Rodin

NOVIDADES DO CINEMA ARGENTINO E DO EUROPEU NA 2001

INSEPARÁVEIS (2016)

Marcos Carnevale (“Elsa & Fred”) dirige esta refilmagem argentina do sucesso francês “Intocáveis” (2011), com Oscar Martínez (“Relatos Selvagens”) no papel de Felipe, um rico empresário que fica tetraplégico após acidente. À procura de um novo assistente terapêutico, ele contrata o jovem Tito (Rodrigo de la Serna, de “Diários de Motocicleta”), sem qualquer experiência para a função.

NEVE NEGRA

Ambientado nas colinas geladas da Patagônia, este thriller argentino conta com dois astros de “Relatos Selvagens”: Ricardo Darín e Leonardo Sbaraglia. Darín interpreta Salvador, um fazendeiro que vive afastado da civilização em uma fazenda na região. A visita inesperada de seu irmão Marcos (Sbaraglia), a fim de convencê-lo a vender as terras da família, reacende antigos ressentimentos e segredos.

FRANTZ

Mais um belo trabalho do francês François Ozon, indicado em três categorias do European Film Awards: escolha do público, atriz (Paula Beer) e roteiro. A história se passa logo após o fim da I Guerra Mundial e acompanha Anna (Beer, premiada em Veneza), uma jovem alemã que perde o noivo no front. Um dia, surge Adrien (Pierre Niney), um ex-soldado francês que afirma ter feito amizade com o morto.

A GAROTA DESCONHECIDA

Indicado à Palma de Ouro em 2016, o filme é mais um exemplo do humanismo social da dupla de cineastas belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne (“Rosetta“). Os irmãos Dardenne mostram a crise de consciência de Jenny (Adèle Haenel), jovem médica perturbada pela morte de uma imigrante africana, que na noite anterior procurou sua clínica, mas não foi atendida, pois o expediente havia encerrado.

SAINT AMOUR – NA ROTA DO VINHO

Depois do romântico “Paris Pode Esperar” (com Diane Lane), mais um road movie percorre a França. Em ritmo de comédia de erros, “Saint Amour” explora o conflito de gerações entre Jean (Gérard Depardieu) e Bruno (Benoît Poelvoorde, também diretor e roteirista), pai e filho fazendeiros que embarcam numa turnê por vinícolas no interior francês. Juntos com seu motorista, os dois passam por várias brigas e descobertas em busca de reconciliação.

MONSIEUR E MADAME ADELMAN

Com muito lirismo e humor irônico, o drama francês aborda o relacionamento de quatro décadas entre Sarah (Doria Tillier) e Victor (Nicolas Bedos, diretor e roteirista do filme). No funeral dele, Sarah é abordada por um jornalista que deseja contar a história de seu marido, um renomado escritor. A partir daí, o espectador tem acesso às diferentes fases desse longo relacionamento – e o que é melhor, pelo olhar feminino.

ROCK N’ROLL – POR TRÁS DA FAMA

Casados na vida real, Guillaume Canet e Marion Cotillard brincam com suas personas públicas nesta comédia metalinguística dirigida e escrita pelo próprio ator. Na trama, Canet, com 43 anos, é confrontado por uma repórter, que sugere que o ator está ultrapassado e não pode concorrer com os jovens de sua geração. Exibido no Festival Varilux de Cinema Francês 2017.

NA CAMA COM VICTORIA

Uma amalucada comédia francesa com Virginie Efira (indicada ao César de melhor atriz) no papel de Victoria, uma advogada metida em inúmeras confusões. A personagem está à beira de um ataque de nervos e, durante um casamento, encontra três homens que irão bagunçar sua vida: seu ex-marido, seu amigo Vincent – acusado de tentativa de homicídio – e Sam, um ex-traficante de drogas.

RODIN

Indicado à Palma de Ouro, o filme traz Vincent Lindon (“O Valor de um Homem“) no papel do escultor Auguste Rodin (1840- 1917). Em 1880, Rodin recebe a encomenda de ‘A Porta do Inferno’, obra composta de esculturas como O Beijo e O Pensador. Ele vive com Rose, sua eterna companheira, quando conhece a jovem Camille Claudel (1864-1943), que se torna sua aprendiz e amante.

