 95′)
Com: Anne Wiazemsky, Walter Green, Jean-Claude Guilbert
A vida triste e a morte de Balthazar, um jumento, desde sua infância idílica cercado por crianças, até a idade adulta, tiranizado como animal de carga. Sua vida é contada juntamente com a da menina que lhe deu o nome: enquanto ele é maltratado pelo dono, ela será humilhada pelo namorado.

Mouchette, a Virgem Possuída
(Mouchette, FRA, 1967, P&B, 78′)
Com: Nadine Nortier, Jean-Claude Guilbert, Maria Cardinal
Garota solitária, Mouchette vive com seus pais numa casa modesta, e acaba violentada por um caçador. Para piorar a situação, seu pai é alcóolatra e sua mãe não tardará a morrer.

Lancelot do Lago
(Lancelot du Lac, FRA, 1974, Cor, 84′)
Com: Luc Simon, Humbert Balsan, Vladmir Antolek-Oresk
Lancelot, o cavaleiro da Távola Redonda, coloca sua fidelidade a Arthur acima do amor que tem por Guinevere, a esposa do rei.

O Dinheiro
(L’Argent, FRA, 1983, Cor, 81′)
Com: Christian Patey, Sylvie van den Elsen, Michel Briguet
Um jovem rapaz chamado Yvon decide usar uma nota falsa de 500 francos, dando início a uma seqüência de acontecimentos surpreendentes e com final trágico.