This Is US

SÉRIES PARA ASSISTIR SEM PARAR

THIS IS US – 1ª TEMPORADA

Premiada com o Emmy de melhor ator (Sterling K. Brown) e ator convidado (Gerald McRaney) em série dramática, a produção mostra de forma não-linear e por meio de múltiplos pontos de vista a trajetória de diferentes personagens com aparentemente nada em comum – a não ser seu dia de aniversário. Drama familiar feito para emocionar, a série é uma das mais queridas pelo público na atualidade.

Extras: “Depois Do Show” em todos os episódios.

MÁQUINA MORTÍFERA – 1ª TEMPORADA

A série reinventa a franquia estrelada por Mel Gibson e Danny Glover entre 1987 e 1998, com Clayne Crawford (“NCIS: New Orleans”) e Damon Wayans (“Eu, a Patroa e as Crianças”) na pele, respectivamente, de Martin Riggs e Roger Murtaugh. O primeiro é um ex-marine com tendências suicidas desde a morte da esposa, e forma com Murtaugh, um pacato pai de família, uma explosiva dupla policial.

Extras: Versão estendida do piloto (sem censura), cenas deletadas, erros de gravação.

THE BLACKLIST – 4ª TEMPORADA

Elizabeth Keen (Megan Boone) tenta desvendar o mistério da sua infância perdida, sem saber que os riscos para ela e sua família aumentam a cada dia. Enquanto isso, a força-tarefa se recupera e amizades são abaladas. Traído por aqueles que lhe eram mais próximos, Raymond ‘Red’ Reddington (James Spader) enfrenta um exército de novos e inesperados membros da lista negra.

Extras: Cenas excluídas, o fim de uma era, erros de gravação, um tom mais claro de Red.

PRISON BREAK – 5ª TEMPORADA

Sete anos depois do final da penúltima temporada, Lincoln Burrows (Dominic Purcell, de “Dc’s Legends of Tomorrow“) investiga a veracidade de uma foto que revela a possibilidade de seu irmão, Michael (Wentworth Miller), ainda estar vivo. Com nova ambientação e temas, como o Oriente Médio e o Estado Islâmico, a série leva a dupla de protagonistas para a realidade do terrorismo atual.

Extras: Retorno ao lar: O making of de Prison Break – 5ª Temporada.

HOUSE OF CARDS – 5ª TEMPORADA

Após encerrar a quarta temporada com a impactante frase “nós não nos submetemos ao terror, nós fazemos o terror”, Frank Underwood (Kevin Spacey) está de volta, em pleno processo de eleições presidenciais. Candidato republicano à presidência, Will Conway (Joel Kinnaman) continua um oponente à altura, e cresce ainda mais o poder (e ambições) da primeira-dama Claire (Robin Wright).

Indicações ao Emmy: melhor série dramática, ator (Spacey), atriz (Wright), ator coadjuvante (Michael Kelly), mixagem de som, figurino. Venceu melhor trilha sonora dramática original.

E VEJA TAMBÉM:
House of Cards – Temporadas 1-5

BATES MOTEL – 5ª TEMPORADA

Criada por Carlton Cuse (“Lost”), Kerry Ehrin (“Friday Night Lights”) e Anthony Cipriano, a série é inspirada nos personagens de “Psicose” e funciona com uma prequel, ou prelúdio, do clássico de Alfred Hitchcock. Após uma série de crimes, o jovem Norman Bates (Freddie Highmore) ainda mantém as aparências, apesar de seus violentos “apagões” e a persona de sua mãe (papel de Vera Farmiga) dominando sua mente.

Extras: Cenas excluídas.

E VEJA TAMBÉM:
Bates Motel – A Série Completa

GRIMM – 6ª TEMPORADA

A série termina com o esperado confronto final entre Nick (David Giuntoli) e o Capitão Renard (Sasha Roiz). Após obter um posto de poder como prefeito de Portland, Renard está disposto a promover sua própria marca de lei e ordem, e Nick precisa proteger sua cidade e os que lhe são próximos. Serão necessárias todas as forças do herói e de seus aliados a fim de encontrar a paz.

Extras: Cenas deletadas, behind the scenes with David Giuntoli, Gag Reel, A Grimm Farewell, Wu’s Views, A Grimm Journey.

E VEJA TAMBÉM:
Grimm – A Série Completa

BIG BANG – A TEORIA – 10ª TEMPORADA

Na temporada passada, Leonard e Penny foram de vizinhos a recém-casados com uma excursão nupcial a Las Vegas. Nesta temporada, eles se encontram em um paradigma repetitivo à medida que eles recriam seu casamento, com convidados ilustres como a mãe de Penny (Katey Sagal) e os pais de Leonard (Christine Baranski e Judd Hirsch). E Sheldon cria um novo acordo de companheiro de quarto enquanto ele e Amy se envolvem numa coabitação experimental.

Extras: #JustAskBBT, Enfeites Malucos, O Universo sempre em expansão de Bing Bang – A Teoria, Quem é o bebê agora?, O Melhor de Big Bang – A Teoria, Painel Comic-Con 2016.