CARTAS DA GUERRA

Esta produção de época foi escolhida por Portugal para representar o país na disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro, em 2016. Baseado nas cartas reunidas no livro de memórias “D’Este Viver Aqui Neste Papel Descripto”, de António Lobo Antunes, o longa rememora as experiências do autor como médico em Angola durante a guerra colonial, na década de 1970.

CINEMA E ARTES PLÁSTICAS NA 2001: ADEUS TOMIE OHTAKE

0

ADEUS TOMIE OHTAKE (1913-2015), A GRANDE DAMA DA ARTE BRASILEIRA 

COM A PERDA DA GRANDE ARTISTA BRASILEIRA, FALECIDA NA ÚLTIMA QUINTA (12/2), AOS 101 ANOS, CONHEÇA MAIS SOBRE SEU TRABALHO EM “TOMIE 90 ANOS”, DOCUMENTÁRIO RARO, FORA DE CATÁLOGO NO MERCADO NACIONAL, MAS DISPONÍVEL PARA LOCAÇÃO NO ACERVO DA 2001:

Tomie 90 Anos
(Idem, BRA, 2003, Cor)
Direção: Cacá Vicalvi

000

Em parceria com o Documenta Vídeo Brasil e o Instituto Tomie Ohtake, este especial é mais que um registro, é o testemunho dos vários encontros mantidos com a artista plástica Tomie Ohtake no curso de três anos. Sem pretender catalogar a vasta obra de Tomie, os vídeos escolhidos revelam momentos especiais, os acasos, a convivência entre as artes plásticas e a câmera de TV. Tomie fala pouco, mas o silêncio que se estabeleceu durante todo esse tempo foi tecido pela melhor matéria-prima produzida pela vida: o ser artístico. O DVD inclui:

O Traço Essencial
Média-documentário produzido para a Rede Sesc Senac de Televisão / STV.

Tomie por Haroldo de Campos
Entrevista com o poeta e parceiro de Tomie, editada praticamente sem cortes.

Tomi-ês
Originalmente concebido para ser um documentário, transformou-se num conjunto de hai-kais.

Arcos
Performance de dança gravada no Paço das Artes em São Paulo, inspirada em esculturas de Tomie Ohtake.Este DVD – uma parceria Documenta Vídeo Brasil e Instituto Tomie Ohtake – mais que um registro, é o testemunho dos vários encontros mantidos com a artista plástica Tomie Ohtake no curso dos últimos três anos. Sem pretender catalogar a vasta obra de Tomie, os vídeos escolhidos para este DVD revelam momentos especiais, os acasos, a convivência entre as artes plásticas e a câmera de TV. Tomie fala pouco, mas o silêncio que se estabeleceu durante todo esse tempo foi tecido pela melhor matéria-prima produzida pela vida: o ser artístico.

O Traço Essencial
Média-documentário produzido para a Rede Sesc Senac de Televisão / STV.

Tomie por Haroldo de Campos
Entrevista com o poeta e parceiro de Tomie, editada praticamente sem cortes.

Tomi-ês
Originalmente concebido para ser um documentário, transformou-se num conjunto de hai-kais.

Arcos
Performance de dança gravada no Paço das Artes em São Paulo, inspirada em esculturas de Tomie Ohtake.

 

MAIS FILMES E DOCUMENTÁRIOS COM FOCO EM GRANDES NOMES DAS ARTES PLÁSTICAS

Com o sucesso da exposição de SALVADOR DALÍ no Instituto Tomie Ohtake, em SP no ano passado, reunimos uma filmografia em DVD sobre alguns dos maiores pintores e artistas plásticos da história. Em inúmeras biografias romanceadas, de Rembrandt (1936) a Vida e Arte de Georgia O’Keeffe (2009), passando por documentários obrigatórios como O Mistério de Picasso (1956), até a investigação do processo de criação de uma tela em Moça com Brinco de Pérola (2003) e Ronda da Noite (2007), é notória a fascinação do cinema pela artes plásticas e grandes artistas como o mestre surrealista.

Salvador Dalí também trabalhou no cinema: a convite de Alfred Hitchcock, em 1945, Dalí criou a cenografia da sequência onírica de "Quando Fala o Coração" (foto em destaque), raridade disponível na 2001

Salvador Dalí também trabalhou no cinema: a convite de Alfred Hitchcock, em 1945, Dalí criou a cenografia da sequência onírica de “Quando Fala o Coração” (foto em destaque), raridade disponível na 2001

Na seleção de DVDs abaixo, todos disponíveis para locação no acervo da 2001, segue uma amostra significativa do diálogo entre formas de arte diferentes, mas que têm na imagem sua força – e sentido construído a partir da subjetividade de cada um.

Quando Fala o Coração
(Spellbound, EUA, 1945, P&B, 111′)
De: Alfred Hitchcock
Com: Ingrid Bergman, Gregory Peck, Michael Chekhov, Leo G. Carroll

1

Gregory Peck interpreta o Dr. Edwards, que, recém contratado como diretor de uma clínica para doentes mentais, começa a apresentar um estranho comportamento. A situação complica quando uma psiquiatra, Contance (Ingrid Bergman) se apaixona pelo ele. Vencedor do Oscar de melhor trilha sonora para Miklós Rózsa, o filme marcou época com uma onírica seqüência de sonho idealizada por Salvador Dali.

Dois gênios em ação: Alfred Hitchcock e Salvador Dalí nos bastidores de "Quando Fala o Coração", clássico dirigido pelo mestre do suspense

Dois gênios em ação: Alfred Hitchcock e Salvador Dalí nos bastidores de “Quando Fala o Coração”, clássico dirigido pelo mestre do suspense

Poucas Cinzas – Salvador Dalí
(Little Ashes, ESP/ING, 2008, Cor, 112′)
De: Paul Morrison
Com: Robert Pattinson, Javier Beltran, Matthew McNulty

3

Em 1922, Madri se vê em plena revolução cultural por conta das mudanças de valores provocadas pelo jazz, pelas ideias de Freud e pela avant-garde. Nesse mesmo ano, aos 18 anos, Salvador Dalí (Robert Pattinson) entra para a faculdade determinado em se tornar um grande artista. Sua incomum mistura de timidez e exibicionismo faz com que a elite social da universidade volte suas atenções ao jovem estudante, atraindo nomes como Federico Garcia Lorca e Luis Buñuel.

Robert Pattinson interpreta Salvador Dalí em seu despertar artístico, nos início dos anos 20

Robert Pattinson interpreta Salvador Dalí em seu despertar artístico, nos início dos anos 20

Rembrandt
(Rembrandt, ING, 1936, P&B, 85′)
De: Alexander Korda
Com: Charles Laughton, Gertrude Lawrence, Elsa Lanchester

No ano de 1642, em Amsterdan, o grande pintor Rembrandt Van Rijin desfruta de uma vida cheia de fama e fortuna, mas com a morte de sua esposa e musa, seu trabalho entra em estagnação.

Sede de Viver
(Lust for Life, EUA, 1956, Cor, 122′)
De: Vincente Minnelli
Com: Kirk Douglas, Anthony Quinn, James Donald, Pamela Brown

“Os quadros chegam até mim como em um sonho”, disse Vincent Van Gogh. Um sonho que freqüentemente despedaçava sua vida como um pesadelo nessa ficcionalização do pintor e sua mente atormentada. O obcecado Van Gogh pintou o modo como outros homens respiram, se despojando de família e amizades, incluindo o também artista Paul Gauguin.

O Mistério de Picasso
(Le Mystére Picasso, FRA, 1956, P&B, 75′)
De: Henry-Georges Clouzot

Em 1955, o famoso cineasta francês Henry-Georges Clouzot (As Diabólicas, O Salário do Medo) conseguiu convencer seu amigo Pablo Picasso a fazer um documentário de arte em que registra o momento da sua misteriosa criatividade. Para o filme, o mestre criou 20 telas. Usando tinta e papel especial, Picasso criou rapidamente fantásticos desenhos filmados por Clouzot no lado inverso da tela, capturando seu processo de trabalho em tempo real.

Extras do DVD: Ensaio de François Truffaut * Curta-metragem Guernica (1950), dirigido por Alain Resnais.