CONHEÇA OS VENCEDORES DO EMMY, O “OSCAR DA TV”

AS PRODUÇÕES “THE HANDMAID’S TALE”, AINDA INÉDITA NO BRASIL, E “BIG LITTLE LIES” FORAM AS GRANDES VENCEDORAS DO PRÊMIO, CONSIDERADO O MAIS IMPORTANTE DA TELEVISÃO AMERICANA. 

A 69ª cerimônia do Emmy foi realizada na noite de domingo (17), em Los Angeles, e, em meio a discursos políticos inflamados, celebrou a diversidade e a força das personagens femininas na chamada “era de ouro” da televisão.

Baseada no livro “O Conto da Aia”, da escritora canadense Margaret Atwood, a distopia feminista “The Handmaid’s Tale” concorria a 13 Emmys e levou 6 troféus das categorias principais: melhor série dramática, atriz dramática (Elisabeth Moss), direção (Reed Morano), roteiro (Bruce Miller), atriz coadjuvante (Ann Dowd) e atriz convidada em série drasmática (Alexis Bledel, de “Gilmore Girls”).

Uma das séries mais impactantes dos últimos anos, THE HANDMAID”S TALE foi a grande surpresa da premiação. A história de um regime totalitário não muito distante dos tempos atuais – de intolerância religiosa e conservadorismo crescentes – que oprime de maneira aterrorizante e brutal, sobretudo, as mulheres.

Entre as produções de menor duração (minissérie ou telefilme), “Big Little Lies” – que sai em DVD na 2001 no final deste mês – brilhou com cinco prêmios: melhor minissérie, melhor atriz (Nicole Kidman), atriz coadjuvante (Laura Dern), ator coadjuvante (Alexander Skarsgard) e direção (Jean-Marc Vallée) em minissérie.

A ousada mistura de ficção-científica e faroeste “Westworld” ficou relegada a prêmios técnicos, assim como a elogiada minissérie “Feud”, sobre a rivalidade entre Bette Davis e Joan Crawford durante as filmagens do clássico “O Que Aconteceu com Baby Jane?“.

O aclamado drama criminal “The Night of” (disponível completa em DVD na 2001) rendeu o prêmio de melhor ator para o jovem Riz Ahmed, derrotando pesos-pesados como Robert De Niro (“The Wizard of Lies”) e Ewan McGregor (pela terceira temporada de “Fargo”).

Criada pelos roteiristas Richard Price (“A Cor do Dinheiro”, “The Wire”) e Steven Zaillian (vencedor do Oscar por “A Lista de Schindler”), a minissérie “THE NIGHT OF” esmiuça, com precisão cirúrgica e atenção aos detalhes, a descida ao inferno de um jovem através do sistema judicial norte-americano. No caso, Naz (Riz Ahmed), filho de uma família paquistanesa que é acusado de matar uma jovem em Nova York.

Lembrando que “Game of Thrones“, maior vencedor da história da premiação, não concorreu nesta edição do Emmy por não ter estreado a atual temporada a tempo do período de apuração.

Confira a seguir os ganhadores nas principais categorias – a lista completa, com os prêmios técnicos, encontra-se no site oficial do Emmy.

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
“The Handmaid’s Tale”

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Veep

MELHOR TELEFILME
“Black Mirror”: Episódio “San Junipero”

MELHOR MINISSÉRIE
Big Little Lies

No centro do palco, Nicole Kidman e Reese Witherspoon, produtoras executivas e protagonistas de BIG LITTLE LIES. Adaptada do best seller homônimo de Liane Moriarty, a minissérie acompanha três mulheres que se envolvem em uma trama de assassinato, rivalidade e violência doméstica, na aparente perfeita comunidade de Monterey, na Califórnia. Shailene Woodley, Alexander Skarsgård, Laura Dern e Adam Scott completam o elenco, e a direção é do canadense Jean-Marc Vallée (de “Clube de Compras Dallas”).

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Sterling K. Brown (“This Is Us“)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Donald Glover (“Atlanta”)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Elisabeth Moss (“The Handmaid’s Tale”)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Julia Louis-Dreyfus (“Veep“)

No papel de um jovem acusado de assassinato, Riz Ahmed enfrenta preconceito racial e injustiça em THE NIGHT OF, minissérie que disseca com frieza o sistema criminal americano

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Riz Ahmed (“The Night Of”)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Nicole Kidman (“Big Little Lies“)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA
John Lithgow (“The Crown”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Alec Baldwin (“Saturday Night Live”)

Impagável imitando o presidente eleito Donald Trump, Alec Baldwin foi premiado por suas participações no programa humorístico SATURDAY NIGHT LIVE

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alexander Skarsgard (“Big Little Lies“)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ann Dowd (“The Handmaid’s Tale”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Kate McKinnon (“Saturday Night Live”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Laura Dern (“Big Little Lies“)

No papel de uma advogada implacável, Laura Dern levou o prêmio de coadjuvante por BIG LITTLE LIES – em pré-venda na 2001 -, derrotando sua colega de elenco Shailene Woodley

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DRAMÁTICA
Gerald McRaney (“This Is Us“)

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM SÉRIE DRAMÁTICA
Alexis Bledel (“The Handmaid’s Tale”)

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DE COMÉDIA
Dave Chappelle (“Saturday Night Live”)

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM SÉRIE DE COMÉDIA
Melissa McCarthy (“Saturday Night Live”)