Agonia e Êxtase
(The Agony and the Ecstasy, EUA, 1965, Cor, 138′)
De: Carol Reed
Com: Charlton Heston, Rex Harrison, Diane Cilento, Harry Andrews, Adolfo Celi

Quando o Papa Júlio II encomenda a Michelangelo a pintura do teto da Capela Sistina, o artista recusa a princípio, mas acaba cedendo contra sua vontade. O projeto se torna uma batalha de vontades alimentada por diferenças artísticas e de temperamento.

Charlton Heston é Michelangelo Buonaroti em Agonia e Êxtase

Andrei Rublev
(Andrei Rubliov, RUS, 1966, P&B, 205′)
De: Andrei Tarkovsk
Com: Irma Raush, Ivan Lapikov, Mikhail Kononov

Andrei Rublev foi um pintor de ícones da Rússia no início do século XV. Encarregado de pintar as paredes da Catedral da Anunciação, no Kremlin, ele trabalha sob a direção do mestre grego Teófanes. Este, é atormentado pela crueldade da época, que atribui a ira do Céu, enquanto que Rublev acredita no livre arbítrio.

A Vida de Leonardo da Vinci
(La Vita di Leonardo da Vinci, ITA, 1972, Cor, 325′)
De: Renato Castellani
Com: Philippe Leroy, Ann Odessa, Glauco Onorato

A história de Leonardo da Vinci (1452-1519), de sua infância em Florença à sua morte na França, incluindo sua rivalidade com Michelangelo e a amizade com Botticelli, além do processo de criação de suas principais obras-primas, como A Última Ceia e Mona Lisa, seus desenhos da anatomia humana e suas inúmeras invenções.

Excesso e Punição
(Egon Schiele – Exzesse, ALE, 1981, Cor, 89′)
De: Herbert Vesely
Com: Mathieu Carrière, Jane Birkin, Christine Kaufmann, Kristina Van Eyck

A trajetória do pintor austríaco Egon Schiele, um dos pais do expressionismo moderno. Ele começou a carreira ainda soldado, nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, ganhando notoriedade com nus pornográficos, sendo ocasionalmente preso por causa de suas criações.

Caravaggio
(Idem, ING, 1986, Cor, 88′)
De: Derek Jarman
Com: Nigel Terry, Sean Bean, Garry Cooper, Spencer Leigh, Tilda Swinton

Michelangelo Merisi da Caravaggio foi um dos maiores nomes da Renascença Italiana. Tendo sua história contada em flashbacks, o artista recorda fatos de sua curta existência na Terra e nos mostra sua infância, as decepções do início de sua carreira, os últimos êxitos, sua amizade com um cardeal e sua relação destrutiva com um jogador.

A belíssima fotografia de Caravaggio, produção britânica dirigida por Derek Jarman, reproduz na tela o estilo claro-escuro imortalizado pelo pintor italiano

Caravaggio (2007)
(Idem, ITA, 2007, Cor, 207)
De: Angelo Longoni
Com: Alessio Boni, Benjamin Sadler, Claire Keim, Elena Sofia Ricci

2

Versão integral com quase quatro horas de “Caravaggio”, monumental minissérie italiana da RAI sobre a vida e a obra de Michelangelo Merisi da Caravaggio (1571-1610), um dos maiores pintores de todos os tempos. Com linda fotografía do mestre Vittorio Storaro (“Apocalypse Now”) e música do premiado Luis Bacalov (“O Carteiro e o Poeta”), essa superprodução é estrelada por Alessio Boni, de Guerra & Paz.

Camille Claudel
(Idem, 1988, FRA, Cor, 166′)
De: Bruno Nuytten
Com: Isabelle Adjani, Gérard Depardieu, Laurent Grévill, Alain Cuny

Paris, 1885. A jovem escultora Camille Claudel entra em conflito com sua família burguesa ao tornar-se aprendiz e, posteriormente, assistente do famoso escultor Auguste Rodin. Quando ela se transforma em amante do mestre (já casado), cai em desgraça junto à sociedade parisiense.

Mestre e aprendiz: Gérard Depardieu é Rodin, e Isabelle Adjani, Camille Claudel

* Indicado ao Oscar de melhor atriz (Isabelle Adjani) e filme estrangeiro.

Vincent Van Gogh – Vida e Obra de um Gênio
(Vincent and Theo, FRA/ING/ESP/EUA, 1990, Cor, 133′)
De: Robert Altman
Com: Tim Roth, Paul Rhys, Kitty Courbois, Jip Wijngaarden

A história de Vincent Van Gogh, artista de temperamento instável e tempestuoso, é narrada paralelamente a do seu irmão mais novo, Theo, de quem sempre recebeu apoio.

Van Gogh
(Idem, FRA, 1991, Cor, 152′)
De: Maurice Pialat
Com: Jacques Dutronc, Alexandra London, Bernard Le Coq

Os últimos 67 dias de vida de Van Gogh, no final da primavera de 1890, quando ele se muda para Auvers-sur-Oise, onde se hospeda sob os cuidados do Dr. Gachet.

Blue
(Idem, ING, 1993, Cor, 74′)
De: Derek Jarman
Vozes: Nigel Terry, Derek Jarman, Tilda Swinton

Filme póstumo do poeta, pintor e cineasta Derek Jarman, filmado quando sua saúde já estava bastante debilitada em decorrência da AIDS, Blue é um projeto experimental monocromático inspirado nas ideias do pintor francês Yves Klein e em reflexões pessoais sobre a arte, a poesia, a memória, o tempo e a morte.

Eu Atirei em Andy Warhol
(I Shot Andy Warhol, EUA, 1996, Cor, 102′)
De: Mary Harron
Com: Lili Taylor, Jared Harris, Lothaire Bluteau

Militante ultra-radical e escritora, autora do manifesto Scum – que pregava o extermínio de todos os homens do planeta – e de alguns textos obscuros, Valerie Solanas mergulhou no viciante universo de Andy Warhol. Mas, ignorada por ele, foi responsável pelo tiro que quase tirou a vida do pai da pop art.

O Aleijadinho
(Idem, BRA, 2000, Cor, 100′)
De: Geraldo Santos Pereira
Com: Maurício Gonçalves, Maria Ceiça, Ruth de Souza, Carlos Vereza

Além de revelar a intimidade do artista, sua formação de escultor e arquiteto, o filme enfatiza o relacionamento amoroso de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, com a bela Helena, os conflitos políticos com o pai e a amizade com o inconfidente Cláudio Manoel da Costa.

Pollock
(Idem, EUA, 2000, Cor, 122′)
De: Ed Harris
Com: Ed Harris, Marcia Gay Harden, Amy Madigan, Jennifer Connelly

Em agosto de 1949, a revista Life publicou em sua capa a manchete “Jackson Pollock: Será ele o maior artista vivo dos Estados Unidos?” Já conhecido no mundo da arte de Nova York, Pollock ficou conhecido nacionalmente como a primeira celebridade americana no mundo das artes plásticas e seu estilo corajoso e radical de pintura ditou os rumos da arte moderna.

Frida
(Idem, EUA, 2002, Cor, 123′)
De: Julie Taymor
Com: Salma Hayek, Alfred Molina, Geoffrey Rush, Ashley Judd, Antonio Banderas, Edward Norton

Da relação complexa e duradoura com seu mentor e marido, Diego Rivera, passando por seu controverso e ilícito caso com Leon Trotsky e provocantes envolvimentos românticos com outras mulheres, Frida Kahlo levou uma vida intensa e sem limites como uma revolucionária política, artística e sexual.

Frida Kahlo e sua representação no cinema, por Salma Hayek, no drama Frida, de Julie Taymour

* Oscar de melhor maquiagem e trilha sonora. Indicado ainda a atriz (Salma Hayek), direção de arte, figurino e canção original.

Retrato Completo de Andy Warhol
(Andy Warhol – The Complete Picture, ING, 2002, Cor/P&B, 100′)
De: Chris Rodley
Com: Joe Dallesandro, Bridget Berline, Dennis Hopper, Salvador Dali, Mick Jagger, Lou Reed

O documentário relembra, por meio de depoimentos comoventes de amigos, irmãos, colegas de trabalho, curadores, artistas e jornalistas que conheceram Andy Warhol, a vida e carreira do artista que mudou a cara da arte no século XX.

Moça com Brinco de Pérola
(Girl With a Pearl Earring, ING/LUX, 2003, Cor, 99′)
De: Peter Webber
Com: Colin Firth, Scarlett Johansson, Tom Wilkinson, Judy Parfitt, Cillian Murphy

Griet trabalha como criada na casa do artista plástico Johannes Vermeer. Com o tempo, a moça fica completamente fascinada pela pintura delicada do artista e se revela apta para auxiliá-lo em seu ateliê, onde encontra um mundo de cor e luz. A jovem irá se tornar modelo para uma das obras-primas do renomado pintor.

Scarlett Johansson ao lado do quadro original Moça com Brinco de Pérola (1665-1666), de Johannes Vermeer, vivido por Colin Firth no filme

Modigliani: Paixão pela Vida
(Modigliani, EUA/FRA/ALE/ITA/ING, 2004, Cor, 128′)
De: Mick Davis
Com: Andy Garcia, Elsa Zylberstein, Peter Capaldi, Udo Kier

Ele revolucionou o mundo das artes como um cometa, dançando sobre as mesas, embriagado de paixão pela vida. Inspirado pelo amor e consumido pela obsessão, o famoso pintor italiano Amedeo Modigliani viveu e absorveu a charmosa Paris do início do século 20 com uma atração incontrolável pela beleza. Sempre com a mesma intensidade, o judeu Modigliani amou a católica Jeanne Hebuterne e odiou o genial Pablo Picaso.

Sombras de Goya
(Goya’s Ghosts, ESP/EUA, 2006, Cor, 113′)
De: Milos Forman
Com: Javier Bardem, Natalie Portman, Stellan Skarsgård, Michael Lonsdale

Espanha, 1792. Nos últimos anos do século XVIII, em meio ao radicalismo da Inquisição e à iminente invasão da Espanha pelas tropas de Napoleão Bonaparte, o pintor espanhol Francisco Goya é reconhecido pela corte do Rei Carlos IV, mas a bela Inês, sua modelo e musa, é presa sob a falsa acusação de heresia.

Ronda da Noite
(Nightwatching, HOL/FRA/ING/POL/CAN, 2007, Cor, 142′)
De: Peter Greenaway
Com: Martin Freeman, Emily Holmes, Eva Birthistle, Jodhi May

Crônica da vida do pintor holandês Rembrandt, nascido em 1606, o filme se concentra no período em que o artista produziu Ronda da Noite (1642), sua obra mais famosa obra.

Michelangelo: Artista e Homem
(Idem, EUA, 2008, Cor, 46′)

A relação de Michelangelo com a família e com a Igreja Católica, bem como sua grande habilidade para os negócios são retratados no documentário produzido pelo The Biography Channel, um mergulho na alma do artista cujo talento foi tão marcante que lhe rendeu, ainda em vida, o título de “o divino”.

Vincent Van Gogh: Um Gênio Indomado – Biografias
(Idem, ING, 2008, Cor, 44′)

Suas telas estão entre os mais valiosos objetos da arte mundial. Nascido em 1853, o holandês Vincent Van Gogh é considerado um dos maiores pintores de todos os tempos, embora sua fama só tenha se dado postumamente.

Biografia de Leonardo da Vinci
(Biography – Leonardo Da Vinci, EUA, 2009, Cor, 48′)
De: Alan Yantob

Documentário sobre a trajetória de Leonardo Da Vinci, gênio responsável pela Mona Lisa, por redirecionar rios, criar instrumentos musicais e até inventar máquinas para voar. Dono de uma diversidade criativa assombrosa, o artista teve poderosos rivais, enfrentou incompreensões e preconceitos e morreu na solidão.

A Vida Secreta de uma Obra-Prima
(Idem, ING, 2009, Cor, 450′)

Por trás de telas e esculturas encantadoras, escondem-se detalhes de revoluções políticas, fugas de guerra, choques de egos, derrocadas financeiras e ataques com facas e ácido. Nessa série fascinante, a verdade oculta em cada obra de arte é revelada.

DVD 1: Pós-Impressionismo
– O Baile no Moinho de La Galette (Auguste Renoir)

O Baile no Moulin de la Galette,1876

– Os Girassóis (Vincent Van Gogh)

Os Girassóis, de Vincent Van Gogh, acabado em Agosto de 1888

– Tarde de Domingo na Ilha de Grand Jatte (Georges Seurat)

DVD 2: Século XX
– Les Demoiselles d’Avignon (Pablo Picasso)

Um dos mais famosos quadros do pintor espanhol Pablo Picasso, e um marco do cubismo, Les Demoiselles d’Avigno é uma pintura a óleo sobre tela de 1907

– O Beijo (Gustav Klimt)

Pintura de Gustav Klimt (1862-1918), de 1908, simboliza a paixão no estilo Art Nouveau

– Cristo de São João da Cruz (Salvador Dali)

DVD 3: Escultura
– David (Michelangelo)
– La Petite Danseuse de Quatorze Ans (Edgar Degas)
– O Beijo (Auguste Rodin)

O Beijo (1886), de Auguste Rodin, mármore esculpida 3 anos após o início de sua relação com Camille Claudel

Vida e Arte de Georgia O’Keeffe
(Georgia O’Keeffe, EUA, 2009, Cor, 88′)
De: Bob Balaban
Com: Jeremy Irons, Joan Allen, Tyne Daly, Luce Rain

4

Os quadros deslumbrantes de Georgia O’Keeffe são apresentados ao longo de seu romance com o carismático fotógrafo Alfred Stieglitz, seu colapso emocional ao descobrir a infidelidade dele, e sua autodescoberta em Taos, Novo México.

Lixo Extraordinário
(Waste Land, BRA?ING, 2010, Cor, 99′)
De: Lucy Walker, Karen Harley, Joaão Jardim
Com: Vik Muniz

Filmado ao longo de dois anos, o documentário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um dos maiores aterros sanitários do mundo: O Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de catadores de materiais recicláveis, com o objetivo inicial de retratá-los.

Exemplo de composição, com material reciclado, realizada por Vik Muniz e os catadores de lixo para o documentário indicado ao Oscar neste ano

Basquiat*
(Idem, EUA, 1996, Cor, 108′)
De: Julian Schnabel
Com: Jeffrey Wright, Michael Wincott, Benicio Del Toro, David Bowie

Jeffrey Wright vive Jean Michel Basquiat, e David Bowie, o papa da pop art, Andy Warhol, na produção independente Basquiat, dirigida pelo aclamado artista plástico e cineasta Julian Schnabel (O Escafandro e a Borboleta) 

Em 1981, um jovem artista (Jeffrey Wright) das ruas é descoberto por Andy Warhol (David Bowie) e desenvolve uma ascensão meteórica, tornando-se uma estrela no mundo das artes. Mas este sucesso repentino e inesperado terá um preço muito alto.

* Independent Spirit Awards de melhor ator coadjuvante (Benicio Del Toro).

Renoir
(Idem, FRA, 2012, Cor, 111)
De: Gilles Bourdos
Com: Michel Bouquet, Christa Theret, Vincent Rottiers, Thomas Doret, Romane Bohringer

Um filme sobre Auguste Renoir precisa ter imagens à altura de seu biografado, e "Renoir" não foge à regra, com sua belíssima  fotografia do filme capta a beleza das cores vibrantes e a

Qualquer filme sobre um grande pintor precisa traduzir em imagens o universo de seu biografado: “Renoir” não foge à regra, com belas imagens que reproduzem as cores vibrantes e os temas da obra de Auguste Renoir

Riviera Francesa, 1915. O famoso pintor Pierre-Auguste Renoir é atormentado pela perda da mulher, as dores da artrite e a preocupação com o filho Jean, que luta na Primeira Guerra Mundial. Uma jovem contratada para trabalhar como modelo vivo lhe traz nova inspiração.

Com ênfase maior nos personagens ao invés da trama, o roteiro observa Auguste no crepúsculo da vida, e Jean em seus anos de formação, reunidos em torno da beleza da criação artística, representada pela mulher que se tornaria musa de ambos.